Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de junho de 2022

6 de agosto de 2020

06/08 – Câmara de SP quer pais decidindo volta à escola, Fundeb no Senado, MEC demite olavista – e mais.

.

Centrais promovem Dia de Luta em defesa da vida e do emprego
Agência Sindical; 06/08
https://bit.ly/31nk9WB

As Centrais CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central, CSB, CSP/Conlutas, Intersindical, Intersindical/Instrumento de Luta, CGTB e Central Pública realizam nesta sexta, 7, o “Dia Nacional de Luto e Luta, em Defesa da Vida e do Emprego”. A mobilização é um protesto contra o descaso do governo diante da pandemia da Covid-19, que colocou o País na iminência de atingir 100 mil óbitos nesta semana.

Em milhares de fábricas, trabalhadores paralisarão as atividades por 100 minutos. Em algumas cidades, os sindicalistas acenderão velas, farão carreatas e pretendem colocar cruzes em locais públicos. Quem estiver em casa poderá participar colocando um pano branco na janela.

 

Projeto que dá aos pais a decisão de retorno às escolas é aprovado na Câmara de SP
Estadão; 06/08
https://bit.ly/30wyssr

“Não se trata de transferir a responsabilidade aos pais, mas, sim, dar proteção legal àqueles que decidirem manter os filhos no ensino remoto”, afirma Tuma.

O texto não estabelece data certa para a volta às aulas e prevê aprovação automática para os estudantes no ano letivo de 2020 e um projeto de recuperação da aprendizagem em ensino integral.

Um trecho do texto que gerou polêmica entre os vereadores da oposição foi a autorização de compra de vagas em escolas privadas, já que a demanda para ingresso nas escolas municipais aumentou na pandemia.  Outro ponto de discórdia é a possibilidade de contratar professores em medida de emergência para substituir profissionais e funcionários que estão afastados por algum motivo.

 

Prefeitura de SP quer terceirizar administração de 12 CEUs
Estadão; 06/08
https://bit.ly/33zF77g

A gestão Bruno Covas (PSDB) quer conceder à iniciativa privada a administração da infraestrutura de 12 CEUs (Centros Educacionais Unificados) que estão em obras em São Paulo e que devem ser concluídos em setembro.

A ideia é usar a concessão como teste para ver se o modelo é viável para os 46 CEUs já em funcionamento, e a prefeitura não descarta futuramente estender essa terceirização ao restante da rede municipal, se o modelo der certo.

 

Covid-19 pode se espalhar mais facilmente nas escolas do que se pensava
UOL; 04/08
https://bit.ly/31kkclW

Um relatório do CDC (sigla para Centros de Controle e Prevenção de Doenças), principal órgão de saúde dos Estados Unidos, indica que o novo coronavírus pode se espalhar mais facilmente nas escolas — em um cenário de volta às aulas — do que se pensava até aqui e alerta para os riscos de uma reabertura escolar.

A afirmação do CDC contradiz vários estudos anteriores, nos quais o consenso parecia ser que as crianças raramente transmitem o vírus entre si ou para outras pessoas. As crianças, mesmo assintomáticas, podem desempenhar um papel importante na transmissão comunitária da covid-19, segundo destaca hoje o The Guardian.

 

 

Juíza que liberou aula presencial na rede privada do DF é sócia de empresa que atua no ramo escolar
Jornal Metrópoles; 05/08

https://bit.ly/3if6bgi

A juíza Adriana Zveiter (foto), do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), que autorizou a reabertura imediata das escolas privadas no DF, é sócia da empresa Laser Administradora de Imóveis, que tem por nome fantasia Centro Educacional Laser. Ativa na Receita Federal, a empresa tem como objeto social o aluguel de imóveis próprios e arrenda, por exemplo, um prédio localizado na 902 Sul para uma rede de ensino.

Além disso, a magistrada é filha de Jaime Martins Zveiter, ex-presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do DF (Sinepe) e com mandato vigente no Conselho de Administração da entidade sindical. O Sinepe era parte no processo que suspendia as aulas nas escolas particulares em virtude da pandemia do novo coronavírus. Jaime Zveiter compõe a Diretoria Executiva do sindicato, no triênio 2018/2020.

 


Em defesa da vida, Sinproep-DF aciona MPT contra decisão da Justiça que autorizou retorno às aulas presenciais
Contee; 05/08
https://bit.ly/3kg9kOx

A diretoria do Sinproep-DF lamentou a decisão da Justiça e informou que já entrou em contato com o Ministério Público do Trabalho (MPT) para articular recurso ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT), a fim de conseguir a suspensão das aulas presenciais. “Ainda estamos com alto índice de mortalidade. Então, lamentamos muito essa decisão, porque prevalece a relação do mercado em detrimento da vida”, declarou o diretor jurídico do Sinproep-DF e coordenador da Secretaria de Assuntos Institucionais da Contee, Rodrigo Pereira de Paula. “Vamos buscar junto ao MPT o recurso no Tribunal Regional do Trabalho”.

 

Brasil se aproxima de 100 mil mortos pela covid-19. Mudanças são urgentes, diz Fiocruz
Rede Brasil Atual; 06/08
https://bit.ly/3ie3nQl

“Precisamos de mudanças urgentes na condução da epidemia, a começar pelo nível federal, não descartando possível impeachment do presidente Jair Bolsonaro”, sustenta epidemiologista.  Para o epidemiologista da Fundação Oswaldo Cruz no Amazonas (Fiocruz) Jesem Orellana, o abandono dos cuidados é precipitado e preocupante. “Algo inaceitável”, afirma.

O Brasil registrou nesta quarta-feira (5) mais 1.469 mortos pela covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, nas últimas 24 horas. Com os novos registros, já são 97.288 vidas perdidas desde março, de acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

 

 
Fepesp; 06/08
https://bit.ly/2Dj4lw9

O reajuste salarial de professores é o grande entrave na campanha salarial 2020 do Ensino Superior. Na rodada de negociação desta quarta-feira, 05/08, esse foi o ponto da discussão, que contou com os grupos ampliados de negociadores, tanto do lado patronal como das federações que negociam pelos professores e auxiliares de administração escolar. Até então, as propostas eram discutidas em um grupo de trabalho.

O grupo de trabalho conclui seus encontros com a confirmação das cláusulas sociais da convenção coletiva de trabalho atual, e com um acordo de duração de dois anos, com validade para 2020 e 2021.

Os negociadores agora estão discutindo os índices de reajuste e a forma de pagá-los. O patronal, representando as mantenedoras através do Semesp, que aumentou suas mensalidades e as cobra todo mês, e que ainda mandou os professores para casa para se virar com aulas remotas, ainda range dentes na discussão.

A pressão é para que haja uma proposta para ser apresentada aos trabalhadores, em assembleia que poderá ser convocada até o fim de agosto.

 

 Ativistas pressionam Senado para manter Fundeb aprovado na Câmara
Rede Brasil Atual; 05/08
https://bit.ly/31p1A4d

A mobilização que garantiu avanços na aprovação do Fundeb na Câmara continua. Ativistas, profissionais e entidades da educação deram início à campanha “Quero um #FundebPraValer”, para pressionar os senadores a não fazer alterações ao texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 15/2015, que no Senado é a PEC 26/2020. A iniciativa é da Ação Educativa, em parceria com a Oxfam Brasil e a Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

 

Milton Ribeiro demite secretária de Educação Básica apoiada por olavistas
Folha de S; Paulo; 06/08
https://bit.ly/33C5zgv

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciou nesta quarta-feira (5) a substituição no comando da secretaria de Educação Básica da pasta.

Ele demitiu Ilona Becskeházy (foto), cujo nome chegou a ser apoiado por seguidores do escritor Olavo de Carvalho para assumir o ministério após a tumultuada saída de Abraham Weintraub. Pelas redes sociais, Ribeiro anunciou para o cargo a servidora de carreira Izabel Lima Pessoa, que atuava na equipe da secretaria.

Ilona Becskeházy ficou menos de quatro meses no posto. Doutora em educação pela USP, ela foi uma das poucas especialistas da área que apoiaram a gestão educacional do governo Bolsonaro.

 

 

 

Para professores na Educação Básica: seminário Sistema Internacional em Transição, Crises e Conflitos
UFRGS; 05/08
https://www.ufrgs.br/ripe/

Estão abertas as inscrições para o projeto de extensão Relações Internacionais para Educadores – RIPE, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul! A iniciativa consiste em oferecer um ciclo de palestras sobre temas das Relações Internacionais, voltado aos professores da área de Ciências Humanas do Ensino Básico. Temos, por objetivo, democratizar o acesso ao conhecimento acadêmico das Relações Internacionais e facilitar a discussão de conteúdos pertinentes à área em sala de aula.

O projeto consiste em um ciclo de 7 palestras, norteadas pelo tema geral “Sistema Internacional em Transição: Crises e Conflitos.”. Na edição de 2020, os encontros ocorrerão totalmente online (via plataforma Zoom), durante sábados dos meses de setembro e outubro. A participação é aberta a educadores de todo o Brasil!

O evento tem um custo total de R$ 15,00 para os participantes, que inclui a taxa de inscrição, a emissão do certificado de participação e o material de apoio. Para saber mais detalhes sobre a edição deste ano siga nossas contas no Facebook (/CursoRIPE), Instagram e Twitter: @ripeufrgs. Encontre a programação completa aqui.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio