17 de maio de 2019

17/05 – Greve continua repercutindo e governo estremece, retrocesso de uma década nas verbas das federais, a esquerda nas redes sociais, e mais.

.

Confira a cobertura da Federação sobre a greve de quarta-feira: http://bit.ly/2VEJE5u

 

 

E o poder transformador da educação uniu o Brasil
Rede Brasil Atual; 16/05
http://bit.ly/2HvEejq

Manifestações deste 15 de maio demonstraram ampla diversidade de pessoas e movimentos que, preocupados com o futuro do país, abraçaram uma causa. Grande passo para o 14 de junho em defesa Previdência.

 

Daniel Cara: ‘O bolsonarismo começou a acabar ontem’
Rede Brasil Atual; 16/05
http://bit.ly/2VFXV21

Na avaliação do coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, o tsunami da educação realizado nessa quarta-feira (15) contra os cortes orçamentários do governo federal deram início à derrocada do presidente Jair Bolsonaro. “Os cortes podem até continuar por algum tempo porque esse é um governo que não se preocupa com a população, mas o governo diminuiu muito ontem, em cinco meses. Não sei quanto tempo ele durará, pode ser que chegue até o final do mandato, mas certamente o bolsonarismo começou a acabar ontem”, enfatiza Cara.

 

Tsunami cívico nacional cobra respeito à Educação.
Bolsonaro perde
Agência Sindical; 16/05
http://bit.ly/2EgFlCL

O 15 de maio entrará para a história. Nesta data, o povo brasileiro reafirmou seu civismo em torno de uma causa nobre: a causa da Educação. Ruas, praças e pátios foram ocupados, desde as primeiras horas da manhã. Teve professor, funcionário de escola básica, de colégio técnico, de institutos, de universidades; teve pai; teve estudante; teve o cidadão comum.

 



Faculdades privadas devem ter mais um ano de receita fraca

Valor Econômico; 16/05
http://bit.ly/2EhWgF3

Com a crise econômica e menos recursos do Fies, programa de financiamento estudantil do governo, 2019 vai ser mais um ano difícil para o ensino superior privado. A receita líquida de Kroton, Estácio e Ser Educacional – os três maiores grupos educacionais com capital aberto, que juntos detêm 35% do mercado – patinou no primeiro trimestre e não deve apresentar ganhos expressivos no decorrer do ano. Nessas companhias, houve retração de 0,3% a 4,1% na receita proveniente dos cursos de graduação nos três primeiros meses do ano, quando ocorre o principal processo de captação de alunos.

 

4 desafios e 1 oportunidade para a Kroton após aquisição da Somos
Exame; 16/05
http://bit.ly/2YAH5P8

Os tempos de vacas gordas ficaram para trás na Kroton, o maior grupo de educação privada do mundo. A companhia anunciou nesta quarta-feira queda de 4,3% na receita líquida e de 34,2% no lucro líquido ajustado no primeiro trimestre. É a concretização de um momento difícil que vem da combinação de crise econômica com cortes sucessivos no Fies, o programa de financiamento estudantil do governo federal. A tendência é de novas baixas. O grupo espera que sua receita líquida caia 0,9% no ano, apesar da alta esperada de 14% no lucro líquido ajustado.

 

Estácio tem captação recorde de alunos em 2019
EM; 15/05
http://bit.ly/2VKHOjK

Num período marcado pela fraca atividade econômica e pelo encolhimento do Fies (programa federal de financiamento estudantil), a Faculdade Estácio conseguiu obter resultados expressivos em sua janela de captação de alunos. A instituição alcançou a marca de 187,1 mil novos alunos captados, patamar 12,6% superior ao mesmo período do ano passado. A base total de alunos cresceu 2,8%, alcançando 561,3 mil alunos ao fim do trimestre. “Essa foi a maior captação da nossa história, consequência do fantástico trabalho que fizemos ano passado”, diz Eduardo Parente, presidente da Estácio. “Ter conseguido esse desempenho num momento difícil para o setor me deixa particularmente animado com o futuro da Estácio”, disse.

 

Verba livre de universidades federais retrocede uma década
Folha de S. Paulo; 17/05
http://bit.ly/2EfCOc9

Com o bloqueio de despesas promovido pelo governo Jair Bolsonaro (PSL), as verbas de livre manejo nas universidades federais retrocederam ao patamar de uma década atrás. O contingenciamento de 30% dos recursos repassados pelo Tesouro Nacional reduziu o montante disponível para o custeio e os investimentos dessas instituições a R$ 5,2 bilhões neste ano.

 

Com novo decreto,
general poderá escolher reitores de universidades federais
Revista Fórum; 16/05
http://bit.ly/2HAUXSF

Assinado pelo presidente Jair Bolsonaro na terça-feira (14) e publicado nesta quarta-feira (15) no Diário Oficial da União, o decreto 9.794, que altera o sistema de nomeações para cargos no governo, dá a um general os poderes para vetar ou aprovar indicações para as reitorias de instituições federais de ensino superior. Agora cabe à Secretaria de Governo, pasta comandada pelo general Santos Cruz, avalizar não só a nomeação de reitores de universidades federais, como as de vice-reitores, pró-reitores e outros cargos de gestão, acabando com a autonomia universitária.

 

 

MP 873 é antissindical, inconstitucional e
traz ‘grave intervenção’ do Estado
Rede Brasil Atual; 15/05
http://bit.ly/2HvTWLw

A Medida Provisória (MP) 873, sobre contribuições sindicais, fere a Constituição e configura “grave e vedada interferência e intervenção do Estado na organização sindical”, afirma o Ministério Público do Trabalho (MPT), em nota técnica divulgada nesta terça-feira (14) pela Coordenadoria Nacional de Promoção da Liberdade Sindical (Conalis). Segundo o vice-coordenador, o procurador Alberto Emiliano, a MP “impede que os sindicatos estabeleçam livremente em seus estatutos, ou negociem e regulem formas de financiamento e de desconto em acordos e convenções coletivas de trabalho”.

 

Sede da Força Sindical é avaliada em R$ 12 milhões
e vai a leilão em São Paulo
Folha de S. Paulo; 17/05
http://bit.ly/2VtxZBz

Empresas de saúde e educação estão de olho no prédio da Força Sindical, na Liberdade, em São Paulo. Os sindicalistas colocaram o imóvel à venda diante da crise no caixa gerada pelo fim da contribuição sindical obrigatória — regra da reforma trabalhista endossada em medida posterior do presidente Jair Bolsonaro. O leilão ocorrerá na sexta (24). O imóvel foi avaliado em R$ 12,4 milhões, e o lance inicial, segundo a organizadora Frazão Leilões, é de R$ 9,9 milhões.

 


Sinpro ABC: Assembleia dos Professores da Metodista
Sinpro ABC; 16/05
http://bit.ly/2Ho9hPh

Hoje, sexta-feira, 17 de maio, às 19h30, acontecerá uma assembleia entre os professores da Metodista para avaliar a situação e traçar coordenadas do que fazer a seguir. Será no Campus Rudge Ramos, Rua do Sacramento, 230, São Bernardo do Campo. Pautas: a) audiência de conciliação no Dissídio Coletivo de Greve; b) informações gerais sobre a greve; c) formas de mobilização.

 

 


A invisibilidade da alfabetização e EJA
na agenda do governo Bolsonaro
Carta Educação; 16/05
http://bit.ly/30smMoA

Um dos poucos consensos sobre as responsabilidades sociais do Estado contemporâneo reside na garantia do direito à educação elementar dos cidadãos – independentemente de idade – e de oportunidades de alfabetização e educação continuada ao longo da vida. Esta responsabilidade está prevista na Meta 4 dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) 2015-2030 e é objeto de iniciativas globais coordenadas por organismos das Nações Unidas (ONU). Está também prevista nas metas 8, 9 e 10 do Plano Nacional de Educação (PNE) – Lei 13.005.

 

Presidente do Inep é demitido
Folha de S. Paulo; 16/05
http://bit.ly/2LPbBmU

O presidente do Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais (Inep), Elmer Vicenzi, foi demitido nesta tarde. Ele estava no órgão desde 29 de abril. O órgão é responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Segundo o Estado apurou, Vicenzi estava em meio a uma disputa com integrantes da procuradoria, a área jurídica do órgão, e acabou demitido. O ex-presidente defendia a divulgação dos dados produzidos pelo Inep, como avaliações e indicadores educacionais. A procuradoria é a favor de uma política de sigilo dos dados, que envolvem informações de alunos e escolas.

 

 



GPS Ideológico: Ao debater educação no Twitter,
esquerda é mais ativa e ‘puxa’ centro
Folha de S. Paulo; 16/05
http://bit.ly/2Q6Zno0

Os usuários do Twitter à esquerda foram mais ativos em mensagens relacionadas a educação nos últimos dias, período em que o governo Bolsonaro tentou explicar o contingenciamento na área e enfrentou protestos. Os que estão no centro tenderam a ser críticos ao presidente. Levantamento do GPS Ideológico, ferramenta da Folha que acompanha o debate político na rede social, aponta que usuários mais à esquerda postaram o triplo de mensagens referentes a educação, em relação aos que estão à direita.


Artigo |
A nova oposição digital
Estadão; 17/05
http://bit.ly/2WQPrkX

Por Pedro Doria: Fábio Malini, um dos coordenadores do Laboratório de Imagem e Cibercultura da Universidade Federal do Espírito Santo, captou um fenômeno interessante no Twitter. Foi por esses últimos dias. Aquilo que secundaristas publicam nessa rede social segue determinadas características. Ficam numa bolha à parte. Os seus textos são curtos, as reações emocionais seguem argumentos até simplórios. Em geral, seu tema predominante é entretenimento. Mas entre 9 e o 15 de maio das manifestações, os pesquisadores do Labic notaram uma mudança. Por um lado, num mesmo grupo de 170 mil perfis investigados, o conjunto de apoiadores do governo, responsáveis por 8% das postagens, se retraiu para ocupar 7% do espaço. E o grupo de adolescentes, que vivia lá em sua própria bolha, mudou. Os tuítes ficaram mais longos, começaram a retuitar gente de fora de seus círculos. Em cinco dias, se tornaram atores políticos — um grupo maior do que o dos governistas ativos.

 

Macron recebe líder indígena Raoni
e oferece apoio para proteger o Xingu
Folha de S. Paulo; 16/05
http://bit.ly/30nENEA

O presidente francês Emmanuel Macron recebeu nesta quinta-feira (16) o líder indígena Raoni e assegurou-lhe o apoio da França em sua luta para proteger a biodiversidade e os povos da Amazônia. Por ocasião da reunião, o Palácio do Eliseu anunciou que a França planeja sediar uma cúpula internacional de povos indígenas do mundo inteiro, provavelmente em junho de 2020. O chefe de Estado francês conversou por 45 minutos no Palácio do Eliseu com Raoni e três outros líderes da Amazônia —Kailu, Tapy Yawalapiti e Bemoro Metuktire — que realizam uma turnê na Europa até o final de maio. Ao final da reunião, eles levantaram os braços nos degraus do Eliseu.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio