25 de fevereiro de 2021

25/02 – 250 mil mortes por covid, ‘toque de restrição’ é medida inútil, vestibular cancelado por pandemia, os 100 anos de Paulo Freire na TV, e mais: Central promove campanha pela soberania nacional.

.

Campanha Salarial 2021: pautas de reivindicações já estão na mesa do patronal. Agora, é mobilização e negociação!
Confira aqui:
 http://bit.ly/2Mjp7Qw   

 

VOLTA ÀS AULAS

Brasil chega a 250 mil mortes por Covid em pior momento da pandemia
Folha de S. Paulo; 25/02
http://bit.ly/37NtZVz

Números dão a dimensão de uma tragédia. O desta dia 24 é: o Brasil atingiu a marca de 250 mil mortos por Covid-19, em uma contabilidade crescente e assustadora.

Os dados são aferidos com as secretarias estaduais de Saúde pelo consórcio dos veículos de imprensa formado por Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia.

O número macabro foi atingido às 18h03 desta quarta-feira, pouco mais de 24 horas antes de se completar um ano do registro oficial do primeiro caso no país. Até o início da noite, e ainda sem as informações de Amapá e Roraima, o Brasil havia contabilizado 1.420 mortes por Covid e 64.038 casos em um dia, o 35º dia com média móvel de mortes acima de 1.000.

 

Medida inútil: Doria anuncia ‘toque de restrição’ na madrugada, após SP ter recorde de internações por covid-19
Rede Brasil Atual; 24/02
http://bit.ly/3sr6aL7

Doria culpa exclusivamente festas e eventos clandestinos entre 23h e 5h pelo agravamento da pandemia para criar toque de restrição. Faltou incluir a volta às aulas sem segurança, além de não ter impedido as aglomerações do fim de ano.

 

Professor está à mercê do dono da escola, critica Celso Napolitano
Agência Sindical; 24/02
https://bit.ly/3dMRQbQ

Os professores estão sendo pressionados pelos donos de escolas particulares a trabalhar, mesmo que integre ou more com pessoas do grupo de risco. Quem faz o alerta é Celso Napolitano, presidente da Federação dos Professores do Estado de São Paulo (Fepesp), que representa os profissionais da rede privada.

De acordo com Celso, existe uma liminar que impede a volta às aulas presenciais aos educadores que sejam desse grupo, mas eles estão sendo pressionados pelo patrão. “Se falar alguma coisa, será demitido”, denuncia.

Diante desse quadro, os Sindicatos e a Fepesp estão atuando para que haja fiscalização do ambiente escolar, de forma a evitar as lotações nas salas de aula e enrijecer as regras sanitárias. “O Estado fala que pode voltar, por dia, 70% da ocupação; a Prefeitura diz que é 35%. Mas as próprias supervisoras têm forçado as escolas a admitir mais crianças”, ressalta Napolitano.

 

‘Queremos voltar ao ensino presencial: precisamos de condições para isso.’
Rádio Peão Brasil; 23/02
https://bit.ly/3aSR0Z7

Somos solidários a quem não tem com quem deixar seus filhos ou suas filhas, a quem não pode trabalhar remotamente e àqueles que não têm trabalho e precisam de um auxílio emergencial que demora a ser renovado. O sofrimento de crianças e adolescentes com a falta da convivência no espaço escolar nos toca profundamente.

Temos dedicado nossas vidas à Educação e sabemos a importância da escola como espaço de desenvolvimento social, intelectual e emocional. Por nos preocuparmos infinitamente com a saúde mental dos estudantes, nos perguntamos como ficarão ao saber que infectaram seus entes queridos, que podem ter sequelas graves ou mesmo morrer.


Covid: Unesp anuncia adiamento da 2ª fase do vestibular 2021, marcado para domingo
UOL; 24/02
http://bit.ly/2NxkOBY

A Unesp (Universidade Estadual Paulista) e a Fundação Vunesp, responsável pela aplicação da prova, resolveram adiar a segunda fase do vestibular 2021 por conta do agravamento da pandemia e de cidades com impossibilidade de aplicação de prova. Ainda não foi anunciada uma nova data. Também não foi informado se a data de divulgação de resultados, inicialmente no dia 19 de março, vai permanecer inalterada.

 



São Carlos: direito de aulas com segurança discutido em audiência pública
Sinpro S. Carlos; 23/02
https://bit.ly/2O3vYOo

O Sinpro São Carlos participou no dia 23/02/2021 da Audiência Publica “Possível Retomada Das Aulas Presenciais”. A Diretora Professora Edmara Ferri Marques  nos representou com a fala, Nós repudiamos qualquer cenário de retorno as aulas presenciais que ofereça riscos a vida de Professores e Auxiliares.

Edmara defende que, nós, Professores não estamos nos recusando a trabalhar mas que, queremos e temos o direito de retornar em segurança.

 

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

100 anos de Paulo Freire em programa especial na TV Cultura
TV Cultura; 25/02
http://bit.ly/3slJU5e

Em comemoração aos 100 anos de nascimento de Paulo Freire, a TV Cultura traz uma série de discussões sobre o educador e suas ideias inovadoras. É nesta sexta-feira (26/02), às 19h30!

 

Entidades Estudantis convocam ato contra cortes na educação
Abc do ABC; 23/02
http://bit.ly/3slJU5e

Nesta quinta-feira, 25.02, as entidades estudantis UNE, UBES e ANPG,  convocam atos em todo o país contra o cortes na educação propostos pela PLOA (Projeto de Lei Orçamentária) e texto da PEC Emergencial (186/2019), que prevê a retirada de pisos de investimentos em saúde e educação por estados e municípios.

Para as entidades estudantis, o atual momento para a educação é crítico. O texto da PEC emergencial compromete a implementação do FUNDEB e o funcionamento das instituições de ensino federais em 2021, isto porque propõe uma diminuição de 17,5% no orçamento da educação. O impacto desses cortes será sentido no PNAES  (Programa Nacional de Estudantil) e na adaptação de protocolos sanitários, para uma retomada de aulas, estará comprometida.


MPF se posiciona contra fim de investimento mínimo em Educação
UOL; 24/02
http://bit.ly/3kz5z7H

O MPF (Ministério Público Federal) se posicionou hoje contra o fim da determinação constitucional para manter um investimento mínimo em educação por parte de estados, municípios e do governo federal. A extinção da obrigatoriedade está prevista na PEC (Proposta de Emenda à Constituição) emergencial, que deve definir, entre outras coisas, a prorrogação do auxílio emergencial.

A posição do MPF foi compartilhada com o Congresso Nacional por meio de uma nota pública endereçada aos deputados federais e aos senadores. Assinam o documento as autoridades responsáveis pelo Copeduc (Comissão Permanente de Educação) do CNPG (Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Justiça), a PFDC (Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão) e a Câmara de Direitos Sociais e Fiscalização de Atos Administrativos em Geral do MPF.


Governadores do Nordeste assinam carta contra fim do piso para saúde e educação
Folha de S. Paulo; 24/02
http://bit.ly/2NDf7lU

Os governadores do Nordeste divulgaram uma carta nesta quarta-feira (24) contra a extinção do gasto mínimo para saúde e educação, proposta defendida pelo ministro Paulo Guedes (Economia).

O documento foi assinado pelos governadores dos nove estados da região, que são de partidos de oposição, independentes ou mesmo aliados do presidente Jair Bolsonaro.

O fim do piso para recursos aplicados em saúde e educação está previsto no relatório da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Emergencial, elaborado pelo senador Márcio Bittar (MDB-AC), alinhado com o desejo da equipe econômica.

 


O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Semesp elege sua nova diretoria nesta quinta-feira
Semesp; 24/02
http://bit.ly/3dMfCF2

Nessa quinta-feira (25), as instituições associadas ao Semesp vão eleger a nova Diretoria e o novo Conselho Fiscal da entidade para o triênio 2021-2024.

Com uma única chapa inscrita (veja abaixo a composição), pela primeira vez uma mulher irá ocupar a presidência do Semesp. A profª. Lúcia Maria Teixeira (foto), presidente da Universidade Santa Cecília, e 3ª vice-presidente da Diretoria na atual gestão, ocupa na chapa a posição de presidente. A posse da nova Diretoria será realizada no próximo dia 25 de março.

 


Aquisição de ativos da Eleva dá vantagem estratégica à Cogna no mercado de educação básica
InfoMoney; 24/02
http://bit.ly/3klHO2y

A Cogna (COGN3) informou nesta segunda-feira (22), em fato relevante divulgado ao mercado, que está em tratativas avançadas com a Eleva Educação para a compra e venda de escolas.

A transação envolve uma troca de ativos. A Cogna venderia as unidades de ensino básico que administra para a Eleva, enquanto esta venderia seus sistemas de ensino básico à Vasta, subsidiária da Cogna.

A Cogna disse que as negociações não foram integralmente finalizadas e, até o momento da divulgação do fato relevante, os documentos definitivos não foram assinados. A companhia afirmou que a assinatura pode acontecer ainda hoje ou nos próximos dias.


Eleva fica mais perto do maior do mundo em educação básica, após compra de escolas como pH e Pitágoras
O Globo; 24/02
https://outline.com/EKvthh

Com expansão, grupo de Jorge Paulo Lemman amplia número de alunos para 120 mil. Líder mundial, que não atua no país, tem 150 mil, segundo especialistas.

Ao comprar 51 colégios da Cogna, a Eleva Educação, que tem como investidor o bilionário Jorge Paulo Lemann, consolida sua força no Rio de Janeiro, onde passa a administrar colégios como pH, Pitágoras e Leonardo Da Vinci, e aumenta as chances de se tornar o maior grupo de educação básica do mundo em número de alunos,.

Com a expansão, o grupo amplia o número de alunos para 120 mil. Hoje, a líder mundial na educação básica é a Jems Education, que não opera no Brasil, e tem 150 mil alunos, de acordo com especialistas do setor. O negócio foi anunciado na segunda-feira pelas duas companhias. A Eleva vai pagar R$ 964 milhões pelas escolas, sendo R$ 625 milhões em dinheiro, divididos em parcelas por cinco anos com reajuste pelo CDI.

O restante será quitado por meio de debêntures conversíveis em ações que devem ser quitadas em 30 meses.

Por outro lado, a Cogna, por meio de sua controlada Vasta, vai comprar por R$ 580 milhões o sistema de ensino da Eleva. As transações ainda precisam passar pela aprovação do Cade, órgão antitruste brasileiro.

 


CORONAVÍRUS

Médico defende vacinação dos profissionais da Educação para volta às aulas presenciais
Sinpro Campinas; 23/02
https://youtu.be/03jvEi5IeY0

Nessa edição do Sinpro Saúde, produzido pelo Sinpro Campinas, Roberto Mardem Soares Farias, médico pediatra, sanitarista e coordenador da Secretaria Executiva do Conselho Municipal de Saúde fala sobre os protocolos de segurança na volta às atividades presenciais nas escolas, a extrema importância da vacinação de todos os profissionais da educação para retorno seguro às aulas e a possibilidade do colapso do sistema de saúde devido ao descontrole da pandemia causado pelo coronavírus.

 

Soberania nacional em risco: Bolsonaro quer vender o Brasil enquanto o mundo enfrenta a covid, denuncia campanha da CUT
Rede Brasil Atual; 24/02
http://bit.ly/3sseA5a

Campanha Não Deixem Vender o Brasil alerta sobre o que povo perde com privatização de bancos públicos e empresas como Petrobras, Eletrobras, Casa da Moeda

Contra isso, a CUT lançou nesta quarta-feira (24) a campanha Não Deixem Vender o Brasil, em live com a participação de trabalhadores de estatais e parlamentares de oposição ao governo Bolsonaro. O objetivo é alertar sobre os riscos dessas vendas e os custos que no curto prazo serão cobrados do povo brasileiro.

“Querem dar esse filé ao mercado, ao capital, nacional ou estrangeiro.” Assim o eletricitário Marcelo Fiorio resume o significado da ofensiva de privatizações que, desde 2016 com Michel Temer e agora com Jair Bolsonaro, ameaça o Brasil. O governo federal editou na terça-feira (23) uma medida provisória para tentar encaminhar a desestatização da Eletrobrás, empresa pública brasileira responsável por geração, transmissão e distribuição de energia para milhões de brasileiros. O ataque às estatais atinge ainda Petrobras, Caixa e Banco do Brasil, Correios, Casa da Moeda, sistema portuário. À população, com a ajuda da mídia comercial, é vendida a ideia de “modernização”, “eficiência”. Mas na realidade os brasileiros perdem, e muito, com a perda de controle das empresas públicas que ajudaram a construir e da qual são donos.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio