Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de outubro de 2021

20 de agosto de 2021

20/08 – a bolsa de mil reais na escola pública de SP, fim da greve sanitária em Minas, alunos com deficiência nas escolas e mais, em vídeo: por que a educação inclusiva é melhor que a segregação

.

A MP 1045 recebeu o contrabando de um substitutivo que permite o trabalho por menos do que o salário mínimo – por meio salário mínimo, na verdade – sem contrato formal, sem benefícios, sem nada. Como?

 

 

Doria pagará R$ 1.000 ao ano a alunos do ensino médio para mantê-los na escola
Folha de S. Paulo; 19/08
https://bit.ly/3D3FI0k

Benefício, em formato de bolsa de estudos, será para 300 mil estudantes da rede estadual em situação de vulnerabilidade; em 2021, valor será proporcional ao restante do ano letivo.

Serão beneficiados, em 2021 e 2022, 300 mil alunos da rede estadual, e cada um deles receberá R$ 1.000 por ano, valor dividido em parcelas mensais.

Pesquisas apontam que a evasão escolar pode triplicar em razão da pandemia e atingir entre 30% e 40% dos alunos da rede pública –só no ano passado, de acordo com dados do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) citados pelo governador, 5,1 milhões de crianças e jovens abandonaram a escola.

Os beneficiados das bolsas de São Paulo serão estudantes inscritos no Cadastro Único do governo federal, o CadÚnico, que lista famílias de pobreza e extrema pobreza (renda mensal de até três salários mínimos ou até meio salário mínimo por pessoa), a serem contempladas por programas sociais. Além disso, será necessário também se cadastrar, de 30 de agosto a 10 de setembro, no site www.bolsadopovo.sp.gov.br.


Alunos de escolas particulares aprendem a conviver com interrupção das aulas presenciais
Folha de S. Paulo; 19/08
https://bit.ly/3j4TPu8

Pela primeira vez desde o início da pandemia, as escolas estão autorizadas a atender todos os alunos, se garantirem o distanciamento mínimo de 1 metro entre eles.

Em duas semanas de aula nesse novo formato, os colégios viram que os afastamentos de turmas podem ser frequentes e que as famílias precisam estar preparadas para ficar com as crianças em casa em alguns períodos.

“Imagino que até as crianças serem vacinadas, precisaremos estar preparados para essas interrupções para garantir a segurança de todos. Infelizmente, percebemos que os afastamentos vão ter que ocorrer”, diz Ligia Mori, diretora do Gracinha, escola no Itaim Bibi, na zona oeste da capital.

 

Minas Gerais: trabalhadores da educação encerram greve sanitária após acordo
Estado de Minas; 19/08
https://bit.ly/3sCfFZs

Uma audiência de conciliação, nesta terça-feira (17/8) colocou fim na greve sanitária promovida pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) desde o dia 2 de agosto. O acordo definiu que as aulas presenciais voltarão na quinta (19/8) e que haverá reposição do conteúdo presencial em um prazo de 90 dias, a partir da data do retorno às atividades.

 


POLÍTICA EDUCACIONAL

De novo: ministro diz que há crianças com grau de deficiência em que ‘é impossível a convivência’ na escola
Estadão; 19/08
https://bit.ly/37ZTnaA

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse nesta quinta-feira, 19, que existem crianças com determinado grau de deficiência em que “é impossível a convivência em sala de aula” e defendeu o uso de salas especiais para esses alunos. A afirmação ocorreu após o titular da pasta dizer, em uma entrevista na semana passada, que estudantes com deficiência atrapalham os colegas de classe. As declarações de Ribeiro motivaram críticas e, ainda nesta quinta, ele se desculpou nas redes sociais.

 

‘Não há pessoas com deficiência, mas políticas deficientes’, diz ativista
Rede Brasil Atual; 19/08
https://bit.ly/2XKajQn

A afirmação do ministro da Educação Milton Ribeiro de que as crianças com deficiência devem ficar fora das escolas comuns, porque atrapalham o aprendizado dos alunos sem deficiência continua repercutindo negativamente.

Em entrevista nesta manhã à jornalista Marilu Cabañas, da Rádio Brasil Atual, a psicanalista, escritora e pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Ana Laura Prates afirmou não se tratar apenas de uma fala infeliz no ministro

“É claro que a fala nos magoa a todos, jovens, professores, estudantes. Mas não podemos ficar paralisados nessa mágoa. Vindo de quem vem, a gente sabe que se trata de uma coisa corriqueira nesse governo. Há uma política de exclusão em todos os campos”, disse Ana Laura, que fala também como mãe de filho com deficiência. Na sua avaliação, no entanto, a deficiência em si não existe, não existem pessoas com deficiência. Existe apenas na limitação do que o Estado e a sociedade oferecem em termos de acessibilidade”, disse, lembrando que há diversos recursos tecnológicos desenvolvidos para suprir limitações.

 

Quais os impactos que o homeschooling representa para a Educação Inclusiva?
Nova Escola; 19/08
https://bit.ly/3y318XQ

Especialistas e educadores apontam que a aprovação da Educação Domiciliar abre espaço para retrocessos na luta pela inclusão de crianças e adolescentes com deficiência, na contramão das conquistas recentes da Educação Inclusiva.

“O ensino domiciliar não está à serviço de um projeto inclusivo. É tempo de legitimar a escola como sendo uma força necessária na construção de uma sociedade mais inclusiva, acessível e justa para todos e todas”, defende Eliane de Souza Ramos, assessora de Educação Inclusiva na Secretaria Municipal de Educação de Amparo (SP) e pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Inclusão da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (NEPI/UFMS).

 

Congresso vê risco de cortes na Educação em ano eleitoral
Terra; 19/08
https://bit.ly/3moPPHj

O Congresso identificou um risco de o governo reduzir ainda mais os recursos para a Educação em 2022, ano eleitoral, e diminuir as verbas destinadas às universidades e institutos federais. Uma das preocupações é que os institutos fiquem simplesmente paralisados em razão da falta de repasses no período das eleições.

Considerando as despesas discricionárias, ou seja, aquelas sob controle da pasta e destinadas à manutenção dos serviços e a investimentos, o Orçamento do Ministério da Educação caiu nos últimos anos, diminuindo de R$ 29 bilhões no primeiro ano do governo Bolsonaro para R$ 19 bilhões em 2021, em valores atualizados pela inflação. A queda foi de 18% entre 2019 e 2020 e de 17% entre 2020 e 2021, reduzindo os repasses finais para os órgãos controlados pela pasta, incluindo as universidades e institutos federais.

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Arco Educação reverte lucro e registra prejuízo no 2º trimestre
Valor Econômico; 18/08
https://glo.bo/3kerIbx

A Arco Educação (COC, Dom Bosco) teve prejuízo de R$ 20 milhões no segundo trimestre deste ano, revertendo o lucro de R$ 16,3 milhões registrado no mesmo período de 2020. No critério ajustado, o resultado trimestral ficou positivo em R$ 36,4 milhões.

A receita da companhia cresceu 9,1% no comparativo trimestral, para R$ 256 milhões. A empresa afirma, em seu relatório de resultados, que os números refletem os desafios impostos pela covid-19.

O lucro bruto foi de R$ 188,2 milhões, 1,8% abaixo do registrado no segundo trimestre de 2020, enquanto o Ebitda ajustado somou R$ 72,3 milhões entre abril e junho, queda de 28% no comparativo trimestral.

A geração de caixa operacional no último trimestre somou R$ 103,1 milhões. Os papéis da companhia na Nasdaq terminaram o dia em alta de 2,38%, cotados a US$ 26,27.

 

 

CORONAVÍRUS

Fiocruz alerta: número de casos de covid-19 no Brasil volta a crescer, mas Dória ‘decreta’ fim da pandemia
Rede Brasil Atual; 19/08
https://bit.ly/3sG2I0z

O movimento da pandemia foi alvo de um alerta da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), emitido na noite de ontem. A entidade aponta para possível retomada do crescimento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), provocada pela covid-19. “Isso evidencia a necessidade de manutenção de medidas de mitigação da transmissão e proteção à vida”, destaca o pesquisador Marcelo Gomes, coordenador do boletim InfoGripe, publicação que que monitora a propagação de vírus respiratórios no Brasil.

Gomes faz coro ao conjunto de cientistas que critica o abandono de medidas de contenção do vírus em todo o país.

Em São Paulo, por exemplo, o governador João Doria (PSDB) “decretou” o fim da quarentena e a suspensão de todas as medidas de restrição do comércio e serviços. A medida foi amplamente criticada por especialistas, inclusive integrantes do próprio governo, o que levou o político a desfazer o Centro de Contingência da Covid-19. “Doria faz um cálculo político e não sanitário”, disse o pesquisador da Fiocruz Jesem Orellana à RBA.

 

Vacina já: variante delta acaba com possibilidade de imunidade de rebanho
Rede Brasil Atual; 19/08
https://bit.ly/3D4cFcX

“A chegada da delta foi realmente uma virada de jogo.” A afirmação é do virologista Jeroen van der Hilst, professor de imunopatologia da Universidade de Hasselt (Bélgica). Isso porque a nova variante do vírus Sars-Cov-2 é muito mais contagiosa. O vírus original passava de um infectado para duas ou três pessoas. A variante delta é capaz de passar de uma pessoa para cerca de seis ou sete. A única saída, avisam os cientistas com base em estudos feitos até agora, é a vacinação de todos.

Diante da alta taxa de contágio da variante delta, para atingir a imunidade de rebanho seriam necessárias 85% de pessoas protegidas. E isso, alertam os cientistas, somente se a vacina ou a recuperação de um caso de covid-19 prevenissem completamente as infecções, o que não ocorre, informa reportagem do UOL.

 

 

 

 

Vídeo: por que a educação inclusiva é melhor que a segregação?
Nexo; 17/08
https://bit.ly/3kdfyzp
Vídeo: https://youtu.be/q-n_yb2-Rs0

Neste vídeo, o pesquisador Rodrigo Hübner Mendes explica por que a educação inclusiva é melhor que a segregação. Em escolas especiais, “a falta de interação com o resto do mundo, de estímulos e desafios” transforma alunos com deficiência em adultos “totalmente dependentes de suas famílias ou de serviços de assistência social”, segundo ele.

“É como se o destino já fosse traçado antes da largada da nossa corrida na vida.” Mendes é pesquisador convidado do CPTE (Centro de Pesquisa Transdisciplinar em Educação) do Instituto Unibanco, um dos parceiros do Nexo Políticas Públicas.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio