Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 27 de fevereiro de 2024

2 de julho de 2021

02/07 – novos atos contra Bolsonaro neste sábado, alunos fogem de aulas remotas no Estado, o veto à educação domiciliar no RS, e mais: um teste para o conhecimentos de atualidades dos seus alunos

.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]

Educação Superior: na próxima terça-feira, dia 6, todos devem receber seu abono ou PLR: 50% do salário bruto, de uma vez ou em duas parcelas. 
 

 

3J: atos ‘Fora Bolsonaro’ já têm 261 manifestações confirmadas
Brasil247; 01/07
https://bit.ly/3dDACwB

O dia é uma continuação da jornada de mobilizações contra o governo Jair Bolsonaro, por vacinas e auxílio emergencial, que iniciou no dia 29 de maio e teve sua segunda edição no dia 19 de junho.

Centrais convocam para o ato neste sábado
Agência Sindical; 01/07
https://bit.ly/3haD93u

Reunidas nesta semana, as Centrais Sindicais aprovaram uma agenda de ações, entre elas reforçar a manifestação deste sábado, dia 3 de julho. Na pauta da mobilização estão vacina para todos, aumento do Auxílio Emergencial para R$ 600,00 e política de geração de emprego e renda. O ato também defende o impeachment de Jair Bolsonaro, apontado por diversos crimes contra a Nação.

Esta é uma lista parcial dos atos convocados no Estado de São Paulo, até a noite desta quinta, dia1:

SP – Amparo – Em frente à Prefeitura | 10h
SP – Araçatuba – Praça Rui Barbosa | 10h e Carreata na Praça Olímpica | 10h
SP – Bauru – Praça Rui Barbosa | 9h
SP – Botucatu – Largo São José | 14h
SP – Campinas – Largo do Rosário | 10h
SP – Carapicuíba – Bairro Cidade Ariston (Início da Av. Dante Carraro) | 10h
SP – Cotia – Praça da Matriz | 13h
SP – Guaratinguetá – Praça da Estação | 10h
SP – Jacareí – Pátio dos Trilhos | 9h30
SP – Jaguariúna – Praça Umbelina Bueno | 10h
SP – Jundiaí – carreata no Paço Municipal | 9h30 e ato na Ponte Torta | 11h
SP – Limeira – Av Maestro Xixirri (próx. ao Campo do Galo) | 9h30
SP – Osasco – Em frente à Estação de Osasco (ato segue rumo a Av. Paulista) | 12h30
SP – Piracicaba – Mercadão Municipal | 9h
SP – Praia Grande – Praça 19 de janeiro | 10h
SP – Ribeirão Preto – Esplanada Teatro Pedro II | 9h
SP – Salto – Praça XV de Novembro | 15h
SP – São Carlos – Arredores do Mercadão | 10h
SP – São João da Boa Vista – Praça Coronel José Pires | 15h
SP – São José do Rio Preto – Em frente à Prefeitura | 14h30
SP – São Paulo – MASP | 15h
SP – Sorocaba – Carreata em frente a Prefeitura | 9h
SP – Suzano – Praça dos Expedicionários | 10h
SP – Vinhedo – Praça Sant’Anna | 11h



80% dos alunos de SP não passaram de 2 horas em app de aula online em 2020
Folha de S. Paulo; 01/07
https://bit.ly/3ymam1X

Oito em cada dez alunos das escolas estaduais de São Paulo não ficaram mais que duas horas online no aplicativo de ensino remoto do governo paulista ao longo de quase todo o ano de 2020.

Os dados foram levantados junto ao governo do estado pela área técnica do TCE (Tribunal de Contas do Estado) e se referem à soma dos acessos em todo o período.

Mais da metade (62%) nem sequer acessou ou não completou uma hora ao longo dos sete meses avaliados; 18,4% ficaram até duas horas; 7,4% permaneceram entre duas e dez horas; e apenas 11,3% assistiram a mais de dez horas de aula no período inteiro.

A análise do TCE ressalta que cada aula do aplicativo tinha uma duração de 45 minutos. Portanto, se um estudante acompanhasse três delas na íntegra já somaria uma quantidade superior às duas horas.


Fies: alunos de medicina reclamam de aumento abusivo nas mensalidades
IstoÉ Dinheiro; 01/07
https://bit.ly/3dDu7df

Reajustes de até oito vezes nas mensalidades fazem com que estudantes de medicina, beneficiados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), não consigam mais pagar o curso. Os aumentos, segundo entrevistados pela Agência Brasil, são frutos das mudanças feitas no Fies em 2017 e que agora começam a gerar problemas.

A reportagem conversou com estudantes da Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro, uma das poucas instituições privadas que oferecem curso de medicina no país e que integra um dos maiores grupos de educação no Brasil. Há estudantes que viram a contribuição que pagam por mês subir de cerca de R$ 400 para mais de R$ 3 mil em apenas um semestre, durante a pandemia. Como o programa é voltado para estudantes de baixa renda, com renda familiar por pessoa de até três salários mínimos, as famílias dizem não ter condições de bancar esses valores. Os casos aguardam julgamento na Justiça Federal do Rio de Janeiro.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

RS: governador veta integralmente educação domiciliar no Estado
Correio do Povo; 01/07
https://bit.ly/3jFedTs

Após dois anos tramitando antes de ser aprovado pelo plenário da Assembleia, o projeto que autoriza a educação domiciliar no Rio Grande do Sul, que gerou ampla polêmica, naufragou. O texto, de autoria de Fábio Ostermann (Novo), será vetado integralmente pelo governador Eduardo Leite (PSDB). Recentemente Ostermann conversou com Leite e saiu otimista sobre eventual sanção. Enganou-se. O governador telefonou há pouco para o deputado e deu a informação.

A base para o veto foi julgamento do Supremo, que ao apreciar recurso extraordinário, com repercussão geral, decidiu que “o ensino domiciliar não é um direito público subjetivo do aluno ou de sua família, porém não é vedada constitucionalmente sua criação por meio de lei federal, editada pelo Congresso Nacional”.

 

Em comissão, ministro pede que Senado aprove PL que torna educação serviço essencial
Senado Notícias; 01/07
https://bit.ly/3Ajtj73

Em audiência da Comissão Temporária da Covid-19 nesta quinta-feira (1º), o ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou o governo quer a aprovação do PL 5.595/2020, que classifica a educação como serviço essencial e, com isso, estabelece condições para a volta do ensino presencial.

Para o relator da comissão, senador Wellington Fagundes (PL-MT), a explosão pandêmica escancarou de vez os graves problemas estruturais da educação pública no país. E traz como séria consequência o agravamento estrutural de mecanismos que reforçam a “chocante e triste” desigualdade social.

 


Ministro da Educação não sabe quantas escolas reabriram no país
G1; 30/06
https://glo.bo/3dBOyXQ

O Ministro da Educação, Milton Ribeiro, defendeu na manhã desta quinta-feira (1º) em uma audiência pública no Senado, o retorno às aulas presenciais.

“O Brasil é, infelizmente, um dos últimos países do mundo a reabrir as escolas”, afirmou Ribeiro, citando a reunião dos ministro da Educação do grupo de países conhecido como G20.

Entretanto, estudo feito por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) aponta que ainda há falhas em protocolos de reabertura das escolas justamente porque não consideram pontos que a ciência já comprovou também serem importantes para frear a contaminação, como ventilação dos espaços e escalonamento no transporte público para evitar aglomeração.

Questionado sobre o número de escolas que já reabriram às aulas presenciais, Ribeiro disse desconhecer.

“Temos que avaliar quantos retornaram à escola pública após a vacina. Este número preciso eu não tenho porque este número está naturalmente ligado às redes municipais. Não temos este número de quantos alunos e quantas escolas voltaram às aulas presenciais”, afirmou o ministro da Educação.

 

CORONAVÍRUS

Pandemia no Brasil das 520 mil mortes sob Bolsonaro é discutida na OEA
Rede Brasil Atual; 01/07
https://bit.ly/3dEoJXc

A situação da pandemia no Brasil sob o governo Bolsonaro levou o tema a evento na Organização dos Estados Americanos (OEA).

Nesta quinta, 01, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), da OEA, discutiu a pandemia no Brasil. “São nítidas a desinformação, o negacionismo e a manipulação da realidade que caracterizam a fala do Estado brasileiro nessa audiência”, destacou Denise Carreira, representante da Plataforma Dhesca, uma rede de 47 organizações que desenvolve ações de promoção e defesa dos direitos humanos.


Rio antecipa calendário e prevê vacinar adultos até meados de agosto contra Covid
Folha de S. Paulo; 01/07
https://bit.ly/3hxkLkB

O Rio de Janeiro antecipou novamente o calendário de vacinação contra a Covid-19 e agora pretende imunizar todas as pessoas acima de 18 anos com a primeira dose até meados de agosto. A meta anterior para o término da campanha era o fim de agosto.

O novo cronograma, divulgado pelo prefeito Eduardo Paes (PSD) nas redes sociais, prevê a aplicação em pessoas de no mínimo 37 anos nas próximas duas semanas, até o dia 17 de julho. O grupo antes estava previsto para 4 de agosto.

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Ser Educacional fecha compra do hospital veterinário DOK, do Rio
Valor Econômico; 02/07
https://glo.bo/3dDDh9D

De olho nos rentáveis mercados pet e de cursos de medicina veterinária, a Ser Educacional fechou a aquisição do hospital veterinário carioca DOK e da escola CDMV, que oferece pós-graduação e mestrado nessa área.

Localizado na Barra da Tijuca, o hospital veterinário pertence à escola, mas a maior parte do seu atendimento é voltada ao público externo. Trata-se de um hospital de alta complexidade, com UTI, que realiza cirurgias por vídeo e hemodiálise, entre outros procedimentos. O faturamento anual do grupo adquirido é de R$ 5 milhões, sendo que R$ 3 milhões vêm do hospital.

 




Para sua aula: 58 perguntas de conhecimentos gerais e atualidades
Educador+; 01/07
https://bit.ly/3dyfYxN

Tudo cai na prova: teste os conhecimentos gerais de seus alunos e confira se eles estão por dentro dos assuntos da atualidade (as respostas acompanham a pergunta, para você conferir na sua aula – mas se quiser fazer o teste, não vale colar!)

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio