Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 21 de maio de 2022

14 de novembro de 2018

Escola sem Partido é mais uma vez adiado / Apoiadores do ESP tumultuam audiência contra censura / Bolsonaro recua sobre Ensino Superior / Assembleia Orçamentária do Sinpro Santos / Censo 2020 ameaçado

SINDICATOS REAFIRMAM
DEFESA DA LIBERDADE DE ENSINO
E UNIDADE DE AÇÃO

Reunião do Conselho de Sindicatos da Fepesp discutiu nossa estrutura federativa e reafirmou princípios de luta.

Veja mais aqui: http://fepesp.org.br/geral/noticias/ix-consind-fepesp-carta-de-praia-grande

 

 

 

 

 

 


Escola sem Partido é adiado de novo na Câmara
após 6 meses de análise e embates
(Folha de S.Paulo; 13/11)
http://bit.ly/2PZkyuz

Após mais de três horas de embates, a comissão especial da Câmara dos Deputados que discute o projeto Escola sem Partido adiou nesta terça-feira (13), novamente, a votação do seu relatório.

A próxima sessão deve ocorrer na semana que vem. Já são seis meses de tentativa de análise da proposta, uma das mais polêmicas em tramitação no Congresso.

 

Apoiadores do Escola Sem Partido tumultuam
Audiência Pública de Carlos Gianazzi
(Jornalistas Livres; 13/11)
http://bit.ly/2qIB1VK

Apoiadores do Projeto da Escola Sem Partido (Escola com Mordaça) junto com o deputado estadual recém eleito pelo PSL, Douglas Garcia, criador do movimento Direita SP e do bloco Porão do Dops tumultuam Audiência Pública que discute a questão.

A iniciativa da realização da audiência é do deputado estadual, Carlos Gianazzi (PSOL-SP).

 

Artigo | Os liberais cúmplices da criminalização da educação
(Jornal GGN; 13/11)
http://bit.ly/2TePTrM

Por Luis Felipe Miguel: Tentando se equilibrar na posição de “liberal esclarecido”, Joel Pinheiro da Fonseca tem que se colocar contra o famigerado Escola Sem Partido (sic). Mas não consegue abrir mão do discurso de que existe “um viés ideológico na educação brasileira”. E continua: “Quem nunca teve um professor de esquerda?”

Essa abertura já denuncia a falácia que funda seu pensamento. Por que ele não pergunta quem teve um professor de direita? Porque o que conta como “viés ideológico” é só a reflexão crítica sobre a realidade. A naturalização do mundo social tal como ele é e a aceitação da ideologia dominante como não-ideológica aparecem, então, como a própria “neutralidade”. Fonseca e o Escola Sem Partido (sic) partem da mesma posição.

 

 

Em novo recuo, Bolsonaro deve manter ensino superior no Ministério da Educação
(Folha de S.Paulo; 13/11)
http://bit.ly/2FnRiJU

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou nesta terça-feira (13) que ensino superior deve ficar subordinado ao Ministério da Educação, como é hoje.

“A princípio vai ser mantido no Ministério da Educação mesmo”, disse Bolsonaro ao chegar para uma visita no TST (Tribunal Superior do Trabalho).

Trata-se de novo recuo em relação à estrutura ministerial do futuro governo. Os planos iniciais eram de transferir a gestão do ensino superior para a pasta de Ciência e Tecnologia, que será comandada pelo astronauta Marcos Pontes.

 

Cobrar mensalidade em universidade federal não é saída para educação
(Vermelho.org; 12/11)
http://bit.ly/2DlwBvm

Um estudo publicado pela Câmara dos Deputados concluiu, porém, que essas medidas não solucionam os gargalos da educação no país. A análise foi feita pela Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira da Câmara, cujas publicações têm por objetivo informar os deputados federais sobre temas específicos.

A proposta de acabar com a gratuidade das universidades públicas para os estudantes que podem pagar pelo ensino foi apresentada pelo futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, em entrevistas durante a campanha eleitoral. Para levar adiante a ideia, seria necessária uma mudança na Constituição, o que depende de apoio elevado na Câmara e no Senado.

 

 

 

Sinpro Santos: Assembleia Previsão Orçamentária 2019
(Sinpro SP; 12/11)
http://bit.ly/2DD9Jsi

Na quarta-feira, dia 21/11, a pauta da assembleia será a previsão orçamentária de 2019. Os professores irão fazer a leitura, discussão e a deliberação da sustentação financeiro do próximo ano.

Ocorrerá às 14h30, na sede do Sindicato: Avenida Ana Costa, 145 – Santos/SP.

 

Mais uma vez, votação do Escola Sem Partido é adiada
(Sinpro SP; 14/11)
http://bit.ly/2DFVseH

Os aguerridos deputados contrários ao Escola Sem Partido conseguiram, pela terceira semana, barrar a votação do projeto de lei que institui a censura e a perseguição ideológica contra professores, alunos, materiais e livros didáticos. A Comissão Especial reuniu-se na manhã de terça-feira (13) e chegou a ser suspensa antes de ser definitivamente encerrada, sem votação.

A oposição conseguiu obstruir a votação revezando-se em questões de ordem. Os deputados Érika Kokai (PT/DF) e Glauber Rocha (PSol/RJ) propuseram que os projetos de lei só viesses a ser discutidos depois de o Supremo Tribunal manifestar-se sobre a constitucionalidade da Lei 7.800/2016, aprovada e sancionada pela Assembleia Legislativa de Alagoas.O julgamento foi marcado para 28/11. A Ação Direta de Inconstitucionalidade foi ajuizada pela Contee, entidade nacional que reúne sindicatos e federações dos trabalhadores na educação privada em todo o país.

 

Advogado do Sinpro orienta Professores sobre perseguição ideológica
(Sinpro Campinas; 14/11)
http://bit.ly/2zR47qe

O Sinpro Campinas e região realizou no último sábado, dia 10, a roda de conversa para tratar sobre violência e perseguição ideológica aos professores, resultante da atual conjuntura política e ameaça do projeto “Escola sem Partido”.

Participaram do evento diretores do Sinpro, o advogado trabalhista, Dr. Alexandre Palhares e mais de 40 professores de diversos segmentos (Educação Básica, Superior, Sistema S, Rede Municipal e Estadual).

 

 

 

Sem verba e contratação, IBGE volta a dizer que Censo de 2020 está ameaçado
(UOL Educação; 12/11)
http://bit.ly/2zQTbca

A realização do Censo Demográfico de 2020 está ameaçada, caso não sejam aprovados um concurso público de reposição do quadro de servidores do instituto e as emendas ao orçamento ainda pendentes de votação no Congresso, declarou nesta segunda-feira (12) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Conforme antecipou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) em 17 de agosto, a equipe econômica do atual governo defendia um censo mais enxuto, por conta de restrições orçamentárias.

 

Silvio Santos e a educação sexual da Era Bolsonaro
(Folha de S.Paulo; 13/11)
http://bit.ly/2TbEM35

O despudor com que Silvio Santos assediou a cantora Claudia Leitte no palco de um programa de cunho social, diante de sua mulher e de uma de suas filhas, extrapola o debate sobre o politicamente correto.

Para quem não viu: Santos disse que ficaria “excitado” se abraçasse a artista baiana, e, mesmo depois de Leitte avisar que seu marido ficaria “chateado”, o apresentador octogenário disse que vê-la “assim” dava “vontade de sair da poltrona, tomar umas cervejas e procurar um conforto”.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio