Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 25 de setembro de 2022

18 de março de 2021

18/03 – Feriadão anti-covid em São Paulo, Brasil lider de mortes na pandemia, USP adianta lista de aprovados, e mais: os balanços da Estácio e da São Judas

.

Sesi/Senai: defesa de direitos deve preservar as cláusulas do acordo coletivo! E mais, por conta da pandemia: férias coletivas a partir de segunda, dia 24, com pagamento antecipado – mas insistindo que a outra metade das férias deve ser em julho.
Campanha Salarial 2021, leia aqui:  https://bit.ly/3rVi5kt  

CORONAVÍRUS

Covas descarta lockdown em SP e diz que prefeitura deverá anunciar antecipação de feriados para conter avanço da Covid na cidade
G1; 18/03
http://glo.bo/3r0cQPp

Segundo prefeito, município não tem efetivo de segurança para implementar e fiscalizar cumprimento de regras mais rígidas. Covas também confirmou primeiro registro de morte de paciente na Zona Leste por falta de atendimento na capital. “Infelizmente a gente vê colapsando o sistema de saúde”, afirmou.

“No município é inviável decretar lockdown. A gente tem 1.000 guardas da GCM (Guarda Civil Metropolitana). É inviável fiscalizar se as pessoas estão saindo de casa com mil guardas”, disse Covas.

 

Para frear escalada da Covid, Covas vai antecipar 5 feriados em São Paulo
Folha de S. Paulo; 18/03
http://bit.ly/3qZThGW

A Prefeitura de São Paulo vai adiantar os próximos cinco feriados a partir de segunda-feira (22) na tentativa de diminuir a circulação de pessoas na cidade e, assim, tentar frear a disseminação da Covid-19 na capital paulista.

Os feriados que devem ser antecipados são Sexta-Feira Santa (2 de abril), Tiradentes (21 de abril), Dia do Trabalho (1º de Maio), Corpus Christi (3 de junho) e Revolução Constitucionalista (9 de julho).

 

Um ano de pandemia: drone mostra ruas de SP em março de 2020 e março de 2021

 


Lockdown é única saída para SP, dizem especialistas
Folha de S. Paulo; 18/03
http://bit.ly/2P8D8S0

Especialistas consultados pela Folha são unânimes em afirmar que São Paulo está atrasado para decretar o lockdown a fim de tentar conter a alta de contágio por Covid-19 no estado. A medida, considerada extrema, seria a única opção disponível para tentar frear a transmissibilidade do vírus neste momento, segundo os profissionais da saúde.

O governador João Doria (PSDB) chegou a afirmar na manhã desta quarta que medidas mais restritivas poderiam ser tomadas diante dos números elevados de casos e óbitos da Covid-19 no estado. Mais tarde, em coletiva no Palácio dos Bandeirantes, integrantes do Centro de Contingência da Coronavírus relativizaram o possível endurecimento da quarentena.

 

OMS aponta Brasil como atual líder de mortes pela covid-19 no mundo
Rede Brasil Atual; 18/03
http://bit.ly/2OJV4mk

O Brasil foi responsável por 21% das mortes decorrentes da covid-19 do mundo inteiro entre os dias 7 e 14 deste mês, segundo balanço publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quarta-feira (17). O país também lidera no número de novas contaminações entre todos os países.

 


MINUTO FEPESP

Fepesp; 18/03
Nas negociações desta *campanha salarial 2021*, ainda vamos discutir o reajuste e questões como a reforma do ensino médio, Assista agora no YouTube: https://youtu.be/yXKWwRJ0xJk

 


POLÍTICA EDUCACIONAL

Problema no sistema faz USP adiantar divulgação de aprovados; confira a lista
Agência Sindical; 16/03
http://bit.ly/3qWf2qT

Após um problema no sistema permitir que alunos acessassem o que seria a lista da primeira chamada dos aprovados no vestibular de 2021 da USP nesta quarta (17), a instituição resolveu adiantar a divulgação oficial do documento, antes prevista para a sexta (19).

Confira a lista dos aprovados aqui.

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Yduqs (Estácio) – cresce receita, matricula mais alunos, mas reverte lucro e tem prejuízo de R$ 102,6 milhões no 4º trimestre
Valor Econômico; 17/03
http://glo.bo/3qW7gNJ

A Yduqs (novo nome da Estácio) reverteu o lucro líquido de R$ 58,1 milhões registrado no quarto trimestre de 2019 e teve prejuízo de R$ 102,6 milhões no mesmo período do ano passado. A receita líquida avançou 14,4% entre os trimestres, para R$ 963 milhões. Já no acumulado do ano a receita somou R$ 3,85 bilhões, alta de 8,1%.

A base de alunos da Yduqs chegou a 762,6 mil no quarto trimestre, alta de 33,9% em relação ao mesmo período de 2019.

Do total, 661,3 mil são estudantes de graduação. O segmento cresceu 33,5% entre os trimestres, sendo que o ensino digital ampliou sua base de alunos em 63,4%, chegando a 350,7 mil estudantes. A graduação presencial teve avanço de 10,6%, para 310,7 mil alunos.

 

Anima (São Judas) tem prejuízo líquido de R$ 33,1 milhões no 4º trimestre
Valor Econômico; 17/03
http://glo.bo/38ToANk

A Anima Holding registrou prejuízo líquido de R$ 33,1 milhões no quarto trimestre do ano passado, o que representa alta de 16,9% ante o mesmo período de 2019. Entre janeiro e dezembro o prejuízo somou R$ 41,1 milhões, alta de 328,5% no comparativo anual.

A receita líquida da companhia de educação avançou 17,5% no comparativo trimestral, para R$ 375,9 milhões. Já no acumulado do ano a receita somou R$ 1,42 bilhão, alta de 20,4%. De acordo com a Anima, o aumento da mensalidade média e a expansão da base de alunos por aquisições foram responsáveis pelo aumento na receita líquida anual. O segmento de educação a distância (EaD) registrou queda de 9% no comparativo trimestral. Já o ensino básico e técnico alcançou 1.043 alunos ao fim do ano passado, alta de 1,16%.

 

Bairros pobres de SP têm 3 vezes mais mortes por covid
Valor Econômico; 17/03
http://glo.bo/3eTDPts

Educação, número de pessoas vivendo na mesma residência e renda determinam mortalidade por covid-19 em SP

Estudo feito por quatro pesquisadoras com base em 19,5 mil mortes por covid-19 ocorridas em São Paulo entre março e setembro do ano passado, na chamada primeira onda, confirma com números o que o senso comum já apontava: as regiões mais pobres são as que mais sofrem com a pandemia. Nelas, a taxa de mortalidade chega a ser três vezes maior que nas áreas mais ricas da cidade.

Menor renda per capita, maior número de óbitos – Ao traçar o perfil das vítimas da doença de acordo com a região onde elas viviam na cidade, as pesquisadoras – da área de saúde pública e demografia – identificaram que nos distritos em que mais de 10% da população tem renda per capita abaixo de um quarto de salário mínimo (até R$ 275) morreram 70% mais pessoas de covid-19 que nas regiões mais ricas. Aqueles com maior percentual de moradias precárias tiveram 53% mais óbitos pela doença. Nas habitações onde viviam mais de três pessoas por cômodo morreram mais que o dobro (110%) de pessoas do que em domicílios menos densos. E nas áreas com o menor percentual de moradores com curso superior, a taxa de mortalidade foi 113% maior

Outros achados das pesquisadoras: a mortalidade de homens foi 84% maior que a de mulheres; a de pessoas negras, 77% maior que a de brancas, e a de pardas, 42% maior que a de brancas.

“Os resultados revelam que as desigualdades sociais são marcantes na mortalidade por covid-19 em São Paulo”, diz a conclusão do estudo, que também aponta que a ação dos governos contra a pandemia não levou em conta esse fator, o que agravou ainda mais as disparidades na cidade.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio