Dois meses de suspensão de aulas: o trabalho brutal de professores em uma quarentena sem folga

Neste 23 de maio professores de São Paulo completaram dois meses de trabalho remoto com a suspensão de aulas. Resultado: ensino precário, professores exaustos