19 de novembro de 2017
 
 
Enviar por email
RSS
Imprimir

Ensino Superior: mantenedoras querem arrochar o professor

15/03/2016

Em nova rodada de negociação, na segunda-feira, dia 14, os representantes das mantenedoras do ensino superior privado em São Paulo foram claros:  estão preocupados com a saúde financeira das suas escolas. Para manter suas margens de rentabilidade, farão de tudo. Ao professor, à professora e aos auxiliares de ensino, nada.

Isso mesmo: NADA!

A inflação já bateu nos 10,57% nos últimos doze meses e as escolas já reajustaram as mensalidades para compensar as perdas e a diminuição de matriculas. Cuidaram de si próprias, primeiro. Agora, na hora do nosso salário, apenas sugeriram parcelar o índice inflacionário – uma proposta inaceitável. O que eles sugerem é arrocho. Puro e simples.

E não é só salário o que tratamos nestas rodadas. Há importantes itens na nossa pauta de reivindicações. E sobre esses, o patronal é intransigente e se recusa a negociar seriamente.  Até quando o debate chega em questões urgentes como, por exemplo, a do assédio moral, o representante patronal se esquiva.

AGORA É A HORA DA PROFESSORA, DO PROFESSOR E DOS AUXILIARES SE MOBILIZAREM

O sindicato patronal terá sua reunião geral no dia 21.                                     

Nossa assembleia será no dia 19 – então vamos sair na frente!

Vamos marcar nossa posição, entender melhor os detalhes da negociação e mostrar nosso empenho por melhores condições de trabalho. E mandar um NÃO ao arrocho patronal. É o nosso futuro, a integridade de nossas famílias que está em jogo.

 

19/03 – 9 HS – SABADÃO SINDICAL

ASSEMBLÉIA NO SINDICATO

 

-

E MAIS:

EaD e Tutor

Na última semana o ministro da educação, Aloizio Mercadante, homologou uma nova resolução do Conselho Nacional de Educação (CNE) com diretrizes e normas para a educação à distância (EaD). No Brasil, a modalidade vem registrando crescimento de 18% ao ano em número de matrículas.

Em virtude da pressão feita pela Fepesp e sindicatos, uma reunião específica para tratar do assunto e também da caracterização do tutor foi marcada para ocorrer ainda nesta semana. A ideia é de que a questão seja debatida antes da assembleia do dia 19 de março.

 

Avanço: férias e creche

Nesta quinta rodada, o representante patronal aceitou a proposta de inclusão de um parágrafo na cláusula que trata de férias.Válido para professores e auxiliares, o texto afirma que, havendo coincidência entre as férias coletivas e o período de afastamento legal da gestante, as férias serão obrigatoriamente concedidas no término da licença.

Além disso, o sindicato das mantenedoras se comprometeu a enviar uma resposta sobre as alterações propostas pela Fepesp para a cláusula de creche. Vamos aguardar.

Comentários
0 comentário(s)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Insira os caracteres abaixo