11 de novembro de 2020

11/11 – o 4º ano do ensino médio, greve de professores contra covid na França, feira do livro na USP, e mais: o congresso da língua portuguesa abre inscrições.

.


Não há como deixar a saúde, o trabalho, o processo educacional e pedagógico somente nas mãos de dirigentes patronais mercantis e irresponsáveis. É para defender a saúde, a educação e a dignidade que os educadores têm sua federação e seus sindicatos. Leia:  https://bit.ly/31QrmiQ
 

  

Novo 4º ano do ensino médio em SP atrai 10% dos alunos
Folha de S. Paulo; 11/11
https://bit.ly/3kmvldx

Dos 310 mil alunos da rede pública de São Paulo que vão se formar neste ano no ensino médio, 31 mil, ou seja, 10%, optaram por cursar o 4º ano opcional a fim de recuperar o conteúdo perdido em razão da pandemia do novo coronavírus e do consequente fechamento das escolas para aulas presenciais.

Os alunos devem estudar com colegas que estarão no 3º ano em 2021, mas com flexibilidade para montar seus currículos.

Essa nova série escolar foi criada pela secretaria estadual de Educação como uma tentativa de dar uma nova chance aos estudantes para que estejam mais preparados para prestar o Enem e os vestibulares. Neste ano, eles terão no máximo, a depender da cidade, dois ou três meses de aulas presenciais.

 

França: professores em greve por maior proteção contra covid
Prensa Latina; 10/11
https://bit.ly/3loVGZy

A França aguarda com atenção hoje o alcance em suas escolas e colégios de uma greve de professores convocada por vários sindicatos do setor para exigir uma proteção melhor contra a Covid-19, medida questionada por alguns pais.

Agrupados em um Intersindical, sindicatos como FSU, CGT, FNEC-FP-FO, Snalc e SUD pediram a paralisação das atividades de suas filiadas, insatisfeitos com o fortalecimento do protocolo sanitário anunciado quinta-feira pelo ministro da Educação Jean-Michel Blanquer, que promoveu o ensino a distância entre as ações.

A organização de pais de alunos Peep admitiu que os professores estão preocupados com o avanço da pandemia, mas defendeu o diálogo em vez da greve.

Para o Intersindical, as medidas do governo divulgadas por Blanquer são insuficientes, o que em sua opinião justifica a convocação à greve.

 

Santa Catarina: Professores de escolas particulares vão à justiça contra aulas presenciais
Portal Concordia; 10/11
https://bit.ly/3plEGpo

Os professores de escolas particulares foram à justiça para impedir o retorno às aulas presenciais em Santa Catarina. O Sindicato dos Professores do Estado de Santa Catarina (Sinproesc), que abrange os educadores de escolas privadas, ingressou com um recurso neste domingo (8) no Tribunal de Justiça (TJ). A ação pede a suspensão dos efeitos da liminar que determinou o retorno das aulas nas escolas particulares em todas as regiões, independentemente da faixa de classificação de risco.

O Sinproesc aponta que “nunca foi chamado para compor esse processo” e pede para ser incluído como terceiro na medida em que “esta decisão atinge os direitos dos professores e profissionais da educação”.

 

Rio de Janeiro: Professores da rede municipal mantêm greve
Agência Brasil; 10/11
https://bit.ly/3plEGpo

Professores de escolas públicas municipais do Rio de Janeiro decidiram hoje (10), em assembleia virtual, permanecer em greve para impedir o retorno às aulas presenciais. Os docentes irão manter o ensino à distância. A prefeitura pretende retomar as aulas presenciais, a partir do dia 17, de forma voluntária, para estudantes do 9º ano e anos finais do Programa de Ensino de Jovens e Adultos.

 

Guarulhos: Sindicato patronal tenta liminar na justiça para obrigar a retomada das aulas presenciais na educação básica
Sinpro Guarulhos; 10/11
https://bit.ly/2IoNyKk

O Sinpro Guarulhos tomou conhecimento de ação que o sindicato das escolas privadas – SIEEESP – move na justiça para tentar obter liminar que obrigue a retomada das atividades presenciais nas escolas privadas de educação básica, cuja audiência está marcada para esta quarta-feira às 15h.

Reafirmamos que o distanciamento social imposto pela pandemia é fato extremamente grave para a educação e para o trabalho de professores e professoras, não ignoramos os inúmeros prejuízos para os processos educacionais, mas seguimos convictos de que este não é o momento para retomada das atividades presenciais, seja pelo risco iminente, seja pela impossibilidade de recuperar perdas pedagógicas em pouco mais de um mês de atividades presenciais.

 


Inscrições abertas: 18º Congresso Brasileiro da Língua Portuguesa
SinproSP; 10/11
https://bit.ly/3lrB4QI

Realização da PUC-SP e do Sinpro SP. Mesmo diante da permanência de ainda grave cenário de saúde da população brasileira, esclarecemos que, por termos definido a realização do evento on line, o site do evento está no ar para darmos continuidade às novas inscrições, uma vez que todos que já se inscreveram terão sua inscrição aceita e os que ainda não haviam se inscrito, poderão fazê-lo.

Reiteramos que nossa decisão se deve ao fato de que a pandemia COVID-19 continua apresentando alto risco de contágio e evitar aglomerações torna-se uma medida fundamental para evitar sua propagação.

Feira de livros da USP online tem desconto mínimo de 50%
Agência Brasil; 09/11
https://bit.ly/3llVxGs
Link da feira: http://paineira.usp.br/festadolivro/

A tradicional feira de livros da Universidade de São Paulo (USP), iniciada hoje (9), será totalmente online na atual edição em razão da pandemia de covid-19. Os descontos, no entanto, permanecem os mesmos, de 50%, no mínimo, em todos os livros vendidos – que valem tanto para títulos dos catálogos das editoras quanto para os lançamentos.

O evento, virtual, acontece de forma ininterrupta até o dia 15 de novembro, às 23h59, com participação gratuita do público.

Clique aqui para acessar o site feira de livros. Cada editora tem uma página para se apresentar, exibir a relação dos títulos com desconto e direcionar os visitantes para suas respectivas lojas virtuais. As etapas seguintes (seleção dos livros, cadastro, carrinho, pagamento) acontecem diretamente no site da loja da editora, que define as próprias condições comerciais, como forma de pagamento, tipo e valor do frete e prazo de entrega.

 

Com dados incompletos em 3 estados, Brasil tem 204 mortes por covid em 24 h
UOL; 10/11
https://bit.ly/38yn8As

Com 204 óbitos por covid-19 registrados nas últimas 24 horas, o Brasil registrou mais um dia de queda na média móvel de mortes nesta terça-feira (10): -24% na comparação com 14 dias atrás. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte. Três estados, no entanto, não divulgaram seus números completos hoje —São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Desde a semana passada, o país vem tendo problemas com a divulgação de dados da covid-19 por causa de erros na plataforma e-SUS. Os relatos começaram depois que o sistema do Ministério da Saúde foi supostamente invadido.


Deputados querem explicações sobre chacotas de Bolsonaro com vacina

Rede Brasil Atual; 10/11
https://bit.ly/2GUlKgm

Deputados da oposição querem esclarecimentos detalhados sobre as circunstâncias em que os testes com a vacina Coronavac foram suspensos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na noite desta segunda-feira (9). Hoje, o presidente fez chacota com o imunizante desenvolvido pela China em parceria com o Instituto Butantan. Em resposta a um seguidor no Facebook, disse que a vacina “causa morte, invalidez e anomalia e que afirmou que teria ‘ganho’ mais uma disputa. O presidente, além de indiretamente festejar a morte de mais um brasileiro, limitou-se mais uma vez a politizar a grave crise de saúde pública, num ataque direto ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

 




Veja as propostas para a saúde dos candidatos a prefeito de SP
Agora; 10/11
https://bit.ly/3lldjK3

BRUNO COVAS (PSDB)

  • Reformar 150 unidades básicas de saúde na cidade, por meio do Programa Avança Saúde.
  • Construir seis novas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento)
  • Normalizar o tempo de espera por consultas, exames e cirurgias, já que os procedimentos eletivos foram adiados durante o período da pandemia

CELSO RUSSOMANNO (Republicanos)

  • Fazer convênio com hospitais, clínicas e laboratórios particulares para diminuir o número de pedidos de consultas, exames e cirurgias que estão parados
  • Implantar o teleatendimento nas unidades básicas de saúde para consulta entre médico generalista e médico especialista
  • Implantar o histórico clinico digital interligado em toda rede de saúde

GUILHERME BOULOS (PSOL)

  • Contratação imediata de mais médicos para atuar na rede municipal das periferias
  • Reabrir os hospitais municipais que estão fechados ou parcialmente abertos
  • Ninguém pode ficar mais de um mês aguardando consulta ou exame

JILMAR TATTO (PT)

  • Reverter a gestão direta da Secretaria Municipal da Saúde nos hospitais municipais e equipamentos de saúde
  • Valorizar as carreiras públicas dos trabalhadores do SUS na cidade com mecanismos de desprecarização do trabalho
  • Estabelecer metas de redução do tempo de espera para consulta médica especializada, procedimento de maior complexidade e internação eletiva, exame diagnóstico e cirurgias em geral

MÁRCIO FRANÇA (PSB)

  • Abertura de postos de saúde aos finais de semana e feriados para zerar filas de consultas e exames
  • Construção de 14 unidades de saúde menores que tenham como referência o conceituado Hospital Pérola Byington
  • Construção de 14 pequenas unidades regionais de fisioterapia, no modelo da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente)

ORLANDO SILVA (PC do B)

  • Fortalecer o SUS
  • Expandir a Atenção Primária em Saúde, porta de entrada para o SUS
  • Valorizar os servidores da saúde

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio