22 de outubro de 2018| , , ,

Faculdades privadas querem que novo governo aumente Fies em 10 vezes

Faculdades privadas desejam critérios mais flexíveis para o FIES e estimam que cenário perfeito seria de 500 mil alunos

Artigo Folha de S.Paulo | Maria Cristina Frias (*)

 

O aumento de vagas dos programas Fies (de financiamento estudantil) e Prouni (de bolsas de estudo) é a principal demanda do setor de ensino superior privado aos candidatos à Presidência.

“Se não houver fortalecimento de ambos, o país não atingirá a meta de ter 30% dos jovens entre 17 e 24 anos matriculados na faculdade até 2024”, diz o presidente da Abmes (associação das mantenedoras), Janguiê Diniz.

“O ideal é que o Fies tenha 500 mil vagas ao ano. Atualmente são 100 mil, mas pouco mais de 50 mil são aprovadas por conta dos critérios muito rígidos.”

A flexibilização de regras da EAD (educação a distância) é outra reivindicação, segundo ele. “Os modelos presencial e EAD deveriam poder ser híbridos, com 50% de cada modalidade. Hoje, cursos tradicionais só podem ter 20% de aulas a distância.”

 

 

Propostas do setor de ensino superior privado

  • Ampliação dos recursos destinados ao Fies e do ProUni
  • Flexibilização das regras de ensino a distância

76,8% 
dos alunos do ensino superior são de instituições privadas

6,2 milhões 
são os estudantes presenciais e a distância em faculdades particulares

209.442
são os professores empregados

 

 

 

(*) Maria Cristina Frias, jornalista, edita a coluna Mercado Aberto, sobre macroeconomia, negócios e vida empresarial.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio