21 de setembro de 2020

21/09 – Dia do basta para Metodista, baixa adesão de professores onde abriu escola, direito autoral no Senac-SP, ministros pegam covid na posse de Fux  – e mais.

.

   

Amanhã é o Dia Nacional do Basta para a ‘Rede’ Metodista’! Confederação, Federações e Sindicatos, unidos, promovem ações. Acompanhe pelo Zoom, às 19 horas – veja o link no site do seu sindicato! Saiba mais aqui:  https://bit.ly/3hCDeKo

 

 

Prefeitura de SP planeja reabrir escolas em novembro para provas de avaliação de alunos
Monoica Bergamo; 21/09
https://bit.ly/2FXxr4Q

A Prefeitura de SP já começa a se preparar para o segundo passo que deve dar em novembro, depois de permitir atividades extracurriculares nas escolas. O mais provável é que as aulas regulares sigam suspensas — mas que as portas sejam reabertas para que os estudantes façam exames de avaliação.

Pelo plano, os professores receberiam alunos para fazer provas que avaliassem o tamanho do estrago causado pela epidemia da Covid-19 na aprendizagem.

Com isso, um plano de recuperação começaria a ser preparado na rede pública municipal, com a divisão dos estudantes por turmas, de acordo com a necessidade de aprendizado de cada um.

Se os números da epidemia recuarem na cidade em seguida, as aulas poderiam começar então de forma presencial. Caso contrário, a ideia é que elas sejam ministradas online, inclusive no período que seria destinado a férias de verão.


Insegurança dos docentes torna baixa a adesão ao retorno das atividades
Folha de S. Paulo; 21/09
https://bit.ly/3hKbOlS

Pressão de sindicatos de professores não adia reabertura de escolas no país.

Contrários à reabertura das escolas neste ano, sindicatos de professores de várias regiões do país aprovaram greve e recorreram à Justiça, mas não conseguiram adiar o retorno. A insegurança dos docentes, no entanto, faz com que a adesão de volta às aulas seja baixa.

“O governo pode nos ignorar, nos desconsiderar nesse planejamento, mas depende dos professores para fazer a reabertura. As famílias confiam seus filhos aos professores, então é natural que confiem no nosso julgamento de que não foi garantida segurança para o retorno”, diz Celso Napolitano, presidente da Fepesp (Federação dos Professores do Estado de São Paulo).

“As autoridades não apresentaram condições seguras, não anunciaram um plano concreto de ações para equipar as escolas. As famílias, assim como os professores, conhecem bem a situação dos colégios e, por isso, também se sentem inseguras”, completa.

 

Liberada desde julho no interior de SP, aula presencial em pré-vestibular tem baixa adesão
Estadão; 18/09
https://bit.ly/2ZXODhR

Os cursinhos pré-vestibular no Estado de São Paulo, com exceção da capital, são considerados cursos livres. Desde 14 de julho, regiões que estivessem há 14 dias consecutivos na fase amarela do plano de flexibilização da quarentena poderiam retomar as aulas presenciais, desde que com até 35% dos alunos. Apesar dessa autorização, poucas foram as instituições que reabriram as portas. E quem optou pelas aulas presenciais notou que houve uma baixa adesão dos alunos.

 

Início terá só ‘20% dos alunos’, diz secretário municipal de Educação de SP – MAS 100% DOS PROFESSORES E AUXILIARES!
UOL; 18/09
https://bit.ly/32OFI4b

O secretário municipal de Educação de São Paulo, Bruno Caetano, comemorou a reabertura das escolas em outubro para atividades como esportes, música e línguas e para acolher as crianças depois de seis meses sem aulas presenciais. “É um passo muito importante começarmos a abrir, ainda mais com um indicador de data já, de 3 de novembro”, disse em entrevista. Ele ainda disse que na semana que vem sairão as regras sobre o que pode ser considerado atividade extracurricular. E a Prefeitura pretende permitir somente 20% dos alunos nesta primeira etapa de abertura das escolas públicas e particulares e não 35%, como previa o protocolo do Estado.


São Paulo: Prova vai determinar quando será o fim do ano letivo
Agora; 21/09
https://bit.ly/2FLyDIQ

Uma prova que será aplicada a todos os alunos das redes municipal e estadual de São Paulo após o retorno das aulas presenciais para avaliar o que eles aprenderam durante a quarentena é o que vai definir quando os estudantes vão terminar o ano letivo de 2020.

A previsão inicial é que as aulas de reforço e recuperação se estendam até 2021, e não está descartada a possibilidade de que a conclusão dos conteúdos seja apenas em 2022, segundo a Secretaria Estadual de Educação, gestão João Doria (PSDB).


Maranhão: Escolas particulares suspendem aulas presenciais após casos de covid-19
Estadão; 18/09
https://bit.ly/2FYVXT7

Em menos de uma semana, mais quatro escolas particulares de São Luís, no Maranhão, decidiram suspender as aulas após novos casos de covid-19 serem diagnosticados entre professores e alunos. A Associação de Pais e Alunos de Instituições de Ensino do Estado do Maranhão (ASPA-MA) encaminhou ofício ao Ministério Público, Defensoria Pública e Procon em que questiona o procedimento de retomada das atividades estudantis e lembra que o governo do Estado apenas “autorizou” as aulas presenciais, mas não “obrigou” essa volta.

 

Eleva compra Agenda Edu para alavancar canais digitais
Brazil Journal; 18/09
https://bit.ly/32LrSQ6

A Eleva Educação está comprando a Agenda Edu, um aplicativo que conecta os pais de alunos à jornada escolar dos filhos e uma das edtechs mais bem sucedidas do Brasil, pessoas a par das negociações disseram ao Brazil Journal. Com 2.000 escolas em sua base, a Agenda Edu cobra delas cerca de R$ 20 por aluno/ano para dar acesso à plataforma, um marketplace que permite que os pais recebam comunicados da  escola agendem o horário de pegar os filhos na saída e, eventualmente, comprem materiais didáticos e até paguem a mensalidade pelo app.

Com 140 escolas em 11 estados, além de dois sistemas de ensino, a Eleva deve faturar R$ 1,2 bilhão este ano, comparado a pouco mais de R$ 900 milhões ano passado. A empresa nasceu da fusão em 2013 dos cursos Pensi e Elite, ambos cursos preparatórios para o vestibular no Rio de Janeiro.

Esse mix de M&A e crescimento orgânico já transformou a Eleva na maior empresa de educação básica do País, com 85 mil alunos. O SEB, do empresário Chaim Zaher, tem 50 mil, e a Saber, da Cogna, tem 30 mil.

 


Coronavírus no mundo: 30 milhões de infectados, e 4,5 milhões estão no Brasil
Rede Brasil Atual; 19/09
https://bit.ly/3iS1CZN

País tem menos de 3% da população do mundo, e 15% dos casos de coronavírus. Europa volta a ver números crescerem e prepara novas medidas de isolamento.

O Brasil registrou mais 858 mortos nesta sexta-feira e chegou a 135.793 vidas perdidas para a covid-19. Trata-se do segundo país no mundo com mais mortos, atrás apenas dos Estados Unidos, de acordo com o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass). Em relação ao número de infectados, o último período registrou acréscimo de 39.797 casos de contaminação pelo novo coronavírus. Desde o início da pandemia, em março, 4.495.183 pessoas contraíram o vírus. Neste indicador, o Brasil é o terceiro pais mais afetado, atrás de Estados Unidos e Índia. O novo coronavírus já infectou 30 milhões de pessoas no mundo. O número de mortos está em 949 mil.

Coronavírus no mundo e a segunda onda – Os primeiros países atingidos pela pandemia conseguiram controlar de forma satisfatória o contágio. Através de rígidas medidas de isolamento social, primeiros epicentros como China, Japão e Coreia do Sul hoje possuem baixos índices de covid-19.

Já a Europa, que foi o segundo lugar de grande impacto da pandemia, vive um cenário diferente. Após o primeiro impacto – mais forte em especial, na Itália, Espanha e Reino Unido –, agora o continente se prepara para uma nova onda.

 

Pegou na posse do Fux: presidenta do TST é afastada após testar positivo para a covid-19
Rede Brasil Atual; 17/09
https://bit.ly/3iR9IlF

Internada desde o dia 15, a presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), ministra Maria Cristina Peduzzi, testou positivo para a covid-19. A informação foi confirmada pela  Secretaria de Comunicação Social do TST.

Segundo a assessoria do tribunal, a magistrada, de 67 anos, “apresenta bom estado de saúde, com sintomas leves da doença”. Ela deverá permanecer no Hospital Sírio-Libanês, em Brasília. Enquanto não recebe alta, será substituída, no TST e no CSJT, pelo vice-presidente, ministro Luiz Philippe Vieira de Mello Filho.

Maria Cristina tomou posse na presidência em 19 de fevereiro. Desde março, trabalhava apenas virtualmente. Mas na última quinta-feira (10) participou presencialmente da posse do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, que também havia testado positivo. Dois ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) presentes à cerimônia também foram infectados.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio