3 de junho de 2019

03/06 – MPF denuncia ministro da Educação, o projeto para tornar o Brasil submisso e periférico, Greve Geral: 14 de junho, e mais.

.

Sindicalização + Clube de Vantagens [Sindicato Forte – Você Forte].
Saiba mais aquihttp://www.fepesp.org.br

 

 

 

Em meio a impasse no MEC, 
Congresso amplia blindagem de dados sigilosos de estudantes
Folha de S. Paulo; 03/06
http://bit.ly/2Mrmfk3

A queda de braço entre o ministro Abraham Weintraub (Educação) e entidades que representam estudantes fez Orlando Silva (PC do B-SP), relator da medida provisória que trata da proteção de dados pessoais, criar uma blindagem extra para informações sigilosas que estão sob a guarda do Inep. Uma tentativa de Weintraub de acessar informações de estudantes foi apontada como estopim para a queda do último presidente do Inep, Elmer Vicenzi.

 

MPF recomenda que MEC cancele nota que ‘desautoriza’ 
pais e professores de divulgar protestos
O Globo; 31/05
https://glo.bo/2MB0j6a

O MPF determina que o MEC não tente cercear a liberdade dos professores, estudantes, servidores e pais e respeite “manifestação livre de ideias e divulgação do pensamento nos ambientes universitários, de universidades públicas e privadas e Institutos Federais de Ensino”.

 

MPF, partidos e deputado processam Weintraub 
por abuso de poder, denuncismo e danos morais
Rede Brasil Atual; 31/05
http://bit.ly/317XVqK

A bancada do Psol na Câmara dos Deputados protocolou, nesta quinta-feira (30), uma representação contra o ministro da Educação, Abraham Weintraub, na Procuradoria-Geral da República (PGR). O Psol pede “que sejam tomadas as providências administrativas, civis ou penais cabíveis, visando o cumprimento da lei e resguardo dos direitos constitucionais”, em referência à nota divulgada pelo atual chefe do MEC, em que “chega ao absurdo de querer impedir até mesmo os pais de divulgar e estimular protestos”.

 

Artigo | Próxima etapa do ministro da Educação: mandar queimar livros
Folha de S. Paulo; 31/05
http://bit.ly/2JTfKV2

Por Clóvis Rossi: Depois da abjeta sugestão para que pais, professores e estudantes denunciassem quem participasse de manifestações, o próximo passo do ministro Abraham Weintraub é propor a queima de livros (de preferência, todos os que não sejam os de Olavo de Carvalho, claro). Seria absolutamente coerente com a confessada admiração de ilustres governistas pela ditadura de Augusto Pinochet Ugarte. Fui testemunha ocular, nos primeiros dias da instalação da ditadura, de uma queima de livros no centro de Santiago. Gerou fotos que correram o mundo porque lembravam, obviamente, as piras que a Alemanha nazista montou para queimar livros.

 

 

Confira esta e outras charges no facebook da Federação: http://bit.ly/2KvVfgL
Ou através do nosso site: http://bit.ly/2HvT9vP

 

 


Depois do 30 de Maio histórico, 
movimentos preparam greve geral contra reforma da Previdência
Rede Brasil Atual; 31/05
http://bit.ly/2WcZZd8

Após os quase 2 milhões de pessoas nas ruas, nesta quinta-feira (30) pelos atos do #30M, em defesa da educação pública de qualidade e o arrocho orçamentário promovido pelo governo Bolsonaro na Educação, o próximo passo dos movimentos sindical, sociais e estudantil é ampliar a mobilização para a greve geral contra a reforma da Previdência, marcada para 14 de junho.

 

 


Por que História e Geografia ajudam a criar um ser humano melhor?
Nova Escola; 22/11/2018
http://bit.ly/2KmJMQd

Formar indivíduos críticos e aumentar o poder de reflexão sobre a própria realidade. De acordo com professores de História e Geografia este são alguns dos benefícios do estudo destas duas disciplinas. “História, assim como a Geografia, leva os alunos à reflexão, refletir muito sobre seu espaço, entender de que forma ele atua na sociedade, de que forma ele passa a atuar. É extremamente importante pois leva o indivíduo a ser mais crítico, pensar sobre seu espaço, refletir sobre este espaço”, de acordo com Aline Moura, professora de História para o Ensino Médio em Macapá, no Amapá.

 

 



Desmonte na educação e ciência visa tornar Brasil
um país submisso e periférico, dizem pesquisadores
Sul 21; 02/06
http://bit.ly/2Wa7elZ

“O problema não é a falta de dinheiro, mas sim a decisão política de onde ele vai ser utilizado. O projeto em curso é colocar o Brasil em seu devido lugar periférico. O desmonte da educação é parte central desse processo. Entre 2018 e 2019, tivemos uma explosão do número de alunos que ingressaram no sistema de ensino à distância. Já temos cerca de 1,5 milhão de alunos neste sistema”, aponta o professor Gil Vicente Reis de Figueiredo, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).

 

 


Obras completas para você baixar de graça
Fepesp; 03/06
http://bit.ly/2EQZO1h

Quando bem utilizada, a internet é um dos melhores e mais democráticos meios para se conseguir informação e conhecimento. Pensando na promoção de conteúdos emancipatórios e na livre circulação de material educativo, a Fepesp reuniu obras de grandes pensadores que marcaram época, e que estão disponíveis para download de maneira totalmente gratuita. Tratam-se de livros e ensaios de qualidade ímpar, perpétuos para a história do saber, da ciência e do pensamento crítico.


Mulheres assinam 72% dos artigos científicos publicados pelo Brasil
Agência Brasil; 23/03
http://bit.ly/2YXED5o

O Brasil é o país íbero-americano com a maior porcentagem de artigos científicos assinados por mulheres seja como autora principal ou como co-autora, de acordo com a Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI). Entre 2014 e 2017, o Brasil publicou cerca de 53,3 mil artigos, dos quais 72% são assinados por pesquisadoras mulheres.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio