Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 08 de dezembro de 2023

13 de março de 2023

13/03 – O reajuste salarial na Educação Básica, a pressão pela revogação do ‘novo’ ensino médio, explode procura por cursos de psicologia, e mais: custo da Educação tem maior alta em quase 20 anos

.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]

Educação Básica: reajuste pelo índice da inflação foi deliberado pelo julgamento vitorioso do dissídio gerado pela nossa resistência e mobilização na campanha salarial de 2021 – quando o patronal queria cortar direitos e foi derrotado no Tribunal. Todos os detalhes estão aqui:  https://bit.ly/3FfCtFW

 


CONVENÇÃO COLETIVA

Educação Básica: salários terão reajuste conquistado em campanha salarial- A reposição da inflação de março de 2022 a fevereiro de 2023, vale lembrar, é uma das muitas conquistas da nossa campanha salarial de 2021 – quando o patronal só queria saber de cortes de direitos de professoras, professores e pessoal administrativo, mas nossa mobilização e insistência levou a campanha a dissídio, quando nossas reivindicações tiveram parecer favorável do Ministério Público do Trabalho e conquistamos um julgamento vitorioso no Tribunal Regional do Trabalho (veja destaques no site). Fepesp  13/03  https://bit.ly/3JzSvwC

 

 

‘NOVO’ ENSINO MÉDIO

Mudou para pior: especialistas apontam aumento de desigualdades com ‘Novo’ Ensino Médio Falta de professores, diminuição de matérias e deficiência no ensino se agravam, afirmam educadores e entidades em defesa da educação pública.

Aprovado em 2017 sob o governo golpista de Michel Temer, e implementado no ano passado, último ano do mandato de Jair Bolsonaro, o chamado “Novo” Ensino Médio coleciona críticas por parte de estudantes e especialistas e entidades de educação. De acordo com a comunidade escolar, a reforma educacional piorou as condições de escolarização e aumentou a desigualdade na escola pública.

No “Novo” Ensino Médio, as disciplinas estão agrupadas em Linguagem, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas e Sociais. No entanto, somente Matemática e Português são obrigatórios nos três anos do ciclo. Rede Brasil Atual  12/03  https://bit.ly/3yAZSO6

 

Especialistas pedem revogação do novo ensino médio Entidades e pesquisadores da área da educação afirmam a necessidade de revogação da lei de 2017 que estabeleceu o novo ensino médio e sugerem a implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio publicadas em 2012. Na última semana, o Ministério da Educação (MEC) abriu consulta pública para avaliação e reestruturação da política nacional de ensino médio, mas, para os especialistas, antes do diálogo, é urgente a revogação da medida.

“E, ao ser revogado, é necessário que o governo receba estudantes, professores e profissionais da educação pra poder formular e concretizar um modelo de ensino que faça sentido pra nossa geração”, disse à Agência Brasil a presidenta da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Jade Beatriz.. Agência Brasil  12/03  https://bit.ly/3FlqCG6

 

Estudantes da rede pública de Ipatinga protestam contra o Novo Ensino Médio Com o início do ano letivo, sob um novo governo, o debate entre as partes ganhou força e promete render ainda mais. Envolvidos na discussão estão alunos, professores, o Ministério da Educação (MEC) e entidades da sociedade civil, que debatem os prós e contras da chamada Reforma do Ensino Médio. Em Ipatinga, jovens da rede estadual se mobilizam para um protesto na próxima quarta-feira, dia 15, a partir das 8h, na Praça dos Três Poderes, cuja reivindicação principal é a revogação do novo modelo. Diário do Aço  10/03  https://bit.ly/3J6SjDM

 

Opinião: ‘Reforma do ensino médio e fascismo’ Enquanto frente ampla, mesmo os neoliberais deste governo devem reconhecer que a educação deve caminhar no sentido oposto da reforma atual e permitir que se criem parâmetros para a formação do sujeito, com uma educação crítica que busca a emancipação do estudante para dar a ele elementos de analise da realidade com autonomia para que possam olhar para as redes sociais e não se seduzirem com as fakenews e suas armadilhas.

Com as ameaças vigentes, uma formação acrítica torna o futuro trabalhador alvo fácil do fascismo porque, na vida prática, a exploração do seu trabalho vai ocorrer, assim como as injustiças e as seduções fáceis da compreensão de mundo que o extremismo mostra nas redes sociais. Se o estudante não aprendeu na escola nenhum mecanismo social para lidar com isso, inevitavelmente é alvo fácil para aderir ao primeiro discurso nas redes e se render ao fascismo. Por Luís Fernando Vitagliano, cientista político e professor universitário no site A Terra é Redonda  12/03  https://bit.ly/3JctyGq

 

UNIVERSIDADE

Procura por curso de psicologia nas faculdades explode no Brasil – A procura de estudantes brasileiros por faculdades de psicologia explodiu nos últimos anos. De 2010 para 2021, o número de matrículas nessa graduação mais do que dobrou no país, indo de 136,4 mil para 289,8 mil, um crescimento de 112,4%.

Como comparação, no mesmo período, as matrículas em todo o ensino superior brasileiro apresentaram um aumento de 41%, somando cursos presenciais e a distância. Se consideradas as matrículas no ensino superior presencial, houve uma queda nesse mesmo período no país, em torno de 3%. Folha de S. Paulo  11/03  https://bit.ly/3T8cl5z

 

Artigo: ‘Fim do Enem virtual é a vitória do atras’o – O presidente do Inep, Manuel Palácios, anunciou o fim versão digital do exame do Enem. Acabou-se e não tem data para voltar.

Os argumentos de Palácios são irrefutáveis. A adesão à versão digital da prova era baixa. Em 2022 foram oferecidas 100 mil vagas, só 66 mil jovens se inscreveram para o exame nessa modalidade e metade dos inscritos não apareceu. O custo da versão digital foi de R$ 25,3 milhões e com a baixa adesão o custo de cada prova ficou em R$ 860, contra R$ 160 para as provas em papel.

Pelo mundo afora, disseminam-se os exames feitos em plataformas digitais. Em Pindorama, com bons argumentos, o atraso venceu, mas não deixou de ser um triunfo do atraso. Elio Gaspari 12/03  https://bit.ly/3YJqmre

 

USP, Unicamp e Unesp querem vestibular seriado para alunos de SP – As três universidades estaduais paulistas querem transformar o Saresp (prova que avalia a qualidade do ensino da rede estadual de São Paulo) em um vestibular seriado. Assim, os estudantes serão avaliados ao fim de cada série do ensino médio e a nota, ao fim dos três anos, será usada para ingresso nos cursos de graduação.

Elas buscam transformar o Saresp em um modelo próximo ao vestibular americano, o SAT (Scholastic Aptitude Test), em que os alunos fazem as provas várias vezes durante a etapa similar ao ensino médio brasileiro. O processo seletivo para ingresso nas universidades nesse formato só poderá ser feito por alunos de escolas da rede estadual paulista. Folha de S. Paulo 10/03  https://bit.ly/3FkrsTx

 

SEU BOLSO

Educação tem maior alta em quase 20 anos e IPCA acelera em fevereiro- Os preços de Educação pesaram no bolso do consumidor em fevereiro com a maior alta em quase duas décadas, em um movimento sazonal que levou a inflação no Brasil a acelerar o avanço no mês.

Em fevereiro, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,84%, depois de ter avançado 0,53% em janeiro, mostraram os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira. Reuters via Yahoo Noticias 10/03  https://bit.ly/3FfbSsf

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio