Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 21 de maio de 2022

12 de abril de 2021

12/04 – nem todas escolas particulares querem reabrir na pandemia, Prefeitura quer processar movimento ‘escolas abertas’,  Metodista pede recuperação judicial, e mais: Le Monde mostra como EUA usou a Lava Jato

.

Campanha Salarial do Ensino Superior, terceira parte: já no segundo semestre, patronal recusa aceitar mediação para resolver o impasse. Entenda o que é mediação.

Esta é a terceira de uma série em quatro partes sobre a negociação na campanha salarial do Ensino Superior. Veja o início da série aqui:
– parte 1, cadê o reajuste?: https://youtu.be/7op2DEoq4nc
– parte 2, garantimos acordo de dois anos: https://youtu.be/kDanbx8-q0I

 

 

DEFESA DA VIDA

(Algumas) escolas particulares de SP decidem manter ensino remoto mesmo se houver permissão de reabertura
Folha de S. Paulo; 09/04
https://bit.ly/2OKRt7E

Escolas particulares de São Paulo decidiram que, mesmo se forem autorizadas pela prefeitura a retomar as aulas presenciais, vão continuar com o ensino remoto por ao menos mais uma semana.

Os diretores das unidades avaliam que a situação da pandemia na cidade é ainda bastante grave e comunicaram às famílias ter decidido ser mais seguro manter alunos, professores e funcionários em casa.primeira etapa da vacinação contra covid-19 dos profissionais da educação terá início na próxima segunda-feira (12/04) para educadores e funcionários de instituições públicas e particulares, com idade a partir de 47 anos.

O colégio Santa Cruz, no Alto de Pinheiros, zona oeste da cidade, enviou nesta quinta (8) uma carta aos pais explicando a decisão de prorrogar o ensino remoto por mais uma semana. A prorrogação das aulas remotas também já foi definida pelos colégios Equipe e Santa Maria.

A posição dessas escolas se contrapõe ao movimento que sindicatos patronais e um grupo de pais têm promovido para forçar a volta das atividades presenciais na capital. As entidades estão em um embate com Covas, já que ele decidiu adotar medidas mais restritivas para o ensino do que as previstas pelo Plano SP.

 

Gestão Covas aciona Ministério Público e diz que movimento Escolas Abertas confunde a população
Folha de S. Paulo; 08/04
https://bit.ly/3se2ID4

A Secretaria de Saúde da gestão Bruno Covas (PSDB) acionou o Ministério Público de São Paulo para que investigue o grupo Escolas Abertas por promover campanhas para incitar desrespeito às medidas de controle da pandemia.

Formado principalmente por mães de escolas particulares, o grupo tem divulgado ataques ao prefeito e secretários de Educação e de Saúde. Nas redes sociais, têm incentivado as escolas a abrirem as portas independentemente das determinações da prefeitura, alegando que o poder do prefeito é limitado a questões sanitárias.

Em mensagem recente, escreveram que “as Delegacias de Ensino não têm competência para questionar as escolas sobre a abertura conforme o Decreto Estadual. Nem mesmo o Decreto (ilegal) do Município de São Paulo atribui essa competência a tais entes. A escola abordada por autoridade incompetente deve denunciar!”

Em seu ofício, a prefeitura pede que a Procuradoria tome providências para apurar civil e criminalmente as condutas do movimento.

 

Volta às aulas em SP precisa ser responsável, diz movimento Escolas Abertas
Jovem Pan; 12/04
https://bit.ly/3g2laMu

A expectativa é grande entre pais e alunos com a volta às aulas em parte das escolas da capital paulista a partir desta segunda-feira, 12. Para a porta-voz do movimento Escolas Abertas, Isabel Quintella, as restrições das últimas semanas foram necessárias e agora é preciso retornar com responsabilidade.

“A gente tem que lembrar que essa volta é uma volta que exige cuidados, que exige protocolos de segurança, a gente não pode se esquecer disso, distanciamento social, uso de máscara, ventilação dos ambientes. A gente entende que essa volta gradual é importante para a segurança das famílias, para os alunos e para os profissionais da educação”, comenta. Os protocolos deverão permanecer, com a presença de até 35% dos alunos, em sistema de rodízio. Para a Educação Infantil, permanece o mesmo limite, mas sem rodízio. O retorno é opcional.


Mais de 50 mil trabalhadores da educação são vacinados em um dia na cidade de SP
Agora; 12/04
https://bit.ly/3s5uEJm

Em um dia, 50.388 profissionais da educação foram vacinados na cidade de São Paulo, segundo a SMS (Secretaria Municipal da Saúde). A imunização do grupo teve início no sábado (10). Somente no sistema drive-thru, foram aplicadas 11.762 doses.

Para receber a vacina, os profissionais devem fazer o cadastro na plataforma VacinaJá Educação (https://vacinaja.sp.gov.br/educacao). Até esta sexta-feira já foram cadastrados mais de 465 mil profissionais, sendo que 163 mil cadastros já estão validados e aptos a receber a primeira dose.

 

METODISTA

Dívida de R$ 500 milhões: Grupo Educação Metodista pedirá recuperação judicial
UOL; 10/04
https://bit.ly/3s6rkO1

Tradicional companhia no ensino superior e básico, a centenária Educação Metodista está perto de fazer seu pedido de recuperação judicial. Com dívidas de cerca de R$ 500 milhões e enfrentando dificuldades financeiras desde 2015, o grupo viu sua situação econômica se deteriorar em meio à pandemia de covid-19. Para conseguir preparar seu plano de recuperação, a controladora da Universidade Metodista, em São Bernardo do Campo (SP), protocolou uma medida cautelar na Justiça nesta sexta-feira, 9.

Esse movimento tenta garantir que os efeitos da recuperação judicial sejam antecipados – algo que a empresa vê como fundamental para ter fôlego para atravessar esse período. O pedido de recuperação já está sendo elaborado e a expectativa é de que seja protocolado em até 30 dias.

Para ganhar tempo, o grupo Metodista também venderá ativos não operacionais, essencialmente imóveis. “Temos ativos suficientes para nos dar um fôlego. São terrenos, imóveis, ativos que deixaram de ser operacionais”, afirma o diretor de operações estratégicas da Educação Metodista.

 

CORONAVÍRUS

Brasil registra 353,3 mil mortes por Covid; média móvel continua acima de 3 mil por dia
G1; 11/04
https://glo.bo/3dbsTX2

O país registrou 1.824 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas e totalizou nesta domingo (11) 353.293 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias chegou a 3.109. É a segunda maior média móvel de mortes já registrada, inferior apenas ao número de 1º de abril (3.119). Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +17%, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença.

Já são 81 dias seguidos no Brasil com a média móvel de mortes acima da marca de mil; o país completa agora 26 dias com essa média acima dos 2 mil mortos por dia; e já são 16 dias com a média acima da marca de 2,5 mil. Neste sábado e neste domingo, a marca de 3 mil foi novamente ultrapassada. A última vez em que isso havia acontecido foi em 2 de abril.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Câmara debate viabilidade de educação domiciliar nesta segunda
Diário do Poder; 10/04
https://bit.ly/327dOPM

A Câmara dos Deputados ouvirá representantes da área da educação em audiência pública na próxima segunda-feira (12). O objetivo é debater o Projeto de Lei 3179/12, de autoria do deputado Lincoln Portela (PL-MG), que viabiliza a implementação da educação básica domiciliar sob a responsabilidade dos pais ou tutores legais da criança.

A audiência pública está marcada para às 10h desta segunda-feira (12), a ser realizada no plenário 6 da Casa Legislativa.

 

Organizações tentam barrar aprovação da lei do ensino domiciliar
Metropoles; 08/04
https://bit.ly/3daoL9J

Uma nota técnica produzida pela Rede Nacional Primeira Infância (RNPI), constituída por mais de 200 organizações que atuam, direta ou indiretamente, pela promoção e garantia dos direitos das crianças, será entregue aos deputados federais nesta sexta (9/4).

A intenção do movimento é tentar barrar o avanço e aprovação do Projeto de Lei 3179/12, do deputado Lincoln Portela (PL-MG). O PL visa permitir que a educação básica (ensino fundamental e médio) seja oferecida em casa, sob a responsabilidade dos pais ou tutores legais.

 

Artigo: ‘Por que a educação em casa pode ser um equívoco’
Fepesp; 08/04
https://bit.ly/3t6cRD6

Por Patricia Lins e Silva, no site da Fepesp: “O movimento da ‘Escola Doméstica’ não tem nada a ver com a pandemia e com a necessidade da aprendizagem on-line. É um movimento anacrônico, de famílias conservadoras que querem negar aos filhos o direito de frequentarem a escola para mantê-los isolados, para que não sejam expostos e influenciados por visões de mundo diferentes”.

 

Milton Ribeiro anuncia Mauro Rabelo como novo secretário de Educação Básica do MEC
O Globo; 11/04
https://glo.bo/3uGADWI

O Ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciou na tarde deste domingo que o professor Mauro Rabelo assumirá o cargo de secretário da Educação Básica do Ministério da Educação (MEC).

Rabelo assume o cargo que foi deixado pela servidora de carreira do MEC Izabel Lima Pessoa, de quem ele era secretário adjunto. Pessoa pediu demissão em 29 de março alegando questões familiares. Ela perdeu o marido, vítima de Covid-19, há algumas semanas e por isso decidiu deixar o cargo.

 

 

Le Monde: como os EUA usaram Moro e a Lava Jato para seus próprios fins
Rede Brasil Atual; 11/04
https://bit.ly/3te8AgZ

Jornal mostra que o objetivo central da Lava Jato foi acabar com a ameaça representada pelo crescimento de empresas brasileiras, que punha em risco interesses dos Estados Unidos.

Conjur – O que começou como a “maior operação contra a corrupção do mundo” e degenerou no “maior escândalo judicial do planeta”, a operação Lava Jato na verdade não passou de uma estratégia bem-sucedida dos Estados Unidos para minar a autonomia geopolítica brasileira e acabar com a ameaça representada pelo crescimento de empresas que colocariam em risco seus próprios interesses.

A história foi resgatada em uma reportagem publicada na versão impressa do jornal francês Le Monde deste sábado (10). A matéria é assinada pelo jornalista Nicolas Bourcier e por Gaspard Estrada, diretor-executivo do Observatório Político da América Latina e do Caribe (Opalc) da universidade Sciences Po de Paris.

Assim, naquele ano, Sergio Moro foi convidado a participar de um encontro, financiado pelo departamento de estado dos EUA, seu órgão de relações exteriores. O convite foi aceito. Na ocasião, fez contato com diversos representantes do FBI, do Departament of Justice (DOJ) e do próprio Departamento de Estado dos EUA (equivalente ao Itamaraty). Para aproveitar a dianteira obtida, os EUA foram além e criaram um posto de “conselheiro jurídico” na embaixada brasileira, que ficou a cargo de Karine Moreno-Taxman, especialista em combate à lavagem de dinheiro e ao terrorismo.

Leia a matéria completa aqui: https://bit.ly/3te8AgZ

Original do Le Monde, em francês, aqui: https://www.lemonde.fr/international/article/2021/04/09/au-bresil-une-operation-anticorruption-aux-methodes-contestables_6076204_3210.html

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio