Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 25 de setembro de 2022

10 de maio de 2021

10/05 – Sindicatos exigem antecipação de 6,29% na Educação Básica, vacinação de professores vai mal em SP, homeschooling aumenta na pandemia, e mais: ‘bolsolão’, o orçamento secreto bilionário de Bolsonaro denunciado pelo Estadão

.

Educação Básica: patronal quer fatiar reajuste em três partes, dar um tico de PLR e ainda voltar para a convenção de 2018? Não dá – e mais, a antecipação salarial deve ser de 6,29%, e não 3,15% como quer o Sieeesp.

 

 

Em ritmo lento, vacinação de professores em SP é alvo de críticas e dúvidas
UOL; 08/05
https://bit.ly/2SzLFzb

Professores das redes públicas e privadas de São Paulo têm criticado a falta de previsão para as novas etapas de vacinação da covid-19. Sindicatos da categoria também têm questionado o recorte de idade usado pelo governo estadual para imunização. Os profissionais argumentam que é perigoso retomar as atividades presenciais sem a imunização.

“Eu e a maioria dos profissionais da educação acreditamos que a divisão por faixa etária não é justa, nem resolve o problema, pois todos somos convocados a trabalhar presencialmente”, disse a professora Paloma França, de 40 anos. Ela decidiu não retornar para a aula presencial e acredita que o ideal seria a imunização para todos, sem recorte de idade.

Os profissionais da educação são, ao todo, cerca de 875 mil —dos quais 350 mil entraram para a primeira leva.

 

SP avalia mudar critério para definir lotação máxima de escolas
Terra; 08/05
https://bit.ly/2SzMubf

O secretário estadual da Educação de São Paulo, Rossieli Soares, afirmou nesta sexta-feira, 7, que estuda mudar as regras de lotação das escolas para permitir que os colégios possam ser ocupados de acordo com a capacidade física do prédio. Hoje, as escolas podem receber só 35% dos alunos, calculados em relação ao total de matrículas e não em relação ao espaço físico das unidades.

Segundo a pasta, foram 1.229 infecções de professores para cada 100 mil docentes. O universo de docentes considerado engloba todos os professores da rede estadual ativos no ano de 2021, mesmo que não tenham ido à escola. Entre os alunos, são 27 casos para cada 100 mil e, entre os servidores, a incidência é de 719 casos para cada 100 mil. Considerando toda a comunidade escolar, a incidência é de 98 casos para cada 100 mil pessoas.

 

Bertioga: Retorno das aulas presenciais é adiado devido à pandemia
G1; 08/05
https://bit.ly/3f7Jafd

A volta das aulas presenciais foi adiada nas escolas municipais de Bertioga, no litoral de São Paulo. De acordo com a prefeitura, a decisão foi tomada com base na taxa de ocupação dos leitos de UTI Covid que está em 70%. Além disso, os trabalhadores da educação com mais de 47 anos ainda estão recebendo a segunda dose do imunizante e outros aguardam o período para a resposta imunológica.

O retorno das aulas presenciais estava previsto para esta segunda-feira (10).

 

Ribeirão Preto: secretaria de Educação vai distribuir chips com acesso à internet
A Cidade; 08/05
https://bit.ly/3f7Jafd

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, o prefeito Duarte Nogueira (PSDB) anunciou a distribuição de quase 23 mil chips com acesso à internet para alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental da rede municipal. Os chips com pacotes de dados móveis também serão entregues aos professores.

 

R G do Sul: Prefeitura de Porto Alegre diz que irá requisitar professores da rede privada para atuar em escolas públicas
G1; 08/05
https://bit.ly/3f7Jafd

O prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB), anunciou, nesta sexta-feira (7), que prepara um decreto requisitando professores da rede privada para atuar em escolas públicas. A medida é motivada pela greve de professores municipais contra as atividades presenciais, deflagrada nesta sexta. O texto deve ser publicado no Diário Oficial até segunda-feira (10).

Os sindicatos dos que representam professores municipais e da rede privada criticaram a medida. Já a entidade que representa as escolas particulares apoiou a proposta.

Segundo o município, as escolas particulares serão indenizadas. A prefeitura não divulgou quanto pretende desembolsar para viabilizar a medida. Professores municipais iniciaram greve nesta sexta (7).

 

Espírito Santo: sindicato aciona Justiça para impedir retorno das aulas presenciais em Vitória
Folha Vitória; 08/05
https://bit.ly/3f7Jafd

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo acionou a Justiça para impedir o retorno das aulas presenciais em Vitória, anunciado pelo prefeito da Capital, Lorenzo Pazolini, na última terça-feira (04). O Sindiupes afirmou que a decisão da administração municipal “desrespeita o mapa de risco, que determina a suspensão das aulas em municípios em risco alto”, como é o caso de Vitória. Nesta sexta-feira (07), um novo mapa de risco será divulgado e há expectativa de mudanças em relação ao retorno das atividades escolares.

 

CORONAVÍRUS

Covid mata um paulista a cada 6 minutos; óbitos passam de 100 mil no estado
Agora; 08/05
https://bit.ly/3tz6ffW

Mais de 100 mil pessoas morreram por causa da Covid-19 em São Paulo. A triste marca foi atingida no intervalo de 422 dias entre a primeira confirmação de um óbito pela doença em território paulista, em 12 de março de 2020, até este sábado (8), quando o número chegou a 100.649 mil óbitos, segundo dados divulgados nesta tarde.

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, do início da pandemia, em fevereiro de 2020, até a tarde deste sábado, 2.997.282 pessoas se infectaram com a doença nos municípios paulistas.

É como se, em média, 10 moradores do estado morressem a cada hora vítima da doença, ou 1 a cada 6 minutos —esse é, por exemplo, o tempo mínimo que uma pessoa aguarda na plataforma para embarcar em um trem da linha 7-rubi da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), na estação Brás.

 

Covid-19 grave em crianças pode se manifestar de forma atípica e com sintomas variados
Rede Brasil Atual; 08/05
https://bit.ly/3ewEu3h

Febre, tosse, cansaço e desconforto respiratório. Os sintomas clássicos da covid-19 já são bastante conhecidos da maior parte da população. No entanto, pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP identificaram que a forma grave de covid-19 em crianças e adolescentes, chamada de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), pode se manifestar de forma totalmente diferente e ser confundida com outras doenças, dificultando o diagnóstico médico. Entre os sintomas estão fortes dores abdominais, dores no peito e palpitação e convulsões, configurando três quadros diferentes da doença pulmonar que leva à Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

O estudo, publicado na revista científica The Lancet, se deu por meio de autópsias de cinco crianças e adolescentes que morreram de complicações da covid-19. Duas delas tinham doenças prévias e três eram consideradas saudáveis. As análises comprovam a presença de lesões causadas pelo novo coronavírus em todos os órgãos vitais do corpo, associadas à SIM-P. De acordo com a pesquisadora Marisa Dolhnikoff, que coordenou o estudo, o resultado reforça a importância de buscar o diagnóstico de covid-19 em crianças com febre persistente, mesmo que tenham manifestações clínicas diferentes.

 

 

TRABALHO

Patronal cede e negocia reajuste para Ensino Superior
Agência Sindical; 08/05
https://bit.ly/3uDVVoc

Após 15 meses de tentativas, representantes do sindicato patronal das instituições do ensino superior privado de São Paulo aceitaram negociar reajuste salarial e abono aos professores e funcionários administrativos da educação.

Segundo a Fepesp (Federação dos Professores no Estado de SP), o sindicato patronal Semesp (Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo) irá realizar assembleia para discutir os valores para o reajuste do ensino superior.

Para Celso Napolitano, presidente da Fepesp, ainda que tenha demorado, esse é um avanço na discussão da Campanha Salarial. “É uma proposta que pode ser considerada, mas tudo ainda deve ser discutido em detalhe”, explica o dirigente.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Pandemia movimenta cidades e estados a aprovar projetos de lei de ensino domiciliar
Folha de S. Paulo; 09/05
https://bit.ly/3uATjYp

Estados e cidades das cinco regiões brasileiras se movimentam para avançar com projetos de lei de ensino domiciliar durante a pandemia de coronavírus. Entre elas, ao menos nove capitais e quatro estados brasileiros apresentaram novos projetos de lei. Outros três municípios e o Distrito Federal aprovaram a modalidade no período.

Curitiba, Rio de Janeiro, Goiânia, Natal, Porto Alegre, Manaus, Fortaleza, São Luís e Belo Horizonte estão entre as capitais. Já os estados são Paraná, Rio de Janeiro, Goiás e a Bahia.

A obrigatoriedade do ensino a distância durante a pandemia impulsionou a agenda do chamado homeschooling pelo Brasil, tradicional entre grupos religiosos e conservadores. É também prioridade do governo Bolsonaro, que busca a aprovação do projeto de lei no primeiro semestre deste ano.

Nas justificativas, autores citam a pandemia como exemplo, ora para manter os pais que não querem enviar os filhos para escola dentro da lei, ora para reafirmar a legalidade da modalidade.

 

 

‘Bolsolão’:  Orçamento secreto bilionário de Bolsonaro banca trator superfaturado em troca de apoio no Congresso
Estadão; 08/05
https://bit.ly/33thg8b

Um esquema montado pelo presidente Jair Bolsonaro, no final do ano passado, para aumentar sua base de apoio no Congresso criou um orçamento paralelo de R$ 3 bilhões em emendas, boa parte delas destinada à compra de tratores e equipamentos agrícolas por preços até 259% acima dos valores de referência fixados pelo governo.

O flagrante do manejo sem controle de dinheiro público aparece num conjunto de 101 ofícios enviados por deputados e senadores ao Ministério do Desenvolvimento Regional e órgãos vinculados para indicar como eles preferiam usar os recursos.

“Minha cota”, “fui contemplado” e “recursos a mim reservados” eram termos frequentes nos ofícios dos parlamentares. Foi dessa última forma que a deputada e atual ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda (PL-DF), se dirigiu à Codevasf para definir o destino de R$ 5 milhões. “Não me lembro. Codevasf?”, perguntou ao Estadão.

Ao ler o documento, Flávia desconversou: “É tanta coisa que a gente faz que não sei exatamente do que se trata”. Nem tudo, porém, é registrado. O senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL) admitiu que “ditou” para o ministro Marinho onde R$ 7 milhões deveriam ser aplicados.

Na prática, a origem do novo esquema está no discurso de Bolsonaro de não distribuir cargos, sob o argumento de não lotear o primeiro escalão do governo. De um jeito ou de outro, a moeda de troca se deu por meio da transferência do controle de bilhões de reais do orçamento ao Congresso. Tudo a portas fechadas, longe do olhar dos eleitores.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio