16 de dezembro de 2019|

MEC esvaziado indica saída de Weintraub em 2020, reportam jornais

Noticiário resume a crônica do possível fim do pior ministro da Educação na história.

O ministro que não entende de Educação, Abraham Weintraub, virou noticia e desta vez não está sendo por nenhuma de suas costumeiras imprecações. Mas, talvez também por causa delas (por fazer sombra ao insultador-mor instalado na Presidência), e certamente pelo desmonte que vem promovendo na área.

Neste mês de dezembro, Weintraub sai de ferias novamente, pela segunda vez este ano. E especula-se que seja uma saída sem volta. Serão boas noticias?

Quando Veléz foi apeado do ministério por sua patente incompetência, especulava-se que a Educação teria visto seu pior ministro, e a expectativa não foi confirmada. Com cortes, acusações falsas, desprezo por bolsistas e pesquisadores, tentativa de financeirização da educação superior pública, expansão do ensino a distância para alegria das grandes corporações e prejuízo de professores e estudantes, Weintraub superou seu antecessor.

 

40%? Aumento da carga de Ead no Ensino Superior é licença para lucrar

Reunimos aqui os principais comentários sobre a fritura do provável futuro ex-ministro. Para sua avaliação.

 

Weintraub não deixará saudades se deixar o MEC
Folha de S.Paulo; 16/12
http://bit.ly/2qWcBM9

Weintraub foi chamado para estancar uma crise interna com o primeiro escolhido para a pasta, o até então desconhecido Ricardo Vélez.

O que era para ser uma solução virou um problema. Weintraub revelou-se um caos administrativo, com um comportamento fora dos padrões adequados para um ministro de Estado e da liturgia que o cargo exige. É constrangedora sua presença no primeiro escalão da Esplanada.

Ministro tira nota dez em tempo perdido para a educação
Folha de S.Paulo; 14/12
http://bit.ly/2YQVFTK

A cara da educação brasileira de 2019 é a de um ministro reconhecido pela beligerância, que distribui ataques ideológicos e posa para fotos com óculos de plástico tirados de piadas da internet. A imagem escamoteia a falta de avanços no Ministério da Educação (MEC), mas o retrato não é tão simplório quanto um meme da web.


A farsa no MEC e porque Weintraub precisa ser demitido – Por Iago Montalvão
Revista Forum; 12/12
http://bit.ly/2rHw43O

Opinião: “O campo da educação, neste governo, tem servido até agora apenas como sustentáculo ideológico do reacionarismo e do obscurantismo característicos desse grupo político que tomou o poder”

Paulo Guedes pode estar por trás da articulação para derrubar Weintraub
Brasil 247; 13/12
http://bit.ly/35qXx8v

Weintraub “é malvisto” pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes. Paulo Guedes, casualmente, é irmão de Elisabeth Guedes, presidente da Associação Nacional de Universidades Privadas, aponta Fernando Brito.

MEC usou dados falsos para fechar TV Escola, diz direção em nota
Congresso em Foco; 15/18
http://bit.ly/2PPFHoV

A decisão do Ministério da Educação (MEC) de não renovar o contrato da TV Escola pegou mal até entre os eleitores de Jair Bolsonaro e os seguidores de Olavo de Carvalho que apoiavam o ministro Abraham Weintraub. E, segundo a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), que geria a TV Escola até ser “despejada” do prédio do MEC nesta semana, foi justificada com argumentos orçamentários duvidosos: “O MEC misturou números para confundir o povo brasileiro”, acusa a Roquette Pinto, que ressalta estar alinhada à política educacional do governo Bolsonaro.

MEC não renova contrato com gestora da TV Escola
R7; 14/18
http://bit.ly/38I5yYD

O MEC (Ministério da Educação) informou na sexta-feira (13) que não renovará o contrato com a Acerp (Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto), responsável por gerir a TV Escola. O contrato se encerra no fim deste ano e o ministro Abraham Weintraub ordenou que funcionários da emissora deixassem o prédio do ministério. Um caminhão de mudança estacionou ontem na frente do MEC para levar os pertences da equipe.

MEC esvaziado indica saída de Weintraub em 2020
Estadão; 12/12
https://bit.ly/2teWavj

Nomes importantes do Ministério da Educação (MEC) deixaram a pasta nos últimos dias numa indicação, segundo fontes, de que o ministro Abraham Weintraub vai sair do cargo. O próprio Weintraub inicia um período de férias nesta sexta-feira, 13, emendando com os recessos, e muitos acreditam que ele não volta em 2020 ao cargo de ministro de Educação.

Weintraub tem desafetos no núcleo duro de Bolsonaro, mas não entre a família do presidente
Painel; 13/12
https://bit.ly/2YIPQrw

Balançando no cargo, Abraham Weintraub (Educação) tem desafetos no núcleo próximo a Jair Bolsonaro, que torcem pela sua saída. Mas a pressão não alcança a família presidencial, que costuma opinar nas escolhas do mandatário.

Permanência de Weintraub faz mal ao Brasil, diz deputado de Comissão de Educação
Folha de S.Paulo; 12/12
https://bit.ly/34jvO8i

Ministro está na pré-história do respeito, afirma parlamentar do PDT do Ceará.

Deputado na primeira legislatura, Idilvan é afeito ao tema da educação. Em sua breve fala, sugeriu a demissão do ministro com a expressão cearense “pegar o beco”, ou seja, ir embora. Para Idilvan, o ministro não tem condição técnica nem emocional de permanecer no cargo.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio