23 de maio de 2018
 
 
Enviar por email
RSS
Imprimir

O ECONOMISTA QUE ACREDITAVA EM ECONOMIA SOLIDÁRIA

17/04/2018

PAUL SINGER (VienaÁustria24 de março de 1932 - São Paulo16 de abril de 2018)

PAUL SINGER NOS ENSINOU
QUE, EM ECONOMIA, COLABORAR
É MELHOR QUE COMPETIR

O professor Paul Singer, falecido aos 86 anos na noite de segunda-feira, 16/04, nos ensinou que a economia pode ser uma expressão de solidariedade entre as pessoas. Para muitos, acostumados com a ideia de que a base da atividade econômica é a competição sem dó entre capitalistas, o conceito causa espanto. Mas Paul Singer provou, com palavras e ações, que a atividade econômica com base na solidariedade tem força e pode mudar a humanidade.

“[A economia solidária] é uma economia completamente oposta à capitalista em todos os aspectos importantes. Une-se capital ao trabalho, que é o que o capitalismo separa. E isso dá ao trabalhador uma situação totalmente diferente”, dizia o professor Singer. Ele explicava que sua ideia de economia solidária se baseia na produção com autogestão, sem patrões e empregados.

“O assalariado é um trabalhador sem poder nem responsabilidade, por definição legal. Se a empresa vai mal, ele não sofre nada. Se vai bem, tampouco. Tem direito ao salário. Na economia solidária é ao revés, o trabalhador tem responsabilidade total, não individual, mas coletiva, pela empresa. Ele é, por todos os pontos de vista, um participante ativo, com poder e responsabilidade. Há uma emancipação, uma desalienação. Não se pode ser parte de um todo e ficar alheio ao que acontece. Ao falar com um trabalhador cooperado de empresas grandes e antigas que passaram por crises e falências, todos dão este depoimento: ‘Antes era tão bom, podia ir para casa e esquecer a firma; hoje a levo comigo, sonho com ela’. É uma baita mudança”.

Paul Singer foi secretário de Planejamento durante a gestão de Luiza Erundina na Prefeitura de São Paulo, no final da década de 80. No governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi um dos precursores do conceito de economia solidária no país. No governo da ex-presidente Dilma Roussef foi secretário nacional de economia solidária, contribuindo para a formação de bancos comunitários, geradores de microcréditos de forma cooperativa (hoje funcionam 110 bancos comunitários, ou Bancos de Negócios Inclusivos, no país).

Singer chegou ao Brasil com 8 anos, vindo da Áustria com seus pais, que fugiam da perseguição nazista. Jovem, estudou eletrotécnica e foi trabalhar em uma fábrica. Como trabalhador metalúrgico, liderou a histórica greve dos 300 mil, que paralisou a indústria paulistana por mais de um mês, em 1953. Logo após, formou-se em economia e, em 1960, passou a lecionar na USP onde tornou-se professor-titular da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da mesma universidade, até ter seus direitos políticos cassados pelo AI-5 e ser aposentado compulsoriamente, em razão de suas atividades políticas, em 1969. A partir de 1979 voltou à atividade docente, como professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), tendo sido chefe do Departamento de Economia e membro do Conselho Universitário. Foi um dos fundadores do PT. Não será esquecido.

 

 

 

 

 

 

Comentários
0 comentário(s)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Insira os caracteres abaixo