21 de agosto de 2019

21/08 – Reitores criticam MEC, ato em defesa dos professores da Metodista, juízes x minirreforma trabalhista, e mais.

.

No site da Fepesp: Saque imediato, saque aniversário, a multa dos 40% na demissão (boa notícia: a multa a seu favor ainda vale), quem pode sacar e quando, o cuidado com os golpes na praça – saiba mais aqui: http://bit.ly/2P6E8FU.

 

 



Reitores criticam plano do MEC para redistribuir
orçamento universitário por ‘mérito’

O Globo; 20/08
https://glo.bo/2HiavLA

O plano do Ministério da Educação (MEC) para “aperfeiçoar a matriz orçamentária das universidades federais ”, reduzindo a distribuição de recursos por critérios quantitativos (como o número de alunos) e dando mais destaque a “critérios meritórios” (como o desempenho acadêmico e gerencial) foi visto com preocupação pela comunidade acadêmica. Reitores das federais reagiram à notícia, afirmando que a medida poderia quebrar algumas instituições e criticando o MEC por não dialogar com as universidades antes de divulgar o plano.

 

EaD: Distante da boa educação
Estadão; 20/08
http://bit.ly/2ZkJsto

Entre 2010 e 2017, as matrículas em cursos voltados à docência aumentaram 44%. Considerando-se apenas a rede privada, esse aumento foi de 162%. Das graduações voltadas à docência na rede privada, 29% eram a distância em 2010. Em 2017 chegaram a 53%. Nas redes privadas e públicas tomadas em conjunto, essa variação foi de 34% para 61%. Já para todos os demais cursos, a variação foi de 13% para 27%. Em outras palavras, pouco menos de um terço da formação superior no Brasil é feito a distância, mas quase dois terços da formação de professores são a distância. Essa magnitude não tem paralelo nem entre os países mais desenvolvidos nem entre os países em desenvolvimento com bons índices educacionais.

 

 

Estudante não pode ser negativado
por falta de excelência acadêmica, diz TJ-SP

Conjur; 19/08
http://bit.ly/30p1ZBU

A 22ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo condenou a Uniesp e Centro de Ensino Superior de Birigui, no interior do estado, a indenizar uma mulher que teve nome negativado e foi cobrada pelo financiamento estudantil. A União Nacional das Instituições de Ensino Superior Privadas (Uniesp) cobrou mensalidades vencidas de uma estudante que firmou contrato de Financiamento Estudantil de Ensino Superior (Fies). A instituição disse que a estudante obteve nota 7 em uma das disciplinas e, por isso, não atingiu a excelência acadêmica. Ao analisar o caso, o desembargador Roberto Mac Cracken, relator, afirmou que a instituição violou o artigo 6º do Código de Defesa do Consumidor ao não definir no contrato o significado ou extensão do termo “excelência no rendimento acadêmico”.

 

Valor 1000: Investimentos da Yduqs (Estácio) independem da ‘reforma’
Valor Econômico; 20/08
http://bit.ly/2Z98Gvg

A Yduqs (antiga Estácio Participações) projeta investimento de R$ 330 milhões para 2019, mas não há relação direta entre este desembolso e a aprovação da reforma da Previdência no Congresso Nacional, esclarece Eduardo Parente, presidente da companhia. Segundo o executivo, é a demanda potencial por serviços de educação que sustenta a intenção de investimento.

 

 


Associação de Juízes lança campanha 
para explicar impactos da minirreforma trabalhista
Rede Brasil Atual; 19/08
http://bit.ly/2HcCZq7

Não é verdade que a Medida Provisória 881 seja a MP da “liberdade econômica”, ou ainda, da desburocratização do Estado. Pelo contrário, a proposta deve retirar ainda mais direitos dos trabalhadores brasileiros. O alerta é da Associação de Juízes para a Democracia (AJD). Em meio à discussão e posterior aprovação do texto-base da medida, na semana passada, na Câmara dos Deputados, a entidade lançou uma campanha com diversos vídeos para explicar os impactos da proposta.

Assista aos 5 episódios e saiba mais da campanha dos Juízes:

Juízes lançam campanha contra a ‘minirreforma trabalhista’

 

 

 


Estratégias e unidade contra ‘reforma’ da Previdência
Contee; 20/08
http://bit.ly/2MuIJQi

Movimentos sociais, Centrais Sindicais e parlamentares da Oposição se reuniram para definir estratégias contra a ‘reforma’ da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro. O encontro foi transmitido ao vivo pelo facebook da Contee.

 


SinproABC: Ato em defesa dos direitos dos professores da Metodista
SinproABC; 20/08
http://bit.ly/2MtA54s

Ato em defesa dos salários dos professores e professoras da Metodista, dia 29/08, às 18h30. Rua do Sacramento, 230 – Rudge Ramos – São Bernardo do Campo.

 

SinproSP: A liberdade econômica acima dos direitos das pessoas
SinproSP; 16/08
http://bit.ly/30m6c9n

O governo Bolsonaro avançou mais algumas casas em seu firme projeto de aprofundar a precarização das condições de trabalho no país ao aprovar na Câmara dos Deputados a chamada Medida Provisória da “Liberdade Econômica” (MP 881/19). Amparada num discurso sedutor – e falso – da “modernidade e da desburocratização”, a equipe econômica amplia as garantias para aprofundar a reforma trabalhista de 2017 e ampliar a exploração das trabalhadoras e dos trabalhadores.

 

Sinpro Taubaté: novo endereço de email, anote
Fepesp; 20/08
http://bit.ly/31SrKeb

O Sinpro Taubaté e Região está com novo endereço de email para atendimento de seus associados. Anote: contato@sinprotaubateeregiao.org.br. Sinpro Taubaté representa os professores nas escolas particulares de Campos do Jordão, Santo Antonio do Pinhal, São Bento do Sapucaí, São Luis do Paraitinga, Taubaté e Tremembé. Desde abril, está instalado em novo endereço: Rua Francisco Honorato de Moura, 165  – mas o telefone continua o mesmo: (12)98193-0165.

 



Educação especial deve ter mais verbas, aprova CE
Senado Notícias; 20/08
http://bit.ly/31VjjPr

A Comissão de Educação (CE) aprovou nesta terça-feira (20) o relatório de Flavio Arns (Rede-PR) ao PLC 18/2018, que eleva os repasses do Fundeb (Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica) para a educação especial, voltada ao atendimento de estudantes com deficiência ou com superdotação.

 

Um estrago silencioso na educação
Veja; 16/08
http://bit.ly/30nZrnx

O governo de Jair Bolsonaro interrompeu, ao menos provisoriamente, as atividades da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), responsável por gerenciar uma das iniciativas mais interessantes, delicadas e necessárias do ensino brasileiro: a Educação de Jovens e Adultos, conhecida por sua sigla EJA. A modalidade é oferecida por escolas do ensino fundamental e médio para o público acima de 15 anos que não conseguiu finalizar a educação básica.

 

 



Aumento do número de queimadas na Amazônia 
pode impactar a conta de energia elétrica
RPB; 21/08
http://bit.ly/33O61Wy

Quem estava no estado de São Paulo na última segunda-feira (19) estranhou a aparência do céu no início da tarde. Aquilo que parecia um aviso de tempestade, na verdade, era um sintoma do desmatamento acelerado no Centro-Oeste e no Norte do país. Os resultados são maiores do que a escuridão que tomou a capital paulista. Os incêndios na Amazônia diminuem o número de chuvas produzidas e o volume de água nos reservatórios que produzem energia hidrelétrica. Quem sente no bolso é a população, que vê o preço da conta de energia subir. 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio