6 de dezembro de 2018| , , ,

Aluno de rede privada vai melhor em vestibular / Aprovaram novo currículo do ensino médio / No Brasil, quem tem diploma ganha duas vezes mais / Servidores municipais realizam ato contra reforma da Previdência / Mourão quer carteira de trabalho sem encargos previdenciários / Ato marca 70 anos da declaração dos direitos humanos

CAMPANHA SALARIAL 2019: 

O COMENTÁRIO DA PRIMEIRA RODADA DE NEGOCIAÇÕES
Negociação com Sesi/Senai abre rodada de negociações. Cláusulas do acordo atual garantidas, mas ainda falta muito para blindar Acordo contra reformas. Leia sobre as primeiras tratativas e os comentários de Celso Napolitano aqui: http://bit.ly/2BUciV2

 

 

Aluno da rede privada tem o dobro de chance de entrar na Faculdade
(Valor Econômico; 06/12)
http://encurtador.com.br/xyDOW

Os estudantes que completaram o ensino médio em escolas particulares têm 1,2 vez mais chances de ingressar em uma faculdade do que os alunos da rede pública de ensino, mostram estatísticas da Síntese de Indicadores Sociais, divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Conforme a pesquisa, que faz um cruzamento de diversos indicadores divulgados pelo órgão ao longo do ano, apenas 43,2% da população com ensino médio completo entrou no ensino superior em 2017. Dos que completaram o ensino médio na rede privada, 79,2% ingressaram na faculdade. Na rede pública, o percentual cai para 35,9%.

 

Novo currículo do ensino médio é aprovado e
aguarda homologação de ministério
(Folha de S.Paulo; 04/12)
http://bit.ly/2Qzxbgg

Mesmo considerada ainda limitada, a versão final da Base Nacional Comum Curricular do ensino médio foi aprovada nesta terça-feira (4) pelo CNE (Conselho Nacional de Educação). O Ministério da Educação precisa homologar o texto, que nem foi divulgado.

A homologação deve ocorrer dia 14. O prazo de implementação da base será de dois anos. Isso depende também das redes estaduais e escolas privadas.

 

O atraso na Educação! 
(Sinpro ABC; 06/12)
http://bit.ly/2rwjkJD

A proposta de educação a distância para o ensino fundamental, do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), vai na contramão dos melhores sistemas de ensino do mundo, Segundo especialistas, nenhum país que se destaca na prática dos melhores práticas educacionais, aplica o EaD desde o início da vida escolar do aluno.

De acordo com informações da Confederação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee), a implantação do Ensino à Distância desde o Ensino fundamental como forma de combater o marxismo nas escolas, será extremamente prejudicial às famílias mais vulneráveis e pobres, pois a grande maioria não tem acesso à internet, não possui computadores e depende da merenda escolar para alimentar seus filhos.

 

Artigo | Educação pública, estatal, laica e gratuita: sim!
(Folha de S.Paulo; 06/12)
http://bit.ly/2RFs3o4

Por Otaviano Helene: Neste momento, o liberalismo e os projetos privatistas ligados à educação voltam com toda a força. Para legitimá-los, velhos mitos são repetidos. Assim, é necessário explicitar alguns fatos para que as consequências de decisões que venham a ser tomadas sejam adequadamente avaliadas. Vamos resumir alguns deles.

 

Artigo | Governo e partido sem escola
(Folha de S.Paulo; 06/12)
http://bit.ly/2UhKLUu

Por Vinicius Torres Freire: Quase um terço dos jovens brasileiros de 15 a 17 anos não cursa o ensino médio na idade adequada —estão “atrasados”, diz a Síntese de Indicadores Sociais do IBGE, divulgada nesta quarta-feira (5).

É muito. É pior se o adolescente não tem dinheiro. No quinto mais pobre da população, a taxa de atraso passa de 45%. No quinto mais rico, é de menos de 10%. No país em que os futuros governantes dizem sandices de gente típica de partidos sem escola, convém ressaltar essas estatísticas.

 

 

Bolsonaro testará limites do sistema político brasileiro, afirmam professores
(Folha de S.Paulo; 06/12)
http://bit.ly/2Eh2yX0

O governo Bolsonaro vai testar os limites do presidencialismo de coalizão no Brasil. Essa é uma das poucas afirmações que podemos fazer, por ora, a respeito da futura administração, disseram pesquisadores em debate promovido pelo Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento) e pela Folha.

Os professores Cláudio Couto, do Departamento de Gestão Pública da Fundação Getulio Vargas de São Paulo, e Andréa Freitas, do Departamento de Ciência Política da Unicamp, analisaram na manhã desta quarta-feira (5) as perspectivas do país após as eleições. A mediação foi do jornalista Fábio Zanini, editor do caderno “Poder”, da Folha.

 

No Brasil, quem tem diploma ganha mais
que o dobro do trabalhador com ensino médio
(O Globo; 05/12)
https://glo.bo/2QEuKcj

O Brasil é o país onde cursar o ensino superior aumenta mais as chances de empregabilidade e de ter salário maior. É o que mostra comparação feita pelo IBGE de dados brasileiros com os das nações que integram a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Enquanto uma pessoa com o diploma universitário no Brasil ganha 2,5 vezes mais do que alguém com ensino médio, a média na OCDE, para um conjunto de 46 países (36 membros + 10 afiliados), era de 1,6 vezes mais. Os dados são do relatório Um Olhar sobre a Educação, do organismo internacional, e integram a Síntese de Indicadores Sociais 2018, divulgada nesta quarta-feira pelo IBGE.

 

 

Servidores municipais realizam ato contra
reforma da Previdência em São Paulo
(Rede Brasil Atual; 05/12)
http://bit.ly/2UkFcoj

Servidores municipais de São Paulo realizaram na tarde desta quarta-feira (5), em frente à Câmara, uma manifestação contra o Projeto de Lei 621/2016, que pretende alterar a aposentadoria dos trabalhadores e diminuir salários. Chamada de “PL do confisco”, a proposta pretende criar uma previdência complementar e aumentar a alíquota de contribuição dos atuais 11% para 14% do salário, entre outras mudanças.

 

Mourão defende nova carteira de trabalho sem encargos previdenciários
(Valor Econômico; 05/12)
http://bit.ly/2rlHwhz

Promessa de campanha do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), a criação de uma nova carteira de trabalho – pela qual o empregador não recolheria encargos previdenciários – é considera como a “grande ideia” da futura gestão para destravar o mercado de trabalho, disse nesta quarta-feira (5) o vice-presidente eleito, o general Hamilton Mourão (PRTB).

Esse modelo de contratação foi apelidado pelo grupo do presidente eleito como “carteira de trabalho verde amarela” e foi fortemente criticado por opositores de Bolsonaro, como uma medida de redução de direitos. “Essa é a grande ideia, a grande tônica”, disse Mourão hoje, durante palestra para empresários e executivos em Belo Horizonte.

 

Impactos da extinção do Ministério do Trabalho
(Estadão; 06/12)
http://bit.ly/2SvGVFK

O Ministério do Trabalho tem um papel fundamental, previsto na Constituição Federal, de garantidor dos direitos sociais fundamentais, dos quais se destaca o trabalho. Portanto, sua extinção afronta a Carta Magna brasileira, que assegura a empregados e empregadores a participação em colegiados dos órgãos públicos para debater e deliberar sobre temas de seu interesse. À medida que as atribuições do Ministério do Trabalho se fragmentarem, poderemos assistir ao colapso de um conjunto de saberes técnicos sobre o trabalho e o emprego no Brasil, que regulam o equilíbrio entre empregados e empregadores, com possíveis repercussões para a segurança jurídica do país.

 

 

 

Ato inter-religioso marca 70 anos da declaração dos direitos humanos
(Agência Sindical; 06/12)
http://bit.ly/2Po8n67

A Frente Inter-religiosa por Justiça e Paz, que tem Dom Paulo Evaristo Arns como patrono, realiza na próxima segunda (10) um ato para celebrar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH). O evento ocorre na Catedral da Sé, Centro de São Paulo, das 15 às 16 horas.

O ato será celebrado em conjunto por vários líderes religiosos. Entre eles, o Arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer; o Sheikh Mohamad Al Bukai, da União Nacional das Entidades Islâmicas do Brasil; o Pastor Ariovaldo Ramos, da Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito; a Iyalorixá Adriana Toledo, o Rabino Alexandre Leone, o monge budista Ryozan Sensei, além de líderes ortodoxos e indígenas.

 

Conferência Internacional em Defesa da Democracia
e por Lula Livre em São Paulo
(Blog do Esmael; 28/11)
http://bit.ly/2G2EwRg

Convocada por partidos políticos de diversos continentes, personalidades de projeção internacional e movimentos sociais vai acontecer no dia 10 de dezembro, em São Paulo, a Conferência Internacional em Defesa da Democracia. A data irá celebrar 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio