Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 13 de agosto de 2022

14 de outubro de 2019

14/10 – EAD ‘rouba’ alunos de cursos presenciais, empresas de educação recuperam valor, Enem 2019, e mais.

.

Dia da professora, do professor: assista agora, na TV Fepesp, aqui: https://youtu.be/uAbjcVRkeYc



Em 1 ano, ensino a distância rouba 120 mil alunos de cursos presenciais
Folha de S. Paulo; 14/10
https://bit.ly/2IMOrt6

O crescimento acelerado da educação a distância (EAD) tem contribuído para o encolhimento do ensino presencial no Brasil, o que pode mudar em pouco tempo o cenário da formação superior no país. Em um ano, quase 120 mil alunos migraram de uma modalidade para a outra. O número consta de estudo feito pelo Semesp (entidade das mantenedoras de ensino superior) com base nos microdados do Censo da Educação Superior feito pelo Inep (instituto ligado ao MEC).

 


TV Fepesp: Ensino a distância
Fepesp; 06/09
https://youtu.be/sjEYCkd-GrI

Neste programa a TV Fepesp discute essa questões, mostra como a educação a distância tornou-se um grande negócio, como isso afeta as condições de trabalho de professores e a qualidade do ensino, e a articulação da federação e sindicatos com o parlamento na discussão da precarização do ensino pela crescente mercantilização da educação privada no Brasil.

 

Criação de fundos para o Future-se pode colidir com planos de Guedes
Folha de S. Paulo; 14/10
https://bit.ly/2VDlMw0

Integrantes da equipe econômica temem que os fundos a serem criados pelo Future-se, do MEC, entrem em choque com o objetivo da pasta de Paulo Guedes de vender o máximo possível dos ativos da União à iniciativa privada. O Future-se prevê a criação de fundos patrimoniais, que seriam capitalizados com imóveis da União. A autorização de uso desses imóveis renderia verba para as universidades, nos planos do MEC. O desenho, no entanto, não chegou às mãos de Guedes e de seu time técnico.

 

Artigo | Educação superior e zebras gordas
O Globo; 14/10
https://glo.bo/2IOnN30

Por Roberto Imbuzeiro Oliveira: Em poucos anos, passamos de uma expansão enorme das federais e de custeio indiscriminado de estudantes brasileiros no exterior [6] para o possível colapso de financiamento à pesquisa e profundos contingenciamentos orçamentários das universidades [7]. Essa falta de previsibilidade é um problema muito sério e deveria estar ao alcance do MEC tratar dela. Exorto o ministro Weintraub a propor soluções para este desafio com precisão, competência técnica e sem dar margem a que se pense mal dos professores que se desdobram entre ensino, pesquisa, extensão e administração.

 

PSDB diz que Weintraub é a “doença terminal da Educação no Brasil”
Congresso em Foco; 13/10
https://bit.ly/32fh0au

O PSDB escreveu neste domingo (13) um comentário no Twitter no qual classifica o ministro da Educação, Abraham Weintraub, como “doença terminal da Educação no Brasil”. A mensagem foi uma resposta a um xingamento que Weintraub fez ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) no sábado (12). O ministro comparou o tucano à Aids durante discurso na CPAC Brasil. O chefe da pasta da Educação também relacionou as ideias defendida pela professora da Universidade de São Paulo (USP), Marilena Chauí, ao “discurso do Terceiro Reich” nazista.

 

Texto enganoso quadruplica valor
liberado por Bolsonaro para a Educação
Estadão; 11/10
https://bit.ly/35qWuFX

É falsa a informação que circula nas redes sociais de que o governo Jair Bolsonaro tenha liberado R$ 8 bilhões para a Educação no início de outubro. O texto confunde valores desbloqueados em despesas para todos os ministérios e superestima em mais de 300% a parcela de fato destinada ao Ministério da Educação (MEC), de R$ 1,9 bilhão. O conteúdo verificado pelo Comprova foi publicado em perfis no Twitter e no Facebook. As publicações acusam críticos do governo e estudantes que protestaram contra cortes na área de “silenciar” diante de um suposto desbloqueio de R$ 8 bilhões para a Educação. “Cadê a mídia pra dar uma nota sobre isso? Percebam que só falam coisas ruins?”, questiona um dos textos que viralizaram.

 



Bolsonaro resiste a incluir SP em programa de escolas militares
Folha de S. Paulo; 14/10
https://bit.ly/35zyK2g

O governo Jair Bolsonaro tem resistido a incluir o estado de São Paulo no projeto de escolas cívico-militares. A gestão João Doria (PSDB) não aderiu à ação dentro do prazo dado pelo Ministério da Educação (MEC) e depois recuou, pedindo a extensão do período de inscrições. Para o MEC, São Paulo fez pouco caso do programa e da gestão Bolsonaro. Com o impasse, o estado poderá ficar de fora da ação federal.


Polícia investiga servidor suspeito de usar
igreja para receber propina na máfia das creches
Folha de S. Paulo; 11/10
https://bit.ly/33rjtyP

Em nova fase de operação que investiga a máfia das creches, a Polícia Civil de São Paulo localizou um servidor municipal suspeito de ajudar entidades conveniadas a fraudar documentos para desviar verbas. Outro homem investigado é apontado como corretor de gestoras de unidades educacionais, criadas para revenda.

 


Top Picks: Recuperação das empresas de
educação está mais rápida do que o esperado
Terra; 12/10
https://bit.ly/2Bb9yS0

A reestruturação e os números divulgados recentemente pelas empresas de educação listadas na Bolsa parecem ter dado novo fôlego para as ações destas companhias. Pelo menos essa é a visão dos analistas que acompanham o segmento, ressaltando que a recuperação operacional apresenta um ritmo mais rápido do que o esperado.

 


Outubro Unificado: Semana do Professor está repleta de atividades
Sinpro Campinas; 11/10
https://bit.ly/32ablCF

Clique no link e confira a programação completa.

 

Jundiaí: novo convênio do Sinpro  
Sinpro Jundiaí; 11/10
https://bit.ly/2Mf78In

Professores associados ao Sindicato dos Professores de Jundiaí agora também contam com descontos na compra de óculos na Opt Óculos Jundiaí, na Rua Rangel Pestana, 39, no Centro. Conheça os convênios do Sinpro Jundiaí. Você é professora ou professor da rede privada de Jundiaí, mas ainda não se associou ao Sinpro?

 




Confira esta e outras charges no site da Fepesp: http://bit.ly/2HvT9vP.

 

 



Enem 2019: 10 temas de redação que podem cair na prova
UOL; 14/10
https://bit.ly/2VEvdLL

Não dá para adivinhar qual será o tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, mas é possível fazer algumas apostas. Neste ano, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, já revelou que o exame não cobrará temas “ideológicos”. Para a prova 2019, que acontece no dia 3 de novembro, os professores de cursos pré-vestibulares estimam uma prova mais conteudista, que deixe de lado pautas progressistas.

 

Enem 2019: 10 filmes que vão te ajudar a estudar para a prova
UOL; 11/10
https://bit.ly/2MeNlZC

Falta menos de um mês para as provas do Enem 2019 (Exame Nacional do Ensino Médio). Alguns estudantes já não aguentam mais estudar, outros estão apenas revisando apostilas. Mas ninguém é de ferro. Enquanto faz uma pausa nos estudos, que tal se divertir sem culpa? Você pode se preparar para a prova com a ajuda de um bom filme.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio