2 de setembro de 2020

02/09 – faculdades particulares lotam salas virtuais, Bauru não volta às aulas no dia 8, covid é doença ocupacional – e mais.

.

“Os educadores estão sendo substituídos por empreendedores, por fundos de investimento que não têm comprometimento com a qualidade de ensino.”
Perdeu o ‘Conversa com Bial’ de segunda? Assista agora aqui:
https://globoplay.globo.com/v/8821184/

 

 

Faculdades particulares de SP lotam salas virtuais com até 180 alunos e demitem mais de 1.600 professores durante pandemia
G1; 02/02

https://glo.bo/2QNEeR6

Docentes alertam para sucateamento do ensino à distância e sindicato vê irregularidades nos cortes. Instituições apontam evasão escolar e inadimplência como responsáveis pelos desligamentos.

“Muitos professores não concordaram com a redução brutal de carga horária e foram demitidos. Tem professor que tinha 40 horas-aula e que ficariam com 3 horas-aula. Alguns preferem não concordar e são demitidos, outros preferem se manter por causa do plano de saúde e preferem ter alguma redução de salário a não ter nenhum salário”, afirma Celso Napolitano, diretor do Sinpro.De acordo com Celso Napolitano, o sindicato tem enfrentado dificuldades de levar adiante as denúncias. Ele já recorreu ao Ministério Público do Trabalho, que arquivou um dos casos.

Para Celso, o boicote dos alunos às instituições de ensino é essencial para garantir até mesmo a qualidade da educação pela qual eles pagam.

“A única coisa que vai sensibilizar esse povo é o boicote dos alunos, que não estarão dispostos a pagar por um ensino que não tem comprovação de qualidade. Mesmo porque é uma ilusão pois o aluno faz um esforço danado para fazer um curso que pode representar uma ascensão social e ele está sendo enganado.”

 

Saúde classifica covid como doença do trabalho e eleva custos para empresas
Valor Econômico; 02/02
https://outline.com/qgBXrz

O Ministério da Saúde classificou a covid-19 como doença ocupacional, conforme a Portaria nº 2.309, publicada recentemente no Diário Oficial da União, o que pode gerar maior valor da contribuição previdenciária calculada sobre acidentes de trabalho – Riscos Ambientais do Trabalho (RAT) – e elevar a probabilidade de condenações por danos materiais e morais em casos de quadros graves da doença.

Com a mudança, as empresas terão que provar que os funcionários não contraíram a doença no ambiente de trabalho. Uma prova bem difícil de fazer, segundo advogados. Por conta da portaria, funcionários afastados pela Previdência Social por mais de 15 dias para tratamento passarão a ter estabilidade de um ano, além do FGTS pelo tempo de licença.

 

Bauru: Atividades não serão retomadas em nenhuma escola em 8 de setembro
Folha de S. Paulo; 31/08
https://bit.ly/3bnXWwe

A Prefeitura de Bauru não irá retomar as atividades escolares parcialmente no dia 8 de setembro, ainda que a cidade esteja, até o momento, dentro dos requisitos exigidos pelo governo do Estado que possibilitariam este início de reabertura. Segundo o prefeito Clodoaldo Gazzetta, o Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 entende que, se a volta às aulas ocorresse agora, mesmo que de modo parcial, haveria risco de explosão de casos de Covid-19 no município.

A manutenção da suspensão das atividades vale não somente para a rede de ensino municipal, mas também para as unidades estaduais e particulares.

 

Amazonas: Após retomar aulas presenciais, AM tem 7,6% de profissionais da educação infectados pela covid
Estadão; 01/02
https://bit.ly/35123gn

Três semanas após a volta das aulas presenciais no ensino médio nas escolas estaduais do Amazonas, 7,6% dos profissionais de educação da rede testaram positivo para o novo coronavírus. Os dados foram apresentados pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) do Estado nessa segunda-feira, 31. A rede pública amazonense foi a primeira a retomar classes presenciais no Brasil, em 10 de agosto, para alunos do ensino médio da capital. Já os colégios particulares voltaram em seis de julho na cidade. O diagnóstico de infecções tem elevado a apreensão de professores e pais de alunos e o sindicato de trabalhadores do setor já pediu o retorno das classes totalmente remotas.


Rio Grande do Sul: Especialistas em educação veem com ressalvas retomada das aulas presenciais
Zero Hora; 01/09
https://bit.ly/32Ozf83

A proposta do governo do Estado de retomar o ensino presencial no Rio Grande do Sul a partir do próximo dia 8 é vista com ressalvas por especialistas em educação. A avaliação é que a decisão não é necessariamente segura e ainda ignora os desafios pedagógicos e estruturais de instituições de ensino. A sugestão apresentada pelo governo gaúcho de iniciar a reabertura pela educação infantil — em tese, envolvendo um público cujo respeito ao distanciamento e uso de máscaras é mais difícil — também soa estranha aos especialistas. O plano do governo será detalhado ainda nesta terça (1º).

 

Mato Grosso: Professor e médico acham prematuro a reabertura das escolas
Diário de Cuiabá; 01/09
https://bit.ly/32Ozf83

“Nesse momento é claro que somos contra o retorno das aulas presenciais. A nossa contrariedade é muito pontual e enquanto não tivermos a segurança necessária entendemos que não tem como retornar as atividades em sala de aula. Em Manaus, por exemplo, o que aconteceu lá foi que em pouquíssimos dias que retornaram houve um avanço alto tanto na contaminação dos professores quanto de estudantes e, obviamente, que têm alunos que vão levar (o vírus) para casa”, disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público (Sintep) subsede Cuiabá, João Custódio.

 


Governo recua e prevê que Educação terá o maior orçamento da Esplanada em 2021
Correio Braziliense; 01/09
https://bit.ly/2Z1pBy2

Depois da indicação de resistência no Congresso para aprovação de um Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) com previsão de gastos para o Ministério da Defesa maior do que para a Educação em 2021, o governo recuou e manteve recursos mais elevados para aplicação no ensino. A despesa total será de R$ 144,538 bilhões, contra os R$ 142,107 bilhões aprovados pelo legislativo para este ano, 1,71% superior.

 

O que está acontecendo no Ministério da Educação?
Catraca Livre; 02/09
https://bit.ly/32NRUB8

Depois de muito vai e volta, no dia 31 de agosto o governo federal anunciou que o Ministério da Educação vai receber mais verbas que o da Defesa. É para comemorar? A apresentadora do Canal Reload Larissa Venturini explica o que rolou até aqui no órgão que cuida da nossa educação.

 

Vacinação obrigatória contra covid-19 está prevista em lei assinada por Bolsonaro
Rede Brasil Atual; 01/09
https://bit.ly/3hVg5E6

Ao publicizar uma fala do presidente ao cercadinho, a Secom dá ares de política pública a uma das frequentes polêmicas criadas por Bolsonaro. “O Governo do Brasil investiu bilhões de reais para salvar vidas e preservar empregos. Estabeleceu parceria e investirá na produção de vacina. Recursos para estados e municípios, saúde, economia, TUDO será feito, mas impor obrigações definitivamente não está nos planos”, afirma a Secom.

Bolsonaro é contra vacina – Para o médico infectologista Alexandre Padilha, deputado federal (PT-SP), Bolsonaro é contra a vacina. E isso ficaria comprovado pela proposta de orçamento para a Saúde encaminhada pelo presidente da República ao Congresso Nacional. “Ele retira R$ 35 bilhões para a área. Então, não é que o Bolsonaro vai obrigar ou não, ele não vai investir em garantir vacinas pro povo brasileiro”, afirma o parlamentar. Padilha lembra ainda que o presidente nunca incentivou que pais e mães vacinassem seus filhos.

 



Covid-19 terá onda de efeitos na saúde mental, diz professor de Harvard

Folha de S. Paulo; 01/09
https://bit.ly/3gOQJGj

Antes da Covid-19, o mundo acreditava que havia algumas pessoas que tinham distúrbios mentais, e todas as outras estavam bem. Hoje, o estresse incomum que muitas pessoas estão enfrentando está diminuindo o estigma. Essa é a resposta rápida, mas a resposta mais longa é que precisamos reconhecer não apenas a parte da doença em uma pessoa, mas também a parte normal de uma pessoa, para que vejamos as pessoas com experiência vivida de doença mental como pessoas em primeiro lugar e a doença em segundo.

 

 

Artigo: A Casa de Rui Barbosa não merece isso’
Folha de S. Paulo; 02/02
https://bit.ly/2YZxjIW

Por Elio Gaspari: “A Casa de Rui Barbosa merecia respeito. O repórter Lauro Jardim revelou o teor de uma mensagem de sua presidente, Letícia Dornelles.

Nela, dizia o seguinte: “Sua excelência, o ilustre ministro Cachorro, da Suprema Corte Cachorral, prepara habeas corpus para seus nobres colegas cachorrinhos poderem latir em paz. Liberdade de expressão cachorral”.

Ainda não se sabe a qual “cachorro” do Supremo Tribunal ela se dirigia. Sabe-se que a senhora foi nomeada pelo ministro Osmar Terra, comendador da Ordem da Covid, médico e ex-secretário de Saúde do Rio Grande do Sul, famoso por ter previsto, em abril passado, que o coronavírus mataria, no máximo, 2.000 pessoas no Brasil. Já matou mais de 120 mil.

A presidente da Casa de Rui Barbosa é uma carta do baralho bolsonarista na qual estiveram um ministro da Educação para quem “brasileiro viajando é um canibal, rouba coisas nos hotéis”. Foi sucedido por outro que chamou os ministros do Supremo de “vagabundos”. Na Secretaria de Cultura o bolsonarismo colocou um cidadão que entrou no cargo parafraseando Joseph Goebbels, o ministro da Propaganda de Hitler. Para seu lugar foi a atriz Regina Duarte, que infelicitou sua biografia com uma entrevista na qual relativizou os assassinatos praticados durante a ditadura”.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio