Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 14 de agosto de 2022

4 de novembro de 2021

04/11 – Pec dos precatórios é ‘conflito entre professores e miseráveis’, especialistas pedem revogação de aulas presenciais, ensino a distância na USP – e mais.

.

Foi deliberado no 10º Congresso da Fepesp e vamos discutir entre os sindicatos integrantes: juntar forças, formar consórcios, agregar nossos sindicatos – para um ajudar o outro, para ter mais força, Assista agora no YouTube: https://youtu.be/mqyVnajrU6Q

 

 

Especialistas pedem revogação de aulas presenciais obrigatórias em São Paulo
Rede Brasil Atual; 03/11
https://bit.ly/2ZU4KzJ

Em uma carta aberta, divulgada no último domingo (31), um grupo de 53 especialistas de 19 instituições e 3 redes nacionais de pesquisadores em saúde pública e educação recomendou ao governo de João Doria (PSDB), em São Paulo, que seja revogada a decisão que tornou as aulas presenciais obrigatórias, a partir desta quarta-feira (3), para 100% dos alunos da rede pública e privada, sem os protocolos de distanciamento físico.

O documento lista pelo menos 19 riscos por trás das medidas de flexibilização que tornam as aulas presenciais neste momento “um grande equívoco”.

De acordo com as autoridades, a volta às aulas presenciais deveria acontecer com o cumprimento de “condições mínimas”, que não estão sendo respeitadas pelo estado. Entre elas, o distanciamento de 1,5 metro entre os alunos, o uso obrigatório de máscaras do tipo PFF2 e reformas estruturais das unidades escolares. Assim como um plano de testagem e aumento de funcionários administrativos devidamente capacitados para dar suporte e monitoramento para garantir um ambiente seguro.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Ensino a distância deve ganhar espaço na USP, mas não será imposto, diz candidato a reitor
Folha de S. Paulo; 02/11
https://bit.ly/3CL4Us3

O ensino a distância deve ganhar mais espaço na USP após a pandemia de coronavírus, mas não cabe ao próximo reitor impor algo nesse sentido, afirma o professor Antonio Carlos Hernandes, candidato ao posto máximo da universidade.

Docente do Instituto de Física do campus de São Carlos, ele representa a continuidade da atual gestão, do engenheiro Vahan Agopyan, de quem era vice-reitor até se licenciar para participar do pleito.

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Investigador Eurípedes da novela, ator divulga seis marcas da Kroton: Anhanguera, Unopar, Pitágoras, Unic, Unime e Uniderp
UOL; 03/11
https://bit.ly/3CMXynF

Sob o mote “Ocupe o seu lugar”, o filme endereça a mensagem aos brasileiros, incentivando os jovens a criarem o futuro que desejam na educação. A comunicação se desdobra para as seis marcas de faculdades da empresa: Anhanguera, Unopar, Pitágoras, Unic, Unime e Uniderp.

Jonathan Azevedo está em Verdades Secretas 2, do Globoplay, como o investigador Eurípedes, amigo do personagem Cristiano, vivido por Rômulo Estrela. Idealizada pela agência Ogilvy Brasil, a comunicação defende a ideia de que estudar é um ato de revolução devido ao seu poder transformador.

Os filmes têm versões de 15, 30 e 45 segundos. A campanha terá presença também em mídia exterior, impressa, rádio e mídia indoor em elevadores. Há desdobramentos para redes sociais e mídia digital, a cargo da agência Wunderman Thompson, também responsável pela estratégia com influenciadores.

 

Startups de educação crescem 28% durante pandemia e recebem US$ 525,6 mi em 2021
CanalTech; 03/11
https://bit.ly/3GSybDg

De acordo com o levantamento, o setor cresceu 28% durante a pandemia, indo de 434 em 2019 para 559 em dezembro do ano passado. As edtechs em atividade no país estão distribuídas em ensinos específicos (22,4%), novas formas de ensino (22,2%), plataformas para a educação (20%), ferramentas para instituições (17,5%), foco no estudante (11,1%), conteúdo educativo (4,1%) e financiamento do ensino (2,7). Os dados são do final de 2020.

 

TRABALHO

A vida é um direito acima de qualquer outro, afirmam centrais contra proibição de dispensa de não vacinados
Rede Brasil Atual; 02/11
https://bit.ly/3k5EJEU

STF e Ministério Público já decidiram que vacinação é obrigatória. Governo fez portaria para impedir demissões.

A Portaria 620 do Ministério do Trabalho, que veta demissões de trabalhadores que não se vacinaram contra a covid-19, foi contestada pelas centrais sindicais. “Acima de qualquer outra, a vida é um direito a ser preservado”, afirmam as entidades, em nota.

“O objetivo da norma é proteger os empregos e resguardar o direito individual de escolha do cidadão, uma vez que tal obrigatoriedade não encontra respaldo constitucional nem legal”, afirma o Ministério do Trabalho. Na portaria, o governo diz que o empregador não pode “exigir quaisquer documentos discriminatórios ou obstativos para a contratação, especialmente comprovante de vacinação”.

 

Dirigente da CUT é a primeira mulher a assumir presidência do Diap
Rede Brasil Atual; 03/11
https://bit.ly/2ZOGdw4

A secretária de Organização e Política Sindical da CUT, Maria das Graças (Graça) Costa, na foto, foi eleita para a presidência do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). Atual vice, ela se torna a primeira mulher a assumir o comando da entidade. E substitui Celso Napolitano, da Federação dos Professores do Estado de São Paulo (Fepesp).

Ela assume a direção “num quadro econômico, político e sindical muito complexo e, por isso, desafiador”, ressalta o Diap. Segundo a entidade, Graça “aceitou o desafio e prometeu enfrentar todos os problemas” por que passa o Diap desde a implementação da “reforma” trabalhista de 2017. Já Napolitano “representava a unidade entre as correntes que compõem a direção política do órgão de assessoria parlamentar ao movimento sindical”.

 

CORONAVÍRUS

As boas e as ainda tristes notícias sobre a Covid
Vinicius Torres Freire, FSP; 03/11
https://bit.ly/2YfQiBT

Em breve, é possível que crianças de 5 anos ou mais possam tomar a vacina contra a Covid, com o que diminuiria ainda mais o risco de que o vírus fosse carregado até as casas, onde por vezes vivem idosos, mais frágeis.

O risco de pessoas mais jovens e saudáveis é agora pequeno; o risco de que possa haver um surto causado por jovens é considerável, ainda mais em regiões de ainda baixa taxa de vacinação completa. Ainda sabemos pouco sobre a duração e o tipo de imunidade que as vacinas oferecem. A guerra ainda não acabou.

 

 

 

 

Governo aceita parcelar precatórios da educação em 3 anos, mas Lira não garante votos
Folha de S. Paulo; 04/11
https://bit.ly/3wjtptY

Governo e Congresso fecharam um acordo para parcelar em três anos o pagamento de precatórios da educação em uma tentativa de destravar a PEC (proposta de emenda à Constituição) que abre espaço no Orçamento para ampliar o novo Bolsa Família e para outras despesas.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) –que integra o centrão–, confirmou que a proposta será votada nesta quarta-feira (3), mas disse não ter compromisso com o resultado da votação.

 

Para aprovar PEC dos Precatórios, Lira negocia perdão a governadores que não gastaram mínimo com educação
O Globo; 04/11
https://glo.bo/3GMcNjn

Em meio a dificuldades para construir um acordo para a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), colocou na mesa de negociação a possibilidade de perdão aos estados que não gastaram o mínimo constitucional com e educação.

Entenda: Veja quais são os principais pontos da PEC dos Precatórios – A PEC é considerada o projeto mais importante do governo neste ano, por garantir o pagamento de R$ 400 mensais de benefício do Auxílio Brasil em 2022, ano eleitoral.

Desde a semana passada, parlamentares das bancadas da educação e da oposição reclamam que a PEC bloqueia parte dos recursos para financiar escolas públicas.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio