15 de maio de 2019

15/05 – Greve Nacional da Educação acontece hoje; saiba as pautas e os locais de protestos, cortes educacionais freiam redução de desigualdade, e mais.

.

Hoje é o dia! Organize-se, e saiba mais aqui: https://bit.ly/2UYnBBx

 

 

Começamos cedo neste 15 de Maio: Guarulhos, Indaiatuba, Campinas, ABC

 

 

O que é a greve nacional da educação; E quais as suas pautas
Jornal NEXO; 14/05
http://bit.ly/2vYcWwD

Estudantes, professores, pesquisadores, movimentos sociais e sindicatos fazem nesta quarta-feira (15) uma greve nacional. Além da paralisação das atividades por um dia, existem manifestações marcadas para todas as 27 capitais do Brasil e também em algumas cidades do interior. O tema central do protesto são as políticas e os cortes orçamentários do governo Jair Bolsonaro na área da educação. A paralisação é o primeiro ato organizado de rua que o governo Bolsonaro enfrenta. Antes, protestos contrários ao atual presidente, na educação ou outras áreas, vinham ocorrendo de forma segmentada.

 

Veja onde e quando ocorrem os protestos
contra os cortes na educação nesta quarta
Folha de S. Paulo; 15/05
http://bit.ly/2vY4WMp

Nesta quarta-feira (15), ocorrem em todas as capitais e grandes cidades do Brasil manifestações contra os cortes promovidos na educação pelo Governo Bolsonaro. A previsão do tempo é de frio e de chuva para boa parte do país. Confira abaixo a relação dos locais de protesto.

 

Artigo: Marianna Dias, presidente da UNE | 
Governo Bolsonaro é inimigo da educação
Folha de S. Paulo; 15/05
http://bit.ly/2JmWSxc

“Desde que assumiu o seu mandato, o resultado para a área é terrível e ameaçador. Enquanto acena em declarações para a retirada da autonomia das universidades, ao dizer que interviria na escolha de reitores, Bolsonaro ataca o ambiente das instituições e minimiza a importância da academia para a sociedade, atitudes refletidas na fala do ministro da Educação,  Abraham Weintraub, ao dizer que na universidade só existe “balbúrdia”. Sem pensar no futuro do país, o atual presidente corta 30% do orçamento das universidades federais e ainda usa de chantagem quando ameaça liberar os recursos somente se a “reforma” da Previdência for aprovada”.

 


Governo é derrotado e Câmara convoca ministro da Educação 
para prestar esclarecimentos
Folha de S. Paulo; 14/05
http://bit.ly/2YwTXFP

Em uma nova derrota para o governo na Câmara, o ministro deverá comparecer ao Congresso nesta quarta-feira (15). Inicialmente, ele falaria na comissão de educação, mas terá que prestar esclarecimentos aos 513 parlamentares. “Vamos ver quantos votos o governo tem”, debochou o líder da maioria, Aguinaldo Ribeiro (PP-AL), quando deputados do PSL pediram para fazer a votação nominalmente.

 

Cortes provocam autoexílio de cientistas brasileiros
Terra; 14/05
http://bit.ly/2vZ7IRB

Um estudo que pode indicar um novo tratamento para o Alzheimer, outro que tenta recriar novos corações ou parte deles para transplante, uma investigação sobre a adaptação de manguezais diante das mudanças climáticas. São alguns exemplos de inúmeras pesquisas produzidas por cientistas brasileiros que não conseguiram financiamento e tiveram que mudar para outro país para continuar o trabalho.

 


As vésperas de manifestação, 
Força Nacional cerca Ministério da Educação
Jornal de Brasília; 14/05
http://bit.ly/2YAhyFP

O prédio do MEC está com acessos fechados; o pedido de apoio veio da própria pasta, que espera um grande público para manifestação desta quarta-feira (15).

 

Escolas particulares de São Paulo vão parar em dia de protestos
Folha de S. Paulo; 14/05
http://bit.ly/2W2K6Kb

Algumas escolas particulares da cidade de São Paulo já anunciaram que vão suspender as aulas nesta quarta-feira (15), dia de protestos organizados por entidades estudantis e de docentes. Colégios como o Equipe, São Domingos e Santa Cruz decidiram cancelar as atividades. A Escola da Vila disse que apoia a manifestação, mas vai manter as aulas. Já o Bandeirantes e o Dante Alighieri, por exemplo, vão funcionar normalmente. A UNE (União Nacional dos Estudantes) convocou estudantes de todo o país para uma mobilização nacional contra os cortes de verba nas universidades federais anunciados pelo governo Jair Bolsonaro (PSL). Sindicatos ligados à educação já haviam anunciado paralisação e manifestações nessa data contra a reforma da Previdência.

 

 

Pelo 2º ano, professores recorrem à Justiça para manter direitos
Isto É; 13/05
http://bit.ly/2JDxsLa

Pelo segundo ano consecutivo, os professores da rede privada de São Paulo recorreram à Justiça para negociar os direitos trabalhistas da categoria. O sindicato das escolas quer alterar cláusulas da convenção coletiva que garantem 30 dias de recesso, tempo para direito à semestralidade e estabilidade na pré-aposentadoria. Sem acordo, os docentes entraram com uma ação de dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

 

Por direitos trabalhistas, 
professores da rede privada recorrem à Justiça
Exame; 14/05
http://bit.ly/2HqqnLq

Pelo segundo ano consecutivo, os professores da rede privada de São Paulo recorreram à Justiça para negociar os direitos trabalhistas da categoria. O sindicato das escolas quer alterar cláusulas da convenção coletiva que garantem 30 dias de recesso, tempo para direito à semestralidade e estabilidade na pré-aposentadoria. Sem acordo, os docentes entraram com uma ação de dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

 

Economistas destroem ‘mitos’ 
da ‘reforma’ da Previdência e lançam manifesto
Rede Brasil Atual; 14/05
http://bit.ly/2WJe17B

A “reforma” da Previdência do presidente Jair Bolsonaro e do seu ministro da Economia, Paulo Guedes, foi classificada como “afronta aos brasileiros” e “uma falácia” que não vai contribuir para o crescimento econômico, como alardeiam economistas do governo e da imprensa tradicional. Representa ainda a “destruição do sistema de Seguridade Social”, que prejudica ainda mais os prejudicados de sempre: negros e negras, os que mais sofrem com o desemprego e a informalidade. A avaliação é dos participantes do Encontro de Economistas em Defesa da Previdência Social, realizado nesta terça-feira (14) em Brasília.

 

Moro perde de novo e registro sindical 
vai ficar com Ministério da Economia
Agência Sindical; 14/05
http://bit.ly/2vY4DRL

No governo Bolsonaro, o ministro Sergio Moro, da Justiça, acumula derrotas seguidas. Seu plano nacional de segurança é cheio de furos e não consegue apoio no Congresso Nacional, ainda que majoritariamente bolsonarista. Derrota recente também seu deu na questão do Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras), que foi deslocado para o Ministério da Economia, ou seja, o colo de Paulo Guedes.

 

Nota em apoio aos trabalhadores em educação da Metodista do ABC
Contee; 13/05
http://bit.ly/2w16BAQ

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino — Contee, que representa mais de 1 milhão de professores e técnicos administrativos que atuam no setor privado de educação em todo o Brasil, manifesta seu apoio aos docentes e auxiliares de administração escolar da Universidade Metodista do ABC, bem como à diretoria do Sindicato dos Professores (Sinpro) do ABC, pela mobilização firme em defesa dos direitos da categoria.

 


Sinpro ABC | Fundação Santo André: Tribuna Livre
Sinpro ABC; 14/05
http://bit.ly/2Yup6JW

Em 6 de maio a Fundação Santo André desligou o reitor Francisco Milreu. No dia seguinte anulou também o concurso no qual o mesmo havia sido classificado em 1º lugar para uma disciplina da FAECO. A pressão do SinproABC, professores e funcionários, dos vereadores de Santo André, através de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) e do Ministério Público Estadual, que abriu inquérito para investigar a legalidade da participação e da aprovação do ex-reitor em concurso recente, aliadas a mobilização, foram decisivas para a queda do reitor.

 

 

Crise e cortes freiam redução 
de desigualdade no ensino superior
Folha de S. Paulo; 14/05
http://bit.ly/2HsZ0QB

O avanço do Brasil ao longo de mais de uma década em ampliar o acesso à educação superior, tornando-a mais representativa da população geral tanto em termos tanto de renda como de cor, foi interrompido pela crise econômica e os cortes orçamentários, indica pesquisa da economista Ana Luíza Matos de Oliveira. Se essa situação não for revertida, deve levar a mais concentração de renda, uma vez que o Brasil é um dos países do mundo em que a conclusão de uma graduação resulta em maior ganho salarial.

 

 

CENPEC: um novo portal de educação
CENPEC; 11/05
http://bit.ly/2YsFESB

Ao chegar aos 32 anos de vida, o CENPEC está com um novo site de internet, mais dinâmico e interativo. Formatado agora como um amplo portal de conteúdos, ele disponibiliza ao público os projetos, pesquisas e tecnologias educacionais desenvolvidos pela organização e dá vida nova ao seu acervo histórico de materiais pedagógicos, referência para educadores. O projeto está em desenvolvimento há seis meses e envolve uma equipe formada por técnicos em educação, jornalistas, comunicadores digitais e webdesigners, com apoio da empresa de tecnologia Codebit, responsável pela infraestrutura da plataforma e as suas funcionalidades.

 

 


Angeli e Laerte ocupam Paulista 
com charges sobre direitos humanos
Carta Capital; 14/05
http://bit.ly/2JIYBwq

No mês de maio, o paulistano que transita pela avenida cartão-postal da cidade vai passar por 30 murais de Laerte e Angeli, dispostos nos painéis da ciclovia, e ter que se manter atento ao movimento. É fácil se perder nas ilustrações dos dois nomes. A exposição “Direito do Avesso / Avesso do Direito” ocupa a Avenida Paulista com ilustrações sobre eleições, trabalho, saúde pública, educação, desigualdade, agrotóxicos, cidadania e outros. O projeto é idealizado pela União Geral dos Trabalhadores (UGT) e conta com produção de Maná Produções e DOC Galeria. Essa é a quinta vez que a Exposição de Maio, como ficou conhecida, toma o centro da via.

 

Guedes: Multa de quase R$ 3 bi da Petrobras pode ir para Educação
Valor Econômico; 14/05
http://bit.ly/2JlurzO

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na Comissão Mista de Orçamento (CMO) que o pagamento de multa da Petrobras à União para cumprir decisão judicial dos Estados Unidos deve ir para Educação. No ano passado a estatal fechou um acordo de US$ 853,2 milhões (estimado em R$ 3,6 bilhões) para o encerramento das investigações do Departamento de Justiça (DOJ) e da Securities and Exchange Commission (SEC).

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio