14 de agosto de 2019

14/08 – #13A leva 1,5 milhão às ruas, Câmara arrocha trabalho com MP881, MEC lança caderno com política de alfabetização, e mais.

.


Segundo a UNE, atos ocorreram em 205 cidades, de todos os estados, e levaram 1,5 milhão de pessoas às ruas.
Nova mobilização está marcada para 07/09.

 

Manifestações a favor da educação 
levam 1,5 milhão de pessoas às ruas
Veja; 13/08
http://bit.ly/2H5y4XW

Estudantes e professores que protestam, nesta terça-feira, 13, contra cortes no orçamento do Ministério da Educação se dispersaram na Praça da República, em São Paulo, por volta das 20h. No início da tarde, dois quarteirões da Avenida Paulista eram ocupados pelos manifestantes. Os grupos presentes também protestaram contra a reforma da Previdência, aprovada em primeiro turno na Câmara dos Deputados.

 

Protestos contra cortes na educação e 
a reforma da Previdência ocupam várias cidades
CBN; 13/08
http://bit.ly/2YXeJCs

Avenida Paulista foi tomada pela manifestação na altura do Masp. No Centro do Rio, profissionais da educação anunciaram uma greve geral. Região Central de Belo Horizonte também foi palco de ato contra o contingenciamento.

 

São Paulo: 13 de agosto, Dia Nacional 
em Defesa da Educação e da Previdência
SinproSP; 13/08
http://bit.ly/2TCqvgw

 

A educação e a resistência democrática: 
o mundo está de olho no Brasil
Rede Brasil Atual; 13/08
http://bit.ly/2Mexag5

A luta dos brasileiros em defesa do ensino público, dos direitos, da liberdade de organização e da democracia escreve mais um capítulo neste 13 de agosto, em 150 cidades do país. Um dos entendimentos do encontro foi a criação de uma frente internacional de proteção às organizações de trabalhadores, alvos de uma mundial de ataques.

 

Em ato contra cortes na educação em SP, 
esquerda retoma bandeira verde e amarela 
UOL; 13/08
http://bit.ly/2yZhvbC

Depois de manifestações anti-PT e pró-governo de Jair Bolsonaro (PSL) dominadas pelo verde e amarelo, estudantes de esquerda decidiram carregar hoje em São Paulo bandeiras do Brasil nas mãos e as cores dela no rosto. A linha de frente do ato na capital paulista contra os cortes do governo federal na educação estava repleta de jovens caras-pintadas, em imagem que lembrava as manifestações pelo impeachment do então presidente Fernando Collor em 1992.

 

 


Câmara aprova MP881, depois de alterações do relator
Rede Brasil Atual; 13/08
http://bit.ly/33xhxWm

Com alguns itens excluídos e outros alterados, como o que fala do trabalho aos domingos, o plenário da Câmara aprovou na noite desta terça-feira (13) o texto-base da emenda substitutiva à Medida Provisória 881, a chamada “MP da liberdade econômica”, vista até então como uma “mini-reforma trabalhista”. O relator da proposta, deputado Jeronimo Goergen (PP-RS), recuou no item sobre os domingos: ele havia alterado o texto original, prevendo pelo menos um folga nesse dia em no máximo sete semanas, mas manteve o período de pelo menos um domingo de descanso por mês. Pelo texto, não há pagamento em dobro em domingos e feriados se a folga for marcada para outro dia da semana.

 

MP da ‘Liberdade Econômica’ retira direitos, enfraquece 
fiscalização e facilita descumprimento da lei trabalhista
Repórter Brasil; 13/08
http://bit.ly/2H5elHW

Projeto promove continuação da Reforma Trabalhista. Além de acabar com pagamento em dobro aos domingos, texto enfraquece a fiscalização de empresas e a cobrança de direitos na Justiça, dificultando a punição a maus empregadores.

 

Senador vai ao STF contra ‘jabutis’ em MP da Liberdade Econômica
Jota; 13/08
http://bit.ly/2KyyYys

O senador Fabiano Contarato (REDE-ES) acionou o Supremo Tribunal Federal contra ‘jabutis’ na Medida Provisória 881, a MP da liberdade econômica. O senador alega que o Congresso feriu a Constituição ao inserir mais de 300 emendas na MP, incluindo temas alheios à MP original.

 

Indaiatuba: diretor do sindicato eleito para Fórum Municipal
Fepesp; 14/08
http://bit.ly/31Df6zA

O professor Gentil Gonçales Filho, presidente do Sinprovales – o sindicato dos professores de Indaiatuba, Salto e Itu – foi eleito nesta semana secretário do Fórum Municipal de Educação de Indaiatuba.

 

 



Caderno com orientações sobre a política de alfabetização 
deve ser divulgado nesta quinta, diz MEC
G1; 13/08
https://glo.bo/2YKUsk4

O Ministério da Educação deve lançar nesta quinta-feira (15) uma cartilha com orientações para prefeitos e governadores sobre a implementação da Política Nacional de Alfabetização (PNA). As novas orientações foram publicadas em 11 de abril, na cerimônia de 100 dias do governo Bolsonaro – a medida estava na lista de 35 prioridades para o período. Mas, passados quatro meses, elas ainda não foram implementadas em nenhum colégio.

 

 


Por ‘militância política’, Capes nega verba de apoio
a realização de congresso em Santa Catarina

Estadão; 13/08
http://bit.ly/2YNDyBl

Sob a justificativa de que os palestrantes e organizadores têm “elevada relevância para a comunidade de militância política na área do Direito”, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), órgão do Ministério da Educação (MEC), recusou financiar um congresso internacional sobre Constitucionalismo e Democracia. Segundo os organizadores, o evento sempre teve apoio financeiro da Capes em suas outras oito edições. A agência diz que a análise é feita por especialista na área.

 

Falta de recursos para a educação é preocupante, alerta Paim
Senado Notícias; 13/08
http://bit.ly/2Z46btp

O senador Paulo Paim (PT-RS) manifestou-se em Plenário, nesta terça-feira (13), contra os cortes orçamentários nas universidades federais e centros de pesquisa, que trarão graves consequências para a educação, na avaliação dele. Para o parlamentar, a situação se agrava a cada dia e a falta de recursos pode fazer as universidades interromperem as atividades, pois os bloqueios atingem de 15% a 54% da verba das instituições.

 

 



Na OAB, com ex-ministros, Magri denuncia selvageria neoliberal
Agência Sindical; 13/08
http://bit.ly/33xFNYd

O Seminário “Desregulamentação e Trabalho no Brasil” reuniu hoje (13), em Brasília, vários ex-ministros do Trabalho, como Antônio Rogério Magri, Carlos Lupi, Dorothea Werneck, Miguel Rossetto, Paulo Paiva e Ricardo Berzoini. O evento foi organizado pela Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas e Conselho Federal da OAB. Um dos eixos do encontro destacava a importância do extinto Ministério do Trabalho. Para o advogado Luís Carlos Moro, um dos coordenadores da iniciativa, “o mérito da reunião é juntar um elenco diverso de ex-ministros que sabem a diferença entre governo e Estado”. Segundo Moro, eles “têm noção de que o Ministério do Trabalho é um imperativo do Estado e não um bilboquê de governo”.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio