Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

quinta-feira, 1 de dezembro de 2022

Por Beth Gaspar em 1 de dezembro de 2022

01/12 - Suásticas na USP e Unifesp, futuro ex-presidente entra em livro didático como genocida, o reajuste de mensalidades acima da inflação, e mais: é bom ter muitos livros, mesmo sem ler todos

.

Ensino Superior: professores e pessoal administrativo representados pelos sindicatos integrantes da Fepesp devem receber reajuste integral de 10,78% no salários. É decisão da Justiça. E o pagamento é retroativo a 1º de março, o que soma um extra de 89,63% - quase um 14º! Se a instituição não cumprir ou vier com lenga-lenga, denuncie imediatamente ao Sindicato!

 

 

Pichações com suásticas são encontradas na USP e na Unifesp – Estudantes da USP e da Unifesp (federal de São Paulo) encontraram pichações de suástica, símbolo nazista, em ao menos quatro espaços das instituições. Em um dos casos, junto com o desenho também havia uma ameaça a um estudante, que é ativista do movimento negro.

Apesar de a reitoria da USP afirmar não admitir qualquer forma de apologia ao nazismo e preconceito em suas dependências, em nenhum dos casos foi registrado boletim de ocorrência. Já a Unifesp informou ter registrado a ocorrência na Polícia Federal.

 Símbolos e gestos nazistas são considerados crime de acordo com a Lei do Racismo (7.716/1988) com pena de reclusão de 2 a 5 anos e multa. Folha de S. Paulo 30/11  https://bit.ly/3ugHrfC

 

TRANSIÇÃO

Transição digitaliza relatórios após propostas da Educação vazarem – O vazamento de propostas do grupo de trabalho da Educação fez a transição do governo Lula digitalizar os relatórios de todas as áreas temáticas.

O diagnóstico sobre os ministérios e as propostas para o futuro governo serão enviados para um sistema interno de formulários. Os formulários são divididos em tópicos, sendo que cada campo possui limite de caracteres para os grupos inserirem os textos. Metrópoles 30/11  https://bit.ly/3Um8ZLg

 

Comissão convoca Paulo Guedes para explicar nomeação de irmã para o Conselho de Educação – A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados aprovou a convocação do ministro da Economia, Paulo Gudes, para prestar esclarecimentos acerca de denúncias sobre a nomeação de sua irmã, Elizabeth Guedes, pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, para ocupar vaga no Conselho Nacional de Educação (CNE).

Elizabeth Guedes é presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup) e foi empossada no dia 10 de novembro, para o cargo de conselheira da Câmara de Educação Superior do CNE, órgão colegiado do Ministério da Educação (MEC). Câmara dos Deputados 30/11  https://bit.ly/3OPPgSS

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Editado na Noruega o primeiro livro didático com Bolsonaro como genocida - O livro se chama Fabel, foi editado e lançado na Noruega pela editora de livros escolares Aschebourg Undervisning, e é aplicado nos três anos finais do Ensino Médio para a matéria de Norueguês.

Bolsonaro ilustra o texto sobre "Teorias de conspiração", com a reprodução na legenda inclusive de uma das famosas frases negacionistas e de desprezo à vida humana, de Bolsonaro, que ele agora nega ter proferido. A do livro é "... chega de ficar de frescura... vão ficar chorando até quando?" Brasil247  29/11  https://bit.ly/3ituk8c

 

Saúde e Educação lideram entre pastas mais afetadas por bloqueio no orçamento- Renato Feder, de 44 anos, atual secretário da Educação do Paraná e confirmado pelo governador eleito Tarcísio de Freitas (Republicanos) como futuro chefe da pasta no estado de São Paulo , foi alvo de protestos por implantar EAD em sala de aula sem professor, e responsável por colocar 207 escolas em modelo cívico-militar no estado.

Feder também já defendeu a extinção dos ministérios da Educação e da Saúde

Em novembro de 2021, o governo do Paraná contratou uma faculdade particular para dar aulas à distância aos alunos do ensino médio do estado, em disciplinas profissionalizantes. A medida foi alvo de protestos de alunos e professores. Pelas redes sociais, estudantes de escolas públicas compartilharam fotos, afirmando que foi colocada uma televisão em uma sala de aula com mais de 40 alunos, sem a presença de um professor para acompanhar a turma ou tirar dúvidas.. CNN  29/11  https://bit.ly/3VAe8jW

 

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Mensalidades escolares devem subir o dobro da inflação em 2023, aponta pesquisa - Mais da metade dos colégios (63%) pretende aumentar acima de 10% o valor da mensalidade em 2023. É uma taxa que é o dobro da inflação oficial prevista para este ano (5,02%), medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPCA), de acordo com último Boletim Focus do Banco Central. Também supera as projeções do mercado para o IPCA do ano que vem (5,91%).

Os dados são de uma pesquisa feita pela consultoria Meira Fernandes, especializada em educação. Entre os dias 24 de outubro e 29 de novembro foram consultadas mais de 70 escolas presentes em seis Estados que respondem por mais de 36 mil matrículas. “É o maior reajuste em dois anos”, afirma Rogério Caramante, gestor comercial da consultoria e responsável pela pesquisa. Estadão  30/11 https://bit.ly/3Uo1WkU

 

Grupo Salta, de Lemann, vai abrir 40 escolas ao ano - Nos últimos dois anos, o Grupo Eleva - que tem o empresário Jorge Paulo Lemann como um dos acionistas - vendeu seus sistemas de ensino e colégios premium, comprou as 45 escolas da Vasta (empresa de educação básica da Cogna) e adiou a abertura de capital. Após todas essas mudanças, a empresa acaba de mudar de nome para Grupo Salta Educação e tem uma nova estratégia que prevê expansão orgânica e compra de colégios a partir de 2023. A meta é abrir, por ano, cerca de 40 escolas que vão demandar investimentos de R$ 240 milhões, além das aquisições.

Atualmente, o grupo educacional é dono de 22 bandeiras de colégios como pH, Pensi, Elite, Pitágoras (além de Anglo e Santi, em São Paulo) entre outras, que juntas têm 170 unidades e 117 mil alunos em várias regiões do país. Com a expansão, o grupo passa a ter, no próximo ano, 200 escolas e 132 mil estudantes. A receita líquida projetada para 2023 é de R$ 2,1 bilhões e uma margem Ebitda (lucro antes de juros, impostos depreciação e amortização) de 18%. Valor Econômico  01/12 http://glo.bo/3B32rKG

 

SAÚDE

Novos casos de covid-19 sobem 113% em uma semana. Lula cobra vacinação de crianças - Diante do crescimento de novos casos e internações pela covid-19, o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, pediu para que os brasileiros se vacinem. E cobrou atenção especial para a imunização das crianças. “Peço que se vacinem e atualizem o calendário de vacinas das crianças. Vamos proteger quem amamos”, disse em uma rede social. Lula ainda lembrou das festas de fim de ano, que assustam a comunidade científica, porque as aglomerações do período devem elevar o número de doentes.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirma a tendência de piora no surto de covid-19. Boletim InfoGripe divulgado ontem alertou para o crescimento de casos em todas as regiões do país. “O estudo aponta para aumento nas tendências de curto (últimas três semanas) e longo prazo (últimas seis semanas) e é compatível com os números de covid-19. Essa tendência, que já se observa em 20 de 27 unidades da federação, está presente especialmente na população adulta e nas faixas etárias acima de 60 anos”, informa. Rede Brasil Atual  30/11 https://bit.ly/3VmU9FD

 

Catar e Fifa ignoram covid enquanto casos crescem. ‘Convite às novas variantes’ - Cientistas criticam a postura do Catar e da Fifa de ignorar a covid-19 durante a Copa do Mundo. Enquanto o mundo vive o crescimento de casos e internações relacionadas à doença, o país do Oriente Médio adota política negligente. Não existem protocolos eficientes para evitar o contágio. O país não cobra comprovante de vacinação dos visitantes, não exige máscaras e nem sequer testa os jogadores. Rede Brasil Atual  30/11 https://bit.ly/3Uo1WkU

 

 

‘Livros à mão cheia’: o valor de uma ‘antibiblioteca’
Nexo, 29/11
https://bit.ly/3AZQRzZ

Autor libanês Nassim Taleb utiliza exemplo do escritor e filósofo italiano Umberto Eco, que era proprietário de uma coleção de 30 mil obras, para refletir sobre o valor dos livros não lidos em uma biblioteca pessoal

Todo leitor assíduo tem livros nunca lidos guardados em sua biblioteca. Seja porque é tomado pelo ímpeto de acumular mais publicações do que pode ler, seja porque o desejo de adquirir conhecimento é maior do que o tempo disponível para a leitura.

Em sua biblioteca pessoal, o escritor e filósofo italiano Umberto Eco tinha cerca de 30 mil obras. No documentário italiano “Sobre memória” (2015), é possível ver imagens das tantas pilhas de livros e corredores que se desdobram pela sua casa.

A partir da inquietação sobre a figura de Eco e sua coleção monumental, o escritor libanês Nassim Nicholas Taleb, de 62 anos, se dedicou a entender a esmiuçar o que chamou de antibiblioteca. No livro “A Lógica Do Cisne Negro” (2007), Taleb conta que constantemente Eco era indagado se havia lido todos aqueles exemplares e se, caso sim, fazia sentido acumular tanto conhecimento.

“O escritor Umberto Eco pertence àquela classe restrita de acadêmicos que são enciclopédicos, perceptivos e nada entediantes. Ele é dono de uma vasta biblioteca pessoal (que contém cerca de 30 mil livros) e divide os visitantes em duas categorias: os que reagem com: ‘Uau! Signore professore dottore Eco, que biblioteca o senhor tem! Quantos desses livros o senhor já leu?’, e os outros — uma minoria muito pequena — que entendem que uma biblioteca particular não é um apêndice para elevar o próprio ego, e sim uma ferramenta de pesquisa. Livros lidos são muito menos valiosos que os não-lidos”.

Para Taleb, uma biblioteca deve conter tanto obras sobre assuntos que o leitor tem familiaridade como aqueles sobre os quais não. “Você acumulará mais conhecimento e mais livros à medida que for envelhecendo, e o número crescente de livros não-lidos nas prateleiras olhará para você ameaçadoramente. Na verdade, quanto mais você souber, maiores serão as pilhas de livros não-lidos”, escreve.

Taleb é profundo admirador da obra de Eco, que foi um dos principais intelectuais do século 20. O intelectual era crítico do ambiente virtual, dizia que a internet daria voz para pessoas “imbecis”. Entre suas principais obras estão o “Nome da rosa”, “O pêndulo de Foucault” e a “História da Beleza”. Os 30 mil livros da sua biblioteca particular foram doados para a Universidade de Bolonha após a sua morte, em 2016.

Conteúdo Relacionado

crossmenu