Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de junho de 2022

19 de julho de 2019

19/07 – Escola sem Partido suspende atividades, MEC abre consulta pública do programa ‘Future-se’, 58% reprovam política do governo na educação, e mais.

.

Mande sua bronca, comentário ou denúncia aqui:
http://fepesp.org.br/noticia/fala-que-eu-te-escuto/ 

 




Escola sem Partido anuncia suspensão de atividades, 
e criador do movimento desabafa: ‘Esperávamos apoio de Bolsonaro’
O Globo; 18/07
https://glo.bo/30QsznB

O movimento Escola sem Partido (ESP), que pretende combater o que chama de ” doutrinação ” nas escolas, anunciou que vai suspender suas atividades a partir do dia 1º de agosto. A lua de mel com o presidente Jair Bolsonaro, uma das principais figuras a favor do movimento, parece ter acabado. Segundo o criador do ESP, Miguel Nagib, a falta de apoio, principalmente do presidente, leva ao encerramento das ações.




MEC abre consulta pública sobre plano
para universidades; veja como opinar

UOL; 18/07
http://bit.ly/2M4hcUH

Está aberta para consulta pública a proposta inicial do Future-se, programa para financiamento das universidades federais anunciado ontem pelo MEC (Ministério da Educação). A pesquisa pode ser acessada pela internet. O plano do MEC prevê a criação de um fundo de R$ 102,6 bilhões (constituído por recursos públicos, mas de administração privada), além de estímulos à captação de recursos privados para as universidades federais. A adesão das instituições será voluntária. Veja a íntegra da proposta.

 

Plano do MEC para universidades é repleto de incógnitas
Valor Econômico; 17/07
http://bit.ly/2XO2us9

No texto disponível para consulta pública, o MEC afirma que, ao aderir ao Future-se, as instituições concordam em adotar as diretrizes de governança que serão “futuramente definidas”. O secretário de ensino superior do MEC, Arnaldo Barbosa de Lima Júnior, frisou que a adesão é voluntária. Mas, segundo ele, quem ficar de fora continuará sujeito aos contingenciamentos e teto de gastos.

 

‘Depois de difamar universidade pública,
como esperar investimento privado?’

Estadão; 19/07
http://bit.ly/32B9reF

Anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) como um programa inovador, que vai modernizar a gestão e solucionar a crise orçamentária das universidades federais do País, o Future-se reúne uma série de ações que hoje já são há anos feitas pela maioria das instituições de ensino brasileiras. Por isso, reitores e especialistas estranharam não ter sido consultados para colaborar com o projeto.

 

Só que não: ‘Programa para universidades
é positivo e ousado’, diz Semesp

Valor Econômico; 17/07
http://bit.ly/2JDrrh4

O programa Future-se, que vai permitir que as universidades públicas captem recursos com o setor privado, é “positivo e ousado”, afirma o Semesp, sindicato das instituições particulares de ensino superior. Em nota, o presidente do Semesp, Hermes Ferreira Figueiredo, destaca que a proposta vem na direção do que a entidade tem defendido nos últimos anos.

 

Professor universitário poderá ser muito rico, diz secretário do MEC
Valor Econômico; 17/07
http://bit.ly/32E85jg

O secretário de Ensino Superior do Ministério da Educação (MEC), Arnaldo Barbosa de Lima Júnior, afirmou nesta quarta-feira que “o professor universitário poderá ser muito rico. Vai ser a melhor profissão do Brasil”. A declaração ocorreu durante o lançamento do programa “Future-se”, que visa ampliar a participação de verbas privadas no orçamento universitário. Segundo Barbosa de Lima, o empreendedorismo será a tônica do projeto, com recompensas para as principais inovações, a partir da consolidação de startups.

 


58% reprovam e 15% aprovam as políticas
do governo na educação, aponta pesquisa

G1; 19/07
https://glo.bo/2JQ3KB7

Uma pesquisa aponta que 58% dos entrevistados reprovam e 15% aprovam a atuação do governo federal na área de educação. Para 60%, a qualidade da educação no país é ruim ou péssima e 10% a consideram regular ou boa. O levantamento, feito em junho pela organização Todos pela Educação e pelo grupo Ideia Big Data, tem abrangência nacional e margem de erro de 3,15% para mais ou para menos. As perguntas foram aplicadas via telefone fixo ou celular. O nível de confiança é de 95%.

 

Educação é a área mais afetada
pelos cortes de orçamento por Bolsonaro

Rede Brasil Atual; 19/07
http://bit.ly/30FrcI7

Historicamente relegada a segundo plano no país, a educação é o setor mais atingido pelos cortes orçamentários do governo de Jair Bolsonaro (PSL). A pasta perdeu R$ 5,84 bilhões, que corresponde a 18,81% dos R$ 31 bilhões cortados até agora de 28 áreas, conforme um estudo do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) divulgado nesta terça-feira (16). Os pesquisadores levaram em conta dados extraídos no dia 12 de junho no portal do orçamento federal do Senado, o Siga Brasil.

 

Lista de espera do ProUni já está disponível para consultas
Estadão; 18/07
http://bit.ly/2LtJ2u9

A lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni) está disponível para consulta pelas instituições de ensino superior privadas participantes do programa, a partir desta terça-feira, 18.





Morre o economista e ex-ministro do Trabalho Walter Barelli
Valor Econômico; 19/07
http://encurtador.com.br/fqrBL

O ex-ministro e economista Walter Barelli morreu na noite de quinta-feira, uma semana antes de completar 81 anos. Ele estava internado desde o início de abril no Hospital Sírio-Libanês em São Paulo, depois de sofrer uma queda e bater a cabeça. Deixa três filhos, Suzana, Pedro e Paulo. Sob seu comando, o Dieese ganhou visibilidade e credibilidade. Foi, durante muitos anos, a instituição com mais prestígio em relação às estatísticas do mercado de trabalho. Sua atuação no órgão fez com que fosse preso pelos militares em 1979, mas diante da forte mobilização de políticos e sindicalistas, foi solto rapidamente. No período da redemocratização, Barelli participou também da elaboração de projetos para a Assembleia Nacional Constituinte.

 

Previdência: oposição vai tentar excluir
‘crueldades’ no segundo turno da votação

Rede Brasil Atual; 18/07
http://bit.ly/2JUm7on

Segundo a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), líder da minoria na Câmara, o texto da “reforma” da Previdência, aprovado pelo plenário da Câmara em primeiro turno na semana passada, ainda é “muito ruim” para a classe trabalhadora, em especial para os trabalhadores mais pobres – que terão que contribuir por 40 anos (no caso dos homens, 35 para mulheres) para alcançarem o valor integral dos benefícios –, e também para servidores públicos, com pedágio de 100% do tempo que falta para se aposentarem. A oposição vai tentar excluir esses e outros pontos “cruéis” da matéria, durante a votação da proposta em segundo turno.

 

Segunda fase da Reforma Trabalhista
tramita disfarçada no Congresso

Blog do Sakamoto; 17/07
http://bit.ly/30Hs52M

A Medida Provisória da Liberdade Econômica, editada por Jair Bolsonaro em 30 de abril, tornou-se um Cavalo de Tróia para uma segunda fase da Reforma Trabalhista. Inicialmente apresentada como uma proposta para desburocratizar a vida das empresas, a MP 881 foi ampliada com dezenas de propostas que alteram a Consolidação das Leis do Trabalho na comissão especial mista criada para analisá-la.

 

 


Artigo | Sociedade unida pela democracia
Folha de São Paulo; 19/07
http://bit.ly/2YfocVg

Por Mariana Belmont, Nicole Verillo, Oded Grajew e Ricardo Borges Martins: São preocupantes os sinais de redução do espaço de participação social, o fortalecimento de grupos avessos aos princípios da democracia e a redução da confiança nesse tipo de regime no Brasil e no mundo. Porém, ao contrário do que nos acostumamos a pensar, as democracias não têm acabado apenas por grandes rupturas, mas sim por meio de uma lenta e gradual erosão dos fundamentos da vida política e democrática.

 

Lista aponta 10 startups que mais se destacaram na área educação
Porvir; 18/07
http://bit.ly/30IIvrU

Dominar novas habilidades é cada vez mais importante diante de um cenário em que as profissões estão em constante transformação. Como reflexo dessa demanda, o ranking da 100 Open Startups, divulgado nesta quinta-feira (18), aponta que produtos e serviços voltados para formação e capacitação profissional estão em alta entre as startups de educação que mais se destacam no mercado nacional. Em sua quarta edição, o ranking quem mais se destacou no mercado corporativo, fechou contratos com grandes empresas e impulsionou o ecossistema de inovação no Brasil entre junho de 2018 e maio de 2019.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio