Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 25 de setembro de 2022

19 de março de 2019

19/03

‘Reforma’ da Previdência joga ônus da crise nos trabalhadores | Professor da USP propõe taxar fortunas em vez de reformar Previdência | Por que só os bancos ganham com a PEC da Previdência | Calculadora do Dieese mostra o que sua aposentadoria perde com a reforma | 22 de março: Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência | Lava Jato da Educação ainda é protocolo de intenções | Deputado do PSL propõe criação de secretaria de ‘desesquerdização’ | Ensino Superior: seu reajuste e sua assistência médica | As medidas adotadas nos EUA para combater massacres em escolas | E mais.

Educação Básica:
assembleias no sábado, em todo o Estado.


Neste sábado, dia 23, discutir e deliberar a proposta patronal e decidir o rumo da nossa mobilização nesta Campanha Salarial 2019: nossa união é o que conta para a defesa do que já conquistamos na Convenção Coletiva e para blindar nossos direitos contra os avanços da reforma trabalhista. Confira os horários aqui: https://bit.ly/2sVoIq4.

 

 

E, até lá, nosso roteiro de mobilização é este:

Hoje, 19 de março: nova rodada de negociação;
Quinta, 21 de março, às 13 horas: proposta de ato na porta do sindicato patronal, durante reunião dos donos de escolas. R. Benedito Fernandes, 107 – Santo Amaro, próximo à estação Largo 13 (linha Lilás) do Metro;
Sexta, 22 de março, 17 horas: todos ao ato nacional contra a proposta ‘reforma’ da Previdência. Veja a programação na sua cidade. Em São Paulo, concentração na Avenida Paulista, junto ao Masp;
Sábado, 23 de março: assembleia da Educação Básica, em todo o Estado.

 

 

‘Reforma’ da Previdência joga ônus da crise nos trabalhadores
Rede Brasil Atual; 18/03
http://bit.ly/2YgwglY

As centrais sindicais convocam para esta sexta-feira (22) uma mobilização por todo o país contra a “reforma” da Previdência, proposta pelo governo de Jair Bolsonaro. A manifestação vem como reposta à ofensiva ensaiada pelo governo federal, que já faz articulações com empresários, jornalistas, integrantes do sistema financeiro e políticos para pregar o discurso de que sem a “reforma” da Previdência, o país não cresce. “O projeto do governo é promover um desmonte da seguridade social, penalizando aqueles que mais necessitam”, contesta o presidente da CTB, Adilson Araújo.

 

Professor da USP propõe taxar fortunas
em vez de reformar Previdência

Blog da Cidadania; 2018
http://bit.ly/2FgVAPS

Há uma saída que deveria ser tentada, pois pode trazer efeitos já em 2019. É uma mudança na forma de tributação das famílias muito ricas –que, para passar a valer ano que vem, precisa ser aprovada ainda este ano, conforme reza a Constituição brasileira. Todos sabem que temos uma das piores distribuições de renda do mundo. Por que não fazermos algo para atenuar essa situação?

 

Pesquisadora do Dieese explica
por que só os bancos ganham com a PEC da Previdência

Instituto Humanitas Unisinos; 26/02
http://bit.ly/2Y6ATyY

A coordenadora de pesquisas do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Patrícia Pelatieri, analisou todos os pontos da Proposta de Emenda Constitucional nº 6/2019, do governo Jair Bolsonaro (PSL), que altera o sistema previdenciário brasileiro. A elaboração da proposta foi supervisionada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, defensor da política neoliberal e favorável à atuação dos bancos e empresas privadas com a menor regulamentação estatal possível. Pelatieri considera que a proposta de Guedes e Bolsonaro representa uma mudança muito mais radical que a reforma discutida no governo Michel Temer (MDB) – que já era vista com bons olhos pelo mercado financeiro.


As ameaças que a reforma da Previdência
representa às aposentadorias

Sinpro SP; 18/03
http://bit.ly/2Joku5E

Em entrevista ao SinproSP, Victor Pagani, supervisor técnico do Dieese, fala sobre os principais pontos da proposta de reforma da Previdência e as ameaças que ela representa à aposentadoria das trabalhadoras e dos trabalhadores. Pagani veio ao Sindicato em 15 de março para discutir a perversidade do projeto de emenda constitucional encaminhado ao Congresso pelo governo Bolsonaro.

 

Pouca gente quer falar de reforma
Jornal do Campus; 17/03
http://bit.ly/2OeF5b7

No último dia 20, o presidente Jair Bolsonaro entregou ao Congresso a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do sistema previdenciário. O novo texto pretende modificar regras de aposentadoria, atingindo milhões de pessoas, entre elas as que trabalham, convivem e estudam na USP, onde não é fácil – ao contrário do que poderia parecer – encontrar alguém à vontade para conversar sobre o assunto.

 

Calculadora do Dieese mostra
o que sua aposentadoria perde com a reforma

Agência Sindical; 18/03
http://bit.ly/2TgHdQP

Com o objetivo de alertar sobre as perdas que cada trabalhador poderá ter, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) lançou a Calculadora da Aposentadoria. Através dela é possível comparar como fica sua aposentadoria pelas regras atuais e caso a PEC 6/2019 seja aprovada. A economista Patrícia Pelatieri, coordenadora de pesquisas do Dieese, explica que a calculadora é uma ferramenta importante para esclarecer os trabalhadores. “Com ela, é possível saber quanto tempo a mais será necessário trabalhar para se aposentar com valor integral, ou para atingir a idade mínima”, explica.

 

Palestra discute as perspectivas da
Reforma da Previdência para professores

Sinpro Campinas; 19/03
http://bit.ly/2WbPxDg

A “Reforma da Previdência e o nosso futuro: uma análise para subsidiar professores/as e jovens profissionais” é o tema da próxima palestra organizada pela Apropucc em parceria com o Centro de Nacional de Estudos Sindicais e do Trabalho. Será sexta-feira (29), das 19h20 às 22. no Auditório Cardeal Agnelo Rossi, no Campus I da PUC-Campinas. O palestrante é o advogado trabalhista, professor e assessor jurídico de várias entidades sindicais, José Geraldo Santana. A Reforma da Previdência que está por vir pretende alterar todo o sistema previdenciário brasileiro, fazendo modificações para pior até mesmo na aposentadoria do/a professor/


22 de março: Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência
http://bit.ly/2FmlLpR

 

 

Mensalidade da pré-escola aumenta o dobro 
que a da pós-graduação 
UOL; 19/03
http://bit.ly/2CrMCi2

Ficou muito mais caro educar uma criança do que um jovem profissional no Brasil. Em dez anos, o custo da educação infantil subiu o dobro do que se gasta com pós-gradução. Entre fevereiro de 2009 e fevereiro de 2019, a educação infantil ficou 149% mais cara, enquanto a pós-gradução subiu 71% em média. É o que mostra um levantamento feito pelo UOL com base nos dados oficiais de inflação (IPCA) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Nos últimos dez anos, as mensalidades médias da educação particular, considerando todos os níveis, mais que dobraram, com uma alta acumulada de 112,47%, bastante acima da inflação no mesmo período, que foi de 76,05%.

 

 

Ensino Superior: seu reajuste e sua assistência médica
Fepesp; 15/03
http://bit.ly/2UJxfc9

Em comunicados conjuntos assinados e distribuídos nesta sexta-feira, 15/03, ficou estabelecido o reajuste salarial de 2019 para professores e auxiliares no Ensino Superior nas instituições privadas de ensino no Estado de São Paulo.

 

Com nome de operação, 
Lava Jato da Educação ainda é protocolo de intenções
Folha de S. Paulo; 18/03
http://bit.ly/2HGWfgv

Anunciada há pouco mais de um mês pelo Ministério da Educação, com nome de operação e a presença do ministro da Justiça, Sergio Moro, a chamada Lava Jato da Educação ainda não contempla de fato uma investigação. A iniciativa surgiu para padronizar e tornar mais claros os processos de resposta a questionamentos dos órgãos de controle, inicialmente os já feitos em anos anteriores, sobre irregularidades na pasta. Os resultados ainda devem demorar a aparecer.

 

 

Tragédias em escolas: como recomeçar depois de tanta dor
Nova Escola; 13/03
http://bit.ly/2CsYFvB

A experiência mostra que o processo de recuperação após eventos traumáticos, como o massacre na escola estadual de Suzano (SP), requer tempo e acompanhamento especializado. Em busca de respostas, NOVA ESCOLA buscou estudos e reuniu uma série de conteúdos de seu acervo a respeito do assunto. Você encontrará alguns caminhos que as experiências nacionais e internacionais sugerem, e que podem ser adotados pelas autoridades daqui para frente.

 

As medidas adotadas nos EUA para combater massacres em escolas
Folha de S. Paulo; 18/03
http://bit.ly/2Y6uMdW

Autoridades e especialistas norte-americanos enfrentam há décadas o desafio de tentar impedir massacres como o ocorrido semana passada na escola Raul Brasil, em Suzano (SP). A tragédia paulista deixou dez mortos (entre eles os dois atiradores) e 11 feridos. Em 1966, por exemplo, um estudante da Universidade do Texas matou 18 pessoas antes de ser baleado pela polícia. Mas o que os EUA estão fazendo hoje para tentar evitar este tipo de ataque?

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio