6 de dezembro de 2019

PISA – aqui, todos os resultados

Educação no Brasil colocada em xeque – apesar do site do INEP, que administra as provas no Brasil, não expor dados no seu site, aqui estão as principais informações do Pisa 2018 e o seu relatório original

O Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), tradução de Programme for International Student Assessment, é um estudo comparativo internacional, realizado a cada três anos pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), comprovas de Leitura, Matemática e Ciências.

O exame do Pisa é realizado a cada três anos. O resultado do último deles, realizado em 2018, foi divulgado agora, no dia 3 de dezembro.

 

 

O Pisa oferece informações sobre o desempenho dos estudantes na faixa etária dos 15 anos, vinculando dados sobre seus backgrounds e suas atitudes em relação à aprendizagem e também aos principais fatores que moldam sua aprendizagem, dentro e fora da escola. O Brasil participa do Pisa desde o início da avaliação, com testes administrados pelo INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, um orgão vinculado ao MEC.

O teste aplicado pelo Pisa não mede conhecimentos adquiridos na escola, mas testa a capacidade do estudante em compreender e raciocinar sobre questões, com respostas em múltipla escolha.

 

Resultados – O Brasil participa dos exames do Pisa desde o seu início, no ano 2000.  De lá até 2009, os dados indicam desempenho ascendente nas três categorias de teste. mas, desde então, houve queda nos resultados dos exames de 2012 e 2015 ( com exceção de Matemática, em 2012). A nota deste exame mais recente, realizado em 2018, mostra pequena recuperação mas indica que nossos indicadores estão ‘estagnados’ (como classificou o jornal Folha de S. Paulo) em relação a 2009.

No gráfico abaixo, a linha azul corresponde à média dos países integrantes da OCDE,  Abaixo dela, a linha escura mostra o desempenho do Brasil nos testes, com a indicação da nota em cada ano (vermelho) em cada uma das áreas testadas (Leitura, Matemática, Ciências).

 

 

 

Relatório original completo – clique aqui ou na imagem abaixo para ler o relatório completo com todos os dados apurados neste exame pisa 2018, com avaliações, comparações entre países, histórico de dados e conclusões dos organizadores (relatório original em inglês – o site do INPE não disponibilizou a versão brasileira do relatório).

 

Faça o teste – o teste aplicado nesta edição 2018 do Pisa está aqui  mas com as questões no original em inglês – o INEP não disponibiliza em seu site o teste em português.

 

Colonialismo educacional  – Na visão crítica do cientista político Daniel Cara, coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

“O resultado repercutiu muito na imprensa. Contudo, a relação entre o exame mais comentado do mundo e a qualidade da educação não é tão simples, nem automática assim”, diz Cara.  “O Pisa precisa ser encarado pelo que ele é: uma prova de avaliação do desempenho em áreas específicas do conhecimento. E que, por isso, não capta todos os ângulos do fenômeno educacional”.

‘O Pisa é um projeto de colonialismo educacional’

Assédio – Questões incluídas no teste procuram ainda avaliar o ambiente escolar dos seus participantes. Neste quesito, o relatório sobre o Brasil apresentou dados preocupantes; três em cada dez reclamaram sobre bullying ‘com frequência, ou ‘algumas vezes ao mês’, como consta do relatório oficial.

Os jovens brasileiros são alvos desse tipo de violência com mais frequência e em mais formas do que a média dos países membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

A proporção de estudantes brasileiros que sofrem as diferentes formas de bullying  é maior do que a média. No Brasil, 16% relatam ter sido alvo de agressões verbais, 10% dizem ter sido ameaçados, 12% afirmam ter seus pertences roubados ou destruídos e 9% agredidos – enquanto, na média da organização, foram 13%, 5,5%, 6% e 7%, respectivamente.

“Esse comportamento violento pode ter consequências físicas e emocionais a longo prazo nos estudante”, diz o relatório, que destaca a situação como preocupante, uma vez que pesquisas mostram haver maior incidência de abandono escolar entre quem sofre e quem comete bullying.

3 em 10 alunos brasileiros dizem sofrer bullying ‘algumas vezes ao mês’, mostra Pisa

 

.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio