Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 14 de abril de 2024

26 de janeiro de 2023

26/01 – A prova anual para medir alfabetização de crianças, ‘burn-out’ ganha mais visibilidade, Brasil fora do Oscar – e mais: a volta do Fórum Social Mundial, de Porto Alegre para o mundo

Fórum Social Mundial 2023: até este sábado, em Porto Alegre, movimentos sociais debatem como “ reconstruir a nossa dignidade como nação livre, democrática, humanitária e soberana”, depois da derrota do governo anti-povo em novembro passado.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]
Governo Lula quer recriar prova anual para medir alfabetização de crianças –  Na esteira da prioridade que o governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem alardeado para a alfabetização, o novo presidente do Inep (Instituto Nacional de estudos e Pesquisas Educacionais), Manuel Palácios, planeja a volta de uma avaliação anual para medir se as crianças brasileiras estão alfabetizadas. Além de anual, a ideia é que essa avaliação seja aplicada a todos os alunos do 2º ano.

De acordo com o presidente do Inep, tanto o Enem quanto o Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica) não terão alterações neste ano. O Inep, ligado ao MEC (Ministério da Educação) é responsável pelas avaliações da educação brasileira e passou por graves crises durante o governo Jair Bolsonaro (PL).Folha de S. Paulo  25/01   https://bit.ly/3wDb1gh


Após cobranças, secretário da Educação de SP diz que receberá sindicato dos professores do Estado –   O secretário da Educação do governo Tarcísio de Freitas (Republicanos), Renato Feder, diz que até a semana que vem abrirá diálogo com a Apeoesp (sindicato dos professores), que o cobrou por não ter recebido a entidade desde que tomou posse.

Liderada pela deputada estadual Professora Bebel (PT), a associação quer discutir demandas trabalhistas e já fala em convocar greve se não houver acordo. Yahoo 25/01 https://bit.ly/3JhObm1

 

Fepesp entrega pauta dos trabalhadores ao Sesi e Senai –   Presidente da Fepesp, Celso Napolitano representou os sindicatos integrantes da Federação. Segundo ele, as reivindicações foram discutidas e deliberadas nas assembleias realizadas em 10 de dezembro de 2022.

“Foram assembleias em todo o Estado. A nossa campanha é unificada. Entre as reivindicações, se incluem itens como reajuste salarial e condições de trabalho”, informa Napolitano.

Agenda – A Fepesp deve convocar novas assembleias, em todo o Estado, para encaminhar os próximos passos da campanha salarial. A falta é abonada. “É fundamental a participação de todos a fim fortalecer a negociação dos professores nas unidades de ensino. Fique atento nos informes do Sindicato”, orienta o presidente. Agência Sindical 23/01   https://bit.ly/3kMnuvF

 

Ponto de vista: ‘por que Monitorar o Plano Nacional de Educação?’ –  O monitoramento do PNE retrata um cenário muito aquém daquele que idealizamos, mas, a melhora dos seus indicadores permite reconhecer o esforço coletivo dos profissionais da educação e avançar nas políticas públicas com base em evidências.  Um país que tem Paulo Freire como patrono da educação nunca deve perder a esperança e seguir lembrando que, conforme disse Freire: “É a partir deste saber fundamental: mudar é difícil, mas é possível, que vamos programar nossa ação político-pedagógica”. Por Gustavo Henrique Moraes, pesquisador do Inep, em Nexo 24/01  https://bit.ly/3JjIvYY

 

SAÚDE

Estafa:  Burnout ganha maior visibilidade – Fazendo já um ano, o reconhecimento, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), do burnout como doença ocupacional em janeiro de 2022 quer dizer que o profissional tem os mesmos direitos trabalhistas e previdenciários das demais enfermidades relacionadas ao trabalho. Valor Econômico  26/01   http://glo.bo/3kzRPxi


Burnout atinge quase 50% dos professores: conheça os sintomas e saiba como tratar – Em pesquisa da UFPB com alunos e profissionais da área de Enfermagem, realizada em dezembro de 2020, professores declararam que o uso de tecnologias para dar aulas acarretava em mais trabalho, o que os obrigava a dedicar mais horas por dia às suas atividades laborais. Esse quadro parece ser comum aos demais professores, pois, meses antes, em maio, pesquisa do Instituto Península havia constatado que os docentes, de forma geral, precisavam preparar mais atividades para manter seus alunos estimulados, em meio a um quadro em que ainda tinham que aprender a trabalhar com novas tecnologias e a gerenciar o próprio tempo. MultiRio  20/01   https://bit.ly/3WEI2DB

 

CIDADANIA

FSM debate ‘gigantesco desafio’ do Brasil após derrota eleitoral do ‘monstro do fascismo’-  Em conversa com a Agência Brasil, antes do início da mesa, a deputada federal e presidente do PT Gleisi Hoffmann destacou que a participação no Fórum indica que o governo vai ouvir os movimentos sociais para as tomadas de decisões.

“O Fórum Social Mundial sempre foi uma referência para nós, um debate se contrapondo ao Fórum Econômico Mundial, ao neoliberalismo. Falando da vida, falando da necessidade do governo estar presente com políticas sociais efetivas, com uma responsabilidade social efetiva. [Os movimentos sociais] vão ser ouvidos com certeza, isso já é um compromisso do presidente, ele quer resgatar as conferências, os conselhos de participação, os comitês de acompanhamento de políticas públicas. É fundamental”.

O Fórum vai até sábado e está prevista a participação de ativistas de diversos movimentos sociais, como lideranças indígenas, do movimento negro, LGBTQIA+, estudantil e sindicalistas, além das ministras do Meio Ambiente, Marina Silva, e da Saúde, Nísia Trindade. Sul21  25/01  https://bit.ly/3XYR0wx

 

Davos derrotou Porto Alegre? –  O Fórum Social Mundial nasceu como contrapartida ao Fórum Econômico de Davos. Se Davos continua existindo é porque tem o apoio dos governos mais ricos do mundo, das grandes entidades econômicas mundiais e da mídia internacional. Aparece como o único Fórum Mundial.

Enquanto os governos que lutam por alternativas se congregam nos Brics – composto pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul -, que lutam por um mundo multipolar, com projetos anti-neoliberais. Mas é um organismo composto por governos, que até agora não está organizando grandes eventos internacionais, como o Fórum Social Mundial. Revista Fórum  25/01  https://bit.ly/3kGNOau

 

 

Entretenimento:  Confira a lista de indicações para o Oscar 2023
Nexo, 24/01
https://bit.ly/3HdyDxf

Dois filmes brasileiros que estavam na lista de pré-indicados — o documentário “Território” e o curta-metragem “Sideral” — não entraram na lista final de indicações. Confira abaixo as indicações para as principais categorias.

 

MELHOR FILME

“Nada de Novo no Front”

“Avatar: O Caminho da Água”

“Os Banshees de Inisherin”

“Elvis”

“Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo”

“Os Fabelmans”

“Tár”

“Top Gun: Maverick”

“Triângulo da Tristeza”

“Entre Mulheres”

 

MELHOR FILME INTERNACIONAL

“Nada de Novo no Front” (Alemanha)

“Close” (Bélgica)

“EO” (Polônia)

“The Quiet Girl” (Irlanda)

“Argentina, 1985” (Argentina)

 

MELHOR ATRIZ

Cate Blanchett (“Tár”)

Ana de Armas (“Blonde”)

Andrea Riseborough (“To Leslie”)

Michelle Williams (“Os Fabelmans”)

Michelle Yeoh (“Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo”)

 

MELHOR ATOR

Austin Butler (“Elvis”)

Brendan Fraser (“The Whale”)

Bill Nighy (“Living”)

Paul Mescal (“Aftersun”)

Colin Farrell (“Os Banshees de Inisherin”)

 

MELHOR DIREÇÃO

Martin McDonagh (“Os Banshees de Inisherin”)

Daniel Kwan e Daniel Scheinert (“Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo”)

Steven Spielberg (“Os Fabelmans”)

Todd Field (“Tár”)

Ruben Östlund (“Triângulo da tristeza”)

 

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

“Os Banshees de Inisherin”

“Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo”

“Os Fabelmans”

“Tár”

“Triângulo da tristeza”

 

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

“Nada de Novo no Front”

“Glass Onion: Um Mistério Knives Out”

“Living”

“Top Gun: Maverick”

“Entre mulheres”

 

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Angela Basset (“Pantera Negra: Wakanda para Sempre”)

Hong Chau (“The Whale”)

Kerry Condon (“Os Banshees de Inisherin”)

Stephanie Hsu (“Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo”)

Jamie Lee Curtis (“Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo”)

 

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Brendan Gleeson (“Os Banshees of Inisherin”)

Brian Tyree Henry (“Causeway”)

Judd Hirsch (“Os Fabelmans”)

Barry Keoghan (“Os Banshees of Inisherin”)

Ke Huy Quan (“Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo”)

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio