Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 25 de setembro de 2022

17 de fevereiro de 2020

17/02 – Justiça determina intervenção na Uniesp/Universidade Brasil, MEC processa professores, a olimpíada de biologia – e mais.

.

CAMPANHA SALARIAL 2020:
AGENDA DA SEMANAA mobilização para a campanha salarial de professores e auxiliares na rede privada atua em todas as frentes nesta semana – veja o calendário:Ensino Superior
► Segunda-feira, 17/02, 13 horas:
Rodada de negociações com o patronal, no SemespSesi/Senai
► Terça-feira, 18/02, 9 horas
Discussão de novas cláusulas na pauta de reivindicações na negociação com o S/S, em preparação para a assembleia do ponto abonado em 28/02 (veja horários e locais aqui: http://bit.ly/2OrKSLU)

Educação Básica
► Quarta-feira, 19/02, 15 horas
Julgamento do dissídio de 2019, no Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (rua da Consolação, 1272 – audiência publica)

 

Uniesp/Universidade Brasil: Justiça determina intervenção do MEC em universidade investigada por fraudes e venda de vagas em medicina
Fepesp; 14/02
http://bit.ly/320IIsh

A Justiça Federal de Jales (SP) determinou na tarde desta quinta-feira (13) a intervenção do Ministério da Educação (MEC) na Universidade Brasil de Fernandópolis (SP). A instituição foi alvo de duas fases da operação Vagatomia. A primeira fase, que foi deflagrada no dia 3 de setembro, apurou denúncias de venda de vagas do curso de medicina e fraudes no Fies, Prouni e Revalida. A segunda foi realizada na manhã desta quinta-feira (13) e teve como principal alvo o advogado Adib Abdouni, que assumiu a reitoria da universidade após a prisão do ex-reitor e dono da instituição.

De acordo com a PF, Adib estaria ameaçando testemunhas envolvidas nas investigações. Por isso, ele foi afastado imediatamente do cargo por decisão da Justiça.

Com a intervenção, cabe ao MEC a nomeação de novos administradores, o que deve ser realizado em um prazo de cinco dias. O juiz também cita que, por causa de descumprimento de outras decisões, será aplicada uma multa diária no valor de R$ 50 mil contra a União.

Uniesp: Justiça manda rever todos os financiamentos do Fies e do ProUni da Universidade Brasil nos últimos cinco anos
Metro1; 17/02
http://bit.ly/2SPKzfk

O juiz Bruno Valentim Barbosa, da 1.ª Vara Federal de Jales (SP), determinou em caráter liminar que A União e Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fnde) reveja todos os financiamentos estudantis – Fies e bolsas do ProUni – concedidos nos últimos cinco anos a alunos e ex-alunos da Universidade Brasil, para apuração de possíveis fraudes.

O objetivo da determinação é apurar supostas irregularidades relacionadas à Operação Vagatomia, investigação sobre venda de vagas no curso de Medicina e fraudes no Fies e no ProUni de até R$ 500 milhões. A apuração deve durar seis meses e, a partir do resultado, o Ministério Público Federal deverá aplicar as ‘devidas responsabilizações penais’.

A Procuradoria também pediu que seja enviado à Justiça um relatório circunstanciado apontando o exato montante dos danos, para realização da cobrança dos valores fraudulentamente obtidos em desfavor do aluno/ex-aluno, da Universidade Brasil e Uniesp.


MEC processa 30 professores da UFF
Folha de S. Paulo; 17/02
http://bit.ly/321Jlle

O MEC abriu um procedimento administrativo disciplinar contra 30 professores da UFF (Universidade Federal Fluminense) para que eles expliquem um voto que deram há 12 anos sobre a carreira administrativa dos funcionários da instituição. Na ocasião, os mestres, que integravam o Conselho Universitário da UFF, decidiram que os funcionários aposentados deveriam ter os mesmos aumentos dos que estavam na ativa, seguindo os princípios da isonomia e da integralidade.

“É o maior abuso de autoridade que se comete contra a liberdade de manifestação e de voto nos Conselhos superiores da universidade pública”, diz Adriana Penna, da associação dos docentes da UFF. “É uma clara tentativa de intimidação e ataque à autonomia universitária.”

 

Levantamento mostra piora na educação, saúde e social no 1º ano de Bolsonaro
Carta Capital; 16/02
http://bit.ly/38ybW4g

O jornal analisou 104 indicadores do governo, que mostraram piores resultados em 58 deles comparado com 2018 ou outro período de comparação mais adequado, 41 registraram avanços e 5 permaneceram estáveis. O congelamento de recursos do MEC resultou em cortes de investimentos, como o cancelamento de 8% das bolsas de pesquisas.  O ministério intensificou os gastos no fim do ano, mas os investimentos em educação básica e superior regrediram. Enem 2019, primeiro sob Bolsonaro, teve problemas com as notas de milhares de participantes.

 

Sorocaba: Grito de Resistência
Sinpro Sorocaba; 14/02
http://bit.ly/2HI960R

Professoras e professores curtindo o PRIMEIRO GRITO DE RESISTÊNCIA que está sendo realizada na sede do Sinpro-Sorocaba, com música ao vivo, cerveja e espetinhos à preços populares!

 

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE BIOLOGIA: BUTANTAN ABRE INSCRIÇÕES
Mega; 17/02
http://bit.ly/2u4XIbY

A 16ª edição da Olimpíada Brasileira de Biologia será formada por duas etapas: a primeira fase conta com 30 questões de múltipla escolha, equanto a segunda contempla 100 questões, ambas sobre o mesmo conteúdo. O conteúdo programático com as matérias abordadas está disponível no site oficial da XVI OBB, e conta com temas como evolução, citologia, botânica e zoologia.  Inscrições aqui: http://olimpiadasdebiologia.butantan.gov.br/inscricoes-e-regulamentos

O cadastro dos alunos deve ser feito pelos professores, tanto da rede pública quanto da rede privada de ensino, até às 23h59 do dia 10 de março de 2020. Como exigência, os alunos devem estar devidamente matriculados no Ensino Médio até dezembro de 2020, além da idade limite que deve ser de até 19 anos.


“Escola sem partido” e o mal que ronda a educação
Estado de Minas; 17/02
http://bit.ly/2UWOEAT

Por João Batista Mares Guia: “De Brasília a Rondônia, a extrema-direita no poder e seguidores denunciam que um espectro ameaça a ordem e a virtude: o espectro do comunismo! Para combatê-lo, desejam impor a “ordem da ameaça”. Em tempos sombrios, quando a ameaça à democracia proveniente do próprio poder político encontra ressonância em parcela da opinião pública, a refutação do discurso da ameaça pelo discurso da razão argumentativa e pela resistência da sociedade civil precisariam ampliar a “voz”, perseverar e convencer. Onde está aquela potente e admirável sociedade civil que, sob a ditadura, ergueu a sua voz na década de 1970? Por que o silêncio dos reitores, da SBPC, da Academia Brasileira de Ciência, da Academia Brasileira de Letras, da CNBB diante da ameaça, patente na voz do próprio presidente e do ministro da educação?”

 

A ciência e o impacto para o Brasil do futuro
Folha de S. Paulo; 17/02
http://bit.ly/322bE2V

Artigo, por Denise Pires Carvalho, reitora UFRJ: “Destaco que as universidades de pesquisa devem se manter firmes na visão que justifica sua existência e que baliza seus objetivos estratégicos: disseminar a metodologia científica e proporcionar à sociedade os meios para cultivar, ampliar e difundir o saber humano de forma independente e emancipadora.”

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio