Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2022

Por Beth Gaspar em 3 de fevereiro de 2022

03/02 - MP quer teste negativo de covid nas escolas, secretário só concede afastamento com ‘dois sintomas’, e mais: prova de vida do aposentado não será mais presencial

.

 

No ano novo, a luta continua: acompanhe o Plano de Ações decidido no 10º Congresso da Fepesp, aqui: https://bit.ly/3moTWBo

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

MP pede que escolas exijam teste negativo de alunos e professores para ir à aula presencial
Estadão; 02/02
https://bit.ly/3AROcXL

Pelo menos dez escolas particulares de elite de São Paulo receberam nesta terça-feira, 1, uma notificação do Ministério Público que pede que todos os alunos e professores apresentem teste negativo para frequentarem aulas presenciais.  Além disso, determina que as atividades, que acabaram de ser retomadas, sejam suspensas por cinco dias até que as escolas se adaptem à nova medida.

Entre as escolas que receberam a notificação estão Santa Cruz, Bandeirantes, Móbile, Vera Cruz, Porto Seguro, Oswald de Andrade, Pentágono, Dante, Magno e Carandá, segundo o Estadão apurou. O documento ao qual a reportagem teve acesso diz que "para evitar a ocorrência de surto nas escolas e colégios particulares" elas devem exigir "que todos os alunos, funcionários e professores apresentem exame de covid-19 com resultado negativo, como condição indispensável para comparecimento as aulas e ingresso na escola" e "aqueles que se recusarem a fazer o exame sejam mantidos afastados por (10) dez dias".

 

Aluno só será afastado com 2 sintomas de Covid, diz gestão Doria
Folha de S. Paulo; 02/02
https://bit.ly/3rnYrzS

O secretário de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, disse que alunos, professores e funcionários só devem deixar de frequentar as escolas se apresentarem dois sintomas de Covid-19.

A orientação, dada na manhã desta quarta-feira (2) no primeiro dia de aula da rede estadual, vai na contramão das recomendações médicas.

O secretário também afirmou que não há mais orientação para a suspensão das atividades presenciais em turmas que registrarem casos de Covid, mesmo que tenham tido mais de uma ocorrência. Segundo ele, a suspensão só deve ocorrer em caso de surto. No entanto, ele não informou o que configura um surto.

"Pessoas sintomáticas não devem ir à escola, mas o que são pessoas sintomáticas? São as que têm dois sintomas. Não pode ser ‘estou com dor de cabeça, então sou sintomática para Covid’. Tem que ter dois sintomas daqueles que são da Covid para não ir à escola, especialmente, até fazer o teste", disse o secretário.

 

Volta às aulas é segura em meio a sucessivos recordes de casos de covid-19?
Rede Brasil Atual; 02/02
https://bit.ly/3AUsO40

O retorno minimamente seguro às escolas depende diretamente de medidas de prevenção aplicadas com rigidez, garantia de testagem em massa, isolamento criterioso de casos suspeitos e possibilidade de ensino híbrido, para atender quem não puder comparecer presencialmente.

Segundo o médico Eduardo Jorge da Fonseca Lima, membro do Departamento Científico de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), não é possível eliminar totalmente os riscos na volta às aulas, mas as escolas não são locais de alta transmissibilidade se medidas de segurança forem aplicadas.

“A SBP recomenda que, acima de dois anos, a criança pode e deve usar máscara. Qual é a melhor máscara? Vamos da melhor para a ‘pelo menos essa’. A melhor é a PFF2 que já tem modelos pediátricos. A segunda melhor é a cirúrgica, que também tem modelos pediátricos. Por fim, as de pano com três camadas”, orienta ele.

Na hora da merenda, quando for necessário tirar o equipamento de segurança, o médico ressalta que é preciso separar os estudantes. “É importante que, na hora do lanche, as crianças sejam orientadas a comer em separado”, explica.

 

CORONAVÍRUS

Brasil tem quase 900 mortes pela covid-19 em um dia, e média é a maior desde agosto
Rede Brasil Atual; 03/02
https://bit.ly/3sdEHhx

A alta no índice de mortes pela covid-19 é resultado da explosão de casos que a variante ômicron vem causando desde o fim do ano passado. Oito estados e o Distrito Federal já estão com mais de 80% dos leitos de UTI para a covid ocupados.

 

ENSINO SUPERIOR

Sonho do diploma vira pesadelo para jovens endividados com o Fies
Estadão; 02/02
https://bit.ly/35M0TI9

Dívidas de quase R$ 100 mil, cartão bloqueado, parentes com nome sujo e problemas psicológicos fazem parte da rotina dos jovens que se formaram na faculdade com ajuda do Fies, do governo federal, mas hoje sofrem para pagar débitos e juros. Pelos cálculos do governo, há cerca de 1,2 milhão de brasileiros que entraram no programa até o 2.º semestre de 2017 e estão com dívida atrasada há mais de 90 dias – grande parte prejudicada pelo desemprego e pela pandemia.

O governo federal, no fim de dezembro, editou medida provisória (MP) com a promessa de renegociação de dívida, mas a nova regra ainda não é aplicada na prática. Na terça-feira, 1.º, em discurso em rede nacional, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, incluiu o perdão a dívidas do Fies como uma realização do governo federal e uma das “grandes homenagens que o governo do presidente Bolsonaro” presta a estudantes e à educação. A renegociação é prometida para quem firmou contrato até o 2.º semestre de 2017 e tem inadimplência superior a 90 dias. O total de 1,2 milhão corresponde a cerca de metade dos contratos na fase de quitação.

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Bilionário da educação expande negócios para a área de comunicação
Veja; 01/02
https://bit.ly/3glfhsT

Chaim Zaher, bilionário à frente do grupo SEB, um dos maiores conglomerados de ensino privado do país, tem expandido seus negócios para além da área da educação.

Um conhecido do empresário disse a um interlocutor do Radar que o libanês naturalizado brasileiro quer ampliar sua presença no setor das comunicações no país.

Atualmente, ele é dono do grupo Thathi, que detém um portal de notícias, uma TV aberta em Ribeirão Preto (SP) e a rádio Nova Brasil FM, sediada em São Paulo e que está em diversos estados. Em 2020, ele comprou as geradoras do SBT em São José dos Campos, da Record em Campinas e da Band em Santos.

O próximo movimento do empresário pode ser uma oferta de compra da tradicional Rádio Tupi no Rio, que conta com um time de jornalistas e faz transmissões ao vivo de jogos de futebol.


O MINISTRO TRAPALHÃO

Lideranças estudantis rechaçam pronunciamento de ministro da Educação
G1; 01/02
https://bit.ly/34f4m1p

Com o objetivo de tentar melhorar sua imagem e do governo Bolsonaro e um dia após ser denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) por homofobia, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, fez um pronunciamento em cadeia de rádio e televisão nesta terça-feira (1º) no qual procurou vender a imagem de uma gestão preocupada com a valorização dos professores e da educação. Mas, o desmonte da área é nítido e a fala gerou reações de lideranças estudantis.

Bruna Brelaz, presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE) e integrante do Comitê Central do PCdoB, apontou, pelas redes sociais, que o ministro faz “campanha de bom moço” para Bolsonaro. E acrescentou: “Mente! Diz que é um presente aos estudantes, professores. Se realmente tivesse zelo pela educação, estaria investindo nas universidades, nas escolas e não cortando verbas”.

A dirigente disse ainda que “a grande homenagem que Bolsonaro e sua trupe oferecem ao povo brasileiro, estudantes e professores é corte e mais corte”.

 

Sua aposentadoria: prova de vida não será mais presencial
Agencia Sindical; 02/02
https://bit.ly/3GpFIIg

O presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), José Carlos Oliveira, divulgou nesta quarta (2) que não será mais preciso fazer prova de vida presencialmente. O governo vai utilizar outros dados ou irá à casa do beneficiário para comprovar se ele está vivo.

A medida entrará em vigor quando for publicada no Diário Oficial da União. O presidente do INSS, que não informou quando isso irá ocorre, deu as informações ao discursar em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília (DF).

Durante o evento, foi assinada uma Portaria para mudar as regras da prova de vida. Ela é obrigatória para aposentados, pensionistas e para quem recebe benefícios do INSS por meio de conta corrente, poupança ou cartão magnético. Serve para evitar fraudes e garante a manutenção do pagamento.

Data – O INSS terá que concluir tais mudanças até dia 31 de dezembro deste ano. “Até essa data, o bloqueio de pagamento por falta da comprovação de vida fica suspenso”, informou o governo.

Beneficiários – Atualmente, 36 milhões de brasileiros precisam se deslocar para fazer a prova de vida do INSS. Deste total, 5 milhões têm mais de 80 anos. Segundo o governo federal, hoje não há pessoa bloqueada por falta de prova de vida.

MAIS – Acesse o site do INSS

Conteúdo Relacionado

crossmenu