Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

Por Beth Gaspar em 9 de maio de 2023

09/05 - Arrancada final na rodada de assembleias do Superior: vai ter greve? Sindicato denuncia grupo chileno: compra escolas, precariza professores. Eleição no sindicato da rede públicatem chapa de unidade

Ensino Superior: arrancada final na rodada de assembleias que está dando a merecida resposta à proposta patronal: nós não desistimos! Veja mais, conheça a proposta de 9 pontos, aqui: https://bit.ly/3V4ylzf

 

 Ensino Superior/Campanha Salarial 2023
PARTICIPE: AS ASSEMBLEIAS DESTA TERÇA-FEIRA, DIA 9:
Bauru: 14h30, remota
Guarulhos: 17h, no sindicato
Sorocaba: 17h30, remota

Fechando a rodada de assembleias, teremos:
- Valinhos/Vinhedo: amanhã, quarta, dia 10, 18h, no Sindicato
- ABC:
sexta-feira, dia 12, 17 h – presencial, no sindicato

 

 

Ensino superior pode entrar em greve no Estado de SP - Segundo Celso Napolitano, presidente da Fepesp e do SinproSP, as mantenedoras se mantêm intransigentes. “Eles se negam a repor a inflação em 2023 e desconsideram o julgamento do Tribunal Regional do Trabalho do dissídio de 2022, que determinou reajuste salarial de 10.78% a partir de março de 2022, além de garantir por quatro anos direitos inscritos na convenção coletiva de trabalho”, ele afirma.

Para dar fim ao impasse, a Fepesp chegou a apresentar uma proposta, com nove pontos que contemplam as reinvindicações dos professores e pessoal administrativo. Além de respeito à sentença do TRT e à recuperação das perdas causadas pela inflação nos salários, os trabalhadores querem discutir a precarização das condições de trabalho imposto com o ensino à distância, entre outros pontos.

Porém, segundo Napolitano, os representantes das mantenedoras se recusaram a alterar sua contraproposta salarial.

Diante do impasse, entre os dias 4 e 12, trabalhadores de todo o estado realizam assembleia para avaliar a postural patronal e definir os próximos passos do movimento. Em São Paulo, Santos, Campinas e Ribeirão Preto as assembleias aprovaram estado de greve, com paralisação para o dia 22.

Ao final da rodada de assembleias os sindicatos da Fepesp devem se reunir para consolidar suas deliberações e definir os próximos passos da campanha salarial. Agência Sindical 08/05  https://bit.ly/3NOJhPR

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Grupo chileno de educação Vitamina acumula dívidas, processos e precarização em escolas no Brasil - O Sinpro-SP (Sindicato dos Professores de São Paulo) tem limitações de representação sindical por causa da mudança do registro dos profissionais feita pela empresa. A entidade acompanha, no entanto, a situação dos professores há pelo menos dois anos e prepara informações para levar ao Ministério Público do Trabalho.

Desde meados de 2021 os professores das escolas adquiridas começaram a enfrentar problemas com a retirada de direitos. O grupo passou a mudar a categoria de contratação, não mais configurando-os como professores mas, sim, como educadores —o que cria uma dificuldade de representação sindical e respeito a convenções coletivas.

"O sindicato chamou o grupo para fazer acordos coletivos para todas as escolas, mas eles se recusaram. A situação começou com perdas de direitos e depois foi ladeira abaixo", diz a diretora do Sinpro-SP, Silvia Barbara. "A pauta de reclamação das professoras vai muito além de perdas de direitos, há deterioração das escolas, não tem material, não contratam professores".

Desde 2019, o grupo comprou 37 escolas de educação infantil (o grupo diz que, agora, são 36), a maioria na cidade de São Paulo. Agora, há relatos de problemas de precarização do atendimento em muitas unidades, que vão de fragilização do trabalho docente, rotatividade de profissionais, redução de funcionários, falta de material didático e de limpeza, ausência de manutenção predial e escassez de alimentos para os alunos. O Vitamina chegou ao Brasil com aporte financeiro da Península, da família de Abílio Diniz. Folha de S. Paulo  08/05  https://bit.ly/3HRa3mR

 

Ex-Pitágoras/Cogna/Kroton: mais um empresário brasileiro da educação vende mansão na Flórida, 50 milhões de reais - Coincidência ou não, mais de um empresário brasileiro do ramo da educação fez fortuna este ano com a bonança do mercado imobiliário da Flórida. Depois de Flávio Augusto da Silva, fundador da escola de inglês Wise Up, ter vendido a casa mais cara da história de Orlando por R$ 180 milhões, em fevereiro, agora um dos fundadores da gigante das faculdades Cogna embolsou R$ 50 milhões com a venda de uma mansão na região de Miami.

Trata-se de Evando Neiva, um dos fundadores do grupo educacional mineiro Pitágoras, que daria origem à Kroton e, posteriormente, à Cogna, um dos maiores conglomerados privados de educação do mundo. Neiva foi por anos CEO da companhia e presidiu seu conselho até 2020.O Globo via O Sul 08/05  https://bit.ly/44FJvPb

 

TRABALHO

Trabalhadores da educação paralisam atividades em Pernambuco e pedem reajuste do piso salarial - Em Pernambuco, oss trabalhadores da educação realizam dois dias de paralisação em toda a rede estadual de ensino, nestas segunda e terça-feira, 8 e 9 de maio.

O movimento, organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) faz parte da campanha salarial educacional 2023 e exige do governo estadual o reajuste do piso salarial do magistério - que em 2023 é de 14,95% - em toda a carreira da educação pública estadual. Brasil de Fato 08/05  https://bit.ly/41nsWVg

 

Justiça determina que professores encerrem greve, mas categoria mantém paralisação no DF - Desembargador determinou multa diária de R$ 300 mil e corte de ponto, em caso de descumprimento. Magistério parou atividades na última quinta-feira (4) e pede reajuste salarial, entre outros pontos.

Em nota, o Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF) afirmou que irá recorrer da decisão e que "o calendário de mobilização está mantido".. G1   08/05  http://glo.bo/3LKxxeE

 

ENSINO PÚBLICO

Gestão Tarcísio fechou 312 turmas de ensino fundamental e médio no 1° bimestre em SP - A medida foi alvo de críticas da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo). A entidade afirmou que a ação pode, inclusive, levar ao fechamento de escolas.

Levantamento realizado pelo sindicato aponta que o número de turmas fechadas é ainda maior, de 326. A região de Araras seria a mais afetada, com 36 turmas encerradas em 18 escolas. Nenhuma escola da capital paulista foi afetada pela medida.

Segundo o sindicato, a exclusão de turmas pode implicar em salas de aula mais cheias, o que ocasionaria sobrecarga de trabalho aos professores, alunos mais dispersos e defasagem no ensino. Folha de S. Paulo08/05  https://bit.ly/41kZP59

 

Veja quando começa a inscrição do Enem 2023 - O período de inscrições para o exame será de 5 a 16 de junho, como já havia sido anunciado anteriormente pelo Ministério da Educação (MEC). As provas serão aplicadas nos dias 5 e 12 de novembro.

Apesar de ser voltado para os estudantes que estão concluindo o ensino médio, o Enem pode ser feito por qualquer pessoa, independentemente da faixa etária. Estudantes que ainda não concluíram o ensino médio podem realizar o exame como “treineiros”, uma forma de adquirir experiência e testar os conhecimentos antes de tentar uma vaga em uma universidade. Valor Econômico   08/05  http://glo.bo/3B4wQYF

 

 

Chapa 1 APEOESP Unida é lançada para disputa da presidência do sindicato
Gazeta de Piracicaba  07/05
https://bit.ly/42lYOuQ

Uma das principais motivações para esta união foram os ataques à democracia e os retrocessos que se verificaram nos direitos econômicos, sociais, educacionais e sindicais do povo brasileiro nos últimos anos

Neste sábado, ocorreu na Academia Paulista de Letras, em São Paulo, o lançamento da Chapa 1 – “Apeoesp Unida”, que concorre à Diretoria Estadual e Conselhos estadual e regionais do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo, o maior da América Latina, com 189 mil associados. A eleição acontecerá no próximo dia 26.

Pela primeira vez na história da Apeoesp, apresenta-se uma chapa que reúne todas as principais correntes, de variadas matrizes políticas, reafirmando a unidade que vem se construindo e dando o tom da atuação da Apeoesp nos últimos anos.

A Chapa 1 é a única das três inscritas que está presente nas 94 subsedes e em todos os municípios do estado de São Paulo. A Apeoesp vem sendo presidida pela professora Maria Izabel Azevedo Noronha - Professora Bebel, eleita e reeleita desde 2008 e que está no segundo mandato como deputada estadual.

Motivação para a unidade: defesa da democracia, defesa de direitos - A chapa diz que “uma das principais motivações para esta união, cujo caminho foi pavimentado pela instituição da proporcionalidade na composição da Diretoria Estadual de acordo com a votação obtida nas eleições a partir de um patamar mínimo de 10% dos votos, foram os ataques à democracia e os retrocessos que se verificaram nos direitos econômicos, sociais, educacionais e sindicais do povo brasileiro nos últimos anos”. A pandemia e seus desafios também foi motivação para a unidade na Apeoesp.

No programa da Chapa 1 destacam-se pontos como a revogação da reforma do ensino médio, contra o atual Programa de Ensino Integral, que é excludente, por escolas seguras, pela revogação da carreira por subsídio e uma carreira aberta, justa e atraente, por concurso público para 100 mil vagas, aplicação correta do piso salarial nacional, não ao fechamento de classes, Atividades Pedagógicas Diversificadas em local de livre escolha e outros itens.

crossmenu