20 de outubro de 2017
 
 
Enviar por email
RSS
Imprimir

“Dia D” – Docentes da Unimep podem entrar em greve

07/08/2017

A ausência de autonomia na administração da Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) uniu docentes, funcionários e estudantes em manifestações que estão ocorrendo desde a última semana. Hoje (07/08), uma reunião entre a associação dos professores, alunos e a reitoria e uma assembleia no fim da tarde irão definir a possiblidade de uma greve geral. “Dependendo do dia de hoje, um ‘dia D’ para todos nós, vamos ver se amanhã a greve será deflagrada. Nós estamos muito mobilizados. Os alunos estão ocupando a universidade desde sexta-feira (04/08)”, diz a professora Conceição Fornasari, diretora do Sindicato dos Professores de Campinas e Região.

Definindo como caótica a situação atual da Unimep, a professora conta que a implantação pela mantenedora de um novo sistema de tecnologia da informação, sem a consulta prévia da reitoria, foi central para as mobilizações por parte de docentes e estudantes, que, até o momento, não conseguiram realizar rematrículas. “Com o novo sistema, fomos todos impactados. Não podemos enviar para os alunos o plano de ensino e eles, por outro lado, não conseguem gerar boletos e fazer pagamentos para a rematrícula. Um caos! A impressão que dá é que eles não querem que nada funcione.” De acordo com a professora, o atual reitor tomou a atitude de cancelar o novo sistema. “Com isso, por se posicionar do nosso lado, ele corre o risco de ser demitido”, diz.

Alunos realizaram hoje cedo um protesto no campus Santa Barbará d’Oeste (SP) e no campus Taquaral. A Associação dos Docentes da Unimep (Adunimep) também aderiu ao protesto e divulgou nota no site oficial. O texto diz que os professores entrariam em greve para cobrar negociações com salários atrasados e férias dos docentes. Segundo Conceição, o desrespeito à Convenção Coletiva de Trabalho vem sendo uma constante. “Eles estão atrasando salários e não entregam holerites. O salário de junho foi completado apenas no fim de julho. Há problemas, inclusive, no depósito do FGTS.”

Na última sexta, a Federação dos Professores do Estado de São Paulo (Fepesp) participou de um foro conciliatório, convocado pelo Sinpro Campinas, para debater as mudanças na universidade.

Novas informações serão divulgadas ao longo do dia.

Comentários
0 comentário(s)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Insira os caracteres abaixo