19 de novembro de 2019| ,

Metodista: bispos devem fazer valer seu valores

Direção da Metodista falta em reunião e não se justifica, irregularidade e ações se multiplicam, bispos reunidos em Encontro Episcopal recebem manifesto

Encontro de entidades sindicais de professores, auxiliares de administração escolar, técnicos administrativos que tem colégios e universidades da rede Metodista em sua base reafirmam disposição de luta em encontro nesta terça-feira, 19/11, em São Paulo.

A direção da Metodista foi convidada para a reunião. Mas fugiu da raia: não compareceu e não apresentou justificativa.

A ausência da Metodista reflete e repete sua indiferença às infrações das mais simples de suas obrigações trabalhistas: pagamento de salários, depósito de encargos financeiros, não pagamento de acordos judiciais firmados, recolhimento de contribuições e mensalidades sindicais descontadas mas não repassadas às suas entidades de classe.

A Igreja Metodista, responsável pelas Instituições Metodistas de Educação – IME, aceita tais infrações?

 

Aqui, o manifesto à Metodista (clique para abrir PDF)

Essa é a questão que será apresentada aos bispos e pastores que irão se reunir no Encontro Episcopal da igreja Metodista entre a próxima quinta-feira ( dia 21, e domingo (24), em Sorocaba.

As infrações das escolas e universidades da Metodista vão contra os cânones da Igreja e a missão expressa pelas IME. A igreja deve responder pelos atos das suas filiadas. Um manifesto foi preparado na reunião de sindicatos, e será apresentado e protocolado no Encontro Episcopal de quinta.

 

Sindicatos de professores e pessoal administrativo da Metodista reunidos em São Paulo: direção da Metodista não aparece, Igreja deve ser responsabilizada.

 

 

 

Participaram sindicatos do Rio de Janeiro, de Minas Gerais, do Rio Grande do Sul, de São Paulo, de Campinas e Região, do ABC, de Sorocaba,do SAAE Abc, da Fepesp e da Contee.

Entre os inúmeros encaminhamentos destacam-se:

► Denúncia das irregularidades a OIT, à OAB, ao Ministério Público Federal, ao TST;
► Nota de protesto pelo não comparecimento ou justificativa da Direção Metodista convocada para essa reunião ;
► Panfletagem no Encontro Episcopal a ocorrer no dia 21 em Sorocaba;
► Solicitação de Audiência Pública no Congresso Nacional e nas Assembleias Legislativas, entre outras.

 

MANIFESTO:

Veja aqui a que terão que responder bispos e pastores da Igreja Metodista em seu Encontro Episcopal

 

Aos senhores Bispos e Pastores reunidos no
Encontro Episcopal da Igreja Metodista

Dirigimo-nos respeitosamente aos senhores bispos, pastores e dirigentes reunidos neste Encontro Episcopal para demonstrar nossa preocupação e justificada indignação sobre situação preocupante que aflige professores e técnicos administrativos atuando nos colégios e universidades da organização de ensino Metodista no Brasil.

Os estudantes pagam suas mensalidades, os professores ministram suas aulas, os técnicos mantêm o ambiente escolar em atividade – mas os professores e técnicos administrativos não são remunerados e têm seus direitos fraudados pelas escolas da rede Metodista.

Como bem lembrado na liturgia proposta para a sua celebração do Dia de Ação de Graças, que se aproxima, “render graças a Deus pela criatividade de ideias que enriquecem a vida, é acrescentar sua contribuição ao processo humano”.

O valioso ‘processo humano’ em curso nas escolas Metodistas está sendo vilipendiado.

Enxergamos grande contradição entre a prática lesiva conduzida pela administração das suas escolas e o compromisso expresso da Educação Metodista, a saber:

“O compromisso das instituições educacionais metodistas é com a realização de uma educação diferenciada, que alia alta qualidade acadêmica, científica e tecnológica com os mais profundos valores éticos e cristãos”.

Esse compromisso tem justamente sua raiz no artigo 182 dos Cânones da Igreja Metodista, que indica que:

 “As Instituições Metodistas de Educação têm por Missão exercer influência na formação de crianças, jovens e adultos, em conformidade com os valores e as diretrizes educacionais da Igreja Metodista, exercendo suas atividades em todos os níveis”.

Pois bem. A educação de crianças, jovens e adultos que confiam suas esperanças nas instituições de ensino Metodista tem a qualidade do seu ensino comprometida por professores e auxiliares aflitos e inseguros quanto à sua própria manutenção financeira, diante de constantes atrasos de pagamento de salários, fraude no cumprimento de compromissos de encargos sobre seus funcionários (como FGTS, férias, INSS e outros), não pagamento de acordos judiciais firmados, recolhimento de contribuições e mensalidades sindicais descontadas mas não repassadas às suas entidades de classe, oferecimento e desconto de prestações em crédito consignados não repassadas ao sistema bancário.

A lista segue e poderá ser documentada por todos que aqui subscrevem este documento.

Será intenção da Igreja Metodista intervir de forma tão negativa no processo humano registrado na sua relação com professores e auxiliares em suas escolas?

Gostaríamos de acreditar que não o fosse.

Sucessivas tentativas de abertura de diálogo e resolução de problemas com a direção das IME foram frustradas mesmo com convite e convocações formalmente protocoladas. Na última delas, neste 19 de novembro, sequer foi apresentada alguma justificativa para sua ausência.

Assim, acreditamos ser imperativo que os senhores  bispos, pastores e dirigentes dirijam sua reflexão neste encontro no sentido de verificar tais desvios e interceder junto ao Conselho Diretor da Coordenação Geral da Ação Missionária, à área de Pastoral Escolar e Universitária coordenada pela CONAPEU e ao seu Concílio Geral das Instituições Metodistas de Educação, para que os valores éticos expressos em seu compromisso e missão sejam refletidos na regularização de débitos junto a docentes e demais funcionários das IME, e que esse compromisso se estenda à estabilização de suas obrigações aos seus profissionais de Educação.

No aguardo de pronta resposta, subscrevemo-nos:

Em nome de:

Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino – Contee

Federação dos Professores do Estado de São Paulo – Fepesp

Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino do Estado do Rio de Janeiro – Feteerj

Federação dos Professores, Trabalhadores Técnicos e Administrativos e Auxiliares em Estabelecimentos de Ensino – Fetee – Sul

Federação Interestadual dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino – Fitee

Sinpro ABC  Sinpro Campinas e Região • Sinpro Sorocaba e Região  Saae São José do Rio Preto • Sinpro São José do Rio Preto  Sinpro Santos • Sinpaae Ribeirão Preto  Sinpro Minas • Saae MG  Sinpro Rio • Sinpro Pará • Sinpro RS  Sintaae RS  Saae ABC

 

 

21 de novembro: entrega do manifesto aos participantes do Encontro Episcopal Metodista, quando chegavam ao local do evento (hotel Golden Park, Sorocaba, SP)

 

Metodista: solução final

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio