Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de junho de 2022

12 de julho de 2019

12/07 – Decisão sobre a ‘reforma’ pode demorar, acordos coletivos na mira, MEC e a militarização das escolas, e mais.

.

NOVO! No site da Fepesp: espaço para comentário, sugestão, denúncias – contato direto, respostas rápidas, o que for de sindicato encaminhado para os sindicatos integrantes.
Clique aquihttp://fepesp.org.br/noticia/fala-que-eu-te-escuto/. 

 



Sem concluir primeiro turno, 
Câmara pode terminar votação da Previdência apenas em agosto
Folha de S. Paulo; 12/07
http://bit.ly/2LOBdP2

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou a sessão na madrugada desta sexta-feira (12) sem concluir a análise em primeiro turno da reforma da Previdência. A tendência é que essa etapa seja encerrada na tarde desta sexta.

 

Reforma deve prever regras 
mais vantajosas para professores na ativa
Folha de S. Paulo; 11/07
http://bit.ly/2GbVJp0

O governo negocia com líderes da Câmara regras mais brandas de aposentadoria para professores que já estão na ativa. O texto-base da reforma da Previdência foi aprovado na noite desta quarta (10) por 379 votos a 131, mas a votação ainda não foi concluída. Faltam cerca de 20 destaques —instrumentos para que temas específicos sejam analisados separadamente.

 

Senadores articulam “PEC paralela” 
para incluir estados e municípios na Previdência
Diap; 11/07
http://bit.ly/2XJF7v1

Diante da resistência de deputados avalizarem a reinclusão de estados e municípios na reforma da Previdência no plenário da Câmara, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e lideranças da Casa começaram a articular acordo para que o endurecimento nas regras de aposentadoria e pensão de servidores municipais e estaduais seja feita por meio de “proposta paralela”.

 

Ato contra reforma une trabalhadores e estudantes, 
nesta sexta (12), em Brasília
CUT; 11/07
http://bit.ly/2SbgANZ

Como parte da agenda de luta unificada em defesa da aposentadoria, de uma educação pública de qualidade e por empregos, a CUT e demais centrais sindicais do país estão organizando um ato nacional nesta sexta-feira (12), em Brasília, em conjunto com a União Nacional dos Estudantes (Une), com concentração às 10 horas, no Museu Nacional.  Os manifestantes deverão seguir em passeata pela Esplanada dos Ministérios.

 


Relator da MP da ‘liberdade econômica’ 
cria ‘contratação anti-crise’ e quer suspender acordos coletivos
Rede Brasil Atual; 11/07
http://bit.ly/2LhXVQ4

Em nova investida contra direitos sociais, senador pretende derrubar normas que regulam jornada de trabalho e tornar Cipas opção do empregador. “Efeitos graves no mundo do trabalho”, afirmam entidades.

 




PMs podem dar aulas na rede pública?
TVT; 11/07
http://bit.ly/2JxmS84

Na TVT: Emenda constitucional promulgada na semana passada, abre precedentes para que policiais militares possam exercer a função de professores nas escolas da rede pública de todo Brasil. Para isso, além de capacitação, é necessário concurso público, diz Celso Napolitano em entrevista veiculada nesta quinta-feira, 11/07.

 

Plano de educação básica do MEC prevê 
108 escolas militares até 2023
Folha de S. Paulo; 11/07
http://bit.ly/2JRoNn5

O MEC (Ministério da Educação) pretende implementar 108 escolas militares até 2023. A ideia é que, a cada ano, haja 27 novas unidades do modelo, uma por unidade da federação. Chamadas de escolas cívico-militares pelo MEC, o modelo prevê a atuação de equipe de militares da reserva no papel de tutores —diferente das escolas militares, que são totalmente geridas pelo Exército.

 

 


Fim do ensino público gratuito? 
Governo anunciará programa para 
autonomia financeira de universidades
Valor Econômico; 10/07
http://bit.ly/32q1aKs

O governo federal lançará na quinta-feira da próxima semana um novo programa voltado ao ensino superior, chamado de Future-se, disse ao Valor o secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, Arnaldo Barbosa de Lima Júnior. O programa terá como objetivo o “fortalecimento da autonomia financeira das universidades e dos institutos federais afirmou nesta quarta-feira o secretário, durante participação na Conferência Internacional sobre Financiamento Vinculado à Renda. O evento é promovido em parceria entre o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a Universidade Nacional Australiana (ANU) e a Embaixada da Austrália no Brasil.

 

 



Após Previdência, destino do governo 
pode ficar nas mãos de Maia e Alcolumbre
Rede Brasil Atual; 11/07
http://bit.ly/2SfY8nx

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é “figura-chave” não apenas para compreender o sucesso da votação da “reforma” da Previdência na quarta-feira (10), como para o futuro do governo de Jair Bolsonaro (PSL). A opinião é do sociólogo Paulo Silvino, professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (Fespsp). “Ele sim está fazendo uma articulação. O Rodrigo Maia é uma figura importante, que sai maior de todo esse processo. É alguém de direita e que conseguiu articular, dialogou, então a sua capacidade de articulação é que fez com que esse projeto fosse aprovado”, disse Silvino.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio