24 de abril de 2019| , , ,

‘Nova política’? Governo oferece acordos por baixo dos panos

Diante da dificuldade de aprovar sua maior proposta, governo pratica o “toma-lá-dá-cá”

 

Quanto vale o voto de cada deputado pela aprovação da proposta de ‘reforma’ da Previdência?

Segundo matéria desta quarta-feira, 24/04, no jornal Folha de S. Paulo, o governo teria oferecido R$ 40 milhões em emendas parlamentares para cada deputado federal que votar a favor da proposta de ‘reforma’ da Previdência. A informação foi obtida através de líderes de cinco partidos, que contaram que a oferta do valor ‘extra orçamentário’ ocorrera na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, semana passada.

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, pensa numa estratégia de ofertar 65% de acréscimo no valor que cada deputado pode manejar no Orçamento federal de 2019 para obras e ações em seus redutos eleitorais. Atualmente, o valor é de R$ 15,4 milhões em emendas parlamentares para cada congressista.

Em março, diversos líderes de partidos na Câmara haviam declarado voto contrário ou proposto veto a determinados trechos da PEC da Previdência.

 

Nova Política?

A Folha confirmou a existência da proposta com deputados do DEM, PP, PSD, PR, PRB e Solidariedade, que passaram a informação mediante a condição de que não tivessem o nome publicado.

Bolsonaro amparou toda a sua campanha com a promessa de uma “nova política”, sem o famigerado “toma lá dá cá”; afirmava que seu governo não seria refém do Congresso e que não buscaria apoio através de trocas de cargos federais e aumento de verbas do Orçamento.

 

Reforma passa na Comissão da Câmara; veja como cada deputado votou:

 

A reforma da Previdência foi considerada constitucional e aprovada pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados, esta semana.

Primeira de uma série de votações que terá que enfrentar no Congresso Nacional, a reforma da Previdência é a principal proposta do governo Bolsonaro.

Veja como foi o voto de cada um dos deputados que integram a CCJ:

 

Votaram sim (foram a favor da reforma):

Bia Kicis (PSL-DF) Sim

Caroline de Toni (PSL-SC) Sim

Daniel Freitas (PSL-SC) Sim

Delegado Marcelo (PSL-MG) Sim

Delegado Waldir (PSL-GO) Sim

Felipe Francischini (PSL-PR) Sim

Nicoletti (PSL-RR) Sim

Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) Sim

Beto Rosado (PP-RN) Sim

Hiran Gonçalves (PP-RR) Sim

Marcelo Aro (PP-MG) Sim

Margarete Coelho (PP-PI) Sim

Darci de Matos (PSD-SC) Sim

Deleg. Éder Mauro (PSD-PA) Sim

Edilazio Junior (PSD-MA) Sim

Fábio Trad (PSD-MS) Sim

Stephanes Junior (PSD-PR) Sim

Arthur O. Maia (DEM-BA) Sim

Bilac Pinto (DEM-MG) Sim

Geninho Zuliani (DEM-SP) Sim

Paulo Azi (DEM-BA) Sim

Alceu Moreira (MDB-RS) Sim

Celso Maldaner (MDB-SC) Sim

Herculano Passos (MDB-SP) Sim

Márcio Biolchi (MDB-RS) Sim

Gelson Azevedo (PR-RJ) Sim

Giovani Cherini (PR-RS) Sim

Marcelo Ramos (PR-AM) Sim

Sergio Toledo (PR-AL) Sim

João Campos (PRB-GO) Sim

João Roma (PRB-BA) Sim

Lafayette Andrada (PRB-MG) Sim

Luizão Goulart (PRB-PR) Sim

Eduardo Cury (PSDB-SP) Sim

Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) Sim

Samuel Moreira (PSDB-SP) Sim

Shéridan (PSDB-RR) Sim

Paulo Martins (PSC-PR) Sim

Maurício Dziedrick (PTB-RS) Sim

Diego Garcia (PODE-PR) Sim

Léo Moraes (PODE-RO) Sim

Genecias Noronha (SOLIDARIEDADE-CE) Sim

Augusto Coutinho (SOLIDARIEDADE-PE) Sim

Luis Tibé (AVANTE-MG) Sim

Rubens Bueno (CIDADANIA-PR) Sim

Pastor Eurico (PATRI-PE) Sim

Enrico Misasi (PV-SP) Sim

Gilson Marques (NOVO-SC) Sim.

 

Votaram não (foram contra a reforma):

Afonso Motta (PDT-RS) Não

Eduardo Bismarck (PDT-CE) Não

Gil Cutrim (PDT-MA) Não

SubtenenteGonzaga (PDT-MG) Não

Renildo Calheiros (PCdoB-PE) Não

Clarissa Garotinho (PROS-RJ) Não

Alencar S. Braga (PT-SP) Não

Joenia Wapichana (REDE-RR) Não

José Guimarães (PT-CE) Não

Maria do Rosário (PT-RS) Não

Nelson Pellegrino (PT-BA) Não

Patrus Ananias (PT-MG) Não

Paulo Teixeira (PT-SP) Não

Danilo Cabral (PSB-PE) Não

João H. Campos (PSB-PE) Não

Júlio Delgado (PSB-MG) Não

Luiz Flávio Gomes (PSB-SP) Não

Talíria Petrone (PSOL-RJ) Não

 

Votaram ‘sim’ (foram a favor da reforma): PSL (7), PP (6), PSD (5), DEM (4), MDB (4), PR (4), PRB (4), PSDB (4), PSC (1), PTB (1), PODE (2), SOLIDARIEDADE (2), AVANTE (1), CIDADANIA (1), PATRI (1), PV (1), NOVO (1).

Votaram ‘não’ (foram contra a reforma): PDT (4), PCdoB (1), PROS (1), PT (6), REDE (1), PSB (4), PSOL (1).

 

 

Leia também sobre o sigilo dos dados que o governo Bolsonaro decretou sobre a reforma da Previdência:

Sigilo sobre a reforma: o que eles estão escondendo?

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio