Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de setembro de 2021

30 de julho de 2021

30/07 – máscaras mal utilizadas nas escolas, arroubos autoritários em colégio militar, o incêndio no depósito da Cinemateca, e mais: Bolsonaro admite não ter prova de fraudes em eleições

.


Volta às aulas: máscaras mal utilizadas podem elevar em 1000% os casos de covid-19

Jornal da USP; 29/07
https://bit.ly/3i96D2mJá máscaras utilizadas corretamente e professores com PFF2 podem reduzir o crescimento relativo dos casos a 40%, estima modelo matemático.Com a iminência do retorno às aulas presenciais, pesquisadores desenvolveram um  modelo matemático que estima o aumento de casos da covid-19 na comunidade escolar com a reabertura das escolas, simulando cenários com diferentes protocolos de segurança. A ideia é que o retorno às aulas presenciais sempre vai trazer alguma elevação no número de casos entre as pessoas que frequentam a escola e seus contatos, mas que essa elevação pode ser muito grande, ou mínima, dependendo das medidas adotadas.


Por exemplo, esse risco pode ser 1.141% maior caso as máscaras sejam mal utilizadas. Se bem utilizadas, mas sem outras medidas, o aumento da chance de contágio é de 575%.

Somado ao uso correto de máscaras pelos alunos, e se os professores utilizarem máscaras do tipo PFF2, o risco despenca para 40%, o que indica a importância do uso correto, de máscaras eficientes e o papel determinante dos professores na transmissão viral.

 

Queda na renda e aulas remotas levam pais a tirar filhos de escolas particulares
Folha de S. Paulo; 29/07
https://bit.ly/2TNlSVo

A proporção de pais com filhos matriculados na rede particular em São Paulo caiu nove pontos percentuais de 2020 para 2021, de acordo com pesquisa Datafolha —de 22% para 13% dos entrevistados. O empobrecimento das famílias depois de praticamente um ano e meio de pandemia é o principal motivo por trás da mudança.

Foi o que aconteceu com Keila Regina Galera, 44, professora de educação infantil de Mauá e moradora de Santo André, ambas cidades da Grande São Paulo.

Funcionária pública, ela manteve seu rendimento, mas o marido, Fabiano, 41, perueiro, viu seus ganhos desaparecerem com o fechamento das escolas. “Ele conseguia mais ou menos R$ 10 mil (cerca de 80% da renda da casa) por mês e isso zerou. Aí foi ser Uber, entregador, e o salário caiu para R$ 1.000, mil e pouco por mês”, afirma.


Ribeirão Preto: prefeitura admite 2º semestre com aulas remotas
A Cidade ON; 28/07
https://bit.ly/2Wr3K4r

A secretaria da Educação de Ribeirão Preto publicou resolução no Diário Oficial do Município da última quarta-feira (28) que regulamenta o retorno das aulas no segundo semestre nas escolas da rede municipal na forma remota, como ocorre desde o início da pandemia do novo coronavírus (covid-19). A resolução prevê a manutenção do sistema enquanto estiver em vigor as restrições.

A resolução normatiza as aulas no segundo semestre, já que o município ainda aguarda a decisão da Justiça do Trabalho sobre o tema.

 

MG: trabalhadores da educação anunciam greve sanitária a partir de segunda
Estado de Minas; 29/07
https://bit.ly/3zQ2k1V

O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) realizou novo conselho geral com a categoria, na manhã desta quarta-feira (28/7), e decidiu entrar em greve sanitária por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira (2/8).

O sindicato destaca que a greve será realizada nas regiões onde houver a convocação presencial, mas o ensino remoto continuará a ser prestado aos estudantes. “A Rede Estadual de Minas não apresenta segurança sanitária nas escolas para um retorno presencial, o processo de vacinação no Estado não garantiu a imunização completa com a segunda dose na categoria e as crianças e adolescentes sequer têm um cronograma de vacinação. Essa greve sanitária se faz necessária para defender a vida da categoria, dos estudantes e das comunidades escolares”, disse a coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, professora Denise Romano.

 

Justiça federal critica ‘arroubos autoritários’ de colégio militar de MG que descumpriu decisão sobre pandemia
Folha de S. Paulo; 29/07
https://bit.ly/3rVha4F

Em uma decisão com broncas e citando a ditadura e o holocausto, a Justiça Federal em Minas Gerais mandou abrir investigação contra o comando do Colégio Militar de Belo Horizonte, administrado pelo Exército, por descumprimento de medida judicial relativa à pandemia da Covid-19.

O Sindsep (Sindicato dos Trabalhadores Ativos, Aposentados e Pensionistas do Serviço Público Federal em Minas Gerais) obteve em setembro de 2020, em liminar, o direito de os professores civis do Colégio Militar lecionarem somente remotamente durante a pandemia. A decisão não envolveu docentes militares.

Mas a direção do colégio estava obrigando os professores civis a irem à instituição para desempenhar outras tarefas, como abrir portas das salas e trocar jalecos, conforme o escritório Aroeira Braga, Gusman Pereira, Carreira Alvim e Advogados Associados, que representa o sindicato.

 

CULTURA

Incêndio destrói parte do acervo da Cinemateca Brasileira
Estadão; 29/07
https://bit.ly/3fd6icY

Um incêndio destruiu parte do acervo de um galpão da Cinemateca Brasileira na Vila Leopoldina, na zona oeste de São Paulo, na noite desta quinta-feira, 28. Pelo menos três salas do 1º andar – duas de filmes históricos e uma de material impresso e documentos – foram consumidas pelo fogo. Segundo o Corpo dos Bombeiros, as chamas começaram durante manutenção de um ar-condicionado em uma sala da instituição, a mais antiga do tipo na área de cinema na América Latina. Não houve vítimas e as chamas já foram controladas. O governo federal disse que pediu à Polícia Federal para apurar o caso.

Nos últimos anos, artistas e funcionários da Cinemateca têm alertado para a precariedade da estrutura, falta de investimentos, e risco de incêndio. Ainda não há confirmação se o acervo queimado era formado por cópias ou por originais.

Incêndio na Cinemateca: ‘Perdemos 60 anos de história’, afirma especialista
Estadão; 29/07
https://bit.ly/3xesiKH

Ex-diretor da Cinemateca Brasileira e ex-secretário de Cultura de São Paulo, Carlos Augusto Calil, hoje presidente da Sociedade Amigos da Cinemateca, classificou o incêndio que atingiu o galpão da Cinemateca na Vila Leopoldina nesta quinta-feira, 29, como um “desastre” e lembrou que este foi o 5º incêndio sofrido pela instituição – o primeiro ocorreu em 1957. “O que se perdeu agora no depósito foi o que havia sobrevivido à inundação de fevereiro de 2020. O que a água começou o fogo terminou”, disse. “Perdemos 60 anos de história, toda a memória da política pública de apoio ao cinema”.

Calil não acredita que o incêndio tenha sido uma fatalidade. “Assim como no Museu Nacional, isso não foi uma fatalidade. O abandono das instituições públicas brasileiras de memória é um assunto escandaloso”, disse. E alertou que ainda há muito com o que se preocupar – inclusive no que diz respeito ao prédio principal da Cinemateca, na Vila Clementino, onde está o acervo inflamável.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

É hora de debater a melhora do ensino profissionalizante
Valor Econômico; 29/07
https://glo.bo/3BVo1PT

O número de jovens que não trabalham nem estudam, os chamados “nem-nem”, cresceu na pandemia, mais pela deterioração do mercado de trabalho para esse grupo do que por um aumento da evasão escolar. Segundo a pesquisa divulgada recentemente por Marcelo Neri, diretor do FGV Social, a porcentagem de pessoas de 15 a 29 anos que não estudam nem trabalham

trabalham aumentou para 25,52% no quarto trimestre de 2020, ante 23,66% no fim de 2019. Ao longo do ano passado, esse número bateu recorde, atingindo 29,33% no segundo trimestre. O ponto mais baixo da série, iniciada em 2012 a partir de microdados da Pnad Contínua, foi no primeiro trimestre de 2014, com 20,78%.

 

Corte de 30% “desmontaria” o Sistema S, afirma diretor
Valor Econômico; 29/07
https://glo.bo/3BPXKCy

O diretor-geral do Senai, que acumula também o cargo de diretor superintendente do Sesi, Rafael Lucchesi, disse ao Valor que, se o Sistema S perder 30% de seu orçamento, haverá um desmonte parcial da estrutura atual das entidades que representa, ou seja, fechamento de escolas e demissão de professores e cientistas.

Ele afirmou ainda que entende a necessidade de recursos do governo neste cenário de restrição fiscal e de alto nível do desemprego, principalmente entre os jovens, mas que não acha razoável tirar recursos do Sistema S para bancar programas temporários e mais semelhantes com transferência de renda.

 

CORONAVÍRUS  

‘Variante delta vai se espalhar, mas não aprendemos com os erros’, alerta epidemiologista
Rede Brasil Atual 29/07
https://bit.ly/2WsQhco

Brasil registrou 1.318 mortes por covid em 24 horas. Com apenas 23% da população imunizada e os anúncios de fim das medidas de distanciamento, cientistas temem novo avanço da pandemia com a variante delta.

“Nos Estados Unidos, a variante delta em junho representava 10% dos casos e havia cerca de 40% de vacinados com duas doses. No fim de julho, representa 90%. Seu crescimento seguiu uma curva exponencial. Em julho no Brasil, ela representa 20% dos casos e temos cerca de 20% de vacinados. É só uma questão de tempo”, alerta a epidemiologista da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) Ethel Maciel.

 

 

 

 

Bolsonaro admite não ter prova de fraudes em eleições. TSE rebate mentiras em tempo real
Rede Brasil Atual; 29/07
https://bit.ly/3BW6FCC

Com popularidade em queda e atrás nas pesquisas para 2022, presidente dobra aposta no enfrentamento às instituições. Ele acusou Luís Roberto Barroso (TSE), de querer impor a vitória de Lula em 2022.

Após quase três anos afirmando que fraudes impediram sua vitória ainda no primeiro turno das eleições de 2018, Jair Bolsonaro realizou nova live nas redes sociais nesta quinta-feira (29) com o anúncio de que apresentaria as provas das suas denúncias. No entanto, ele apenas repetiu teorias que circulam há anos na internet e que já foram desmentidas anteriormente para justificar sua defesa da mudança do atual sistema eleitoral brasileiro para o voto impresso, com uma proposta de emenda em discussão na Câmara.

Além disso, Bolsonaro mudou o discurso e finalmente admitiu que não pode comprovar se as eleições foram ou não fraudadas. “Não temos prova”, disse o presidente.


TSE rebate em série 18 alegações de Bolsonaro feitas sem prova contra urna eletrônica
Folha de S. Paulo; 30/07
https://bit.ly/3ffFp8e

Além de usar o Twitter para desmentir em tempo real os relatos contra o sistema eleitoral feitos pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a Secretaria de Comunicação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) compilou uma série de links e rebateu 18 alegações apresentadas pelo mandatário durante a live desta quinta-feira (29).

A lista divulgada traz questões que foram levantadas por Bolsonaro seguidas de textos publicados no portal do TSE nos últimos anos que comprovam serem falsos vídeos e boatos que circularam nas redes sociais questionando a segurança das eleições.

Em um dos links, o TSE responde a um dos vídeos transmitidos na live que buscava passar a mensagem de que é possível fraudar o código-fonte das urnas para computar o voto de um candidato para o outro candidato.

“Uma urna eletrônica real não é tão simples nem desprotegida como aquela apresentada no vídeo. Além disso, há meios de auditoria para se verificar se os softwares e firmwares executados na urna contêm algum mecanismo malicioso, como o exposto no vídeo. Há também todo um conjunto de procedimentos, que impede a recepção de resultados ilegítimos provenientes de eventuais equipamentos clonados ou gerados por softwares ilegítimos”, explicou o TSE.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio