8 de maio de 2019

08/05 – Fepesp demonstra verdade verdadeira das negociações, MP responsabiliza empregado em acidente de trabalho, governo sem planos para a educação, manifestos internacionais contra Bolsonaro, e mais.

.

Foi aprovada esta carta rebatendo, ponto a ponto, a nota do Sieeesp que nega ter recuado de suas propostas. São mentiras, e, nesta nota, assinada por todos os sindicatos, restabelecemos a verdade dos fatos: http://bit.ly/2WrIffa

 

 

 

Gestores de Educação de SP participam da Greve Geral em 15 de maio
Agência Sindical; 07/05
http://bit.ly/2H9Uyr9

Os profissionais de Educação preparam uma Greve Nacional no dia 15 de maio contra a reforma da Previdência de Bolsonaro. Por todo o País, já acontecem manifestações e apoio ao movimento. O Sindicato dos Especialistas de Educação do Ensino Público Municipal de São Paulo (Sinesp) também irá participar. “Estamos mobilizando a nossa categoria para combater a reforma da Previdência. Para nós é a PEC da morte”, disse à Agência Sindical, Maria Benedita de Castro de Andrade (Benê), vice-presidente da entidade.

 

Funcionalismo: professor pode parar contra reforma da Previdência
Agora; 08/05
http://bit.ly/2YjL3LV

Os sindicatos e entidades estaduais, municipais, públicas e privadas da Educação do estado de São Paulo podem parar, no próximo dia 15 de maio, em protesto contra a reforma da Previdência. A categoria deve aderir à Greve Nacional da Educação. Os professores representados pela Apeoesp (sindicato dos docentes estaduais) e pelo CPP (Centro do Professorado Paulista) já confirmaram adesão. No caso das universidades, também deverá haver um dia de paralisação em 15 de maio. Os sindicatos convocaram os trabalhadores para um ato unificado às 14 horas, em frente ao Masp.

 

MP quer que acidente a caminho do trabalho 
não seja assumido por empresa
Folha de S. Paulo; 07/05
http://bit.ly/2Lxs0vV

O governo usou a MP (medida provisória) do pente-fino no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para propor que não sejam mais consideradas acidente de trabalho aquelas eventualidades que ocorrerem no percurso de casa para a empresa ou no trajeto de volta para a residência. Aliado do presidente Jair Bolsonaro, o relator da MP, deputado Paulo Martins (PSC-PR), apresentou, nesta terça-feira (7), o parecer pela aprovação do texto, mas com alterações à versão original. O relatório foi produzido em reuniões com técnicos da equipe econômica.


Fundação Santo André anula contrato de trabalho do reitor
Diário do Grande ABC; 06/05
http://bit.ly/2LuZQ4A

A FSA (Fundação Santo André) tornou público nesta segunda-feira (6), por meio de nota oficial, o anúncio de que o até então reitor, Francisco José Santos Milreu, teve seu contrato de trabalho, assinado em 1990, anulado por falta de documentação que comprovasse sua aprovação em concurso público – o que é proibido por lei. Em seu lugar ficará o pró-reitor da Fundação Santo André, Rodrigo Cutri.Alvo de polêmicas, Milreu é investigado desde dezembro de 2017, quando teve início apuração nos contratos de trabalho da FSA, que tinha como objetivo levantar, com urgência, todos os funcionários que ingressaram na instituição sem prestar concurso público.

 


Sinpro ABC: Passeata de professores da Metodista 
toma as ruas de São Bernardo
Sinpro ABC; 07/05
http://bit.ly/2VT9Hp4

Uma grande manifestação tomou as ruas do bairro Rudge Ramos, ontem à noite, em São Bernardo do Campo. Unidos os professores e professoras somaram forças com os estudantes e protestaram contra os salários atrasadas. Os alunos se juntaram aos docentes e engrossaram a passeada em favor do ensino de qualidade e exigindo o pagamento em dia. O protesto, definido em assembleia realizado pelo SinproABC – Sindicato dos Professores do ABC, pedia que a Instituição cumprisse a cláusula do Acordo Coletivo e honrasse o pagamento de salários até o 5. dia útil de cada mês e regularizasse o depósito do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS.

 

Sinpro Campinas : 10/05 – Roda de Conversa com João Vicente Goulart
Sinpro Campinas; 07/05
http://bit.ly/308oviC

Na sexta-feira, dia 10, o Sinpro Campinas e região receberá João Vicente Goulart, autor do livro ‘Jango e eu, memórias de um exílio sem volta’, para participar da Roda de Conversa sobre a conjuntura política atual. O evento é aberto e gratuito, acontece às 10h00, na sede do Sindicato. Toda a categoria está convidada a comparecer.


Sinpro Sorocaba: O teatro de bonecos e a qualidade da educação
Sinpro Sorocaba; 07/05
http://bit.ly/2PVmu4P

O bonequeiro e pesquisador Oscar Goldszmidt, 82 anos, apresenta “o teatro de bonecos e a educação – a prática em sala de aula”. Neste bate-papo, ele irá relatar uma oficina realizada com teatro de bonecos que abordou o tema “bullying” em uma escola pública em Sorocaba. A atividade estimulou os estudos e produziu melhora no desempenho escolar dos participantes. O teatro irá ocorrer na próxima quarta-feira (15), das 19h às 21h30, no Sesc Sorocaba, que se localiza à rua Barão de Piratininga, 555, Jardim Faculdade.

 

 


Governo ainda não tem posição sobre fundo 
para o ensino básico
Folha de S. Paulo; 08/05
http://bit.ly/2H8sZ1y

Um dos principais pontos a respeito da renovação do Fundeb, mecanismo central do financiamento da educação básica no país, é também aquele que representa a maior dúvida com relação à posição do governo Jair Bolsonaro (PSL): o aumento da complementação financeira por parte da União.  O fundo, que hoje representa 40% do que é gasto com os estudantes da creche até o ensino médio, vence no ano que vem, e a discussão oficial no Congresso vai começar nesta quarta-feira (8), quando a Câmara instala a comissão especial que trata do tema.

 

Colégios militares não terão corte de recursos, diz porta-voz
Estadão; 06/05
http://bit.ly/304RRPe

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, afirmou há pouco que o presidente Jair Bolsonaro não cortará recursos de colégios militares, apesar do contingenciamento no Ministério da Educação (MEC) de 30% de instituições federais de ensino. As unidades militares estão vinculadas ao orçamento do Ministério da Defesa, por meio do Exército Brasileiro.


Positivo assina compromisso de venda 
de sistema de ensino para Arco
Folha de S. Paulo; 07/05
http://bit.ly/2YhRDCG

O Grupo Positivo acertou nesta terça-feira (7) a venda do seu sistema de ensino para o grupo brasileiro Arco Educação, pelo valor de R$ 1,65 bilhão. Atual líder do mercado, o Positivo possui 650 mil alunos e 3.000 escolas conveniadas. A transação ainda tem que ser aprovada pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), o que deve ocorrer em até seis meses, mas os conselhos administrativos dos grupos já fecharam o acordo.

 

 


Expansão do ensino superior nos governos passados 
foi ‘uma tragédia’, afirma ministro da Educação
O Globo; 07/05
https://glo.bo/2JymgQb

O ministro da Educação , Abraham Weintraub, classificou como um desastre o modelo de investimento em educação dos governos que antecederam o do presidente Jair Bolsonaro, em especial as políticas de incentivo ao ensino superior. Weintraub participou, na manhã desta terça-feira, de uma audiência pública na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) do Senado Federal, onde apresentou as diretrizes e os programas prioritários da pasta. Na avaliação de Weintraub, os governos passados expandiram o Ensino Superior sem antes priorizar as etapas da educação infantil e básica. “A gente aqui no Brasil quis pular etapas e colocou muitos recursos no telhado antes de ter a base da casa”, disse.

 

Acadêmicos do exterior criam manifestos contra medidas de Bolsonaro
Estadão; 07/05
http://bit.ly/2PYnoh6

A redução de recursos para faculdades de Filosofia e Sociologia no Brasil, anunciada pelo presidente no fim do mês passado, motiva abaixo-assinados com acadêmicos de ponta da Europa e dos Estados Unidos. Nesta segunda-feira, 6, na edição digital do jornal francês Le Monde, veio a público um texto que tem entre  os signatários a norte-americana Judith Butler, que já esteve no Brasil e é uma das principais pensadoras contemporâneas do feminismo. Do outro lado do Atlântico, outro manifesto, capitaneado por acadêmicos da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, passou dos 13,8 mil signatários, incluindo representantes do Brasil. O texto critica medidas de Jair Bolsonaro na área de Educação e pede que o governo reconsidere suas ações. “Nós nos opomos à tentativa do presidente Bolsonaro de desinvestir na Sociologia, ou em qualquer outro programa nas Ciências Humanas ou Sociais.”

 

 

Kafka ou cafta? 
Ministro da Educação confunde escritor com prato árabe
Carta Capital; 07/05
http://bit.ly/2YgKD8K

Weintraub falava sobre as sanções administrativas que sofrera na Unifesp, onde dava aulas de Economia, quando fez a confusão. “Eu sofri na pele um processo inquisitorial. E fui inocentado. Durante oito meses eu fui investigado, processado e julgado num processo inquisitorial e sigiloso. Que eu saiba, só a Gestapo fazia isso. Ou no livro do cafta ou na Gestapo”, disse, criticando a falta de acesso ao caso.

 


MEC mostra que segue à risca cartilha 
de Paulo Guedes e sua irmã
Rede Brasil Atual; 07/05
http://bit.ly/2PSvGqA

O corte de 30% do orçamento das 68 universidades e 40 institutos federais para atender à Lei de Responsabilidade Fiscal e o teto de gastos, que enfraquece o ensino mantido pelo governo federal, tem suscitado muito mais do que manifestações de estudantes e professores: a desconfiança de conflitos de interesses envolvendo o ministro da Economia de Jair Bolsonaro (PSL), Paulo Guedes, e sua irmã Elizabeth Guedes. O empresário Paulo Guedes, que comanda a pasta de onde saíram os cálculos dos valores a serem contingenciados – como prefere o governo – tem no currículo ligações diretas com o setor educacional privado.

 

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio