Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 13 de agosto de 2022

29 de novembro de 2019

29/11 – alunos apoiam professores em greve no RS, youtubers dando aulas para milhões, máfia das creches em SP e mais

.

Alunos apoiam professores na maior greve da categoria no RS

Folha; 29/11
http://bit.ly/34xaugt

Os professores gaúchos, que deflagraram a maior greve da educação no Rio Grande do Sul dos últimos tempos, ganharam apoio de alunos e até de comerciantes. Estudantes, principalmente os adolescentes do ensino médio, estão aderindo aos protestos.

Livrarias, barbearias e até padarias estão pendurando cartazes de incentivo aos educadores. São 1.557 escolas em greve, de um total de 2.500. O governo diverge do número e diz que são 1.026. Mesmo com a diferença dos levantamentos, é a maior mobilização já registrada.


Professores youtubers, edutubers atraem 5 milhões
para aulas fora da escola
Estadão; 28/11
http://bit.ly/35LQpmS

Professores youtubers – já chamados de edutubers – fazem sucesso aproveitando-se justamente do que os jovens sentem falta na educação formal: agilidade, linguagem fácil e próxima dos adolescentes, estratégias para entreter o aluno. Os canais com vídeo aulas chegam a ter 5 milhões de visualizações por mês. Nas redes sociais, os professores são tratados como estrelas e têm até fã-clube.

YouTube x professor
Estadão; 18/10
http://bit.ly/2Dq796U

Por Renata Cafardo: É quase inacreditável, mas jovens já consideram o YouTube tão importante quanto o professor. A triste constatação – de uma pesquisa realizada pela multinacional Pearson no Brasil – indica que há pessoas acreditando que a educação formal não precisa ser feita por profissionais. Mostra também, mais uma vez, a desvalorização do docente, peça fundamental para o ensino de qualidade.

Com entrada grátis, Casa de Cultura recebe a primeira edição da Butantã Gibi Con
Guia Folha; 29/11
http://bit.ly/2LkrDCD

O evento se estende aos professores, que podem participar de uma formação sobre o uso de quadrinhos na educação

Máfia das creches em SP negociava ONGs a R$ 8.000, indica investigação
Folha de S. Paulo; 29/11
http://bit.ly/2R0hIWb

A máfia das creches criou uma indústria de ONGs de fachada com objetivo de gerir unidades terceirizadas, apontam investigações da Polícia Civil de São Paulo. Uma entidade com estatuto e documentação em dia pode custar a partir de R$ 8.000, segundo negociações interceptadas durante apuração. A policiais do 10º Distrito Policial (Penha), o Ministério Público e a CGM (Controladoria Geral do Município) investigam um esquema que envolve desvios de creches terceirizadas da Prefeitura de São Paulo.

Crise interna leva MEC a demitir coordenador de alfabetização
Estadão; 29/11
http://bit.ly/2XRr9c6

Coordenadores da equipe de alfabetização do Ministério da Educação (MEC) foram exonerados nos últimos dias, em meio a críticas sobre a inoperância da pasta. Um dos demitidos é o psicólogo e pesquisador Renan Sargiani, o principal defensor do método fônico para alfabetizar crianças e presidente da comissão de especialistas que deveria estruturar diretrizes para a área.

Relatório da Câmara mostra que MEC ignora
problemas educacionais do país
Rede Brasil Atual; 28/11
http://bit.ly/33ntI6M

Relatório elaborado pela Comissão Externa de Acompanhamento da Câmara dos Deputados apontou fragilidades no planejamento e gestão do Ministério da Educação (MEC). Na análise de Selma Rocha, professora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), um dos principais pontos do relatório é a constatação de que o núcleo de gestão do MEC, com todas as suas secretarias, não está voltado para o cumprimento do Plano Nacional de Educação.

 

Manifesto contra Escola Cívico-Militar será entregue ao MP
Blogue da Rose; 29/11
http://bit.ly/2qMXAwj

Um manifesto assinado por vereadores e pelo vereador Gustavo Petta (PCdoB) em defesa da escola pública, democrática, gratuita, laica, de gestão pública e de repúdio a instalação de escola cívico-militar em Campinas será entregue na sexta-feira (29/11), às 15h, ao Ministério Público. A cidade foi escolhida neste mês para receber o programa do governo federal. A Prefeitura de Campinas ainda não definiu qual escola será transformada em Escola-Cívico Militar.

No documento, os educadores dizem que “a ‘opção’ por uma escola pública militarizada não é uma questão de responsabilidade dos pais exclusivamente, ou de ‘foro íntimo’. Este é um debate de todos os professores, estudantes, pais e da comunidade do entorno da escola”

Leia – e compartilhe – o manifesto, aqui: http://fepesp.org.br/noticia/militarizacao-da-educacao/



Seminário em SP discutiu as reformas trabalhistas no Brasil e no mundo
Sinpro SP; 28/11
http://bit.ly/35JLxi0

As mudanças no mundo do trabalho decorrentes das mudanças tecnológicas exigem maior proteção para os trabalhadores e não a redução de seus direitos. Essa foi a opinião unânime dos especialistas reunidos no Seminário Internacional O Futuro do Trabalho, realizado pelo Instituto Lavoro nos dias 21 e 22 de novembro, em São Paulo. O SinproSP participou do evento.

Ao longo de dois dias, convidados brasileiros e estrangeiros mostraram como a legislação trabalhista tem sido colocada na berlinda no Brasil e também em países com instituições democráticas mais consolidadas, como França, Itália, Canadá e Estados Unidos.

Há um discurso hegemônico de que o Direito do Trabalho tornou-se anacrônico diante das intensas mudanças no mundo do trabalho e que o excesso de regulação e proteção dificulta o desenvolvimento econômico e das forças de mercado.



Saque imediato do FGTS tira dinheiro do fundo por até 6 meses
Folha de S. Paulo; 29/11
http://bit.ly/2DtjvLv

O trabalhador que não quiser o saque imediato de até R$ 500 por conta do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) precisa comunicar a Caixa Econômica Federal e solicitar a devolução do dinheiro ao fundo. O banco já está fazendo o débito automaticamente e manterá o dinheiro fora das contas do FGTS até 30 de abril do ano que vem, a menos que o trabalhador peça o dinheiro de volta –procedimento chamado de desfazimento.

Tudo sobre o saque do seu fundo de garantia
Fepesp
http://bit.ly/2Hc9STW

Novas regras no FGTS: Sou obrigado a sacar? Quem não tem conta na Caixa? Tire suas dúvidas, aqui.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio