Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 13 de agosto de 2022

23 de setembro de 2019

23/09 – As dívidas dos universitários, Fundeb com 40% das verbas da União, ‘reforma’ no Senado nesta terça-feira, e mais.

.

Fepesp denuncia: está em curso a cartelização de salários nas instituições de ensino superior privadas.
Leia mais aqui: http://bit.ly/2mwHEM3.

 

 



Dívidas com o Fies chegam a R$ 80 milhões na Baixada Santista
A Tribuna; 22/09
https://glo.bo/2maEflH

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) completa duas décadas com uma marca preocupante: R$ 14 bilhões em dívidas em todo o país. Só na Baixada Santista, conforme dados obtidos por A Tribuna via Lei de Acesso à Informação (LAI), os estudantes devem R$ 80,3 milhões e 48% dos contratos celebrados e em fase de amortização estão com atraso superior a 90 dias.

 

Financiamento pela rede privada de ensino avança no País
R7; 20/09
http://bit.ly/2l27CGG

Três em cada quatro alunos matriculados em cursos de ensino superior estão na rede privada. A expansão do setor, que ganhou fôlego a partir dos anos 2000 graças a programas como Fies e Prouni, hoje está atrelada a outra forma de financiamento: a realizada pelas próprias instituições de ensino. Depois da readequação do Fies e da consequente redução de financiamentos por ele ofertados, a partir de 2018, entidades passaram a buscar alternativas para garantir um bom número de estudantes em suas instituições.

 

Dívidas com a faculdade? Confira como os estudantes podem negociar
Folha Vitória; 22/09
http://bit.ly/2kQLsr9

O número de estudantes em universidades privadas tem aumentado a cada ano como mostra o Censo de Educação Superior, divulgado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e com isso também aumento o financiamento estudantil. Em 2018, 46,8% dos alunos da rede privada de ensino superior tinham algum tipo de financiamento para pagar as mensalidades. Em 2009, esse número era de 23% dos estudantes.

 

Número de matrículas na graduação presencial é o menor desde 2011
Exame; 19/09
http://bit.ly/2kzZIUY

O número de ingressantes em cursos de graduação presencial no País em 2018 foi o menor dos últimos sete anos, mostra o Censo de Educação Superior. No ano passado, o Brasil tinha 2,07 milhões de calouros ingressando em cursos do ensino superior – o menor número desde 2011, quando foi registrado 1,91 milhão. Desde 2014, o ensino presencial vem perdendo ingressantes e os cursos na modalidade a distância, aumentando. No ano passado, de cada dez ingressantes no ensino superior, quatro foram para o Ensino a Distância (EAD). Nos últimos sete anos, a modalidade cresceu mais de três vezes – passando de 431,5 mil calouros, em 2011, para 1,37 milhão no ano passado.

 

Mais da metade dos universitários desistiu da graduação
Jornal do Commercio; 19/09
http://bit.ly/2mpkx5U

Dados do Censo de Educação Superior de 2018 apontam que, dos estudantes que entraram em 2010, 56,8% desistiram do curso e apenas 37,9% concluíram os estudos. Outros 5,3% continuavam na graduação seis anos depois do início do curso.

 


Faculdades privadas têm que adaptar
aulas para pessoas com deficiência
Agência Brasil; 19/09
http://bit.ly/2m9X4Wa

As faculdades privadas têm que adaptar suas aulas para pessoas com deficiência, oferecendo ensino em Língua Brasileira de Sinais (Libras) e braille. A decisão é do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), de acordo com a Advocacia-Geral da União (AGU), que confirmou a obrigatoriedade junto ao tribunal. A ação foi ajuizada pelo Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de Santa Catarina (Sinepe/SC) na 3ª Vara Federal de Florianópolis. A entidade pleiteava que as faculdades fossem dispensadas da exigência e que eventual adaptação das aulas fosse custeada pelo aluno. O pedido foi julgado improcedente pela primeira instância, mas o Sinepe/SC recorreu ao TRF4, que decidiu negar provimento à apelação.

 


Uniesp: Alunos de Medicina vão a PF
e MPF denunciar Universidade Brasil
Região Noroeste; 20/09
http://bit.ly/2kR2k0X

Um grupo de alunos do curso de Medicina na Universidade Brasil esteve nesta quinta-feira, dia 19, no Ministério Público Federal de Jales, reforçando denúncia contra a Universidade Brasil de Fernandópolis, onde cerca de 110 alunos, aprovados no processo seletivo do dia 20 de julho de transferência, foram proibidos de assistirem as aulas.

 

Uniesp: Dono da Universidade Brasil tem HC negado pela Justiça
Região Noroeste; 19/09
http://bit.ly/2maT1sF

Um grupo de alunos do curso de Medicina na Universidade Brasil esteve nesta quinta-feira, dia 19, no Ministério Público Federal de Jales, reforçando denúncia contra a Universidade Brasil de Fernandópolis, onde cerca de 110 alunos, aprovados no processo seletivo do dia 20 de julho de transferência, foram proibidos de assistirem as aulas.

 



Após críticas do MEC, secretários de Educação
dizem apoiar Fundeb com 40% de verbas da União
G1; 20/09
https://glo.bo/2kBsqVw

O Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) anunciou, nesta sexta-feira (20), apoio formal à proposta da deputada Dorinha Rezende (DEM-TO) para o novo modelo do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Dorinha é relatora de uma proposta de Emenda à Constituição (PEC) sobre o tema, e defende que a União complemente o valor do Fundeb com percentuais cada vez maiores, até o patamar de 40%. Hoje, esse aporte é de 10%.

 

Editorial: Desperdício de dinheiro na Educação
O Globo; 22/09
https://glo.bo/2kQRWX1

“Não faltam dados para mostrar a dimensão da crise educacional brasileira. O foco tem estado no ensino básico, mas as dificuldades e deficiências se distribuem por todo o ciclo de aprendizado, do fundamental ao superior. Por ser um sistema integrado, seria impossível que falhas em segmentos iniciais do ensino não se propagassem pelo resto da vida escolar. Há ações para tentar corrigir os desvios. Mas os resultados têm sido lentos. No início do ensino fundamental ocorrem melhorias, e metas de aprendizado são atingidas. Mas, à medida que o estudante avança na sua vida escolar, os problemas surgem, e a evasão cresce”.

 

Gastar resolve a questão da educação?
O que dizem os dados das capitais
Exame; 21/09
http://bit.ly/2kzTAfq

Historicamente, o Brasil investiu pouco por aluno da rede pública em comparação com países que compõem a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Enquanto evidências internacionais apontam que o ideal de gastos anuais deve ficar na casa do US$ 8 mil, números do ano passado mostram que o poder público destina a metade disso, ou seja, cerca de US$ 3,8 mil para cada estudante brasileiro da educação básica. A conclusão óbvia diante desse cenário é a de que os governantes devem, então, investir mais em cada aluno de escola pública e, com isso, atacar os problemas graves de aprendizagem: o país tem 11,3 milhões de analfabetos e está no penúltimo lugar do ranking internacional PISA, que mede a qualidade de educação em nível nacional de 40 nações.

 

BH: comissão debate uso do vale-educação para ensino básico
Câmara dos Deputados; 23/09
http://bit.ly/2mxxAm1

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados realiza seminário hoje, em Belo Horizonte, para debater o tema “Escolas Conveniadas e Vale-Educação para a Educação Pública”. O encontro atende requerimento do deputado Tiago Mitraud (Novo-MG).

 




Confira esta e outras charges em nosso site: http://bit.ly/2HvT9vP.

 


Ministério Público do Trabalho propõe análise
de afastamentos de profissionais da educação
ABC do ABC; 21/09
http://bit.ly/2mwvRxh

O procurador Ricardo Ballarini, do Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MPT-SP), apresentou nesta sexta-feira (20/9), durante reunião no Consórcio Intermunicipal Grande ABC, um projeto para analisar os afastamentos de profissionais da educação por motivo de saúde nas sete cidades. O projeto foi apresentado durante reunião do Grupo de Trabalho (GT) Educação da entidade regional. O objetivo da proposta, parceria entre MPT-SP e o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), é elaborar um banco de dados regional com o número de afastamentos de educadores nas redes pública e privada.

 

‘Reforma’ da Previdência pode ser votada em 1º turno nesta terça-feira
RPB; 22/09
http://bit.ly/2mwBdsq

A reforma da Previdência terá um capítulo decisivo nesta semana. Está marcada para a próxima terça-feira (24), no plenário do Senado, a votação em primeiro turno da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da reforma. Segundo parlamentares, o clima é favorável a uma aprovação. A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Simone Tebet (MDB-MS), disse que a reforma da Previdência está “blindada”. Pela manhã, será votado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o relatório referente às emendas recebidas em plenário. Após, a PEC para o plenário. A expectativa é cumprir o calendário, votando em segundo turno no dia 10 de outubro.

 

Relator apresenta parecer final
e PEC 06 deve ser votada na terça-feira, 24
SinproSP; 20/09
http://bit.ly/2kwMTdY

O senador Tasso Jereissati apresentou à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, seu relatório final sobre a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 06, que altera as regras para concessão da aposentadoria. A proposta agora será votada pela CCJ na manhã de terça-feira, dia 24. A ideia é iniciar votação em primeiro turno no plenário no mesmo dia 24, no período da tarde. O governo e os parlamentares favoráveis à reforma querem encerrar a votação até o início de outubro e evitar que a proposta tenha que voltar para votação na Câmara, por conta de mudanças no texto.

 


ABC: programa ‘Analise & Crítica’, com Marcelo Buzetto, 3º Edição
SinproABC; 20/09
http://bit.ly/2m4o0Xw

Essa terceira edição do Programa Analise & Crítica avalia o impacto das reformas trabalhista e da previdência na vida do professor. Convidamos para participar do debate, Júlio Turra, membro da Executiva Nacional da CUT  e Celso Napolitano, presidente da FEPESP e do DIAP.

 

Guarulhos: assembleia do Sinpro dia 25/09
Sinpro Guarulhos; 20/09
http://bit.ly/2kQ7lH7

Dia 25/09, às 18h, na Rua Novo Oriente, 39. Assembleia para deliberar, informar, debater, porque não é tempo de estarmos só.

 

 


Artigo: “Nosso discurso na ONU”
O Globo; 21/09
https://outline.com/enXezn

Marcos Azambuja, diplomata e ex-secretário-geral do Itamaraty: “Vamos ver como os nossos atuais cozinheiros preparam o discurso do dia 24. Ajudei a escrever vários deles em anos passados. Costumavam ser obra de diversas mãos e tendências. A redação podia ficar menos elegante, mas havia no fim um claro ganho em sabedoria. Pelos motivos errados vamos ser ouvidos agora com mais atenção do que costuma acontecer e não excluo que tenhamos uma audiência menos numerosa e seguramente menos receptiva do que em oportunidades anteriores. Não tenho conselhos a dar a quem agora prepara nossa fala. Apenas gostaria de lembrar a sempre atual e oportuna advertência feita algum dia a dois porcos-espinhos inexperientes sobre como fazer o amor: que tivessem muito cuidado.”

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio