Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de junho de 2022

26 de julho de 2019

26/07 – PMs e bombeiros dando aula, saques do FGTS não reaquecerão economia, reitores querem união social contra o ‘future-se’, e mais.

.

Congresso extraordinário da Contee: Frente contra o avanço antissindical.
Cobertura completa aquihttps://bit.ly/2YnVxNX

 




Bolsonaro autoriza atuação de PMs 
e bombeiros em escolas cívico-militares
Estadão; 25/07
http://bit.ly/2SKOTfw

A decisão consta de decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 25, e vale tanto para escolas estaduais, quanto as municipais e do Distrito Federal. Os profissionais também poderão atuar em unidades de conservação ambiental e em órgãos do Poder Legislativo federal, estadual, distrital ou municipal. A medida é um primeiro passo para a implantação escolas cívico-militares em regiões mais carentes do País, uma promessa de campanha do presidente.

 

Investir na educação é exercer autoridade 
em sala de aula, diz Bolsonaro
Folha de S. Paulo; 25/07
http://bit.ly/2Ymtvye

Em sua primeira atividade em Manaus, nesta quinta-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro defendeu a “autoridade em sala de aula” ao entregar diplomas para alunos de escolas públicas administradas pela Polícia Militar do Estado do Amazonas. “A educação realmente liberta. Investir na educação não são apenas recursos, como alguns pregam por aí. Investir na educação é dar meios para que o professor possa exercer a sua autoridade em sala de aula e, dessa forma, poder fazer com que o alunos realmente aprendam”, disse o presidente.

 

Bolsonaro acaba com Conselho Consultivo 
do Plano Nacional do Livro e Leitura
G1; 24/07
https://glo.bo/2K8WnEY

O presidente Jair Bolsonaro extinguiu o Conselho Consultivo do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL). O decreto, assinado pelo presidente e pelo ministro da Cidadania, Osmar Terra, foi publicado nesta quarta-feira (24) no Diário Oficial da União. A função do Conselho Consultivo era prestar apoio à direção do PNLL nas definições e propostas relacionadas à área.

 

 


FGTS tem rombo de R$ 93,5 bi e saques ameaçam paralisar projetos
Folha de S. Paulo; 26/07
http://bit.ly/2MmWE9Y

O FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) não terá dinheiro suficiente em caixa para financiar todos os projetos aprovados para habitação, saneamento, infraestrutura e saúde, para o período de 2019 a 2022. A diferença entre a disponibilidade e o demandado pelos projetos é de R$ 93,5 bilhões. É o que mostra o detalhamento do orçamento plurianual que será avaliado em reunião do conselho curador do FGTS na terça-feira (30).

 


MP de Bolsonaro fragiliza função do FGTS no momento do desemprego
Rede Brasil Atual; 25/07
http://bit.ly/2K3p9qF

O governo estima que ao menos R$ 40 bilhões sejam injetados na economia brasileira a partir dos saques do FGTS. A avaliação do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) é, no entanto, outra. Para o órgão, diante de uma “economia em frangalhos, com altos índices de desemprego”, os recursos do fundo de garantia deverão ser usados pela população para o pagamento de dívidas. “Terão pouco efeito no reaquecimento da economia”, avalia o Diap, advertindo que o modelo será bem aproveitado apenas  pelos bancos privados, que têm interesse no débito dos trabalhadores.

 

SinproSP: Quem ganha com a descapitalização do FGTS?
SinproSP; 26/07
http://bit.ly/2yfubuI

Os bancos serão os grandes beneficiários dessas mudanças, pois boa parte dos recursos será usada para quitar dívidas ou contrair novos empréstimos (a medida provisória autoriza a alienação do FGTS por instituições financeiras). Os bancos também poderão cobrar tarifas pela transferência dos saques para a conta. É inegável que se trata de uma transferência de recursos gigantescos para o setor financeiro, a exemplo do que o governo propôs para a Previdência Social.

 

O verdadeiro rombo da Previdência: 
6 milhões de contribuintes a menos
Rede Brasil Atual; 25/07
http://bit.ly/30YRBAW

Um argumento recorrente dos defensores da “reforma” da Previdência, cuja votação será retomada em agosto, é de que as mudanças são necessárias para a retomada da economia. Era o que se dizia também durante a tramitação da “reforma” trabalhista, que não trouxe de volta os milhões de empregos que chegaram a ser previstos. Os dois casos se relacionam: um dos fatores do chamado “déficit” previdenciário está justamente no fato de que haver menos contribuintes no INSS. Isso acontece em razão do volume de pessoas que perde o emprego ou deixa o mercado formal de trabalho. A conta não fecha.

 

SinprOsasco: Festa dos professores 2019
SinprOsasco; 25/07
http://bit.ly/2JUXeuj

O Sinprosasco está preparando uma festa para as professores e professores. O Jantar Dançante dos Professores 2019 será no dia 18 de Outubro. Como já é de costume, os professores filiados têm entrada franca.

 




Ausência do sistema nacional de desenvolvimento da ciência 
no Future-se é ‘preocupante’ e ‘equívoco grave’, diz Confies
G1; 25/07
https://glo.bo/2OkPVQQ

A ausência do Sistema Nacional de Desenvolvimento de Ciência, Tecnologia e Inovação na proposta do programa Future-se – lançado na semana passada pelo Ministério da Educação (MEC) para aumentar a verba privada no orçamento das federais –, foi classificada como “preocupante” e um “equívoco grave” pelo conselho que reúne as fundações de apoio às instituições de ensino superior e pesquisa, o Confies. O Confies reúne 96 fundações que atuam em mais de 130 universidades e institutos federais. O grupo movimenta mais de R$ 5 bilhões por ano em cerca de 22 mil projetos.

 

Reitores gaúchos querem união social contra o projeto Future-se
Jornal do Comércio; 25/07
http://bit.ly/32S2FS6

Em seminário promovido pelo Sindicato Intermunicipal dos Professores de Instituições Federais de Ensino Superior do Rio Grande Do Sul (Adufrgs), os reitores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) incentivaram o engajamento da sociedade para modificar ou barrar o programa Future-se, do governo federal. O ponto mais polêmico da proposta, apresentada pelo Ministério da Educação (MEC) na semana passada, é a gestão das federais por organizações sociais (OSs), entidade privadas que recebem o status “social” ao comprovar eficácia e fins sociais, entre outros quesitos.

 

 



Uberização nos leva para a servidão, diz pesquisador
Congresso em Foco; 25/07
http://bit.ly/32SQ2WV

O sociólogo Ricardo Antunes é um incansável pensador sobre o mundo do trabalho. Pós-doutor pela Universidade de Sussex (Inglaterra) e professor titular de Sociologia do Trabalho na Unicamp, perdeu a conta dos artigos científicos, capítulos, e, claro, livros lançados no Brasil e no exterior ao longo de sua carreira acadêmica. Em tempos do que o sociólogo chama de “uberização” do trabalho, “se homens e mulheres tiverem sorte hoje, o seu trabalho será precário”. Serão servos, e isso ainda assim será um privilégio, em comparação com o desastre ainda maior, que é o do desemprego.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio