Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 02 de outubro de 2022

29 de março de 2019

29/03

Ser, dona da Universidade de Guarulhos, dá muito lucro; Relator da reforma é novato; Silvia do SinproSP detona reforma; Mulheres protestam nesta sexta em São Paulo; e mais.

Como fazer para não enfrentar a escola sozinho e se sindicalizar? O primeiro passo: procure o seu sindicato na nossa lista. Leia mais: http://bit.ly/2HG72ro 

 

 

Ser Educacional tem lucro de R$237 milhões em 2018
Valor Econômico; 29/03
http://encurtador.com.br/aoN18

A Ser Educacional aumentou em 15,1% o número de novas matrículas de graduação no primeiro trimestre deste ano, segundo números preliminares de captação de alunos divulgados ontem. Jânyo Diniz, diretor-presidente, disse que o desempenho está em linha com as expectativas. A empresa registrou no ano passado lucro líquido de R$ 237,91 milhões, com alta de 9,6%. Foi o melhor desempenho desde 2015.

 

Ministro da Educação rejeita privatização de universidade
e diz que cotas permanecem
Folha Nobre; 27/03
http://bit.ly/2K2GDa3

Questionado por deputados da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodrígues, afirmou nesta quarta-feira (27) que as cotas nas universidades permanecerão “enquanto houver desigualdade”. Segundo ele, depois elas “desaparecerão naturalmente”. Ele também falou que o Fundo de Financiamento Infantil (Fies) e o Programa Universidade para Todos (Prouni) “têm que continuar”.

 

 


Delegado Marcelo Freitas é escolhido relator
da reforma da Previdência na CCJ da Câmara

G1; 28/03
https://glo.bo/2FzgF8j

O deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG) foi escolhido nesta quinta-feira (28) relator da proposta de emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. A decisão foi tomada depois de uma reunião do presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni; a líder do Governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP); o secretário Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho; a primeira vice-presidente da comissão, Bia Kicis (DF); e o líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO).

 

Indicação de relator da ‘reforma’
confirma que governo não tem base na Câmara

Rede Brasil Atual; 28/03
http://bit.ly/2CEB62X

O governo Bolsonaro não tem base na Câmara dos Deputados e conta apenas com seu partido para tentar aprovar a “reforma” da Previdência. A avaliação é do deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), após o presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Casa, Felipe Francischini (PSL-PR), ter informado hoje (28) que o relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6 será Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG). A CCJ é responsável por analisar a admissibilidade do texto, primeiro passo da tramitação da matéria na Câmara.

 

CNBB diz que proposta da reforma da previdência
sacrifica os mais pobres, mulheres e trabalhadores rurais

O Globo; 28/03
https://glo.bo/2HVTpUU

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) voltou a criticar a reforma da previdência em tramitação no Congresso Nacional proposta pelo governo do presidente Jair Bolsonaro. A entidade, que reúne os bispos católicos, reconhece que o sistema previdenciário “precisa ser avaliado e, se necessário, adequado”. Mas também sustenta que a proposta do governo sacrifica os mais pobres e outros grupos vulneráveis.


Aprovação da ‘reforma’ é ameaça à proteção social,
diz presidente da Anamatra

Minha Aposentadoria.net; 28/03
http://bit.ly/2FzVzH4

Para o presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Guilherme Feliciano, a “reforma” da Previdência, proposta da forma como diz o texto da PEC 6/2019, deixa um campo aberto para que direitos sociais sejam atacados. “Os parlamentares que aprovarem essa reforma estarão aprovando uma reforma em aberto. O que temos, pelos indícios que se tem, é uma ameaça às condições atuais de proteção social”, afirmou, em audiência pública promovida pela seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SP), que debateu a proposta do governo Bolsonaro.

 


Em entrevista, diretora do SinproSP discute reforma da Previdência
Sinpro SP; 26/03
http://bit.ly/2Wu7Pzz

A diretora do SinproSP, Silvia Barbara, esteve na Causa Operária TV para discutir sobre as barbaridades propostas pela reforma da Previdência do governo Bolsonaro. De acordo com Silvia, se a PEC for aprovada, os trabalhadores terão um acréscimo de 5 a 10 anos para terem acesso à 100% do benefício. “É muito difícil encontrar quem consiga contribuir por 40 anos ininterruptamente”, disse.

 

Mulheres protestam nesta sexta (29) em SP
contra a reforma da Previdência

Agência Sindical; 28/03
http://bit.ly/2FFvvdF

As mulheres serão as mais afetadas com a proposta de reforma da Previdência de Bolsonaro. A proposta impõe idade mínima de 62 para ter direito a entrar com pedido de aposentadoria e o tempo de contribuição sobe de 15 para 20 anos. Isso faz com que as trabalhadoras, que já fazem jornada dupla e até tripla, trabalhem mais, contribuam mais e recebam menos. Com o objetivo de mobilizar a sociedade contra o ataque de Bolsonaro às aposentadorias, Centrais Sindicais, a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria (CNTI) e Confederação das Mulheres do Brasil (CMB) realizam nesta sexta (29), em São Paulo, o ato “Mulheres Unidas Contra a Reforma da Previdência e Todo Tipo de Violência”.

 

OAB vai percorrer o país para debater PEC da Previdência
Minha Aposentadoria.net; 28/03
http://bit.ly/2OyQbbh

O presidente da OAB Nacional, Felipe Santa Cruz, afirmou em audiência pública realizada nessa terça-feira (26) que a entidade pretende levar o debate sobre a PEC da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro a todo o país por meio da realização de audiências públicas. O objetivo é abrir espaço para a produção de conteúdo técnico produzido pela sociedade civil e pela advocacia brasileiras.

 

TRF-2 mantém desconto em folha
de contribuição sindical de delegados da PF

Conjur; 28/03
http://bit.ly/2FB8l85

Proibir o desconto em folha da contribuição sindical diminuirá a receita dos sindicatos e pode prejudicar a representação dos trabalhadores. Com esse argumento, o desembargador Wilson Alves de Souza, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, dispensou o sindicato dos delegados da Polícia Federal no Rio de Janeiro (Sindepol) de obedecer à Medida Provisória 873/2019. A decisão é desta quinta-feira (28/3). A MP proíbe o desconto em folha e diz que a contribuição deve ser cobrada por meio de boleto bancário e só depois da autorização individual de cada trabalhador. Hoje, com o fim do imposto sindical, o pagamento da contribuição é decidido em assembleia, e não individualmente.

 

“A MP 873 tenta acabar com o movimento sindical”.
Entrevista especial com Marilane Teixeira

Instituto Humanitas Unisinos; 25/03
http://bit.ly/2FIl7Tr

O propósito da MP 873, que altera a forma de recolhimento das contribuições sindicais, é “asfixiar as entidades sindicais e reduzir a sua capacidade de luta, resistência e organização. Trata-se de uma intervenção direta na organização sindical”, afirma Marilane Teixeira à IHU On-Line. Enquanto a MP estiver em vigor, pontua, “é possível que muitas entidades tenham que encerrar suas atividades, suspender serviços, como assistência jurídica à categoria”. Marilane lembra que a tentativa de limitar a atuação dos sindicatos via arrecadação iniciou em 2017, com a aprovação da lei 13.467, que “já havia estabelecido uma derrota ao permitir o desconto do imposto sindical apenas mediante o consentimento do trabalhador junto à empresa. Essa medida representou uma queda de 90% na arrecadação. O maior impacto se deu entre as entidades de trabalhadores, que passou de R$ 2,24 bilhões em 2017 para R$ 207,6 milhões em 2018; da mesma forma para as entidades empresariais o efeito também foi significativo, de R$ 806,0 milhões para R$ 207,0 milhões”.

 

Assembleia nesta sexta (29)
decide fusão de três Sindicatos em São Paulo

Agência Sindical; 28/03
http://bit.ly/2uvY2gD

Assembleia nesta sexta (29) deve confirmar a fusão de três Sindicatos de trabalhadores da área industrial da alimentação na Grande São Paulo. A nova entidade terá a denominação de Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Laticínios e Alimentação de São Paulo (Stilasp). Haverá duas convocações para a reunião, às 12 horas e às 16h30. O local é o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Laticínios (Stilacafe), no Belenzinho. A assembleia conjunta reunirá trabalhadores representados pelo Sindeeia (Sindicato da Alimentação), que trata de funcionários do setor de produtos acabados, como doces, conservas e balas; STIA (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação), responsável pelas áreas de matéria-prima, como óleo, farinha, milho e soja; e o Stilacafe.

 

Metodista, assembleia dia 30/03, às 9h
Sinpro ABC; 28/03
http://bit.ly/2WtKRZq

Na sede do SINPRO ABC – Rua Pirituba, 61 – Santo André. Pauta: a) análise da devolutiva da Metodista à pauta de reivindicação; b) formas de mobilização; c) informes sobre processos judiciais coletivos.

 

 

Repercussão | Fepesp: Dê o troco, sindicalize-se!
Contee; 28/03
http://bit.ly/2OwMDGt

Como fazer para não enfrentar a escola sozinho e se sindicalizar? O primeiro passo: procure o seu sindicato na nossa lista. Recesso escolar, férias coletivas, bolsas de estudo para seus dependentes, assistência médica, piso salarial do auxiliar, hora-atividade, pagamento de janelas entre aulas – isso tudo é conquista nossa, resultado da nossa união.


Apontada como prioridade por Bolsonaro,
educação básica está acéfala no MEC
O Globo; 28/03
https://glo.bo/2TJAWx0

Elencada como prioridade pelo presidente Jair Bolsonaro, a educação básica está acéfala em decorrência da crise que assola o Ministério da Educação (MEC) desde o início de março. Há dois postos-chave sem titular: a Secretaria de Educação Básica (SEB) da pasta e a Diretoria de Avaliação da Educação Básica (Daeb) do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável por fazer o Enem. Os responsáveis pelos dois departamentos pediram demissão nesta semana por não concordarem com a gestão conduzida pelo ministro Ricardo Vélez Rodríguez, cada dia mais fragilizado no cargo.

 


Dimenstein: a última maluquice do ministro da Educação
Catraca Livre; 29/03
http://bit.ly/2WyWMVJ

No desespero para se manter no cargo, Ricardo Vélez, cuja demissão do Ministério da Educação já estaria certa, promove mais uma maluquice. Chamou para assessorá-lo o economista Murilo Resende. Ele já chegou a defender queima de livros e até intervenção no Congresso. Afirmou que professores estimulam aborto, pedofilia e incesto. Motivo do convite: Resende é discípulo de Olavo Carvalho, guru de Bolsonaro. Certamente está querendo ganhar o apoio do filósofo e ainda continuar como ministro. Murilo já tinha chamado para chefiar o Enem, mas diante da repercussão negativa foi desconvidado.

 

Vélez retoma presença olavista no MEC,
e ala militar busca reconquistar espaço
GaúchaZH; 28/03
http://bit.ly/2WzeVTI

Em busca de se manter no cargo, o ministro Ricardo Vélez Rodriguez reforçou a presença do grupo mais ideológico em seu gabinete. Nomeou nesta quinta-feira (28) como assessores o economista Murilo Resende, aluno do escritor Olavo de Carvalho, e o professor Ricardo Costa, que mantém trânsito com olavistas.


Homeschooling: Educação fora da escola
Revista GIZ; 07/03
http://bit.ly/2WxVIBO

Assim que tomou posse, no dia primeiro de janeiro passado, o presidente da República, Jair Bolsonaro, fez questão de divulgar uma lista com 35 prioridades que deveriam ser encaminhadas ainda nos 100 primeiros dias de sua gestão. Entre as metas, está um projeto que autoriza e regulamenta a educação domiciliar, ou homeschooling, como é conhecido internacionalmente. A iniciativa está sob a responsabilidade não do MEC, mas do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, comandado pela ministra Damares Alves. A intenção da pasta é divulgar oficialmente o texto do projeto na primeira quinzena de março. Atualmente, o Brasil não admite essa modalidade de ensino, feita em casa, por pais, professores ou tutores. Aliás, provocado sobre essa possibilidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) avaliou e votou contra o homeschooling, em setembro de 2018.

 

 


Festival ‘É Tudo Verdade’ exibe
66 documentários nacionais e estrangeiros gratuitamente
Folha de S. Paulo; 29/03
http://bit.ly/2TEyUOV

O festival de documentários ‘É Tudo Verdade’ chega nesta quarta (3) à sua 24ª edição e, até 14/4, reúne 66 filmes em quatro endereços de São Paulo —11 a mais que no ano passado. Com entrada gratuita, o evento ganha sessões no CCSP, IMS, Itaú Cultural e no Sesc 24 de Maio. Os filmes são divididos em oito categorias: homenagens, O Estado das Coisas, programas especiais e as mostras competitivas de longas ou média-metragens brasileiros, longas ou média-metragens internacionais, curtas brasileiros, curtas internacionais e competição latino-americana.

 

SBPC homenageia centenário da comprovação de Teoria de Einstein
Vermelho.org; 28/03
http://bit.ly/2OwKyu8

A Reunião Regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizada em Sobral (CE), teve início nesta quarta-feira (27) com um seminário sobre o centenário do eclipse que foi decisivo na comprovação da Teoria da Relatividade Geral de Einstein. Com o tema “Educação Básica de Qualidade: currículo, carreira e gestão escolar”, o evento será realizado até sábado (30) no Centro de Convenções da cidade.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio