Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 27 de fevereiro de 2024

3 de maio de 2022

03/05 – Sindicato cobra reajuste de escolas caloteiras, nova rodada de negociação no Ensino Superior, estado de greve em Minas, e mais: nove presidenciáveis em 2022?

.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]

Sindicato dos professores do ABC inova com atividade esportiva para associados e acompanhantes. Veja abaixo detalhes do programa ‘Sinpro em Família’ e como se inscrever!

 

 

 

Sindicato cobra as escolas sobre o reajuste e agora se reúne com os professores
Rede Brasil Atual; 01/05
https://bit.ly/3LJz9UA

O SinproSP convocou 53 escolas de educação básica para cobrar o reajuste salarial de 10,57%, garantido na Convenção Coletiva. A ação só foi possível pela participação dos professores, que responderam positivamente ao Sindicato e fizeram a denúncia na plataforma criada para esse fim. Essa primeira fase foi concluída no dia 29 de abril.

Agora, o SinproSP quer falar com as professoras e os professores desses estabelecimentos. Os encontros serão on line, escola por escola, nos dias 05 e 06 de maio. O Sindicato dará o retorno da cobrança, vai discutir os seus resultados e conversar sobre outras providências que se fizerem necessárias.

Confira a lista das escolas que deram o cano no pagamento do reajuste aqui.

 

CAMPANHA SALARIAL

Ensino Superior, nova rodada de negociação nesta quarta, dia 4; alerta a professores.
Fepesp; 02/05
https://bit.ly/3OJ9RIf

Nova rodada de negociação ficou marcada para a próxima quarta-feira, dia 4 de maio.  Mas fique de olho: professores e auxiliares poderão ser convocados a qualquer momento pelo Sindicato. Converse com seu colega na sala de professores. Prepare-se para atender convocações e forçar o patronal a reconhecer um reajuste justo!

Corrigir defasagem salarial – Na rodada de negociação anterior, em 27/04, os membros da comissão da Fepesp insistiram nas reivindicações apresentadas: atualização das cláusulas de abrangência, licença maternidade, adoção e paternidade, além da proteção aos professores com sofrimento psicológico e a regulamentação do ensalamento, direitos autorias e da EaD e também na pretensão de corrigir a defasagem salarial pelo índice inflacionário. A inclusão da cláusula de abono ou PLR foi aceita pelos representantes sindicais, desde que seja de 50% do salário bruto.

Os representantes patronais não aceitaram firmar acordo de garantia da ultratividade das cláusulas (manutenção da Convenção Coletiva atual até o encerramento das negociações), decisão que foi duramente criticada pelos representantes sindicais e coloca em dúvida a seriedade da mantenedoras nesta negociação.

 

MG: Professores de BH e região marcam protesto e nova assembleia contra propostas de reajustes de 5% e 4%
Sinpro Minas; 01/05
https://bit.ly/3kCxpjW

Donos de escolas querem acabar com as bolsas de estudos e a isonomia salarial, direitos históricos da categoria; reajuste proposto não recompõe nem a inflação

Em assembleia nesse sábado (30/4), professores de escolas particulares de Belo Horizonte e cidades de abrangência da CCT MG voltaram a rejeitar, por unanimidade, a contraproposta feita pelos donos de escolas nas negociações da campanha reivindicatória deste ano.

A categoria decidiu ampliar a mobilização e marcou, para o dia 14 de maio (sábado), às 14 horas, uma nova assembleia presencial, para discutir o rumo do movimento. Desta vez, a assembleia será realizada no Dayrell Hotel e Centro de Convenções (Rua Espírito Santo, 901 – Centro – Belo Horizonte).

Os docentes avaliaram que, caso o quadro não se altere, será necessário paralisar as atividades por tempo indeterminado.

Os professores também agendaram para 12 de maio (quinta-feira) um ato de protesto. Nesse dia, eles darão aulas vestidos de preto, para manifestar o repúdio à tentativa do patronal de retirar direitos históricos.

Os donos de escolas querem, por exemplo, acabar com a cláusula da isonomia salarial, reduzir o valor do adicional por tempo de serviço, alterar férias e recessos e acabar com as bolsas de estudos para parcela expressiva da categoria (confira abaixo).

Em relação ao reajuste, eles ofereceram apenas 5% para a educação básica e 4% para o ensino superior – percentuais bem abaixo da inflação oficial.

 

Evasão cai entre alunos que dependem de Fies e Prouni
Valor Econômico; 03/05
http://glo.bo/3MPMcUO

Alunos do ensino superior na rede privada que não contam com financiamento estudantil têm mais probabilidade de abandonar os estudos. A evasão de estudantes de universidades particulares sem financiamento chega a 60%, dez pontos percentuais a mais do que dentre alunos que têm financiamento ou que estudam na rede pública.

Os dados são de um levantamento realizado pela consultoria IDados. O estudo, feito pelos economistas Guilherme Hirata e Matheus Gomes, mostra que a diferença de evasão entre os dois grupos é perceptível desde o primeiro ano do aluno no ensino superior e alcança dez pontos percentuais nos anos seguintes.

Os resultados da pesquisa, que serão publicados no artigo acadêmico “Determinantes da evasão no ensino superior: uma abordagem de riscos competitivos”, mostram que mulheres, brancos, ingressantes mais velhos e quem utiliza o ProUni ou o Fies têm menor risco de evasão.

Após quatros anos de curso, enquanto a probabilidade de evasão para mulheres chegava a 30%, para os homens era de 34%. E enquanto a evasão acumulada no setor público alcança quase 50% ao fim do período, a evasão fica em torno de 35% para modalidades Prouni e Fies, segundo o estudo.

 

JURÍDICO

TRT de São Paulo recebe quase 3 mil processos sobre assédio moral apenas no primeiro trimestre
Rede Brasil Atual; 02/05
https://bit.ly/3F87IkO

Balanço divulgado nesta segunda-feira (2), Dia Nacional de Combate ao Assédio Moral, aponta que a Justiça do Trabalho da 2ª Região (TRT-2, que abrange Grande São Paulo e Baixada Santista) recebeu 2.945 ações por dano moral apenas no primeiro trimestre. Segundo o tribunal, já são 52.765 processos desde 2019. A maior parcela está no comércio varejista, com 8.959 casos.

Em 2021, foram recebidos 15.793 processos sobre dano moral, número pouco acima do ano anterior (15.567). Em 2019, foram 18.280, de acordo com o setor de estatística do tribunal. Segundo o Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MPT-SP), entre os casos mais comuns estão cobranças de metas (em geral, inatingíveis) – ocorrência bastante familiar para a categoria bancária –, práticas antissindicais e ameaças de demissão. O MPT elaborou uma cartilha em 2019.

 

GO: mães dizem que foram barradas com filhos na porta da faculdade
Metrópoles; 02/05
https://bit.ly/3vDhSXy

Estudantes de uma universidade privada da capital de Goiás denunciaram, nas redes sociais, que foram barradas na portaria da faculdade, porque estavam com seus filhos pequenos.

Pelo menos duas alunas do curso de veterinária gravaram vídeos relatando a situação e publicaram os registros nas redes sociais. A UniGoiás alegou, em nota, que a presença das crianças é proibida por questão de segurança.

 

CULTURA

TJ-SP valida lei que prevê meia-entrada a professores da rede pública e privada
Conjur; 02/05
https://bit.ly/3F9ZVTs

Há espaço para que o legislador municipal, no exercício de sua competência concorrente complementar, e observadas as especificidades locais, amplie a concessão de meia-entrada para além do previsto em lei estadual e federal.

Com esse entendimento, o Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo declarou a constitucionalidade de uma lei de Votorantim, que garante meia-entrada a todos os professores da rede pública e privada do município em espetáculos artísticos, esportivos e culturais.

 

Feira do Livro da Unesp, online, dá desconto de pelo menos 50% até domingo, 8; acesso online
Estadão; 02/05
https://bit.ly/3LEaEZ2

A quarta edição da Feira do Livro da Unesp começou na manhã desta segunda, 2, e segue até o próximo domingo, 8, de forma virtual, com descontos de, pelo menos, 50% nas obras. São mais de 150 editoras participantes, entre elas, nomes como Companhia das Letras, Todavia e Editora 34.

Para acessar a lista de livro oferecidos por cada editora é fácil. O site da Feira (aqui) tem um espaço em que todas as editoras participantes são listadas, com informações de contato e um botão que redireciona o leitor para a loja virtual da editora escolhida.

 

“Manifesto da Educação Nova” é tema de minicurso on-line
Jornal da USP; 02/05
https://bit.ly/37UgSW8

O Manifesto da Educação Nova: em Defesa da Educação Pública e da Formação Docente é o título do minicurso que a Cátedra Alfredo Bosi de Educação Básica da USP vai promover nesta terça-feira, dia 3, às 19 horas. O evento é gratuito e será transmitido ao vivo pelo canal da cátedra na plataforma Youtube (aqui). Não é necessário fazer inscrição.

Lançado em 1932, o Manifesto da Educação Nova foi assinado por mais de 20 intelectuais, entre eles os educadores Fernando de Azevedo e Anísio Teixeira. Considerado o marco inicial da renovação da educação no Brasil, ele propunha a valorização da educação pública, gratuita, universal, laica e obrigatória.

 

SINDICATO

ABC: prorrogadas inscrições para o ‘Sinpro em Família’
Sinpro ABC; 29/04
https://www.sinpro-abc.org.br/

Prorrogamos até o dia 6 de maio (sexta-feira) as inscrições para a primeira edição do projeto SINPRO em Família. Nesta primeira atividade, realizaremos uma aula aberta de vôlei para professores e convidados! O treino será no dia 14 de maio (sábado), no Beach Point Santo André (Av Dom Pedro II, 3017, Bairro Campestre). As vagas remanescentes são para a turma das 10h30 às 12h!

Docentes poderão levar acompanhante com idade a partir de 12 anos (menores terão acompanhamento de recreação enquanto os responsáveis realizam a atividade).

As inscrições são feitas pelo e-mail sinpro@sinpro-abc.org.br, com título “Inscrição para o SINPRO em Família”, com nome completo, telefone e escola onde leciona, mais o nome do acompanhante.

 

SAÚDE

Covid: Em alta, média móvel de mortes chega ao 5º dia acima de 100
UOL; 02/05
https://bit.ly/3w6SNU6

A média de mortes por covid-19 no Brasil chegou ao quinto dia consecutivo acima de 100. Em alta, hoje o índice ficou em 126. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte.

A média móvel é considerada por especialistas a maneira mais confiável para acompanhar o avanço ou o retrocesso da pandemia. O índice é calculado a partir da média de mortes ou de casos dos últimos sete dias.

 

 

ELEIÇÕES 2022

De revogação da reforma a privatizações: as propostas dos presidenciáveis para o trabalhador
Rede Brasil Atual; 02/05
https://bit.ly/3w0BbJl

O 1º de Maio deste ano se realizou num cenário de crise: cerca de 11% dos trabalhadores brasileiros estão desocupados, o ganho de quem trabalha é menor do que o de dez anos atrás e a inflação, a maior em 27 anos. Pré-candidatos a presidente dizem que têm a solução para esses problemas. Mas, afinal, quais as propostas de cada um deles para gerar emprego e renda, e melhorar a vida do trabalhador?

Lula – O ex-presidente e pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT), líder nas pesquisas de intenção de voto para as eleições de 2022, tem dito que pretende rever a reforma trabalhista de 2017. Idealizada pelo governo do ex-presidente Michel Temer (MDB), a reforma flexibilizou os contratos de trabalho com a promessa de criar 6 milhões de empregos. Desde que ela entrou em vigor, no entanto, o desemprego não caiu.

Bolsonaro – O atual presidente Jair Bolsonaro (PL), que pretende concorrer à reeleição, também já disse ser favorável a uma mudança no teto de gastos. Por outro lado, o governo defende a reforma trabalhista e já propôs inclusive novas flexibilizações de contratos de trabalho, argumentando que a redução de obrigações tende a fazer empresários contratarem mais.

Ciro – Terceiro colocado nas pesquisas de intenção de voto, Ciro Gomes (PDT) já disse que pretende revogar a reforma trabalhista de 2017 e a lei do teto de gastos. Ele também pretende rever desonerações fiscais e taxar fortunas para criar um plano de investimento para que o governo aporte R$ 3 trilhões na economia em dez anos.

Doria – João Doria (PSDB) é o quarto pré-candidato em pesquisas eleitorais. Ele declarou ao Brasil de Fato que deve focar seus esforços na qualificação da mão de obra, caso seja eleito, para aumentar a produtividade dos trabalhadores. “A baixa remuneração e a elevada informalidade são também subprodutos desse grave problema de reduzida produtividade do trabalho”, pontuou.

Tebet – A senadora Simone Tebet é a pré-candidata do MDB à Presidência. Ao Brasil de Fato, ela defendeu o programa de concessões de Temer, seu colega de partido, e disse que ele pode gerar empregos. “Pretendemos aprofundar o programa de concessões lançado no governo Temer e que vem rendendo frutos até hoje”, disse.

Sofia Manzano – A economista e pré-candidata à Presidência Sofia Manzano (PCB) apresentou sete propostas para geração de emprego e melhoria da qualidade de vida do trabalhador ao Brasil de Fato. Entre elas está a revogação da reforma trabalhista, a redução da jornada de trabalho sem redução de salários e o aumento do salário mínimo para mais de R$ 6 mil.

Vera Lúcia – A pré-candidata Vera Lúcia (PSTU) também enviou sete propostas ao Brasil de Fato. Ela pretende dobrar o salário mínimo em três anos e reduzir a jornada de trabalho mantendo salários. Também defendeu a revogação da reforma trabalhista e o fim de toda política de precarização do trabalho.

André Janones – O deputado federal André Janones é pré-candidato a presidente pelo Avante. Janones tem dito que seu eventual governo terá como objetivo central a redução da desigualdade. Para Janones, com uma reforma tributária e redução da taxa de juros, o governo tiraria dinheiro de ricos e o destinaria a pobres. Isso geraria consumo e empregos.

Felipe d’Avila – O cientista político Felipe d’Avila, pré-candidato pelo Novo, defende a abertura da economia brasileira a investimentos privados e estrangeiros, com o objetivo de reduzir o desemprego. D’Avila é favorável a concessões de bens públicos à iniciativa privada.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio