12 de março de 2019| , , , ,

Educação Básica: assembleia no sábado para decidir!

Assembleia decisiva: neste sábado, dia 23, discutir e deliberar a proposta patronal e decidir o rumo da nossa mobilização nesta Campanha Salarial 2019: nossa união é o que conta para a defesa dos já conquistamos na Convenção Coletiva e para blindar nossos direitos contra os avanos da reforma trabalhista.

Nas assembleias de 28 de fevereiro, foi rejeitada a proposta patronal que nada apresentava a não ser reduzir o recesso e aumentar a carência para a garantia semestral de salários de professores.

Nossa rejeição trouxe de volta os donos de escola à mesa de negociações, que terá uma nova rodada nesta terça-feira, dia 19. Na quinta-feira, dia 21, os representantes das escolas se reúnem em assembleia do Sieeesp, o sindicato patronal, para tratar das nossas reivindicações.

Vai sair coelho dessa cartola?

Do nosso lado, estamos ampliando nossa mobilização. Sábado teremos assembleias em todo o Estado – confira o horário e local no seite do seu sindicato.

 

E, até lá, nosso roteiro de mobilização é este:

  • 19 de março, terça: nova rodada de negociação.
  • 21 de março, quinta, às 13 horas: proposta de ato na porta do sindicato patronal, durante reunião dos donos de escolas. R. Benedito Fernandes, 107 – Santo Amaro, próximo à estação Largo 13 (linha Lilás) do Metro.
  • 22 de março, sexta, 17 horas: todos ao ato nacional contra a proposta ‘reforma’ da Previdência. Veja a programação na sua cidade. Em São Paulo, concentração na Avenida Paulista, junto ao Masp.
  • 23 de março, sábado: assembleia da Educação Básica, em todo o Estado.

 

Confira o horário e local da sua assembleia de sábado, dia 23:

  • ABC: 8h30, no Sindicato (Rua Piritiba, 61, Santo André)
  • Bauru: 9h30, no Sindicato (Rua Capitão Gomes Duarte, 6-74)
  • Campinas: 9h, no Sindicato (Rua Prof. Ana Maria Silvestre Adade, 100)
  • Franca: 9h, no Sindicato (Rua Benedito de Oliveira, 1878)
  • Jundiaí: 10h, no Sindicato (Rua 23 de Maio, 108)
  • Osasco: 9h30, no Sindicato (Rua Monica Maria Hubacher Smith, 937)
  • Presidente Prudente: 9h, no Sindicato (Rua Siqueira Campos, 187)
  • Ribeirão Preto: 9h, no Sindicato (R. Silveira Martins, 1684)
  • Santos: 14 h, no Sindicato (Av. Ana Costa, 145)
  • São Carlos: 9h, no Sindicato (Rua Marechal Deodoro, 1672) e no Sindicato dos Servidores de Mococa (
  • São Paulo: 10h, no Sindicato (Rua Borges Lagoa, 208)
  • Sinprovales (Indaiatuba): 8h30, no Sinprovales (Av. Presidente Kennedy, 1177 – sala2)
  • Sorocaba: 9h30, no Sindicato (Rua Francisco Ferreira Leão, 90)

 

.


Mais notícias da Campanha Salarial 2019:

12/03 – Vamos blindar nossa convenção: a volta às negociações na Educação Básica

Depois de rejeitada a proposta patronal, voltam as negociações. E enquanto continua a negociação, ninguém mexe na Convenção!

A Convenção Coletiva de Trabalho de professoras, professores e auxiliares de administração escolar na rede privada de ensino do Estado de São Paulo ainda está em negociação. Enquanto se negocia, a CCT não muda e os direitos e obrigações permanecem. Esse é o compromisso tácito firmado na mesa de negociações.

Nesta terça-feira, 12/03, foram reiniciadas as negociações com a representação patronal do Sieeesp e nova rodada já está marcada para a próxikma semana, na terça dia 19. Na quinta-feira dia 21 os donos de escola se reunem para fechar sua contraproposta e no sábado, dia 23, professoras, professores e auxiliares de administração escolar estarão em assembleias nos seus sindicatos para decidir o rumo desta Campanha Salarial 2019. (veja mais aqui).

 

AVISO IMPORTANTE À DIREÇÃO DAS ESCOLAS

►Observe todas as cláusulas da Convenção Coletiva 2018.

►Lembre-se que qualquer novo acordo será retroativo a 1º de março. Evite divergências, como pagamento a menor, concessão de bolsas de estudo e outras, que poderão estar sujeitos a correção de valores e multa por descumprimento ao final da negociação.

►Não se arrisque ― siga a Convenção e garanta a sua tranquilidade.

 

E MAIS: A MENSALIDADE DO SINDICATO CONTINUA SENDO DESCONTADA EM FOLHA

Nada muda no processo de recolhimento de mensalidades devidas ao Sindicato via desconto em folha pela escola. A recente MP873 não afeta o desconto de mensalidades, que deve seguir o processo normal. Veja mais aqui.

 

COMO FOI A RODADA DE NEGOCIAÇÕES DE 12/03

Nesta terça-feira, 12/03, a comissão de negociação da Fepesp trouxe de volta os donos de escola à mesa de negociação. Na reunião, na sede do Sieeesp – o sindicato patronal – informamos que a proposta patronal havia sido rejeitada nas assembleias e insistimos em nossas prioridades nesta Convenção.

Assista neste clipe o comentário de Celso Napolitano sobre esta nova rodada: 

 

 

Aqui, o recado de Celso no vídeo:

“Nesta negociação a nossa comissão insistiu nos pontos que foram deliberados na última assembleia do dia 28.

Insistimos em ter um aumento na hora atividade, em discutir a questão da hora tecnológica, em voltar a obrigar as escolas a fazerem a homologação no sindicato, a ter a possibilidade do ingresso do dirigente sindical para conversar com os professores no horário de intervalo, a manter a ultratividade da convenção( significa a convenção valendo mesmo depois do período de vigência ser encerrado até que nova convenção seja assinada) e, principalmente, a questão da blindagem da convenção coletiva contra as perversidades da reforma trabalhista no que se refere à terceirização, “pejotização”, contrato de professores por cooperativas e etc.

O representante patronal comprometeu-se a levar as nossas propostas para sua diretoria e trazer uma resposta na próxima rodada de negociação dia 19.

Também apresentou suas propostas para uma convenção coletiva de dois anos de vigência: ele insiste na redução do recesso, agora fala em vinte e cinco dias apenas de recesso. Insiste também no aumento de carência para que os professores e as professoras tenham garantia semestral de salários, agora fala em um período de 30 meses.

Nós relatamos nesta reunião que as assembleias do último dia 28 rejeitaram essas possibilidades, porém o representante patronal insistiu no assunto. A reunião foi encerrada com a perspectiva de uma próxima rodada, como disse no dia 19, antes da assembleia patronal que será realizada no dia 21.

Neste período de negociação ninguém mexe na nossa convenção coletiva, neste período de negociação repito: Todas as cláusulas da convenção coletiva continuam valendo, não deixe que mexam na sua convenção!

Até a próxima e fiquem mobilizados, atentos aos avisos dos seus sindicatos!”

ASSEMBLEIA MARCADA: SÁBADO, 23/03

Nossa próxima assembleia já está marcada para o dia 23 – um sábado –  e estas são as prioridades na negociação da nossa Convenção Coletiva:

►Ultratividade: manter a validade da Convenção enquanto se negocia sua renovação.

►Terceirização: impedir, contra a precarização dos contratos de trabalho e o avanço da pejotização de professores.

►Excesso de trabalho: discutir a hora atividade e a hora virtual.

 


28/02: Em assembleia, professores rejeitam proposta patronal

Assembleias em todo o estado, durante dia letivo com a falta abonada, rejeitam contraproposta patronal. A proposta não era séria, porque ficava condicionada a uma reunião de donos de escolas só em 21 de março!

 

Decisão: ampliar a mobilização, defender a convenção coletiva com foco na blindagem contra as perversidades da reforma trabalhista, combater a terceirização, reforçar a compensação port ‘hora-atividade’, manter todos os direitos enquanto seguem as negociações.

Novas rodadas de negociação deverão ocorrer em 12 e 19 de março. E a data já está marcada para uma nova assembleia: sábado, 23 de março.

 

Roteiro da mobilização até o dia da assembleia:

  • Rodadas de negociação estão previstas para os dias 12 e 19 de março.
  • 21 de março: proposta de ato na porta do sindicato patronal, durante reunião dos donos de escolas.
  • 22 de março: todos ao ato nacional contra a proposta ‘reforma’ da Previdência.
  • 23 de março, sábado: assembleia da Educação Básica, em todo o Estado.

E, se não houver uma nova proposta aceitável:

  • 28 de março: indicativo de paralisação.

Até lá, converse com seus colegas, organize seu grupo por escolas e muita atenção a todos os avisos do sindicato!

 

Confira o que Celso Napolitano, presidente da Federação dos Professores do Estado de São Paulo, disse sobre a Assembleia:

 



O que já aconteceu nesta Campanha Salarial 2019

 

Quinta-feira, 28: esse dia é nosso!

Como todos sabem, no próximo dia 28 de fevereiro será realizada assembleia da Educação Básica com falta abonada, isto é: professores e auxiliares não irão à escola, mas à assembleia do sindicato. No dia 28 não haverá aulas na rede de ensino privada do Estado de São Paulo. Esse direito é garantido em convenção coletiva, assinada pelos sindicatos da Fepesp e pelos representantes dos donos de escola. O Sieeesp, sindicato das escolas privadas, já foi notificado. As escolas devem informar a pais e alunos e a Fepesp irá conduzir campanha informativa nesse sentido.

 

 

Na última rodada de negociação, em 12/02, a comissão de negociação da Fepesp destacou que o uso intensivo de novas tecnologias tem criado impacto no volume e intensidade do trabalho de professores mesmo fora do horário de trabalho. Os negociadores insistiram em reivindicar a modernização das condições de trabalho: aumento do adicional de hora atividade, pagamento da hora tecnológica e introdução do adicional por tempo de serviço, por exemplo.

 

CELSO NAPOLITANO COMENTA A NEGOCIAÇÃO. CONFIRA:

SESI/SENAI: ASSE

SESI/SENAI: ASSEMBLEIAS DEFENDEM E APROVAM ACORDO

As manifestações das assembleias com falta abonada de professoras, professores e técnicos de ensino no Sesi/Senai, na terça-feira, 14/02, foram definitivas em todo o Estado: não abrimos mão de nenhum direito em nosso acordo coletivo de trabalho e apoiamos o sindicato a fazer valer o compromisso.

Leia mais aqui.

Assembleias do Sesi/Senai, realizadas no dia 14 de fevereiro:

  • ABC: 9h e 14h, Auditório 1 da USCS – R. Conceição, 321, São Caetano do Sul
  • Araçatuba: 11h, no Sindicato dos Bancários – Rua Clóvis Pestana, 495
  • Bauru: 9h30, no CPP – Rua Vereador Joaquim da Silva Martha, 29-59
  • Campinas: 9h, no Sindicato – Av. Profa. Ana Maria Silvestre Adade, 100
  • Franca: 9h, Hotel Imperador – Rua Pres. Vargas, 686
  • Guarulhos: 10h, subsede da Apeoesp – Rua Leonardo Valardi, 203
  • Jacareí: 9h30 – Rua Barão de Jacareí, 228 – Centro – Jacareí
  • Jaú: 14h, no Sindicato – Rua Miguel Sancinetti 217 – Jd. Netinho Prado
  • Jundiaí: 9h, na Câmara Municipal – Rua Barão de Jundiaí, 128
  • Osasco: 9h, no Sindicato – Rua Monica Humacher Smith, 937
  • P. Prudente: 9h, no Centro Universitário Toledo – Praça Raul Furquim, 09
  • Ribeirão Preto: 9h e 13h30, no Sindicato – Rua Silveira Martins, 1.684
  • Santos: 10h, no Sindicato – Av. Ana Costa, 145
  • São Carlos: 9h, escola SESI de Mococa – Rua Hermenegildo Picoli Neto, 50
  • São José do Rio Preto: 9h, no Sindicato – Rua Honduras, 227
  • São Paulo: 10h, no Sindicato – Rua Borges Lagoa, 308
  • Sinprovales: 9h, Câmara Municipal de Indaiatuba – Rua Humaitá, 1167
  • Sorocaba: 9h30 e 13h30, no Sindicato dos Servidores – R. 28 de outubro, 370
  • Taubaté: 10h, Praça da Monção, 21 Vila IAPI-Taubaté
  • Unicidades: 10h, Faculdade  Anhanguera Leme – Rua Waldemar Silenci, 340
  • Valinhos: 9h, no Sindicato – Rua Vicente Rossi, 89

 

 

ESTE ANO, NO DIA DA ASSEMBLEIA NÃO TEM AULA

Nossas assembleias decisivas serão de falta abonada, ou seja: você não vai à escola, comparece à assembleia, discute e decide, e recebe um atestado de participação. Esse atestado é apresentado à escola, que pagará o seu dia. Isso está na convenção e no acordo coletivo, tem força de lei!

Os sindicatos integrantes da Fepesp ajustaram a estratégia para esta campanha salarial: este ano, no dia das assembleias decisivas, não tem aula!

Anote as datas: no Sesi/Senai, a assembleia com falta abonada será em 14 de fevereiro, quinta-feira. Na Educação Básica, a assembleia será dia 28 de fevereiro, também uma quinta-feira e também com a sua falta abonada.

 

Veja neste clipe o comentário de Celso Napolitano sobre nossas assembleias:

 

Atenção aos avisos do sindicato. Outras reuniões e assembleias poderão ser convocadas para organizar nossa mobilização. E não esqueça: neste ano, mais do que nunca, nossa união é o que conta!

 

 


24/01: na Educação Básica, patronal arrasta o pé.

Na primeira rodada de negociação da campanha salarial 2019 na Educação Básica, realizada na quinta-feira, 24/01, o patronal mostrou que ainda está sob o impacto da bem sucedida mobilização que mostramos no ano passado:  unidos, defendemos nossa convenção coletiva e os donos de escola tiveram que aceitar manutenção de nossos direitos sem qualquer corte de férias, recesso, bolsas de estudo, como queriam.

Mas o representante das escolas arrastou o pé. Usou da velha estratégia de adiar a discussão e não se posicionou sobre nossas reivindicações. “Temos que consultar nossa categoria”, disse, “temos que fazer nossa assembleia”, alegou, como se já não tivesse tido tempo suficiente para isso, desde que protocolamos nossa pauta em 6 de novembro.

Agora, o desafio é ainda maior. Na atual conjuntura política crise política. E para defender o que já conquistamos, nossa união é o que conta.

De nosso lado, teremos a reunião de todos os sindicatos integrantes da Fepesp no Estado na próxima terça-feira, dia 29, para preparar nossa estratégia de mobilização nesta campanha

Duas novas rodadas de negociação já foram marcadas, em 12 e 26 de fevereiro, com a possibilidade de se acrescentar data intermediária se necessário.

Até lá, todos atentos. Fique olho nos avisos do sindicato.

E pode se preparar: este ano, a assembleia será em dia de aula! Já estamos programando a assembleia geral, em fevereiro, e essa será durante a semana, com a sua falta abonada. Todos terão sua falta abonada para comparecimento na assembleia.

Por que é assim que se faz: nossa união é o que conta.

 

Rodada de 22/01: defender direitos
no acordo coletivo do Sesi/Senai

Na terceira rodada de negociações da Campanha Salarial 2019 do Sesi/Senai, realizada nesta terça, 22/01, insistimos no que importa: manter os direitos de professores e técnicos de ensino consagrados no acordo coletivo, sem qualquer redução, e garantir a reposição da inflação nos salários e no valor dos benefícios de VA e VR.

Veja aqui o recado de Onassis Xavier, da comissão de negociação da Fepesp para a campanha do Sesi/Senai, sobre esta rodada de negociação:

 

Essa é a proposta que agora vai ser discutida pelos sindicatos integrantes da Federação dos Professores no Estado de São Paulo – em preparação para a deliberação em assembleias de todos os professores e técnicos de ensino. Como em anos anteriores, a assembleia será realizada com falta abonada, um direito que também está no acordo.

Olho vivo e alerta aos avisos do sindicato – lá em Brasília, falam em cortar recursos e rapelar ainda mais os direitos do quem trabalha. Aqui, fincamos o pé nos direitos que conquistamos em nosso acordo de trabalho. A nossa união é o que conta.

 

Janeiro: na mesa de negociações

As rodadas de negociações recomeçam nesta semana: com a diretoria do Sesi/Senai a reunião está marcada pára esta terça-feira, dia 22, às 13h30. Na quinta-feira, dia 24, será a vez de encarar os representantes dos donos de escolas na Educação Básica.

Nossa data base para renovação das convenções e acordos coletivos é 1º de março (na Educação Superior, que conquistou acordo de dois anos no ano passado, a convenção já está garantida para 2019).

Fique atento aos avisos do sindicato – após cada reunião teremos boletim informando o andamento da negociação.

Sesi/Senai: em dezembro,
a segunda rodada de negociações

Na rodada de negociações da terça-feira dia, 18/12, o diretor de RH do Sesi/Senai disse não haver qualquer intenção de precarizar as relações de trabalho – como a terceirização de docentes – contestada pelos sindicatos integrantes, mas permitida pela infame ‘reforma’ trabalhista. Mas se recusou a por a garantia no papel.
 
Veja aqui o comentário de Celso Napolitano, presidente da Fepesp e coordenador da comissão de negociação para entender o que vem pela frente:
 

Campanha Salarial 2019: Educação Básica terá negociações ano que vem

Nós estamos prontos para negociar – mas os donos de escolas pedem tempo!

As negociações entre a comissão da Fepesp e os representantes do Sieeesp (o sindicato dos donos de escolas de São Paulo) serão realizadas a partir da segunda quinzena de janeiro, em 2019. Mas não por falta de disposição de professores e auxiliares da educação básica na rede privada: nós fizemos nossas assembleias em outubro e protocolamos nossa pauta de reivindicações no dia 6 de novembro.

Na entrega da pauta, apresentamos uma proposta de cronograma para o início de negociações ainda neste ano, com a primeira rodada marcada para o dia 27 do mês de novembro. Apesar de um aceite verbal inicial, a data foi suprimida pois o Sieeesp havia agendada a sua assembleia para o mesmo dia. Postergada por uma semana, a negociação que poderia ter ocorrido em 4/12 foi também cancelada.

No início de dezembro, no dia 6 – um mês após a entrega da pauta –, a comissão de negociação da Fepesp propôs a primeira rodada para esta terça-feira, dia 11. Em resposta, por ofício, a diretoria do Sieeesp preferiu adiar o encontro. “Em nome das entidades patronais [devemos dizer] que ainda não foi possível colher as respostas das respectivas diretorias à pauta de reivindicações encaminhada”, diz o ofício-resposta patronal. “[Estamos envolvidos] nas atividades de final de ano letivo e empenhados na renovação das matrículas dos atuais alunos e na atração dos novos para suprir a evasão escolar”.

Professoras, professores, auxiliares, atenção – sempre alertas aos avisos do sindicato. Voltaremos em 2019 prontos para defender nossos direitos, nossa dignidade e lutar por condições de trabalho dignas para todos.


Primeira rodada do SESI/SENAI

Começamos cedo com a campanha salarial 2019 – na terça-feira, 04/12, em São Paulo, houve a primeira rodada de negociações com o representante do Sesi/Senai, José Roberto de Melo, diretor de RH, na sede da Fepesp.

Foram discutidos os primeiros itens da pauta de reivindicações aprovada nas assembleias de outubro, em todo o Estado, e entregues ao Sesi/Senai em 6 de novembro. A comissão de negociação, coordenada por Celso Napolitano, presidente da Fepesp (segundo na foto, da dir. para a esq.) é composta por Onassis Xavier, Aloisio Alves, Sandra Baraldi, Sebastião Clementino da Silva, com a assistência do dr. Bruno Bombarda, do departamento Jurídico da Federação.

A próxima rodada também já está marcada e será no dia 18 de dezembro.

 

Veja o vídeo com o recado de Celso Napolitano, sobre a rodada de negociação com SESI/SENAI em 04/12:

 

 

Campanha Salarial e Liberdade de Cátedra:
Donos de escola de sobreaviso

A Federação dos Professores de São Paulo – Fepesp protocolou oficialmente nesta terça-feira (06/11) a pauta de reivindicações de professores e de auxiliares de administração escolar para a Campanha Salarial 2019 aos representantes das escolas da Educação Básica na rede privada de São Paulo e das escolas do Sesi/Senai no Estado.

“Iniciamos mais cedo nossa campanha salarial, este ano, para discutir já a modernização de nosso conjunto de direitos e mobilizar as categorias na defesa do que foi conquistado em nossas convenções e acordos ao longo dos anos”, diz Celso Napolitano, presidente da Fepesp.

Além das pautas de reivindicações, a Federação e o Sindicato dos Professores de São Paulo – Sinpro-SP protocolaram documento requerendo às escolas o respeito ao preceito constitucional de liberdade de cátedra. No documento, a Federação e o Sinpro pedem às escolas “adotar as medidas necessárias para que não ocorra qualquer forma de represália a professoras e professores por parte de escolares, familiares, bem como das próprias instituições de ensino, quanto à condução pedagógica das aulas em seus estabelecimentos”.

As pautas de reivindicações foram entregues nesta tarde ao representante do Sieeesp – Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de S. Paulo, José Antiório, e ao diretor de RH do Sesi/Senai, José Roberto de Melo. Nas duas ocasiões, foi garantida a manutenção da data-base das categorias, que é o dia 1º de março – e, também, por comum acordo, permitir o recurso à Justiça do Trabalho no caso de impasse nas negociações.

“Vamos lutar pela modernização de nossos direitos e a blindagem das convenções contra os efeitos da reforma trabalhista, como terceirização ou o contrato intermitente de professores”, disse Celso Napolitano.

Leia mais aqui.

 

A RODADA DE ASSEMBLEIAS – Em Outubro tivemos as assembleias da ‘pauta quente!’ – para discutir e votar o que queremos em nossa pauta de reivindicações, para defender nossos direitos e, agora, avançar. Queremos blindar nossos direitos contra os avanços da ‘reforma’ trabalhista.

Este ano tudo começa mais cedo, para aproveitar o embalo das campanhas vitoriosas deste ano e para se antecipar a qualquer nova tentativa de reduzir direitos.

Esta é a lista da assembleias já marcadas, confira os horários:

20/10
Sinpro ABC –  9H
Sinpro CAMPINAS –  9H
Sinpro GUARULHOS –  10H
Sinpro JUNDIAI – 9H
Sinpro OSASCO – 9H
Sinpro P. PRUDENTE –  9H
Sinpaae RIB. PRETO –  9H
Sinpro SANTOS –  14H30
Sinpro SÃO CARLOS –  9H (SESI/SENAI)
Sinpro SÃO PAULO –  9H
Sinpro SJR PRETO –  14H
Sinpro SOROCABA –  9H
Sinpro UNICIDADES –  9H

25/10
Sinteee FRANCA – 17H

26/10
Sinpro BAURU – 10H
Sinpro JAÚ –  17H
Saae R. PRETO –  14H
SINPROVALES –  17H

27/10
Sinpro SÃO CARLOS –  9H (ED BÁSICA)
Sinpro TAUBATÉ –  14H00

 

A PRIMEIRA REUNIÃO

Os sindicatos integrantes da Fepesp reuniram-se em Campinas, na sede do Sinpro, para organizar com antecedência a campanha salarial de 2019. Assembleias para discussão de pauta e organização da mobilização serão realizadas agora no mês de outubro. Vamos avançar, com a modernização da nossa convenção!

Em 2018, a campanha salarial de professoras, professores e auxiliares de admoinistração escolar na rede privada de ensino em São Paulo enfrentou forte empenho de donos de escolar e instituições de ensino superior no sentido de reduzir direitos para diminuir custos e aumentar suas margerns de lucros. Foi clara a intenção em embarcar na onda da perversa ‘reforma’ trabalhista do governo sem votos. Mas a categoria soube resistir. Defendeu a palavra de ordem ‘vamos defender o que é nosso” e foi vitoriosa: na educação básica, todos os direitos fortam mantidos; no ensino superior, a tentativa de cortes foi rejeitada.

Agora, em 2019, a campanha salarial está sendo iniciada com antecedência para seguir com o entusiasmo que animou a campanha deste ano.

Já em outubro, serão realizadas as primeiras assembleias para discussão e formação de pauta de reivindicações, com a proposta de avançar na conquista de direitos, modernizando as convenções coletivas de trabalho:

“Modernizar, sim’, diz Celso Napolitano, presidente da Federação dos Professores de São Paulo. “Vamos blindar nossas convenções contra tentativas de implantar o trabalho intermitente, a terceirização, a pejotização dos professores. Vamos discutir a ‘hora tecnológica’, o tempo em que professores agora dedicam ao trabalho docente via meios eletrônicos que os colocam à disposição da escola 24 horas por dia. As escolas já se preparam para se atualizar, aumentando suas mensalidades – vamos também atualizar, modernizar nossos direitos nesta campanha”.

A Fepesp é integrada por 25 sindicatos. Após as assembleias em cada sindicato haverá a unificação das pautas até o final de outubro, a fim de dar inicio às negociações da campanha de 2019 ainda no mês de novembro, antes das férias coletivas e recesso de fim de ano dos professores.

Recomendadas para você

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio