Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 21 de maio de 2022

9 de março de 2021

09/03 – Campanha salarial na pandemia tem sessões de negociação nesta terça, 21 mortes por covid nas escolas em um mês, STF suspende aulas no RS, e mais: Lula livre, decide ministro do Supremo

.

Professoras, professores e auxiliares de administração escolar, tanto da rede pública como nas escolas particulares, enfrentam a volta às aulas.  Atual entrevista Celso Napolitano/Fepesp e Professora Bebel/Apeoesp.
Assista agora a entrevista, aqui: https://youtu.be/6aOS9HcxNqA   

VOLTA ÀS AULAS

Professores de escolas particulares de SP entrarão em greve se colégios continuarem abertos
Estadão; 08/03
http://bit.ly/3t6D6J5

Professores de escolas particulares de São Paulo entrarão em greve a partir de quinta-feira, 11, caso as atividades nos colégios não sejam suspensas. A paralisação foi decidida em assembleia realizada no sábado, 6. Consideradas serviços essenciais, escolas tiveram aval para continuar abertas mesmo na fase mais grave da pandemia no Estado de São Paulo. O Sindicato dos Professores de São Paulo (Sinpro) já registrou quatro mortes de docentes pela covid-19 após a volta às aulas.

Segundo o Sinpro-SP, manter exclusivamente as aulas remotas “é uma medida urgente e necessária diante da escalada da pandemia e da aceleração na taxa de contágio”. O sindicato deve enviar nesta segunda, 8, uma carta ao sindicato patronal com as reivindicações. Se a negociação não avançar, a greve terá início na quinta, informa o Sinpro-SP.

“Não estamos nos recusando a trabalhar, mas queremos trabalhar remotamente”, diz o professor Luiz Antonio Barbagli, presidente do Sinpro-SP.

 

Minuto Fepesp: hoje, 09/03, as negociações da campanha salarial na pandemia
Fepesp; 09/03
https://youtu.be/FLtAgPcVA5o

Hoje, terça-feira, 9 de março, teremos duas rodadas de negociação nesta Campanha Salarial 2021. E no topo da lista, neste momento crítico da pandemia, a questão é a preservação da vida. Clique na imagem para assistir.

 



Profissionais da educação protestam contra o retorno das aulas presenciais no Centro de SP

G1; 08/03
http://glo.bo/38nVDIW

Profissionais da educação fizeram um protesto no Centro de São Paulo, nesta segunda-feira (8), contra o retorno das aulas presenciais.

Os manifestantes se reuniram na Praça Charles Miller, no Pacaembu, na Zona Oeste da capital, e na Praça do Patriarca, na região Central.

Os manifestantes protestam pelos direitos das mulheres e denunciaram os casos de Covid-19 nas escolas. Segundo a organização, 89 educadores morreram vítima da doença.

 

Presidente do STF mantém decisão que suspende aulas no Rio Grande do Sul
UOL; 09/03
http://bit.ly/30qRcsG

Luiz Fux, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), negou o pedido que poderia liberar a volta às aulas nas escolas públicas e privadas do Rio Grande do Sul. Com isso, as aulas continuarão interrompidas enquanto estiver vigente a decretação da bandeira preta do Sistema de Distanciamento Controlado.


Cotia: prefeitura volta atrás e autoriza aulas presenciais em escolas particulares
Cotia&Cia; 08/03
http://bit.ly/30pm0Ka

O prefeito de Cotia Rogério Franco (PSD) revogou nesta segunda-feira (8) trecho do decreto que proíbe aulas presenciais em escolas no município e permitiu que escolas particulares do município possam manter o atendimento aos alunos.

No novo decreto o prefeito não justificou a mudança. Escolas estaduais permanecem com as aulas presenciais suspensas na cidade.


Escolas de SP registraram 21 mortes e 4.084 casos de Covid-19 em um mês, diz governo
Folha de S. Paulo; 09/03
http://bit.ly/38lyeb6

No primeiro mês de retorno das aulas presenciais em São Paulo, as escolas públicas e particulares registraram 4.084 casos confirmados de Covid-19 e a morte de 21 pessoas —entre alunos, professores e funcionários— em decorrência da doença.

Ao todo foram registrados 24.345 casos suspeitos de coronavírus nas unidades escolares. Os dados da escolas municipais da capital não são registrados no sistema estadual.

Os dados são da Secretaria Estadual de Educação, que criou o Simed, sistema de notificação obrigatório para as escolas particulares e estaduais para casos suspeitos e confirmados da doença.

A maioria dos casos confirmados (59%) está em escolas estaduais, seguido pelos colégios particulares (37%) e pelas unidades municipais (3%), com a ressalva de não entrarem na conta as da capital. Além disso, das 645 cidades paulistas, 400 são obrigadas a notificar os casos no Simed por terem seus sistemas de ensino regulados pelo estado.


CORONAVÍRUS

Brasil supera média de 1.500 mortes por dia da covid-19
Rede Brasil Atual; 08/03
http://bit.ly/38jdEID

O Brasil registrou hoje (8) a maior média diária de mortes por covid-19 desde o início da pandemia, em março de 2020. Em cada um dos últimos sete dias, morreram, em média 1.525 brasileiros vítimas do coronavírus. A maior média móvel de óbitos já atingida pelo país.Os números foram divulgados pelo Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass).

Nas últimas 24 horas morreram 987 brasileiros, de acordo com as secretarias estaduais. Embora elevado, o balanço às segundas-feiras tende a ser inferior à realidade, já que existe um número reduzido de profissionais ativos aos domingos da área Saúde, incluindo laboratorial. Desde o início do surto, morreram 266.398 brasileiros, sem contar a subnotificação, já que o Brasil testa pouco seus cidadãos.

 


O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Arco vence disputa com Cogna e compra COC e Dom Bosco por R$ 920 mi: o que isso significa para o setor de educação?
InfoMoney; 08/03
http://bit.ly/3v8aZv6

Conforme destaca a Levante, com a presença cada vez menor do programa de financiamento estudantil FIES no balanço das gigantes de educação, o foco das empresas vem migrando para segmentos mais específicos do nível superior que possuem um baixo grau de evasão. Dentre eles, medicina e educação básica, este último que não depende de financiamento estudantil pesado, sendo um segmento mais resiliente e essencial na economia.

O movimento mais forte na educação básica tem sido liderado pela Arco e pela Cogna, sendo que esta última fez a abertura de capital da Vasta Educação em julho. A Vasta, apontam os analistas, ainda parece mirar aquisições interessantes e começa a ensaiar um movimento já feito pela Arco de adquirir concorrentes.

“Enxergamos como positivo este movimento no setor de educação para as empresas citadas, de modo que o foco maior em segmentos mais específicos tende a ter um ganho de escala e eficiência para a operação”, avalia a Levante. A transação ainda passará pelo aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), assim como a troca de ativos pela Eleva e Cogna, anunciada em fevereiro.

 

Grupo de educação Pearson muda estratégia e mira acesso direto a consumidores
Terra; 08/03
http://bit.ly/30t0jJf

O novo chefe da empresa britânica Pearson, Andy Bird, anunciou nesta segunda-feira seu plano para o grupo de educação crescer além das escolas e faculdades, com uma estratégia para construir uma conexão direta com os consumidores, ajudando profissionais a aprender novas habilidades e retreiná-los.

Criada na década de 1840 como empresa de construção, a Pearson se reinventou várias vezes ao longo do tempo e agora tenta navegar na mudança do aprendizado analógico para digital.

Focada puramente na educação, a empresa sofreu grandes interrupções à medida que os alunos, principalmente nas faculdades dos EUA, passaram a comprar livros de segunda mão e usar programas online mais baratos, atingindo seus lucros.

O grupo Pearson (líder mundial no setor e vendedora da COC e Dom Bosco) hoje se concentra no ensino de idiomas com as bandeiras Wizard, Yázigi e Skill.

 

 

Processos contra Lula são anulados e ex-presidente pode voltar à disputa eleitoral
Rede Brasil Atual; 08/03
http://bit.ly/3c7L5Pe

Os processos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foram anulados. O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin concedeu nesta segunda-feira (8) habeas corpus em que declara a incompetência da 13ª Vara Federal de Curitiba, do ex-juiz Sergio Moro, para julgar os processos do tríplex de Guarujá, do sítio de Atibaia, do Instituto Lula e de doações ao instituto. De acordo com o site Jota, “o ex-presidente fica, assim, elegível segundo a Lei da Ficha Limpa”.

Na decisão, Fachin declara “nulidade” dos atos decisórios. E a perda de objeto de 10 habeas corpus impetrados pela defesa de Lula, que questionavam a conduta da Justiça. Isso inclui a suspeição de Sergio Moro. Esse habeas corpus concedido por Fachin foi apresentado pelos advogados do ex-presidente, Cristiano Zanin e Valeska Martins, em 3 de novembro. A defesa de Lula informou à coluna de Mônica Bergamo, do portal UOL, que está tomando ciência da decisão no STF e depois vai se manifestar.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio