Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 21 de maio de 2022

2 de julho de 2020

02/07 – MEC não tem data para volta às aulas, Enem 2020 pode ser em 2021, eleições voltam para 15 de novembro- e mais.

.


O patronal chegou com atitude diferente na rodada de negociação desta terça-feira, 01/07, na campanha salarial do Ensino Superior: sem demonstrar a intransigência de encontros anteriores e com disposição em aceitar a manutenção da convenção coletiva da categoria na maior parte das suas cláusulas.  A posição firme dos Sindicatos em não abrir mão das conquistas da Convenção Coletiva de Trabalho foi o principal fator na mudança da atitude patronal na mesa de negociações. Leia aqui: https://bit.ly/31CdNEy

 

 

MEC divulga diretrizes para volta às aulas presenciais, mas não estabelece data para o retorno
G1; 01/07
https://glo.bo/2D3I98D

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nessa quarta-feira (1°) diretrizes para a volta às aulas presenciais. Entre elas, estão uso de máscaras, distanciamento social de 1,5 metro, estímulo a reuniões on-line e afastamento de profissionais que estejam em grupos de risco (veja mais no link).

Apesar da divulgação do documento, ainda não há uma data prevista para a volta às aulas presenciais em todo o país – essas atividades estão suspensas desde março.

 

 

Reabertura da economia sem aula presencial pode elevar desigualdade
Folha de S. Paulo; 02/07
https://bit.ly/2VEFLeY

“Qualquer plano de reabertura sem o retorno da escola presencial tende a ampliar as desigualdades de gênero e de raça, que já são elevadas no Brasil”, afirma a economista.

Em São Paulo, o governo estadual tem liberado, gradualmente, a volta de alguns segmentos econômicos, mas anunciou que as escolas reabrirão, na melhor das hipóteses, em setembro.

 

Leia aqui o artigo mencionado por Daniel Cara aqui:
‘O plano de volta às aulas não tem professor’,
por Celso Napolitano
Rádio Peão Brasil: https://bit.ly/2CSvCok
Site Contee: https://bit.ly/3gm3Cbn
Agência Sindical: https://bit.ly/3iqWoon
Folha de S. Paulo: https://bit.ly/38g4BqC

 

Ministro da Educação caiu por sua ganância acadêmica
Agência Sindical; 01/07
https://bit.ly/2YSjfRO

Celso Napolitano, presidente da Federação dos Professores do Estado de São Paulo (Fepesp), lamenta o ocorrido. Para ele, o agora ex-ministro se perdeu em sua ganância acadêmica. Ele diz: “Ele não precisava de todos esses títulos que apregoava para ser  ministro da Educação. Bastava ser um bom condutor de políticas educacionais”.

Sobre a escolha de Bolsonaro por Decotelli para comandar o MEC, Celso Napolitano não estranha. “É mais uma lambança desse governo, que se notabiliza por indicar pessoas que compartilham da mesma ideologia fascista e não têm a mínima condição de exercer a função”, ele afirma.

 

 

Enem 2020: Inep diz que nova data do exame deve ser divulgada em até 3 semanas
O Globo; 01/07
https://bit.ly/3dUBw54

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e o Ministério da Educação (MEC)  anunciaram nesta quarta-feira, 1º, que cerca de 50% dos estudantes inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que participaram de uma enquete para definir a nova data do exame preferem que a prova seja realizada em maio do ano que vem, mas informaram que a data definitiva da prova deve ser divulgada em até três semanas. O exame foi adiado em maio deste ano por causa da pandemia do novo coronavírus, a covid-19.

 

Inscritos no Enem querem prova em maio de 2021
EBC; 01/07
https://bit.ly/2YS2yWz

Para 49,7% dos estudantes que participaram da enquete sobre nova data para o Enem, o Enem impresso deve ser aplicado em 2 e 9 de maio de 2021 e o Enem digital em 16 e 23 de maio.

As outras opções de data eram o Enem impresso em 6 e 13 de dezembro deste ano e Enem digital em 10 e 17 de janeiro de 2021, com 15% dos votos; e Enem impresso em 10 e 17 de janeiro de 2021 e Enem digital em 24 e 31 de janeiro, com 35,3% dos votos dos estudantes.

As provas, que aconteceriam em novembro deste ano, foram adiadas em função das medidas de enfrentamento à pandemia da covid-19.

 


Enem: maioria quer prova em maio, mas MEC diz que data atrasa cronograma de faculdades
G1; 01/07
https://glo.bo/3eUyeQS

“Com base na sinalização que eles querem fazer a prova em 2021, vamos conversar com representantes do ensino médio e ensino superior para ver quando será”, afirmou O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes.

Ele citou que a aplicação em maio dificulta a entrada no ensino superior no primeiro semestre do ano que vem. Segundo o presidente do Inep, isso também será levado às entidades de ensino superior.

 

 

SinproSP recorre à Justiça contra demissão em massa na Unicsul
Sinpro SP; 01/07
https://bit.ly/3iha7Oe

O Sindicato dos Professores de São Paulo entrou com ação no Tribunal Regional do Trabalho, nesta quarta-feira, 1º de julho, contra a demissão de professores na Universidade Cruzeiro do Sul (Unicsul). A exemplo do que ocorreu na ação contra a Uninove, o SinproSP pede a suspensão liminar das dispensas e a mediação do Tribunal.

 

 

 

Reabertura de Doria completa um mês: aumento de 155% nos casos de covid-19 e 92% nas mortes
Rede Brasil Atual; 02/07
https://bit.ly/3gh4r59

A reabertura do comércio implementada pelo governador paulista, João Doria (PSDB), completou um mês hoje (1º). Tratada como caso de sucesso pelo governo tucano, que pretende passar a capital paulista para a fase 3-amarela do Plano São Paulo, na próxima segunda-feira (6), a flexibilização da quarentena acumula retrocessos, com muitas regiões voltando a ter medidas de isolamento mais restritas. No início da abertura, três regiões estavam em restrição máxima. Hoje, são nove, com 306 cidades na fase 1-vermelha.

Além disso, em junho, primeiro mês da reabertura implementada pelo governo, o estado registrou aumento de 155% nos casos de covid-19 e de 92% nas mortes em decorrência da doença. Especialistas em saúde consideram que plano favorece uma leitura otimista dos dados, além de ignorar a subnotificação de casos e se pautar na oferta de leitos como principal critério de segurança à saúde.

 

 

 

 

Eleições municipais serão realizadas em 15 e 29 de novembro
Rede Brasil Atual; 01/07
https://bit.ly/31DGIb2

O plenário da Câmara aprovou, em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/20, que adia as eleições municipais deste ano. Agora, devido à pandemia de coronavírus, as eleições serão realizadas em 15 de novembro (primeiro turno). O segundo ocorrerá duas semanas depois, dia 29. A PEC recebeu 407 votos a favor e 70 contrários.

Logo depois da votação, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou que o texto será promulgado pelo Congresso nesta quinta (2), às 10h. A cerimônia será no plenário do Senado, por onde a proposta já havia passado. Inicialmente, as eleições ocorreriam em 4 e 25 de outubro.

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio