Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

segunda-feira, 8 de maio de 2023

Por Beth Gaspar em 8 de maio de 2023

08/05 - Vai ter greve? Rodada de assembleias do Superior prossegue hoje - veja o placar das assembleias. TST valoriza CLT, condena mentalidade escravocrata. E mais: feira da reforma agrária retorna ao parque da Água Branca


Ensino Superior/Campanha Salarial 2023
AS ASSEMBLEIAS DESTA SEGUNDA, DIA 8:
Franca, 17h, remota
Osasco, 16h, no sindicato

Assembleias de amanhã, Terça, dia 9: :
Bauru: 14h30, remota
Guarulhos: 17h, no sindicato
Sorocaba: 17h30, remota

Ensino superior: rodada de assembleias prossegue no Estado, vai ter greve?

Nas primeiras doze assembleias de professores do Ensino Superior, organizadas pela Federação dos Professores do Estado de São Paulo, foi rejeitada a proposta patronal para reajuste salarial e revisão de condições de trabalho nas faculdades e universidade privadas no Estado.

Em São Paulo, Santos, Campinas e Ribeirão Preto as assembleias ainda se colocaram em estado de greve, com novas assembleias marcadas para dia 18 e data tentativa para início de greve em 22/05.

As assembleias ainda pedem o respeito das mantenedoras à determinação do Tribunal Regional do Trabalho, que em outubro passado determinou o pagamento de reajuste de 10,78% nos salários, retroativo a 1º de março de 2022. Rádio Peão Brasil  08/05  https://bit.ly/41ni0Hu


PLACAR DAS ASSEMBLEIAS!

 

TRABALHO

Professora é demitida após deputado criticá-la por usar camiseta com frase de poeta Hélio Oiticica - Expressão na camiseta faz alusão à obra 'Seja marginal, Seja herói'. Professora diz que deputado compartilhou montagem de foto dela com a legenda falsa: 'professora de história com look petista em sala de aula'.

"Sempre uso camisetas com obras de arte. É um jeito que tenho para conversar sobre arte com os alunos, de forma despretensiosa. Naquele dia expliquei e eles entenderam o contexto histórico da obra", explicou a professora, que preferiu não se identificar. G1 08/05  http://glo.bo/3LMf6pI

 

Estudo internacional projeta cenários para futuro do trabalho em 2050 - O relatório apresenta 100 iniciativas divididas entre governo, empresas, ciência, educação e cultura que podem ser feitas para endereçar desafios futuros. “Vai além da questão de cenários para ações que podem ser tomadas”, afirmou Yuri Lima, coordenador da linha de pesquisa Futuro do Trabalho, do Laboratório do Futuro da Coppe/UFRJ.

Em termos de governo, o estudo sugere a criação de uma agência nacional de prospecção e avaliação tecnológica, que seria capaz de identificar as próximas tecnologias e pensar sobre o impacto que terão na sociedade. Isso serve para a discussão legislativa ou do Poder Executivo para a criação de políticas públicas, para incentivar a discussão com outros setores.

Já no sentido da educação, Yuri Lima propôs o ensino do futuro como disciplina. “Assim como a história ensina [sobre] o passado, é importante a começar a aprender também a refletir sobre o futuro, desde criança, na escola”. Segundo o relatório, outra iniciativa interessante nessa área seria o uso de robôs e de inteligência artificial para promover e melhorar a educação ao longo do tempo. Agência Brasil 047/05  https://bit.ly/42x8hyZ

 

Presidente do TST defende CLT como instrumento de organização“Foi a CLT que deu aos trabalhadores brasileiros uma identidade – a carteira de trabalho. Trata-se de prova viva do Direito como instrumento de organização, e não de dominação social”, afirmou, nesta quarta-feira (3), o presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Lelio Bentes Corrêa, na abertura da sessão solene comemorativa aos 80 anos da Consolidação das Leis do Trabalho. O evento, no edifício-sede do TST, em Brasília, reuniu autoridades dos três Poderes.

O magistrado enfatizou que, há 80 anos, o conjunto de leis teve caráter “vanguardista”, mas que, nos últimos anos, se disseminou no país o discurso da “proteção excessiva”, da “necessidade de flexibilização” e do incentivo ao empreendedorismo para gerar empregos e movimentar a economia. No entanto, segundo ele, o que se visa é o desmonte de direitos sociais consagrados, ao se idealizar uma autodeterminação da força de trabalho onde existe subordinação jurídica “impregnada de resquícios escravocratas”. Rádio Peão Brasil  07/05  https://bit.ly/3LHK5mW

 

Feira da Reforma Agrária do MST: quatro dias de festa de comida saudável, arte e cultura em SP
Rádio Peão Rede Brasil Atual  07/05
https://bit.ly/44HCs8z

Serão 1.500 produtos, 96 pratos típicos de 23 estados e 200 atividades culturais, com shows de Zeca Baleiro, Lenine, Jorge Aragão, Gabi Amarantos, Liniker, Jhony Hooker, de quinta a domingo, no Parque da Água Branca, em São Paulo

Após quatro anos suspensa, a Feira da Reforma Agrária, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), volta ao Parque da Água Branca, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo. O evento começa na quinta-feira (11) e vai até domingo (14), com farta programação cultural e mobilização de cerca de 1.200 feirantes.

A previsão é que sejam vendidas 500 toneladas de alimentos provenientes da agroecologia. Além da oferta de alimentos saudáveis dos assentamentos e acampamentos e artesanatos regionais, o movimento promoverá seminários de formação, atividades político-culturais, conferências e centenas de apresentações artísticas.

Estão programadas 200 ações culturais e shows de dezenas de artistas, com rodas de samba, grupos de maracatu, além de grandes nomes da música. Entre eles Lenine, Zeca Baleiro, Jorge Aragão, Gabi Amarantos, Larissa Luz, Liniker, Chico César, Tulipa Ruiz, Alzira Espíndola, Jhony Hooker. Como nas demais edições, a programação cultural também será gratuita e aberta ao público.

A expectativa dos organizadores é receber pelo menos 500 mil visitantes ao longo dos quatro dias. Na última edição, em 2019, havia 1.684 tipos de produtos, entre in natura e agroindustrializados.

Haverá ainda espaço dedicado aos pratos das várias regiões brasileiras – a Culinária da Terra. Trinta cozinhas servirão 96 pratos típicos de 23 estados de todas as regiões do país.

crossmenu