Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 20 de julho de 2024

Por Beth Gaspar em 15 de julho de 2019

Laureate, dona da Fiam, Faam, FMU, Anhembi Morumbi, terá que negociar

As demissões em massa da Laureate não vão ficar por isso mesmo. Na justiça do Trabalho, diante de juiz, a dona da FMU, FIAM, FAAM e Anhembi Morumbi teve que concordar em discutir os cortes com o sindicato e negociar benefícios que reduzam o impacto social das demissões. Isso foi o resultado da audiência desta segunda-feira, 15/07, quando representantes da Laureate foram convocados a sentar-se em audiência do dissídio coletivo de natureza jurídica impetrado pelo Sinpro SP.

 

Desembargador Fernando Pinheiro: liminar contra Laureate poderá ser julgada na próxima sessão

Na próxima terça-feira, 23/07, às 11h30, a Laureate volta ao Tribunal, também diante do Sindicato, para apresentar suas justificativas ou medidas compensatórias. O Desembargador Fernando Pinheiro, que presidiu a audiência, também afirmou em ata que poderá julgar liminar na próxima sessão do dissídio do dia 23.

O dissídio foi instaurado pelo Sindicato com a autorização dos professores da Laureate, reunidos em assembleia em 26 de junho, imediatamente após o anúncio de cortes do final do semestre nas instituições mantidas pelo conglomerado internacional.

 

O termo de compromisso da Laureate na audiência do TRT, aqui (em PDF).

A pressão contra a Laureate está crescendo e precisa do apoio de todos. Em 4 de julho, por iniciativa do Sindicato, a Assembleia Legislativa de São Paulo realizou audiência pública onde foi exposta a precarização do ensino gerada pela mercantilização do ensino superior privado no Brasil.

Requerimento para a realização de outra audiência pública, desta vez  na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados, em Brasília, foi também encaminhado para discutir a mesma questão – e demonstrar que não se pode tratar educação sob a lógica de mercadoria.

O Ministério Público do Trabalho e o MEC também foram chamados a se manifestar, e vamos cobrar de todos eles uma posição em defesa do ensino e do emprego dos professores.

SINDICATO LEVA LAUREATE À JUSTIÇA: NESTA SEGUNDA, VAI A DISSÍDIO

Assembleia organiza resistência contra desmandos da Laureate

Sindicato denuncia: 'Ensino Superior não é mercadoria'.

crossmenu