4 de março de 2021

04/03 – 136 escolas interditadas por covid na cidade de São Paulo, protocolos não evitam contaminação nas escolas, MEC processa professor que criticar governo, e mais: nos EUA, Biden pede prioridade a professores na vacinação.

.

Pandemia na pior fase de contaminação, 1.900 mortos em um dia, SP em fase vermelha… e as escolas ficam abertas? Vai quem quer, sem orientar para a gravidade da situação e mantendo professores, profissionais da Educação expostos ao vírus? “Lamentável, governador, lamentável!”, denuncia Celso Napolitano neste recado. Clique na imagem acima ou veja aqui:  https://youtu.be/VRTqAjBsy6M

 

 

 

VOLTA ÀS AULAS

Brasil, epicentro mundial da pandemia: 1.910 mortes em 24 horas
Rede Brasil Atual; 04/03
http://bit.ly/2OkdauL

É o pior momento da covid no país desde o início da pandemia, em março de 2020. Estados do Sul já têm mortos sem conseguir atendimento. Cenário se agrava com velocidade e próximas semanas serão trágicas, alertam epidemiologistas.

Hoje, o Brasil é o epicentro da covid-19 no planeta. Enquanto o resto do mundo festeja o recuo nos números de casos e mortes há cerca de seis semanas consecutivas, o Brasil vive desde o fim de novembro a situação oposta. Aglomerações de fim de ano e também no Carnaval contribuíram decisivamente para o descontrole de agora. De acordo com especialistas, a tragédia tende a se manter e até mesmo se ampliar nas próximas duas semanas, pelo menos.

Na rede estadual, apenas na primeira semana de volta às aulas, de 8 a 12 de fevereiro, houve 77 registros de infecção confirmados, segundo o Sistema de Informação e Monitoramento da Educação para Covid-19 (Simed) da Secretaria Estadual de Educação (Seduc-SP).

Desde a abertura das escolas municipais no dia 15 de fevereiro, 116 unidades registraram casos da doença, de acordo com um levantamento do Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindsep). Foram 335 entre servidores e alunos e dois óbitos confirmados por causa do novo coronavírus.

 

Liberadas na fase vermelha, escolas de SP se dividem entre manter atividades e reduzir alunos
Estadão; 03/03
http://bit.ly/3bb66JA

O governo paulista vai permitir, pela primeira vez, que escolas fiquem abertas na fase vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo, programa de combate à pandemia. A orientação do governo é priorizar alunos mais vulneráveis, como aqueles com deficiência, problemas de aprendizagem ou saúde mental em risco. Diante disso, colégios particulares discutem se vão mudar o planejamento de atividades ou reduzir a frequência de estudantes.

 

Em Brasília: pelo segundo dia seguido, Bolsonaro cancela pronunciamento por rádio e TV. Capitais fazem panelaço
Rede Brasil Atual; 04/03
http://bit.ly/3qgSctG

Nas janelas da capital paulista, os moradores protestaram com gritos de “fora, genocida”, “fora, Bolsonaro” e “assassino”. Nem o chefe do Executivo nem a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) informaram a razão do cancelamento. A informação é da coluna Radar, da revista Veja. Não foi divulgada nova data para fala de Bolsonaro.

Em vez de ouvir pronunciamento, as cidades de São Paulo, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre realizaram panelaços. Na capital paulista, as manifestações foram ouvidas em bairros como Água Branca, Bela Vista, Paraíso, Jardins, Butantã, Pinheiros e Perdizes e também na região central. Nas janelas, os moradores protestaram com gritos.


Nos Estados Unidos:
Biden determina que estados priorizem vacinação de professores
Contee; 03/03
https://bit.ly/2OjzuVk

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, determinou nessa terça-feira (2) que os estados priorizem a vacinação de professores para garantir que as crianças possam voltar às escolas mais rapidamente e com segurança. Pediu ainda que os estados apliquem pelo menos uma dose de imunizante em cada educador até o fim de março..

O mais surpreendente é que esta notícia, do apelo do novo presidente americano que sucedeu ao truculento D. Trump, está sendo distribuída pela Agência Brasil – agência oficial do governo brasileiro, que tem na presidência o infame e truculento J. Bolsonaro. Tomara que seja indicativo de oposição dentro do próprio governo.


Em São Paulo: lista das escolas particulares com casos de Covid-19
Sinpro SP; 03/03
http://bit.ly/385J4ly

São 136 escolas, denunciadas por professores, com casos de contaminação por covid-19 na cidade de São Paulo. A lista ainda está em construção e será atualizada diariamente. Se na escola em que você leciona surgirem casos de Covid, avise o SinproSP. O link está logo abaixo e serve também para denunciar escolas que desrespeitam protocolos, exigem trabalho presencial de professores em grupo de risco e cometem outras irregularidades relacionadas às aulas durante a pandemia. O sigilo é garantido e o SinproSP dá encaminhamento a cada denúncia, procurando resolver o problema.

Protocolos não são suficientes para evitar contaminação por Covid-19 nas escolas, afirma biólogo
Sinpro Campinas; 03/03
https://youtu.be/zWsPyK7Y0Hg

O biólogo, mestre em biologia molecular, Emygdio de Paula Neto, explica o motivo de os protocolos de segurança não serem o suficientes para barrar a contaminação por Covid-19 nas escolas, em entrevista ao programa Sinpro Saúde do Sinpro Campinas.

Fiscalização de protocolo de segurança em escolas de Jundiaí pode demorar até um mês após denúncia
Sinpro Jundiaí; 03/03
http://bit.ly/3kVHnwt

O Sindicato dos Professores de Jundiaí vem recebendo, ao longo dos últimos dias, diversas ligações denunciando violações dos protocolos sanitários nas escolas da rede privada que retomaram as atividades presenciais: excesso de alunos em sala, desrespeito ao distanciamento mínimo, mal uso de máscaras e de álcool em gel.

Não cabe, porém, ao sindicato fiscalizar o cumprimento dos protocolos de segurança e, por isso, encaminhamos, na última segunda-feira, dia 22/2, denúncias ao órgão municipal de Vigilância Sanitária por meio do telefone 156. Recebemos ontem, dia 25/2, resposta por e-mail indicando que serão feitas visitas de fiscalização às escolas denunciadas nos próximos dias 15 e 25 de março, ou seja, entre três semanas e até mais de um mês após a denúncia.

 

CORONAVÍRUS

Ministro comemora professores como prioridade da vacinação, mas lista é a mesma desde janeiro
Estadão; 03/03
http://bit.ly/3uTIDob

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, comemorou na tarde desta quarta-feira, dia 03, a inclusão dos professores do ensino básico na lista de categorias prioritárias para vacinação do Ministério da Saúde (MS). No entanto, os professores estão na lista desde janeiro, quando o MS divulgou o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19. (Nota do editor: além de comemorar com o tuíte de hoje, Milton Ribeiro não fez nada para promover a prioridade de profissionais da Educação na lista de vacinação).

 


TRABALHO

Hoje: centrais fazem manifestações por auxílio, emprego e vacina
Rede Brasil Atual; 04/03
http://bit.ly/3qhnZej

Centrais sindicais fazem nesta quinta-feira (4) atos pelo país com três reivindicações básicas: retorno do auxílio emergencial (de R$ 600), plano nacional de vacinação e medida de proteção ao emprego. A mobilização ocorre naquele que é considerado o pior momento da pandemia no Brasil. E sob impacto de notícias como desemprego e queda do PIB recordes.

No caso de São Paulo, estão previstas mobilizações das centrais sindicais em portas de fábricas. Além disso, líderes e militantes sindicais farão atos logo cedo, por volta de 5h, nas estações do Brás e da Luz, áreas de grande concentração na região central, e nos terminais de ônibus da Lapa (zona oeste) e de Santo Amaro (zona sul).

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Partidos de oposição acionam PGR para investigar MEC sobre ofício que pede punição a atos políticos em universidades
Folha de S. Paulo; 04/03
http://bit.ly/3e7dkQK

A liderança da minoria na Câmara dos Deputados, que representa os partidos de oposição e é liderada por José Guimarães (PT-CE), enviou representação à Procuradoria-Geral da República pedindo a apuração de responsabilidades do Ministério da Educação pelo envio de ofício às universidades federais em que a pasta pede a tomada de providências para “prevenir e punir atos político-partidários nas instituições públicas federais de ensino”.

O documento encaminhado pelo MEC é baseado em recomendação de 2019 do procurador Ailton Benedito de Souza, que se intitula conservador e apoia o presidente Bolsonaro.

 

Governo Bolsonaro investiga professores por manifestação ‘de desapreço’ a presidente
Folha de S. Paulo; 03/03
http://bit.ly/3qgXBAY

O governo Jair Bolsonaro (sem partido) abriu processos de investigação contra professores universitários que criticaram o presidente em eventos transmitidos pela internet. As investigações foram iniciadas pela CGU (Controladoria-Geral da União) porque os docentes proferiram “manifestação desrespeitosa e de desapreço direcionada ao Presidente da República”.

Dois professores da UFPel (Universidade Federal de Pelotas) tiveram de assinar termos de ajustamento de conduta para encerrar as investigações. Eles haviam sido instados a prestar esclarecimentos no mês passado e os termos foram publicados no Diário Oficial de terça feira (2).

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Bahema Educação compra escola da Rede Decisão em São Miguel Paulista
IstoÉ Dinheiro; 04/03
http://bit.ly/3kHLw73

A gestora Mint Capital, controladora da Bahema Educação, concluiu nesta terça-feira, 2, a aquisição do imóvel do Colégio Pop, unidade da Rede Decisão localizada no bairro São Miguel Paulista, na zona leste de São Paulo. O acordo, no valor de R$ 10 milhões, prevê a utilização pela grupo vendedor por dez anos.

 

Opinião: ‘A esta altura da pandemia, futebol deveria parar em São Paulo. E no Brasil’
Estadão; 03/03
http://bit.ly/3rcuU9M

Por Almir Leite, colunista: “ São Paulo entrará na fase vermelha do plano estadual de combate ao novo coronavírus no próximo sábado, 6 de março.  Serão duas semanas, até dia 19. Durante esse período, só poderão funcionar serviços essenciais. E o futebol. Com aval do governo paulista.

Mesmo com as restrições, o Campeonato Paulista não será paralisado. Em nenhuma de suas divisões.

Futebol é serviço essencial? Não.

Um ser humano pode morrer se não tomar remédio, ou de fome. Mas não morrerá por não ter um joguinho de bola para assistir.

Usa-se a desculpa que o futebol pode atrapalhar ainda mais  o calendário – como se antes da pandemia o futebol brasileiro tivesse um calendário decente.

Também se alega que o protocolo de prevenção criado (e aprovado pelo comitê governamental que cuida da covid, ressalte-se), com testagem frequente, isolamento de quem testa positivo e acompanhamento contínuo de todos os envolvidos com um jogo de futebol –  atletas e funcionários -, minimiza, quando não exclui, os riscos de contaminação.

Sem contar a desculpa de que um joguinho é um alento ao povo nestes tempos tão difíceis. Bem ao estilo pão e circo.”

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio